ANÁLISE: MSI B350 Tomahawk

Uma ótima placa-mãe socket AM4, mas com custo próximo de modelos X370

Com o lançamento dos processadores AMD Ryzen série 2000G com vídeo integrado, também foram lançadas uma série de novas mainboards com o chipset B350. A MSI nos enviou o modelo B350 Tomahawk, placa-mãe considerada um modelo acima da média com esse chipset por trazer um acabamento melhor do que as rivais do segmento.

Em cenário internacional ela foi lançada custando US$ 100 dólares, já no Brasil seu preço fica pouco acima dos R$ 500, valor interessante pelas características da placa, porém tem modelos com esse mesmo chipset que custam pouco acima de R$400. (Pesquisa feita dia 04/04/2018).

Site oficial da placa-mãe MSI B350 Tomahawk

Tecnologias


Na imagem abaixo temos as principais tecnologias/conexões destacadas direto no PCB da placa-mãe MSI B350 Tomahawk socket AM4, compatível com TODOS os processadores socket AM4, seja ele um Ryzen de primeira geração série 1000 como o Ryzen 7 1800X, ou os novos Ryzen 2000 como o Ryzen 5 2400G, assim como futuros modelos para esse mesmo socket.

A placa utiliza o chipset B350, atualmente o modelo intermediário entre os três disponíveis (A320, B350 e X370). Como principais diferenças práticas, o suporte a tecnologias como SLI ficam ausentes no B350 quando comparado ao X370, mas o suporte a overclock está mantido nesse chipset, diferente do A320 que não traz suporte a essa característica entre algumas outras, ou seja, a B350 consiste em estar presente em modelos custo/benefício com bom potencial para upgrades de CPUs.

Fotos

O visual da MSI B350 Tomahawk foca no usuário gamer, trazendo um acabamento bom apesar de simples por não ter muitos dissipadores sobre o PCB, apenas o necessário por assim dizer.

Como já colocamos, ela traz as principais tecnologias da plataforma, sendo uma placa considerada high-end dentro do cenário de modelos com esse chipset, porém traz conexões USB 3.1 Gen1 e a HDMI é versão 1.4, se é um modelo lançado junto com os novos Ryzen 2000 com vídeo integrado utilizando arquitetura Vega, poderia ser uma conexão HDMI 2.0 para suportar ao menos vídeos em 4K 60Hz. O chip de áudio é um Realtek ALC892, um modelo considerado "OK", nem ruim nem o que existe de melhor, acompanha o perfil da placa.

No painel traseiro ela traz 3 conexões de vídeo, sendo 1x DVI, 1x VGA e otura HDMI 1.4, além das conexões USB 3.1, tanto tipo A como tipo C, ambas Gen1. As conexões de áudio são banhadas a ouro na parte interna, entregando assim melhor qualidade sonora do que modelos tradicionais. Temos também uma conexão LAN Gigabit.

BIOS


A interface de BIOS das placas da MSI segue um visual bom, próximo ao da Asus, que em nossa opinião é a referência nesse aspecto.

Durante os testes utilizamos a versão 1G, a mais recente até então, baseada no AGESA 1.0.0.1a. Para baixar novas BIOS basta acessar o site da placa clicando aqui.

Sistema Utilizado


Abaixo, detalhes sobre o sistema que utilizamos em todas as análise de placas-mãe com mesma série de chipset, além de drivers e aplicações utilizadas nos testes. Antes fotos do sistema montado:

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: AMD Ryzen 5 2400G
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 (referência)
- Memórias: 16 GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB)
- SSD: Kingston Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits Redstone 2
- AMD Crimson 17.10 com Ryzen Powerplan
- GeForce 391.24

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 1.9.x
- CPU-Z Bench
- wPrime 2.10
- WinRAR 5.4x
- 3DMark (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes.

Overclock


O processador AMD Ryzen 5 2400G utilizado na análise é bastante limitado em se tratando de overclock. Ele atinge 3.9GHz no máximo travando em vários testes, sempre utilizando o cooler que acompanha o CPU. Porém a placa tem características semelhantes a outros modelos socket AM4 consideradas intermediárias para essa finalidade. Vai suportar overclocks sem problemas sem que force demais o CPU utilizado, como grande parte dos processadores Ryzen tem cerca limitação no overclock, é um modelo interessante para "um overclock médio", se é que podemos chamar assim.

O suporte as memórias melhorou com a última atualização de BIOS, sendo que ao receber a placa tivemos algumas instabilidades. Para todos que comprarem qualquer modelo de placa-mãe baseada em socket AM4, ficar de olho no site oficial do seu modelo em busca de BIOS mais recente é uma obrigação, principalmente se estiver tendo problema com instabilidade do sistema, especialmente algum problema relacionado a memórias.

Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confiram:

AS SSD Benchmark
Dando sequência, um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:  

CineBench
O próximo teste é de renderização de imagem com multi-core, onde todos os núcleos são colocados para trabalhar:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser usado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC é um bom teste para mostrar diferença de desempenho em processadores, já que ele faz bastante uso desse componente. Confiram abaixo o comportamento dos sistemas rodando o game e como fica a diferença, sempre considerando a resolução FullHD que é onde vemos diferenças reais:


Felizmente os interessados na plataforma socket AM4 da AMD tem uma grande variedade de modelos de placas-mãe disponíveis, tanto em qualidade final como em preços, desde as mais baratas baseadas em chipset A320, passando pelas intermediárias com o chipset B350 até as topo de linha com chipset X370, fora as novas que devem chegar nos próximos dias com o novo topo de linha X470, enfim, existe uma variedade grande de chipsets, logo temos uma variedade grande de modelos com cada um desses chipsets e com perfis bem diferentes, assim como faixa de preço.

A B350 Tomahawk da MSI é um modelo "high-end" com o chipset B350, isso quer dizer que ela está entre os melhores e mais caros modelos com esse chipset, na prática comparando com outros modelos B350, não sei se vale a pena a diferença de R$100 ou mais que ela possui para algumas outras da ASRock, Asus, Gigabyte ou mesmo MSI. O que ela vai entregar de melhor é o acabamento e visual na grande maioria dos casos, já que ela não tem nada de tão especial sobre modelos mais baratos com esse chipset quando se trata do que oferece na pratica. Diferente das X370, ela não suporta multiplas placas de vídeo(só Crossfire), mas quem se importa também, especialmente nesse perfil de produto não é? Ou sim já que ela se propõe a ser um modelo top entre as B350?

Placa-mãe traz as principais tecnologias da plataforma

Na comparação com a Gigabyte AB350N-Gaming WIFI, a placa da MSI se mostrou um pouco mais instável durante os testes, situação que melhorou após a última atualização de BIOS, mas temos que considerar que temos aqui um kit DDR4 certificado, então quando se trata dessa plataforma AM4 da AMD é importante levar em consideração a atenção que deve-se ter ao comprar um kit de memórias para não enfrentar uma dor de cabeça, especialmente se o kit tiver frequência alta na casa dos 3000MHz. Acho que toda mainboard desse perfil deveria ter conexão HDMI 2.0, não para se jogar em 4K, mas para suportar ver filmes nessa resolução em 60Hz quando utilizando o vídeo integrado, especialmente porque ela suporta o que há de melhor no mercado nesse quesito, que é o vídeo integrado com Radeon Vega 11 do Ryzen 5 2400G.

Em cenário internacional a placa chegou custando U$100, por aqui é possível encontrar pouco acima de R$500 (pesquisa feita dia 04/04/2018), preço não tão caro quando comparamos com modelos Intel que costumam sempre ter preço bem acima, mas existem modelos com o mesmo chipset custando pouco mais do que R$400 e na prática oferecendo as mesmas tecnologias, inclusive suportando o mesmo nível de overclock. Para quem busca overclock mais pesado é recomendado modelos com chipset X370 ou os novos X470 que estão "batendo na porta", sendo essas placas com componentes e características projetadas especialmente para situações mais extremas e principalmente voltados a extrair mais desempenho da próxima geração de processadores Zen. A diferença desse modelo para uma X370 fica na casa de R$100+, ai com projetos mais robustos em vários aspectos além tecnologias melhores e em maior quantidade.

A B350 Tomahawk é uma bela placa AM4 de valor intermediário, porém seu principal destaque sobre outros modelos com esse chipset fica por conta do visual. Como ela utiliza um chipset voltado a máquina intermediárias, acho que esperando mais um mês seu preço ficará dentro do ideal, na casa de R$450 ou pouco mais. Com esse valor também será uma opção mais atrativa que as placas com chipset H370, que chegaram a partir de R$700, sem possibilitar overclock e com frequência de memórias máxima de 2666MHz.

Conclusão

 

Avaliação: ANÁLISE: MSI B350 Tomahawk

Tecnologias
9
Acabamento
9
Overclock
9
Preço
7

PRÓS
Componentes de boa qualidade
Suporte para overclock
Suporta frequências de memória mais altas que modelos concorrentes Intel
Suporte a SSDs M.2 NVMe
Conexões USB 3.1
CONTRAS
HDMI é versão 1.4
Entre as B350 mais caras
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.