ANÁLISE: ASUS ROG STRIX B450-I Gaming

Uma das melhores mainboards Mini-ITX para processadores Ryzen soquete AM4

A placa-mãe ASUS STRIX B450-I Gaming pode ser considerada a melhor placa-mãe da ASUS com chipset B450 para processadores soquete AM4, apesar de seu tamanho compacto em formato Mini-ITX. Nenhum outro modelo até o momento traz tecnologias como Wi-Fi e Bruetooth por exemplo, talvez essas tecnologia citadas acabam fazendo dela o modelo mais caro da empresa, US$160 dólares em cenário internacional.

Site oficial da placa-mãe ASUS STRIX B450-I Gaming

Como características que merecem destaque temos uma placa bastante completa com ótimo acabamento. Quando comparamos ela com a ASRock Fatal1ty X470 Gaming que analisamos alguns dias atrás, fica evidente o acabamento superior da placa da ASUS, na prática para muitos isso não faz muita diferença, o fato é que na review da placa da ASRock eu conclui que o chipset ideal para aquele modelo era o B450, justamente porque não há perda de tecnologias e features importantes comparado ao X470 em uma placa de formato Mini-ITX, veremos isso nessa análise. Lembro ainda que a placa Mini-ITX da ASRock custa US$180, $20 dólares a mais que a placa da ASUS, sabemos que se a ASRock lançasse uma placa semelhante a essa B450 da ASUS seu preço seria ainda mais baixo, talvez uns $30 dólares ou até mais.

Em se tratando de tecnologias, ela suporta ainda dois SSD em formato M.2 através de um sistema onde também foi implementada a placa de som com chip Realtek ALC 1220 suportando 8 canais de áudio, dois slots para memórias de até 3600MHz e também o HDMI 2.0b, com suporte a 4K em 60hz.

Análise da placa ASRock Fatal1ty X470 Gaming
Análise da placa ASUS TUF X470-Plus Gaming
Análise da placa MSI X470 Gaming Plus


Tecnologias


Na imagem abaixo temos a placa com as principais tecnologias destacadas, como já falamos na introdução, esse é um dos fortes desse modelo tanto é que também é a mais cara da ASUS com chipset B450, afinal mais tecnologias e melhor acabamento naturalmente fazem o preço ser mais alto. O destaque fica por conta das tecnologias Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac 2x2 com suporte a MU-MIMO chegando a velocidade de 1.73 Mbps, porém o Bluetooth é 4.2 e não o 5.0 que já está vindo em alguns modelos, não é um grande problema, mas tornaria ela praticamente perfeita por trazer as tecnologias mais atuais.

Também destacamos o suporte a dois SSDs em formato M.2, um na parte de cima através de um módulo que também comporta o chip de áudio Realtek ALC 1220 com a tecnologia SupremeFX da ASUS, e outra conexão M.2 na parte de baixo da mainboard como vem sendo aplicado pelos fabricantes nesse formato.

Perfeita para um sistema compacto de alto desempenho
baseado em processador AMD Ryzen

LEDs RGB e suporte a "fitas" de LED também estão presentes via sistema AURA, as próprias conexões de áudio tem LEDs internos coloridos indicando qual onde os respectivos dispositivos devem ser conectados, como a tradicional cor verde para o fone de ouvido ou caixas de som. Ao todo a placa suporta 4 conexão SATA3, traz uma conexão HDMI 2.0b, a mais recente nesse formato suportando 4K em 60Hz, interessante para quem vai utilizar um CPU da linha Ryzen 2000G, as com vídeo integrado.

É importante falar que qualquer placa-mãe B450 é compatível com TODOS os processadores socket AM4, seja ele um Ryzen de primeira geração série 1000 como o Ryzen 7 1800X, os novos Ryzen 2000G ou até mesmo os recém-lançados Ryzen 2000 sem vídeo integrado. Também é de se esperar que todos os modelos futuros de processador para esse mesmo soquete sejam suportados, necessitando apenas de uma atualização de BIOS. A AMD promete suporte até 2020 para essa plataforma, mantendo compatibilidade com novos processadores Ryzen que serão lançados no futuro.

Como destacado, a mainboard utiliza o chipset B450, lançamento da empresa e que custa um pouco menos que o X470 (modelos soquet AM4 atualmente: A320, B350, B450, X370 e X470). Como principais diferenças práticas para o chipset chipset X470 temos o suporte a tecnologia SLI e número de conexões USB 3.1 Gen2, no caso de uma placa com esse formato não fazem nenhuma diferença, sendo que ela também suporta overclock dos processadores, tem suporte as tecnologia Precision Boost Overdrive 2 e StoreMI, além da melhora no suporte às frequências de memórias mais altas (chegando a 3600MHz) e latências menores.


Fotos


Como sempre destacamos, em uma placa em formato Mini-ITX a primeira coisa que chama a atenção é seu tamanho, muito menor do que a grande maioria de placas. Nesse modelo da ASUS além do tamanho o acabamento também é destaque, fica bem evidente diferença visual dos materiais utilizados quando comparamos com a ASRock Fatal1ty X470 Gaming-ITX/ac que analisamos dias atrás, sem desmerecer a placa da ASRock que é uma bela placa, essa visualmente é mais bonita e tão recheada de tecnologias quando o modelo da ASRock.

A ASUS tem entregado modelos da linha STRIX muito próximo dos modelos considerados de melhor qualidade como as Crosshair, por exemplo, e essa placa é realmente muito bonita e traz muitas tecnologias que a grande parte dos demais modelos não trazem, um exemplo é que por enquanto apenas essa placa com chipset B450 da ASUS e equipada com WiFi e Bluetooth, tirando a limitação de uma única placa PCI-Express e de dois módulos de memória ela não perde em nada para outros modelos de porte bem maior.

Seu sistema de áudio utiliza o tradicional chip da Realtek presente nos modelos mais caros do mercado, o ALC 1220, inclusive com LEDs internos nos conectores visando facilitar a conexão em ambientes escuros.

O painel traseiro traz uma conexão HDMI 2.0b suportando 4K em 60Hz e HDR, sendo essa a única conexão de vídeo, possivelmente a mais interessante para uso do vídeo onboard, sendo que placas de vídeo trazem outros padrões. Ela não traz nenhuma conexão USB Tipo-C, que tem aparecido em praticamente todos os modelos mais recentes de segmento intermediário para alto, porém ainda sem muito uso. As conexões de áudio não são banhadas a ouro como muitos modelos desse perfil também.


BIOS


Como sempre destacamos, a ASUS continua com sua interface já tradicional e mudando apenas perfil de cores e opções relativas ao modelo específica da mainboard, sendo uma das melhores do mercado, tanto no quesito facilidade de uso como em opções.

Durante os testes utilizamos a versão 0901, a mais recente até então, baseada no AGESA 1.0.0.2, outros modelos já trazem a versão 1.0.0.4. Para baixar novas BIOS basta acessar o site da placa clicando aqui.


Sistema Utilizado


Abaixo algumas fotos do sistema montado e na sequência detalhes do sistema utilizado para os testes, mesmo em todas as plataformas.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: AMD Ryzen 7 2700X
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 Ti (referência)
- Memórias: 16 GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB)
- SSD: Kingston Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits
- AMD Chipset 18.10
- GeForce 398.36

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 2.0.x
- Cinebench R15
- Crystal Disk Mark 5.x
- WinRAR 5.4x
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Confira abaixo as telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes, sendo que nessas screens deixamos a configuração padrão do sistema assim que o montamos, sem sequer setar o perfil máximo das memórias.

Para usar a frequência máxima das memórias é necessário setar a configuração na BIOS


Overclock


Apesar das diferentes situações com as placas AM4 e overclock com o Ryzen 7 2700X, o padrão sempre fica entre 4GHz e 4.3GHz, mais do que isso só forçando o CPU em uma configuração que não é recomendada para uso contínuo.

Não posso dizer que não foi surpreendente o comportamento da STRIX B450-I Gaming em overclock, ela estabilizou sem nenhum problema o Ryzen 7 2700X com todos seus cores no clock de 4.3GHz usando a tensão de 1.44v. Algumas placas X470 não conseguiram isso como a MSI X470 Gaming Plus, mostrando que modelos com chipset B450 podem se comportar igual/melhor em overclock quando comparados a modelos com o chipset topo X470, vai depender do projeto da placa.

As memórias setamos em seu clock máximo, 3200MHz, porém é importante destacar também que essa placa suporta até 3600MHz.

Sempre destacamos que você deve fazer overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e de como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

AS SSD Benchmark - SSD
Dando sequência, um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:  

Crystal Disk Mark - USB 3.1
No próximo teste o desempenho com um pen drive USB 3.1 na conexão USB mais rápida da placa. Para esse teste, estamos utilizando um dos Flash Drives mais rápidos do mercado, o SanDisk Extreme PRO USB 3.1 de 256GB. Ele tem velocidades altíssimas para um drive USB, com 420 MB/s de leitura e 380 MB/s de escrita.

É importante instalar os drivers do controlador USB da placa
para atingir o cenário ideal

Destacamos ainda que o drive utilizado é padrão USB 3.1 Gen1. Futuramente, em nova versão Gen2, naturalmente ele poderá alcançar velocidades ainda maiores, já que as placas trazem essa nova conexão.

CineBench
O próximo teste é de renderização de imagem com multi-core, todos os núcleos são colocados para trabalhar:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser utilizado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC é um bom teste para mostrar diferença de desempenho em processadores, já que ele faz bastante uso desse componente, sendo interessante nesse aspecto após fazer overclock. Confiram abaixo o comportamento dos sistemas rodando o game e como fica a diferença, sempre considerando a resolução FullHD que é onde vemos diferenças reais:


Essa foi a primeira mainboard com chipset B450 que analisamos, e provavelmente será uma das que receberá as melhores críticas porque combina bastante com a proposta desse chipset, que na prática perde para o X470 só por não trazer suporte a múltiplas placas de vídeo em SLI e no número de conexão USB 3.1 suportadas nativamente pelo chipset, já que é possível adicionar através de chip de terceiros. Colocar mais conexões USB ou mais placas é algo que nem faz sentido em uma placa mini-ITX, quem nem possui espaço para isso.

A ASUS STRIX B450-I Gaming é extremamente bonita e bem acabada, quando colocamos ela ao lado da ASRock Fatal1ty X470 Gaming fica evidente a diferença na qualidade dos materiais utilizados e no acabamento, não que na prática a aparência fará diferença em performance, já que os componentes da placa da ASRock também são de alta qualidade, mas mostra um projeto mais refinado e cuidadoso a fim de entregar um produto de melhor qualidade, e isso é algo que vale a pena ser mencionado.

Em tecnologias ela é um prato cheio, tem o chip de áudio Realtek ALC 1220 utilizado nos principais modelos do mercado, e traz ainda a tecnologia SupremeFX da ASUS. Suporta até dois SSDs em formato M.2, um na parte superior junto com o módulo de áudio em um sistema desenvolvido pela ASUS para esse perfil de placa compacta, e mais outro na parte de baixo da mainboard como a maioria dos fabricantes faz. Traz o que existe de melhor em tecnologia WiFi atualmente para esse tipo de produto, alcançando velocidades de 1.73 Mbps, porém o Bluetooth é na versão 4.2, algumas placas já estão trazendo o 5.0, para uma pessoa que presa por tudo do melhor provavelmente esse será o maior problema, mas na prática não é algo que comprometa o uso na maioria dos casos.

Pequena e grande ao mesmo tempo

A ASUS adicionou suporte a memórias de até 3600MHz, mais do que alguns modelos com chipset X470, talvez devido ela ser mais recente e também pelo fato das mainboards mais novas já trabalharem com projetos otimizados de memórias, sempre um detalhe delicado em se tratando de AMD devido sua compatibilidade bastante ruim com muitos kits DDR4 existentes. Eles até operam corretamente, mas em muitos casos pode ser difícil atingir o nível máximo de frequências indicadas pela fabricante do kit.

O overclock também me chamou a atenção, já sabia que teoricamente não existia limitações frente a modelos com chipset X470, mas ela se saiu melhor que alguns modelos que testamos com o chipset topo de linha. Levando em consideração que se trata de um modelo compacto ela estabilizou todos os cores do Ryzen 7 2700 em 4.3GHz sem problemas, alcançando resultados melhores que as X470 em vários testes.

Mini-ITX e chipset B450 foram feitos um para o outro

Em cenário internacional ela está custando $160 dólares, como sempre as placas da ASUS custam consideravelmente mais que a concorrência. Comparando com a ASRock Fatal1ty X470 Gaming que custa 180 dólares, ainda assim essa placa me parece uma opção mais atrativa, sendo que ela não perde em nada no quesito tecnologias, tem acabamento superior e é mais barata. Mas ai temos uma situação que complica muito esse modelo; placas concorrentes com perfil bastante semelhante no quesito quantidade de tecnologias como a MSI B450 Gaming AC, custa 120 dólares, justamente o que conclui que seria o grande trunfo de uma placa Mini-ITX B450 frente ao modelo X470 da ASRock, o preço bem inferior. A ASUS sempre posiciona seus produtos acima das concorrentes no valor, em parte o acabamento justifica o preço mais alto, porém se o consumidor não está se preocupando com o visual do sistema isso não vai fazer diferença, ainda mais porque 30 dólares lá fora pode virar R$ 200 aqui no Brasil, sabe-se lá como.

Enfim, a placa é talvez a melhor do mercado com chipset B450 em formato Mini-ITX, trazendo muitas tecnologias atuais e um acabamento excelente, mas seu preço poderia ser um pouco abaixo, US$135 ou mesmo US$140 já seria consideravelmente mais interessante e faria dela um produto bem mais atrativo.

Conclusão

 

Avaliação: ASUS ROG STRIX B450-I Gaming

Tecnologias
10
Acabamento
10
Overclock
9
Preço
7

PRÓS
Suporte a todos os processadores Ryzen AM4
Excelente acabamento
Principais tecnologias da plataforma
Compacta sem abrir mão de tecnologias
Suporte a Wifi com velocidade de 1733Mbps
CONTRA
Custo bem acima de modelos semelhantes da concorrência
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.