ANÁLISE: Samsung Gear 360

Ótima câmera para quem quer fotografar e filmar em 360º, mas excessivamente limitada ao mundo Galaxy

Fotos e vídeos em 360º estão se popularizando, mas comprar um conjunto de múltiplas câmeras é algo fora do orçamento de muitos consumidores. Gerar um vídeo de múltiplas câmeras também se torna um processo complexo de gerenciamento de muitas memórias e, especialmente, de múltiplas baterias. Para quem quer um dispositivo mais prático para começar a produzir seus conteúdos em 360º, existem hoje duas principais opções no mercado: a LG 360 Cam e, modelo de nossa análise, a Samsung Gear 360.

Especificações técnicas

- Dois sensores 15MP CMOS e dois microfones
- Duas objetivas f/2.0 fisheye
- Vídeos em 3840 x 1920 em 30FPS
- Fotos com resolução 25.9MP
- Cartão microSD até 128GB
- Conexão USB 2.0
- Bluetooth 4.1
- NFC
- Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac 2.4 e 5GHz com WiFi direct
- Bateria: 1350 mAh removível
- 56.3 x 66.7 x 60.1 mm e 152g

Design


Compact, bonito e eficiente

O Gear 360 tem um visual bastante chamativo, com um formato esférico que fica bastante harmônico com as duas lentes olho de peixe em cada lado. Logo de cara dá para perceber que não é uma câmera convencional.  Os acabamentos na cor branca são muito bem encaixados e os materiais usados são de ótima qualidade. O gadget é bem simples em seus comandos: possui apenas um botão no topo como tradicional círculo vermelho, que já deixa claro sua função de ser o "REC", e dois botões em uma das laterias, esses um pouco menos intuitivos, com função de ligar o aparelho e também realizar ajustes e alterar o modo. No topo há um display, capaz de mostrar apenas informações básicas como o modo em uso e alguns adicionais como tempo restante de bateria ou tempo em gravação.

Uma porta na lateral dá acesso a bateria interna removível, o slot de cartão microSD e a conexão micro USB, por onde é recarregado o dispositivo. Na base temos um encaixe clássico de câmeras, o que torna o gadget da Samsung compatível com uma quantidade muito grande de tripés e acessórios de fotografia. Para quem não possui esse tipo de equipamento, também não há problema: o Gear 360 já traz em seu kit um tripé bastante compacto que fechado torna confortável fazer vídeos carregando a câmera na mão.

O design bem encaixado também conta com uma adição importante: ele é resistente a água e poeira, com certificação IP53. Apesar de bem construído e passar a sensação de robustez, ele tem uma vulnerabilidade importante: as lentes são bastantes expostas, e estão bastante suscetíveis a quedas e eventuais riscos. Durante nossos testes a câmera fez uma marca em uma das lentes, bem discreta mas que pode ser vista em alguns dos vídeos e fotos dessa análise (sim, temos esse easter egg nessa review). A queda não foi de muito alto, não: a câmera simplesmente caiu para o lado enquanto gravava, "despencando" de apenas 5 centímetros, o que seu tripé tradicional a separa do chão.

Apesar de se encaixar em tripés e acessórios tradicionais de câmeras, ficou faltando para a Gear 360 um ecossistema mais amplo no estilo da GoPro, que possui kits com proteções, no caso de quem deseja colocar essa pequena câmera em situações mais "ousadas", como embaixo d'água. Mesmo sendo resistente a água e poeira, ver o dano que ocorreu na lente em uma queda de uma altura mínima com certeza não passa muita segurança, e seria muito melhor contar com um acessório como esse aqui. Apesar de existir alguns cases e até umas gambiarras para resolver o problema, sua disponibilidade é muito limitada.

A Gear 360 funciona com qualquer encaixe tradicional de câmera. Só ficou devendo alguns acessórios próprios

Funcionalidade


Uma câmera muito versátil

Quando utilizando as duas câmeras, ela é capaz de fazer vídeos em até 3840 x 1920 a 30 quadros por segundo, enquanto vídeos em 60FPS (uma melhor pedida para cenas mais movimentadas) precisam reduzir a resolução para 2560 x 1280. Fotos chegam a resolução de 7776 x 3888. Se utilizarmos apenas uma das câmeras, os vídeos passam a ser feitos em 2560 x 1440 e as fotos serão de 3072 x 1728. 

Além dos modos tradicionais de foto e vídeo, a câmera possui um modo time-lapse que captura uma foto a cada 2 segundos, criando uma progressão bem interessante. Para quem quiser fazer fotos e vídeos mais tradicionais, também dá para filmar e fotografar com apenas uma das lentes. Aqui a Gear 360 atua bem como uma câmera tradicional, mas ficou devendo uma função importante: filmar em um modo mais estreito. Ela sempre atua usando a lente da forma grande-angular, pegando até os cantos e suas distorções. A GoPro fica na vantagem ao permitir tanto um modo wide-angle quanto um corte de parte da imagem para gravar uma imagem menos distorcida nas laterais, modo que seria interessante ter na Gear 360 mesmo que isso signifique perda de um pouco de resolução.

Outra ausência sentida é uma estabilização digital, algo que também seria possível com a perda de resolução do vídeo final ou um hardware mais potente para lidar com esse trabalho extra.

Dá para filmar e fotografar em 360 e também com só uma lente no modo mais tradicional

Como não possui display, a única forma de ver em tempo real o que está sendo capturado pela câmera é pareá-la a um smartphone através do app Gear 360. Aqui temos talvez a limitação mais grave do dispositivo: a Samsung limitou MUITO os smarpthones compatíveis com esse recurso, sendo que a lista limita até mesmo os Galaxys para os modelos topo de linha. Somente dá para usar o Gear 360 com o Galaxy S6, S6 edge, S6 edge+, Note 5, S7 e S7 edge, o que acaba sendo um ponto bastante negativo dessa câmera. Mesmo que você não possua um desses aparelhos, usar esse gadget ainda é viável, afinal ela pode ser usada de forma autônoma somente com seus comandos nos botões próprios, porém há muitas funções interessantes via app, sendo mais fácil fazer ajustes em qualidade e modos ou verificar o status da câmera. Também é através dele que podemos ter um feedback do que está enquadrado e a possibilidade de ativá-la remotamente.


O próprio app da câmera gerencia as filmagens e fotos da Gear 360

Com acesso através do app, é possível configurar o modo em uso, qualidade da captura, quantas câmeras serão usadas acionar ou não o HDR, ISO entre outras configurações, além de iniciar remotamente gravações. O smartphone e a câmera se comunicam diretamente sem fios, e não há necessidade de uma rede local para transferir os dados, sendo que mesmo em campo aberto você será capaz de ver o vídeo que a Gear 360 acaba de capturar. O único empecilho é o tempo: dependendo do tamanho do arquivo, vão alguns minutos até a câmera enviar todo o vídeo para o smartphone. Já no celular, as possibilidades de edição são bem restritas: dá para cortar o começo e o final do vídeo, além de compartilhar nas redes sociais compatíveis com 360º ou em qualquer uma utilizando um modo que deixa a imagem no formato 2D tradiconal (mas com muitas distorções).

Para quem precisa ir mais longe na edição, a Gear 360 acompanha uma key do software Gear 360 ActionDirector, o software usado para editar a análise em vídeo e que já possibilita os recursos essências como edição não linear e alguns efeitos. Essa edição é feita no PC, sendo que o software é compatível apenas com o sistema operacional Windows. Ele não vai muito longe nas capacidades, com um ou outro efeito, sendo mais eficiente apenas para quem quer juntar múltiplas cenas em uma edição não linear.


Gear 360 ActionDirector

Atualmente não são muitos os lugares onde é possível publicar conteúdos em 360 graus, afinal a realidade virtual está apenas engatinhando e capturar imagens em todas as direções ainda é uma novidade. Mas a Samsung Gear 360 "tem muita sorte": entre as poucas plataformas compatíveis com o formato de arquivo gerado pela câmera temos os gigantes da internet Facebook e YouTube, nada menos que a rede social e a plataforma de vídeo mais popular do mundo, respectivamente. 

Não é todo lugar que dá para publicar fotos e vídeos em 360º. Sorte da Samsung que os populares YouTube e Facebook fazem parte dessa lista

Qualidade de imagem


Performance suficiente, mas não excepcional

O conjunto de duas lentes de f/2.0  grande-angular que formam "os olhos" do Gear 360 tem uma performance suficiente para o dia-a-dia. Os 15MP de imagem presente em cada uma delas garantem uma imagem com definição suficiente para bons vídeos e fotos, inclusive com direito ao um bom zoom antes da qualidade de imagem se perder excessivamente. O porém principal é que, como é composta por duas lentes grande-angular, há sempre distorções no canto da imagem, resultado desse tipo de objetiva.

Apesar de ambas possuírem um ângulo de visão de 180º, o que teoricamente cobriria todo o espaço em torno delas, há uma região entre as duas câmeras onde surge um "ponto cego", e pessoas e objetos nesse local (no ponto de junção entre as duas imagens, estando próximo da Gear 360) vão ser distorcidos. Para deixar mais claro, basta olhar essa imagem aqui (uma imagem 360º em modo plano):


Kill it! KILL IT WITH FIRE!

Além dessa anomalia, é comum acontecer diferenças notáveis entre as duas imagens em termos de cores. Isso é resultado de diferentes exposições usadas em cada lente, já que uma fonte de luz atua muito mais em um lado do que outro da Gear 360.

Eventualmente surgem diferenças nas cores das duas metades e também anomalias nos "pontos de encontro" da duas

A câmera tem resultados bem interessantes em locais melhor iluminados, porém ela opera com o ISO mínimo de 400. Isso quer dizer que há um pouco de granulação mesmo em momentos com boa iluminação. Nas cenas mais escuras ela não se destaca, sendo que perde muitos detalhes e a imagem fica pouco interessante em gravações noturnas:

A mesma cena no modo foto traz um resultado mais interessante:

Apesar de conseguir operar em locais mais escuros, é preciso estar ciente que há uma perda considerável na qualidade da imagem, e que ela não "se vira muito bem" em lugares com pouca luz ou cenas noturnas. As fotos até não são tão comprometidas, enquanto os vídeos sofrem muito mais a falta de fontes eficientes de luz.

A câmera tem bons resultados em ambientes iluminados, mas perde muita qualidade no vídeo em ambientes noturnos ou mal-iluminados


Foto com apenas uma lente. Boa iluminação vs pouca iluminação

Dois recursos que ficaram faltando na câmera são relacionados ao som e a estabilização. Ela não conta com estabilização, nem digital nem óptica, o que resulta em vídeos um tanto tremidos se você sair carregando ela enquanto filma. Outra ausência é a conexão para microfones externos: a Gear 360 só opera com seus dois microfones embutidos. Se quiser um áudio melhor, precisará usar outra fonte de captura e depois no software pouco simpático alinhar as duas coisas, algo que não é nada fácil.

As câmeras em 360º ainda são um nicho bastante específico da fotografia e do audiovisual. Mesmo contando com nomes de peso, como Facebook e YouTube, que facilitam muito a popularização desse formato (veja como foi fácil incorporar fotos e vídeos 360º nessa análise!) as câmeras em si ainda são bastante impeditivas. Existem soluções que operam combinando grandes quantidades de câmeras, que resultam em algo caro e bastante complicado de gerenciar (múltiplas memórias, múltiplas baterias, processamento de várias imagens para junção...). A Gear 360 está entre os dispositivos mais descomplicados para quem quer entrar nessa nova onda.

Com um preço próximo dos 2 mil reais, ela está dentro da faixa de preço cobrado nesses gadgets 360 "descomplicados". Na concorrência temos aparelhos como o LG 360 Cam, encontrada por R$ 1.799, que conta com um preço um pouco mais em conta, opera com mais smartphones, mas que tem entre seus pontos negativos a resolução menor e a ausência de gravação em 60FPS. Considerando essas vantagens técnicas, é justificado o gasto um pouco superior na Gear 360. Isso caso você já tenha um smartphone da excessivamente restrita lista de aparelhos compatíveis.

Conclusão

 

Avaliação: Samsung Gear 360

Design
9
Funcionalidades
8
Qualidade de imagem
8
Preço
7

PRÓS
Múltiplos modos
Design simples, bonito e eficiente
Boa qualidade de imagem
Compatível com tripés tradicionais
CONTRA
Falta de ecossistema de acessórios
Falha perceptível na junção das duas câmeras
Incompatível com microfones externos
Só conecta com smartphones muito específicos da Samsung
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".