ANÁLISE: ASUS TUF X470-PLUS GAMING

Mainboard X470 mais barata da Asus custa 15% a mais que concorrentes
Por Fabio Feyh 31/07/2018 19:45 | atualizado 18/08/2019 16:30 comentários Reportar erro

Como já comentamos em análises anteriores, os novos processadores Ryzen 2000 soquete AM4 chegaram e junto trouxeram novos chipsets, o primeiro foi o X470, o mais completo e destinado aos modelos de placas-mãe com maior quantidade de tecnologias, além de também estar associado aos modelos de maior qualidade por padrão. A placa que vamos analisar hoje é a ASUS TUF X470-Plus Gaming, uma das mais baratas da ASUS com esse chipset, um modelo de entrada da empresa nesse perfil de produto.

Em cenário internacional a placa foi lançada por cerca de U$150 dólares (pesquisa feita no dia 31/07/2018 na newegg.com). No Brasil ela deve chegar nos próximos dias, mas ainda não tem preço definido.

Site oficial da placa-mãe ASUS TUF X470-Plus Gaming


Tecnologias


Abaixo temos as principais tecnologias/conexões destacadas direto no PCB da placa-mãe, que tem um acabamento bom, não é um modelo RoG onde fica visível o acabamento melhor, mas se mostra uma placa interessante trazendo tudo que realmente é necessário para montar um bom PC baseado em processadores Ryzen.

É importante falar que qualquer placa-mãe X470 é compatível com TODOS os processadores socket AM4, seja ele um Ryzen de primeira geração série 1000 como o Ryzen 7 1800X, os novos Ryzen 2000G ou até mesmo os recém lançados Ryzen 2000 sem vídeo integrado. Também é de se esperar que todos os modelos futuros para esse mesmo soquete sejam suportados, necessitando apenas de uma atualização de BIOS. A AMD promete suporte até 2020 para essa plataforma, mantendo compatibilidade com novos processadores Ryzen futuros.

Como destacado, a mainboard utiliza o chipset X470, modelo topo de linha entre os disponíveis atualmente (A320, B350, B450, X370 e X470). Como principais diferenças práticas, o chipset X470 traz como novidade sobre o X370 o suporte a tecnologia Precision Boost Overdrive 2 e StoreMI, melhora no suporte as frequências de memórias mais altas (chegando a 3600MHz) e latências menores.

A TUF X470-Plus Gaming é a placa-mãe X470 mais barata da Asus

Diferente de outros modelos com a Crosshair, a X470-Plus Gaming destaca o suporte a memórias com frequência de 3200MHz no máximo, abaixo dos 3466MHz+ dos modelos mais entusiasta. Não é um grande problema, mas houve uma limitação nas frequências suportadas.


Fotos


Como destacamos, essa é uma placa de "entrada" da Asus com o chipset X470, os acessórios que acompanham ela já indicam isso, nada mais do que o necessário, sem "firulas". O visual também segue essa linha, uma placa com boa acabamento e podemos até chamar de bonita, não se equipara com uma RoG, mas traz as principais tecnologias da plataforma, passa um aspecto de modelo custo vs benefício, sem chamar de mais a atenção na parte visual.

Falando das tecnologias disponíveis, ela não tem suporte a WiFi/Bluetooth, mas traz duas conexões M.2, o PCI-Express 16 principal reforçado, 4 slots de memória, alguns LEDs e também suporte a "fitas" LEDs que viraram padrão hoje em dia, enfim, uma boa placa e só.

O sistema de áudio traz o chip Realtek ACL887-VD2, suportando até 8 canais. Não é o ALC 1220, chip utilizado nos modelos de maior qualidade, porém deve atender bem a maioria dos usuários.

No painel traseiro, novamente temos o básico, sem destaques. Tem duas conexões de vídeo, uma DVI e outra HMI 1.4 suportando vídeo integrado dos modelos de processadores da série "G", com mais 6 conexões USB sendo duas Tipo A e uma Tipo C no padrão USB 3.1. Para deixar um acabamento um pouco melhor a Asus colocou uma carcaça protetora sobre essas conexões.


BIOS


Como sempre destacamos, a ASUS continua com sua interface já tradicional e mudando apenas perfil de cores e opções relativas ao modelo específica da mainboard, sendo uma das melhores do mercado, tanto no quesito facilidade de uso como em opções.

Durante os testes utilizamos a versão 4017, a mais recente até então, baseada no AGESA 1.0.0.2a. Para baixar novas BIOS basta acessar o site da placa clicando aqui.


Sistema Utilizado


Aqui embaixo você confere fotos e também as configurações da máquina utilizada por nós em todas as análise de placas-mãe com mesma série de chipset, além de drivers e aplicações utilizadas nos testes.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: AMD Ryzen 7 2700X
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 Ti (referência)
- Memórias: 16 GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB)
- SSD: Kingston Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits
- AMD Chipset 18.10
- GeForce 398.36

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 2.0.x
- Cinebench R15
- Crystal Disk Mark 5.x
- WinRAR 5.4x
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Confira abaixo as telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes, sendo que nessas screens deixamos a configuração padrão do sistema assim que o montamos, sem sequer setar o perfil máximo das memórias.

Para usar a frequência máxima das memórias é necessário setar a configuração na BIOS


Overclock


Apesar das diferentes situações com as placas AM4 e overclock com o Ryzen 7 2700X, o padrão sempre fica entre 4GHz e 4.3GHz, mais do que isso só forçando o CPU em uma configuração que não é recomendada para uso contínuo.

Em algumas mainboards até conseguimos deixar todos os núcleos do 2700X em 4.3 GHz, já em outras não. No caso da X470 Gaming Plus conseguimos setar em 4.2GHz todos os núcleos de forma estável. Definimos a tensão em 1.44v, acima disso não é recomendado para uso contínuo.

Sempre destacamos que você deve fazer overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e de como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

AS SSD Benchmark - SSD
Dando sequência, um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:  

Crystal Disk Mark - USB 3.1
No próximo teste o desempenho com um pen drive USB 3.1 na conexão USB mais rápida da placa. Para esse teste, estamos utilizando um dos Flash Drives mais rápidos do mercado, o SanDisk Extreme PRO USB 3.1 de 256GB. Ele tem velocidades altíssimas para um drive USB, com 420 MB/s de leitura e 380 MB/s de escrita.

É importante instalar os drivers do controlador USB da placa
para atingir o cenário ideal

Destacamos ainda que o drive utilizado é padrão USB 3.1 Gen1. Futuramente, em nova versão Gen2, naturalmente ele poderá alcançar velocidades ainda maiores, já que as placas trazem essa nova conexão.

CineBench
O próximo teste é de renderização de imagem com multi-core, todos os núcleos são colocados para trabalhar:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser utilizado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC é um bom teste para mostrar diferença de desempenho em processadores, já que ele faz bastante uso desse componente, sendo interessante nesse aspecto após fazer overclock. Confiram abaixo o comportamento dos sistemas rodando o game e como fica a diferença, sempre considerando a resolução FullHD que é onde vemos diferenças reais:


A TUF X470-Plus Gaming é atualmente a placa-mãe mais barata da ASUS, trazendo as principais tecnologias que a plataforma oferece. Com acabamento intermediário, modelo busca entregar bom custo vs benefício. E ela consegue, ao menos quando comparamos com outros modelos da própria empresa.

Seu acabamento é bom, tem um visual bonito e até alguns LEDs para quem curte, até porque atualmente não trazer LED é raro em placas-mãe. Ela ainda possui duas conexões M.2 para drives SSD, também tem proteção no slot PCI-Express principal, carcaça cobrindo as conexões do painel traseiro e para por ai, de resto é uma mainboard bastante comum tirando o fato de ser baseada no chipset X470, atualmente o melhor para placas com socket AM4.

A placa-mãe X470 mais barata da ASUS

Em overclock ela se comportou bem, estabilizando todos os núcleos em 4.2GHz, porem nos modelos mais caros cono a própria Crosshair da ASUS chegamos em 4.3GHz. É importante destacar aqui que nem sempre o clock mais alto traz mais resultado, as vezes configurar um clock que force menos o sistema acaba entregando até mesmo resultados melhores, além de também ficar mais estável.

Um detalhe técnico que chamou a atenção foi a ASUS limitar a velocidade das frequências de memórias suportadas para 3200MHz, normalmente placas com esse chipset suportam 3466MHz ou até 3600MHz. Na pratica não vai fazer muita diferença, até porque já é "um parto" conseguir achar ou fazer kits de 3200MHz funcionarem bem em AMD, mas o fato é que todas as concorrentes suportam e por algum motivo a ASUS não adicionou o suporte nesse modelo.

Outro ponto é que a placa tem o chip de áudio Realtek ACL 887(suportando 8 canais), a principio nada de mais, mas não é o tradicional ACL 1220 utilizados nos modelos mais caros. Vale ressaltar que outros fabricantes estão seguindo o mesmo caminho nesse aspecto, provavelmente para conseguir entregar um produto com preço menor, ou mesmo ter margem maior de lucro.

No painel traseiro o destaque fica por conta de 2 portas USB 3.1 Gen2 do tipo A, já a porta Tipo C é padrão Gen1. Ainda está disponível uma conexão DVI e uma HDMI 1.4 além de outras conexões como de áudio e até uma PS2.

Boa placa, mas custa 15% mais que modelos concorrentes

Seu preço em cenário internacional é de U$150, exatos U$20 a mais que modelos como a MSI X470 Gaming Plus (análise em breve), que possui características bastante semelhantes. Considerando o atual cenário e modelos de placas X470 no Brasil, essa placa deve chegar custando na casa de R$1.000.

É muito importante destacar que a grande diferença entre placas-mãe com chipset X470 e B450 é o suporte a SLI, sendo assim o recomendado é esperar por modelos com o chipset B450 que foram anunciados ontem, muitos deles podem trazer acabamento superior e até mesmo maior quantidade de tecnologias por um preço mais atrativo.

Conclusão

 

Avaliação: ASUS TUF X470-PLUS GAMING

Tecnologias
8.5
Acabamento
8.5
Overclock
9
Preço
6

PRÓS
Suporte a todos os processadores Ryzen AM4
Principais tecnologias da plataforma
CONTRA
Frequências de memórias de no máximo 3200MHz
Preço alto comparado a modelos concorrentes
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado é responsável pelas análise de drones e alguns gadgets relacionados a fotos e vídeo, como Action Cams.