ANÁLISE: ZOTAC GeForce GTX 1080 Ti AMP! Extreme Core Edition

Mesmo um ano após seu lançamento a GTX 1080 Ti continua sendo a placa gamer mais rápida do mercado

Acabou de fazer um ano desde o lançamento da GeForce GTX 1080 Ti e ela continua sendo a melhor placa de vídeo destinada aos gamers, e hoje iremos analisar um modelo com características diferenciadas dentro das linhas da ZOTAC, a GeForce GTX 1080 Ti AMP Extreme, placa de vídeo que se destaca pelo sistema de coolers com 3 FANs, overclock de fábrica e visual bastante imponente, ocupando 3 slots PCI Express. 

Site oficial da ZOTAC GeForce GTX 1080 Ti AMP! Extreme Core Edition

Como temos destacado bastante nas últimas análises de placas de vídeo e demais conteúdos relacionados, considerar preço atual ficou complicado para a maioria das placas, já que a mineração tem prejudicado muito a vida dos gamers, ainda sem uma estimativa de quando os mesmo voltam ao normal.

Porém nos modelos mais caros como as que utilizam esse GPU o impacto não foi tão grande já que elas são justamente muito caras, no custo vs benefício para montar um sistema  para mineração elas se tornam menos interessante frente aos modelos intermediários. Essa placa quando lançada chegou custando US$720 dólares, hoje no Brasil está custando em média R$4k ou pouco mais, antes da mineração ficava na casa de R$3.5k.

Especificações da placa
Começamos pelas especificações da placa comparada com outros modelos:

Comparativo


ZOTAC GeForce GTX 1080 Ti AMP! Extreme Core Edition

Gigabyte GeForce GTX 1080 Ti AORUS Xtreme

Asus GeForce GTX 1080 Ti Strix OC

NVIDIA GeForce GTX 1080 Ti

Preços

Preço no lançamentoU$ 719,00 U$ 749,00 U$ 779,99 U$ 699,00
Preço atualizadoR$ 3.999,00 R$ 4.200,00 R$ 4.099,00 R$ 4.000,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação16nm FinFET 16nm FinFET 16nm FinFET 16nm FinFET
ChipPascal GP102 Pascal GP102 Pascal GP102 Pascal GP102
Clock do GPU1608 MHz1608 MHz1570 MHz1480 MHz
Clock do GPU (Turbo)1721 MHz1721 MHz1683 MHz1582 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR5X GDDR5X GDDR5X GDDR5X
Interface de largura de BUS352 bit 352 bit 352 bit 352 bit
Quantidade de RAM11GB 11GB 11GB 11GB
Clock das memóriass1400 MHz1404 MHz1376 MHz1376 MHz
Clock efetivo11200 MHz11232 MHz11008 MHz11008 MHz
Largura de banda492.8 494.2 484 484

Características Gerais

Shading Units3584 3584 3584 3584
TMUs224 224 224 224
ROPs88 88 88 88
Pixel Rate151.4 GPixel/s151.4 GPixel/s148.1 GPixel/s139.2 GPixel/s
Texture Rate385.5 GTexel/s385.5 GTexel/s377 GTexel/s354.4 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes12.336 GFLOPS12.336 GFLOPS12.064 GFLOPS11.340 GFLOPS

Design

Pinos de alimentação2x 8 pinos 2x 8 pinos 2x 8 pinos 1x 6 pinos {mais} 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasAté duas placas Até duas placas Até duas placas Até duas placas
Tipo de SlotTriple-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa325 mm293 mm298 mm267 mm
TDP250 W250 W250 W250 W
Fonte recomendada650 W650 W650 W600 W
Conexões de vídeo3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1xDVI 3x DisplayPort 1.4, 3x HDMI 2.0B, 1xDVI 2x DisplayPort 1.4, 2x HDMI 2.0B, 1x DVI 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B

Recursos

DirectX12.1 12.1 12.1 12.1
OpenCL1.2 1.2 1.2 1.2
OpenGL4.5 4.5 4.5 4.5
Shader5.0 5.0 5.0 5.0

Extras

ExtrasSistema de cooler com 3 FANs Sistema de cooler com 3 FANs Sistema de cooler com 3 FANs

Tecnologias


Abaixo algumas das principais tecnologias, incluindo tecnologias exclusivas da ZOTAC, na GTX 1080 Ti AMP Extreme Edition:

Suporte a VR 
A placa de vídeo oferece o desempenho necessário para suportar realidade virtual com portas plug-and-play, baixa latência e compatibilidade com headsets VR com tecnologia VR Works da Nvidia. O hardware também dá conta da demanda UHD em vários monitores. 

Modo de personalização Spectra
Com o software redesenhado FireStorm,o usuário tem acesso ao novo modo de iluminação Spectra com diversas cores e opções de personalização. A placa tem três zonas de iluminação que podem ser personalizadas ou desligadas.

Durabilidade e refrigeração Ice Storm
As VGAs da série AMP contam com PCB e componentes reforçados, feitos para oferecer mais durabilidade. Além disso, a placa conta com refrigeração Ice Storm, que promete refrigeração mais eficiente enquanto mantém o sistema em silêncio. A tecnologia Freeze garante o silêncio e reduz o desgaste dos fans. As ventoinhas também podem trabalhar e parar automaticamente de acordo com padrões pré-definidos quando configurados pelo usuário.

Power Boost 
O Power Boost é um chip de controle para regular a corrente elétrica da placa. O recurso promete otimizar o consumo e eficiência do hardware, o que resulta em placas mais duradouras mesmo em situações exigentes. 

Dual BIOS
A placa também conta com um switch na lateral que serve para o usuário alterar facilmente entre duas BIOS definidas, possibilitando ter uma versão com overclock mais alto por exemplo.

FireStorm
Para quem quiser overclockar a placa e personalizar os LEDs, a ZOTAC disponibiliza o software FireStorm, oferecendo o controle dessas características. Abaixo algumas telas do software.

Fotos


A ZOTAZ 1080 Ti AMP Extreme é uma que chama a atenção já de inicio pelo seu porte avantajado mesmo comparando a outros modelos GTX 1080 Ti, isso se deve principalmente pelo fato dela ocupar 3 slots PCI-Express, ou seja, tem uma "profundidade" maior do que de costume, associado aos seus três FANs que também ajudam a chamar atenção da placa.

Sistemas de cooler como esse viraram padrão de mercado não apenas em modelos com GPUs de alto desempenho, alguns modelos intermediários também já trazem soluções semelhantes, porém em placas como essa as empresas buscam adicionar alguns extras.

Reparem que a ZOTAC adicionou controladores de corrente elétrica, visando melhorar o gerenciamento de energia da placa, aproveitou para deixar os chips bem aparentes e gerar um visual personalizado na parte de traz que é quase toda coberta por um blackplate.

FANs de 120mm e uma série de LEDs, que podem ser personalizados através do App da ZOTAC que também é utilizado para overclock da placa, estão entre outros destaque desse modelo.

Diferente de muitas empresas, ao menos nesse modelo, a ZOTAC optou por manter as mesmas conexões de vídeo da referência, sendo 3 x DisplayPort, 1 x HDMI e 1 x DVI. Tem sido comum trocar uma DisplayPort por uma HDMI já que grande parte dos monitores estão usando essa conexão como padrão além da possibilidade de ligar o PC em TVs.

No total são 5 conexões de vídeo, 1 x HDMI 2.0B, 3 x DisplayPort 1.4 e 1 x DVI

1080 Ti AMP Extreme vs referência
Nas fotos abaixo colocamos placa analisada ao lado do modelo referência. Fica bem evidente a mudança visual entre ambas, a placa da ZOTAC também foi desenvolvida em um PCB maior, além é claro do cooler mais "parrudo". Ela também possui 2 conectores de 8 pinos ao invés de 1 de 8 + 1 de 6 da referência, já as conexões de vídeo são as mesmas nos dois modelos.

 


Sistema utilizado

Utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard ASUS X99 String Gaming com processador Intel Core i7-6950X overclockado para 4375MHz e 32GB de memórias HyperX através de 4 módulos de 8GB em quad-channel e frequência de 3000MHz. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas.

Abaixo algumas fotos da placa instalada no sistema utilizado para os testes.

Mais abaixo, os detalhes da máquina, sistema operacional, drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7-6950X @ 4.375GHz - Análise
- Placa-mãe Asus X99 Strix - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 32GB 3000Hz (4x8GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX Savage 240GB - Análise
- SSHD Seagate 2TB SATA3 - Site oficial
- Sistema de refrigeração liquida Thermaltake Water 3.0 Riing RGB 280 - Site oficial
- Fonte de energia Thermaltake Toughpower DPS G RGB 850W Gold - Site oficial
- Gabinete Thermaltake Core P3 - Site oficial
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz - Site oficial

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits Creators Update
- NVIDIA GeForce 390.65

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11/DX12)
- VRMark (DX11)
- Assassin´s Creed Origins (DX11)
- Battlefield 1 (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Middle-Earth Shador of War (DX11)
- Project Cars 2 (DX11)
- Rise of Tomb Raider (DX12)
- The Division (DX12)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
A tela principal do GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da placa, que vem overclockada de fábrica.

Overclock


Como já destacamos, ela é uma placa com um projeto bastante diferenciado e com várias características voltadas para quem gosta de tirar ainda mais da placa, mesmo sendo ela bastante overclockada de fábrica, 127MHz acima da referência quando se trata do GPU. 

Para nosso overclock conseguimos subir para 1650MHz no GPU e 11600MHz nas memórias, qualquer coisa acima disso o sistema se tornava instável em vários dos testes. Tentamos mudanças de tensões assim como GPU mais alto e memórias mais baixas e vice-versa, tentando achar o que poderia estar sendo o limitador, que no caso foi o GPU. Esse overclock é abaixo do que o modelo AORUS Xtreme da Gigabyte, mas por uma diferença bem pequena que na prática não implicará em desempenho muito diferente.


Consumo de energia


Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10W como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.


Temperatura


Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem um sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, existem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, podem existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Por que a placa ficou com temperatura menor quando overclockada?
Essa é uma situação normal nas placas atuais. A rotação do FAN (ou dos FANs, dependendo o modelo) fica mais rápida e consequentemente fazem o GPU resfriar mais rapidamente, em alguns casos com temperatura menor do que em situação normal.

Por que a placa com sistema de cooler referência tem temperatura em modo ocioso menor que uma placa com cooler teoricamente melhor?
Porque placas de vídeo atuais com projetos de cooler melhores tendem a desligar os FANs quando a temperatura fica abaixo de números como 40, 45 ou mesmo 50 graus, assim quando os FANs ficam desligados a tendência é que a GPU não baixe a temperatura mais do que o limite que desliga os FANs.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso:

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.


3DMark / VRMark


Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark com três testes, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K além do novo Time Spy baseado em API DirectX 12. Abaixo, os resultados:

Abaixo o novo teste Time Spy que roda sobre a API DirectX 12:

VRMark
O teste VRMark consiste e ver como o sistema se comporta quando rodando cenas em Realidade Virtual. Caso o score atinja 5.000 pontos ou mais, o sistema está apto para, em teoria, rodar bem games com essa tecnologia.


Testes em games
Agora vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60fps é o ideal para monitores que operam nessa frequência. Quanto mais próximo dos 30fps, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "não jogável"


Assassin´s Creed Origins


Assassin's Creed Origins representa o retorno da importante franquia após uma pausa de dois anos. O jogo desenvolvido pela Ubisoft Montreal utiliza o motor gráfico AnvilNext 2.0 e é baseada em DX11, com belos gráficos que representam um desafio e tanto para placas de vídeo. Por conta da complexidade das cidades e vilarejos o jogo também não facilita a vida dos processadores, que passam trabalho para lidar com tanta arquitetura e também pessoas ativas pelo mapa.


Battlefield 1


Como um dos games com a melhor qualidade gráfica já lançados, não teria como deixar ele de fora de nossa bateria de testes. Sendo assim, abaixo estão o comportamento das placas rodando o novo game da DICE.


GTA5


GTA V está entre os maiores sucessos dos últimos anos, trazendo entre seus destaques ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:


Middle-Earth Shadow of War


Desenvolvido pela Monolith Productions e distribuído pela Warner Bros. Entertainment, Shadow of War é a continuação do bem-sucedido Sombras de Mordor, game que se destacou por uma excelente otimização.  Seu motor gráfico é o LithTech, e o jogo roda em DX11.


Project Cars 2


O game de corrida é desenvolvido pela Slightly Mad Studios e traz entre seus principais destaques a LiveTrack 3.0, um motor gráfico que promete interações realistas com condições climáticas, algo que é utilizado em nosso teste ao simular uma tempestade durante a corrida. O game é baseado em DX11 e está disponível no PC, Xbox One e Playstation 4.


Rise of Tomb Raider


O mais recente game da franquia da Lara Croft, Rise of Tomb Raider trouxe um grande salto na qualidade sobre a versão anterior, prometendo exigir muito das placas de vídeo, mesmo os modelos de alta performance. O game também tem suporte a DirectX 12, e já atingiu maturidade o suficiente para ser usado em nossos testes.


The Division


O game da Ubisoft é uma proposta bastante ambiciosa de criar uma Nova Iorque "viva" em partidas com multiplayer totalmente online. The Division usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, e precisa lidar com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela, com destaque para a neve que ocasionalmente cai em alguns momentos. Com suporte a DX12 adicionado posteriormente, utilizamos essa API para nossa bateria de testes.


The Witcher 3


The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo. O game é baseado em DX11.


Como sabemos, a mineração de bitcoins tem comprometido o preço de praticamente todas as placas de vídeo do mercado, com raras exceções. As placas de vídeo de alto desempenho e valor estão entre as que foram menos afetadas no Brasil, uma GeForce GTX 1080 Ti teve variação de cerca de R$500, sim, é bastante, mas em cenário internacional essa variação chegou a US$250, em uma conversão direta essa diferença fica na casa dos R$800, e se fossemos colocar o preço Brasil, se tornaria facilmente R$1.5k ou mais, sendo assim, quem tem interesse em uma placa de vídeo de alto desempenho e grana para isso está sendo menos prejudicado do que a maioria quando o assunto é placa de vídeo.

Outro detalhe curioso, a GeForce GTX 1080 Ti foi lançada pela NVIDIA em março de 2017, ou seja, já faz um ano, e mesmo assim ela continua sendo a placa de vídeo mais rápida do mercado para gamers. Para quem lembra, seu próprio lançamento nada mais foi do que lançar uma placa ainda mais rápida que a GTX 1080, placa de vídeo lançada em maio de 2016 e que apesar de ser tão antiga é mais rápida que a Radeon RX Vega 64, placa mais rápida da AMD atualmente, em diversos cenários e games. Provavelmente veremos a NVIDIA lançar uma nova série muito em breve sem que a AMD conseguisse fazer frente as suas atuais placas.

GeForce GTX 1080 Ti continua sendo a placa gamer mais rápida do mundo

O modelo analisado, a GeForce GTX 1080 Ti AMP! Core Extreme da ZOTAC é aquela placa destinada aos usuários que não querem apenas uma placa de vídeo de alto desempenho, querem também um modelo entre os melhores com o GPU mais rápido. Como vimos em nossos testes, nos gráficos ela ficou levemente acima da GTX 1080 Ti AORUS Xtreme da Gigabyte, outro modelo de altíssimo desempenho. As placas são bem semelhantes em seus projetos, com sistema de cooler excelente e projetos voltados para overclock, além do overclock de fábrica, com GPU trabalhando em 1608MHz e memórias em 11.2GHz. Para nível de comparação a referência vem com GPU trabalhando em 1480MHz de clock base e memórias em 11GHz, é um overclock de fábrica considerável, especialmente no GPU, e como foi possível notar em nossos testes, com bom resultado prático. Outro detalhe é que a placa da ZOTAC conseguiu ficar um pouco mais "fria" do que o modelo da Gigabyte, isso acabou refletindo em resultados levemente superiores, nada de mais, mas nos gráficos se posicionou a frente na maioria dos testes, tirando o consumo de energia, onde o modelo da ZOTAC se mostrou bem mais exigente, e chegamos a refazer os testes de todas por mais de uma vez pra confirmar.

GTX 1080 Ti AMP! CE tem ótimo sistema de cooler
com alto overclock de fábrica

Apesar do projeto parrudo, a placa da ZOTAC não conseguiu um overclock tão bom como a da Gigabyte, com o GPU alcançando no máximo 1650MHz, 20MHz a menos do que a placa da Gigabyte. Grande diferença? Não, na pratica isso não mudaria em quase nada, e a não ser que você seja um overclocker profissional em busca de recordes, sequer tem sentido overclockar ainda mais essas placas, já que elas se comportam muito bem em praticamente todas as situações, sendo as mais indicadas para jogar em 4K também, apesar de algumas limitações em relação a qualidade gráfica dependendo o jogo para conseguir garantir taxas de quadros superiores a 60FPS.

Fique de olho no ADRENALINE FOR SALE para promoções em placas de vídeo e outros produtos

Como não poderia deixar de ser, apesar de destacarmos no inicio da conclusão que as placas de alto desempenho foram as que sofreram menos aumento devido a mineração de bitcoins, ainda são placas muito caras, ficando limitadas como opção para uma pequena parcela dos gamers, mas certamente quem comprar não irá se arrepender porque entrega alto desempenho, boa dissipação de calor e traz alguns LEDs para quem curte esse tipo de característica. Hmmmm, consome bastante sim, mas quem compra uma placa acima de R$4k se importa com uns watts a mais na conta?

A Pichau está vendendo esse modelo por R$3999 à vista.

Uma boa dica na hora de pesquisar o preço de placas de vídeo é ficar de olho no Adrenaline FOR SALE, tópico no fórum onde os usuários compartilham as melhores ofertas.

PRÓS
Alta performance em 4K
Suporte a tecnologias SLI HB, Ansel e Simultaneous Multi-projection
Conexões HDMI 2.0b, DisplayPort 1.4 e DVI
Alto overclock de fábrica
16 + 2 controladores de fases
Visual imponente
CONTRAS
Preço bastante alto
Ocupa 3 slots PCI-Express
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.