ANÁLISE: ASUS ROG STRIX X470-F Gaming

Modelo tem bom acabamento e principais tecnologias da plataforma

A AMD aproveitou o lançamento dos novos processadores Ryzen 5 e 7 da linha 2000 para também lançar seu novo chipset de alto desempenho para placas socket AM4, o X470. Com esse lançamento, naturalmente tivemos uma série de novas placas-mãe chegando ao mercado, entre elas a ASUS ROG STRIX X470-F Gaming, modelo intermediário alto da ASUS com esse chipset.

Como destaque a placa traz um acabamento mais refinado quando comparado aos modelos dito mais simples, visual gamer e projeto melhorado para overclock. Em cenário internacional a placa-mãe foi lançada por US$ 215 dólares, no Brasil ela chegou custando R$1250.

Site oficial da placa-mãe ASUS ROG STRIX X470-F Gaming

Tecnologias


Na imagem abaixo temos as principais tecnologias/conexões destacadas direto no PCB da placa-mãe, compatível com TODOS os processadores socket AM4, seja ele um Ryzen de primeira geração série 1000 como o Ryzen 7 1800X, os novos Ryzen 2000G ou mesmo os recém lançados Ryzen 2000 sem vídeo integrado, assim como futuros modelos para esse mesmo socket, bastando fazer uma atualização de BIOS

A mainboard utiliza o chipset X470, modelo topo de linha entre os quatro disponíveis atualmente (A320, B350, X370 e X470). Como principais diferenças práticas, o chipset X470 traz como novidade sobre o X370 o suporte a tecnologia Precision Boost Overdrive 2 e StoreMI, melhora no suporte as frequências de memórias mais altas, chegando a 3600MHz, assim como melhora nas latências.

Em breve vamos publicar um artigo sobre a tecnologia StoreMI

Fotos


A placa tem um visual muito bonito, com visual imponente e bom acabamento, destaque para o dissipador sobre o chipset. Em se tratando de tecnologias, só faltou o suporte a WIFI/Bluetooth para ser completa, de resto é uma excelente placa para montar um sistema de alto desempenho com os novos modelos Ryzen 7 2700/X

As tecnologias são as tradicionais em placas desse porte, USB 3.1 Gen2, rede Gigabit, suporte a SSDs NVMe de alto desempenho via PCI-Express ou conexões M.2.

No painel traseiro o destaque fica por conta do espelho fixo na mainboard, como isso é bom, foi implementado pela primeira vez pela ASUS e tende a se tornar padrão, ao menos em modelos intermediários e de alto desempenho. Elas traz conexões de vídeo, sendo 1x DVI e outra HDMI, porém essa é versão 1.4 e não 2.0.

BIOS


Como sempre destacamos, a ASUS continua com sua interface já tradicional, sendo uma das melhores do mercado, tanto no quesito facilidade de uso, como em opções.

Durante os testes utilizamos a versão 4008, a mais recente até então, baseada no AGESA 1.0.0.2a. Para baixar novas BIOS basta acessar o site da placa clicando aqui.

Sistema Utilizado


Abaixo, detalhes sobre o sistema que utilizamos em todas as análise de placas-mãe com mesma série de chipset, além de drivers e aplicações utilizadas nos testes. Antes fotos do sistema montado:

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: AMD Ryzen 7 2700X
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 (referência)
- Memórias: 16 GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB)
- SSD: Kingston Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits Redstone 2
- AMD Chipset 18.10
- GeForce 391.35

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 1.9.x
- CPU-Z Bench
- wPrime 2.10
- WinRAR 5.4x
- 3DMark (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes, já com dados do sistema overclockado e memórias em 3200MHz.

Overclock


Como já destacamos na análise dos processadores Ryzen 7 2700X e do Ryzen 5 2600X, eles são modelos que já trabalham próximo do máximo que a tecnologia oferece, sendo assim não vão chegar muito longe em overclock.

De forma estável o Ryzen 7 2700X utilizado chegou em 4.25GHz, acima disso alguns dos testes da bateria não finalizavam, logo tivemos que diminuir já que a proposta dos overclocks que aplicamos é que eles fiquem próximo de algo para uso contínuo, não para bater recordes.

Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confiram:

AS SSD Benchmark
Dando sequência, um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:  

Crystak Disk Mark
Com o aplicativo CrystalDiskMark, utilizamos o teste "Seq". Abaixo, os resultados em modo leitura e escrita:

CineBench
O próximo teste é de renderização de imagem com multi-core, onde todos os núcleos são colocados para trabalhar:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser usado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC é um bom teste para mostrar diferença de desempenho em processadores, já que ele faz bastante uso desse componente. Confiram abaixo o comportamento dos sistemas rodando o game e como fica a diferença, sempre considerando a resolução FullHD que é onde vemos diferenças reais:


A linha STRIX de placas-mãe normalmente traz as principais tecnologias com acabamento acima da média, porém sem ter um preço muito elevado como modelos topo de linha, no caso de X470, como a Crosshair VII Hero. A ASUS ROG STRIX X470-G Gaming é uma boa placa-mãe para quem está querendo montar um sistema de alto desempenho baseado em processadores AM4.

Placa-mãe traz as principais tecnologias da plataforma

Ela traz todas as principais tecnologias disponíveis da plataforma, suportando memórias acima de 3466MHz com kits certificados, teoricamente acima disso seria 3600MHz, mas não tem impresso na caixa. Outros modelos de placas com esse chipset já trazem impresso na caixa o suporte a frequência de 3600MHz, porém a ASUS optou por ser mais comedida nesse quesito.

O chipset de som é o tradicional Realtek ALC1220 utilizado na grande maioria de modelo intermediários e high de placas-mãe, com 8 canais. Ela ainda traz conexões USB 3.1 Gen2 em formato Tipo C e Tipo A na parte traseira, além de uma conexão nesse padrão no PCB da placa compatível com gabinetes. Rede Gigabit Intel, conexões M.2 NVMe e conexões de vídeo DisplayPort e HDMI, essa última em versão 1.4, também estão presentes. Suporte a multiplas placas de vídeo é um diferencial do chipset como acontece no X370, tanto Crossfire como SLI. Ahhhh, LEDs já integrados e possibilidade de adicionar fitas de LEDs controladas pelo sistema AURA também fazem parte do repertório.

Uma coisa interessante é que a ASUS já adicionou a esse modelo o espelho fixo na parte de traz, algo que vinha acontecendo apenas nos modelos topo de linha da empresa, mas já mostra uma tendência para futuro, quem sabe algo que vire padrão em todos os modelos, é detalhe, mas é algo bastante válido.

Não fizemos testes com a tecnologia StoreMI, presente em todos os modelos com esse chipset. Ela promete aumentar muito a velocidade dos HDs, algo semelhante ao Optane da Intel, porém com alguns benefícios, como possibilidade de ativar e desativar sem perda de dados. Em breve faremos um artigo a respeito, especialmente porque o software ainda precisa algumas melhorias e correções.

Como foi possível ver nos comparativos, apesar da diferença em projetos dela para a Gaming 7 WIFI da Gigabyte, na prática elas entregam a mesma coisa, inclusive em overclock, ficando por parte das tecnologias e acabamento o maior diferencial.

Desempenho igual aos modelos topo de linha

Seu preço em cenário internacional é de U$215, o ideal teria sido na casa de U$200 para ter ficado mais competitiva frente a modelos concorrentes. No Brasil ela chegou custando na casa de R$1250, mas seu preço ter alternado bastante, infelizmente para cima. Comparando com alguns outros modelos como a MSI X470 Gaming Pro, a X470-F Gaming custa um pouco mais, cerca de R$150 por aqui, U$25 a mais em cenário internacional (pesquisa feita dia 27/04/2018 na newegg.com), ficando a critério de quem comprar se essa diferença justifica pelo fato de oferecer na pratica melhor acabamento nesse comparativo feito.

Conclusão

 

Avaliação: ASUS ROG STRIX X470-F Gaming

Tecnologias
9
Acabamento
9
Overclock
9
Preço
7

PRÓS
Suporte a todos os processadores Ryzen AM4
Belo design e bom acabamento
Componentes de boa qualidade
Bom suporte para overclock
Conexões USB 3.1 Gen2
Espelho traseiro fixo
CONTRA
Frequências de memórias mais baixas que placas Intel
Preço acima de modelos concorrentes
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado é responsável pelas análise de drones e alguns gadgets relacionados a fotos e vídeo, como Action Cams.