ANÁLISE: G.Skill Ripjaws KM780 RGB

Um dos teclados mecânicos mais completos"do mercado.

G.SKILL é conhecida especialmente por seus modelos de memórias "gamer", estas com um visual bastante agressivo, especialmente a linha RIPJAWS. Assim como outras fabricantes de memórias, ela decidiu expandir o seu portfólio de produtos para periféricos, incluindo o teclado G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB, que é o alvo desta análise, e o mouse gamer G.SKILL RIPJAWS MX780, que terá uma análise em breve.

Logo de início, um dos principais detalhes que separam o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB de seus concorrentes, é o visual do mesmo. Um teclado mecânico com uma grande quantia de teclas adicionais, recursos adicionais, recortes estéticos e um apoio para pulso estilizado.  Isso faz ele parecer um item de alguma nave espacial, que o torna um objeto de desejo de muitos.

Mas a grande questão acaba sendo: será que ele realmente é bom e vale o seu preço ou será que ele é tão vazio por dentro quanto o jogo acima? É o que veremos.

Construção Externa

À primeira vista G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB destaca-se por um fator: o seu visual

E antes que algumas pessoas deem pulos de alegria ao ver a presença do ilustre "Ç", peço que notem as teclas ao redor. O que temos aqui, é uma versão do teclado no layout Português - Portugal e não ABNT2. Se você não olhar para o teclado, digitar é realmente similar a experiência em nosso layout, mas caso você não esteja acostumado ou tente procurar algum símbolo que não tem certeza onde fica, a situação complica.

Digitar em um teclado Americano é mais fácil do que em um Português, pois muitos caracteres estão em posições completamente diferentes no layout Português. No Brasil, as unidades que encontrei à venda deste teclado eram todas no padrão Americano.

Alguns leitores já devem ter notado similaridades entre este teclado e modelos da AsusCougar Corsair. Embora a ideia que venha à cabeça seja que estas estão "copiando" o design uma da outra, a verdade é outra. Os periféricos da G.SKILL e maior parte dos periféricos das marcas citadas acima, foram projetados por uma empresa chamada CRE8 DESIGN.

Alie isto ao fato dos teclados destas marcas serem todos produzidos na mesma fabricante (OEM) e aí está a razão para tanta "semelhança". Para início de conversa, o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB utiliza as mesmas keycaps (o plástico com algo escrito por cima, chamado popularmente "teclas") que são utilizadas em teclados da Corsair e também utiliza a mesma fonte que a utilizada nos teclados da antiga linha K70 K95.

Estas tem uma excelente legibilidade com uma fonte simples e bonita (Century Gothic), porém ela não foi otimizada para teclados mecânicos RGB, por isso os caracteres inferiores acabam ficando "apagados", como podem ver na próxima imagem (olhem as teclas 6, 7, 8 e 9):

Sobre a qualidade destas, as keycaps da Solid Year tem uma boa pintura e esta é bem mais resistente a manchas do que o utilizado pela iOne, visto no Viper V760 da última análise, mas o material (plástico) em si, não é dos melhores.

Assim como muitos outros teclados mecânicos do mercado, o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB possui um acabamento externo em alumínio, o que "supostamente" faz este teclado ser mais resistente do que outros teclados mecânicos de plástico, né? Não exatamente, o que maioria do público não sabe é que há um "truque" para este tipo de acabamento.

Créditos da imagem para Lepidus do fórum Adrenaline

O que teclados como o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB e diversas outras marcas fazem, é remover a capa superior de plástico e estilizar a placa de suporte, que existe em quase todos os teclados mecânicos, até mesmo naqueles de "plástico".

A princípio, o resultado deste tipo de escolha de design é apenas estético. Não há nenhum ganho de "durabilidade" em comparação com outros teclados mecânicos que possuem acabamento em plástico.

Nas laterais do teclado, encontramos recortes em metal em ambos os lados, os quais são apenas enfeites e ostentam o nome da marca.

Em sua parte superior, há dutos de metal pelos quais é possível movimentar o compartimento de keycaps adicionais e também o seu cable-holder.

O seu apoio para pulso possui um acabamento levemente emborrachado e antiaderente, exatamente o mesmo que usado em alguns teclados recentes da Corsair. Este é bem feito e resistente, embora os seus engates não passem muita confiança.

A parte traseira do teclado não é estilizada como a frontal, mas há uma excelente quantia de borracha para manter este no lugar, embora infelizmente seus pés de inclinação não sejam emborrachados.

Devido ao seu tamanho, este gigante chamado KM780 RGB ocupa um espaço bem considerável na mesa, especialmente se compararmos ele a outros teclados mecânicos com bordas menores e sem recursos adicionais. Este teclado não cabe em qualquer mesa.

G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB tem uma construção externa extremamente bem-feita e similar à de outros teclados projetados pela CRE8 DESIGN, o que é algo bom. Mas, por outro lado, ele também compartilha o mesmo problema: a qualidade de suas keycaps não é muito boa, elas eram aceitáveis em 2013, mas hoje são inferiores à de teclados mecânicos da metade do preço. Por favor, mudem isso.

Construção Interna

Antes de dissecarmos o teclado, é bom sabermos que este fora produzido pela Taiwanesa Solid Year, a qual produz teclados mecânicos para a AsusCM Storm (boa parte), CorsairCougarLenovoLogitechRoccat e várias outras marcas. A princípio, a Solid Year cresceu exponencialmente a partir de 2013, especialmente por fazer um serviço bem feito e não ser tão burocrática como algumas outras, e hoje é uma das maiores fabricantes de teclados mecânicos do mercado, competindo com a iOne. E em todos os teclados da Solid Year, há semelhanças.

Em teclados da mesma OEM, encontramos semelhanças

Mas quero adicionar algo novo à esta regra:

Em teclados da mesma Designer, encontramos semelhanças

Pois o RIPJAWS KM780 RGB além de ser tão difícil para abrir quanto, tem parafusos escondidos no mesmo local que o Corsair Vengeance K70, embaixo do logotipo da marca:

Ao designer da CRE8 DESIGN que projetou os locais dos parafusos de ambos estes teclados, gostaria de falar do fundo do meu coração: eu te odeio.

Voltando à análise, não esperava novidades ao abrir o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB, pois a Solid Year sempre caprichou no trabalho que faz em seus teclados.

E o KM780 RGB não é nenhuma exceção à regra, soldas bem feitas, um circuito extremamente organizado e componentes de alta qualidade, embora a capa de borracha por cima de parte do teclado me deixou encucado.

O teclado utiliza um processador ARM 32 Bits NXP LPC11U35 e ao lado do processador há uma memória Eeprom Winbond 25Q32BVSIG de 4 Megabytes. Para realizar controle da iluminação, são utilizados três controladores de iluminação MBI5042GP:

Já no principal componente de um teclado mecânico, os seus switches, o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB conta com switches originais Cherry MX, estando disponível em variantes com MX Brown e MX Red, sendo que o último é o presente no modelo dessa da análise.

Os switches Cherry são feitos na Alemanha pela própria Cherry, que é parte do grupo ZF Electronics. Eles usam materiais de altíssima qualidade e tem um dos controles de qualidade mais rígidos do mercado, ambos igualados apenas aos da OMRON. Alguns concorrentes oferecem supostamente uma durabilidade maior em números, mas quase todos estes não tem a credibilidade ou o controle de qualidade necessários para comprovar tal fato.

A construção interna do G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB é ridiculamente bem feita, é o mesmo nível de qualidade que encontramos em outros teclados feitos pela CRE8 DESIGN e muitos dos melhores teclados mecânicos do mercado.

Recursos e Extras

A lista de recursos e extras do G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB é simplesmente absurda:

  • Apoio para pulso.
  • Cable Holder.
  • Compartimento para guardar as teclas adicionais.
  • Display de volume.
  • Extensão USB para mouses ou outros periféricos.
  • Extensão para headsets.
  • Removedor de teclas.
  • Scroll para controle de volume.
  • Software para configuração.
  • Teclas Multimídia Dedicadas.
  • Teclas adicionais dedicadas para FPS.
  • Teclas dedicadas para macros.
  • Teclas para gravação de macros, troca de perfil e controle da iluminação.

O KM780 RGB tem quase tudo o que um teclado pode ter, só faltou GPS, Bússola e Porta-Copos cheeky

Chega a ser insano apresentar todos estes recursos, mas é necessário.

Começando pela sua traseira, há um pequeno mimo: um pedaço de plástico que serve para organizar o cabo do mouse e impedir que este fique "roçando" na mesa. Algo simples, mas há acessórios de R$ 50~200 que fazem o mesmo. Embora a ideia tenha sido boa, a implementação não foi, pois lhe falta flexibilidade e ele danifica alguns cabos, tal como este do Steelseries Rival.

Um dos diferenciais de teclados "gamer" como o G.Skill Ripjaws KM780 RGB, são as suas teclas adicionais, estas que "supostamente" o fazem um teclado melhor para jogos e foram desenhadas para a utilização em FPS, MOBA, etc...

Estas dão ao teclado uma aparência totalmente diferente, mas eu tenho que contestar esta "efetividade" das teclas. Com exceção de alguns jogadores novatos, que se beneficiam ao usar este tipo de tecla para não pressionar outras por engano, jogadores experientes não precisam disto. O objetivo deste tipo de keycap, principalmente no KM780 RGB é estético e para marketing.

E para quem usa o computador para outras coisas além de jogar, estas teclas são simplesmente horríveis, pois acabam atrapalhando a digitação e confundindo quem já está acostumado a digitar sem olhar para o teclado. Sério, é ruim demais.

Na parte superior do teclado, encontramos o seu controle multimídia, no qual é possível parar, retroceder, tocar/pausar, avançar música, desligar o som ou controlar o seu volume através de um scroll:

E abaixo deste scroll de volume, há um indicador do volume atual do seu computador, um recurso que pode ser considerado útil por várias pessoas:

Atrás deste controle multimídia, está a extensão USB e as entradas de áudio:

Também há uma pequena chave que troca o anti-ghosting do teclado de NKRO para 6KRO, que possui maior compatibilidade com algumas BIOS e Sistemas Operacionais.

Na lateral esquerda superior encontramos botões para selecionar três perfis diferentes e um botão para gravar macros:

Ao lado destes, há três outros botões, um desliga a tecla Windows, o outro controla os níveis de iluminação e o último da direita é um timer, este que pode ser configurado no software do teclado:

Embora não tenha muita utilidade prática, este timer pode ser engraçado em alguns momentos:

A iluminação do teclado é feita através de pequenos LEDs do tipo SMD e possui a capacidade de trocar entre 16.8 Milhões de cores, mas, um fator acaba chamando a atenção no teclado: a sua iluminação é mais fraca do que outros teclados mecânicos RGB.

Vejam as comparações abaixo:

Parte da culpa disto, está no fato do LED não estar inserido da keycap, diferente do que acontece no Patriot Viper V760. Outra parte da culpa, está no fato do teclado não ter uma backplate branca para refletir a cor, como fazem o Corsair Gaming Strafe RGB e o Ducky Shine 5, além deste ter LEDs mais fracos que os outros teclados.

A iluminação do KM780 RGB não chega a ser "ruim", é estranho ver um brilho menor que seus concorrentes, mas há uma boa teoria para isto: com uma menor potência sendo aplicada aos LEDs, sua vida útil pode acabar aumentando.

A iluminação do KM780 RGB poderia ser mais forte, mas possivelmente foi ajustada para aumentar a vida útil dos LEDs

Enfim, por esta razão não é possível criticar o RIPJAWS KM780 RGB pela sua iluminação, já que a durabilidade é um fator mais importante do que o brilho. Mas, o leitor que se sentir incomodado por isto, pode optar por outras opções disponíveis no mercado.

Chegando finalmente ao seu software, esta é a interface:

O software do RIPJAWS KM780 RGB também fora projetado pela CRE8 DESIGN, assim como os softwares utilizados pela Cougar e os antigos softwares da Corsair. À primeira vista, o software do KM780 RGB parece uma versão mais simples do antigo CUE 1.

Uma das diferenças em comparação com os teclados da Corsair, é que que você pode salvar um perfil na memória interna, este com três sub-perfis (chamados de "modos"), cada um podendo ter efeitos de iluminação e macros diferentes, enquanto a Corsair fica limitada a apenas um.

É possível configurar a funcionalidade de cada tecla, seja para desligar ela, fazer com que corresponda a outra tecla, funções multimídia, macros...

Também, é possível criar novos perfis e configurar estes para um aplicativo específico nesta mesma janela.

Na aba "Setting", podemos configurar o Polling Rate (a frequência com a qual o teclado se comunica com o computador, 1000 Hz = 1ms, 500 Hz = 2ms...), configurar se o teclado irá operar em NKRO ou 6KRO (a quantia de teclas que podem ser pressionadas simultaneamente), o timer que vimos antes...

Também, é possível configurar um modo "Sleep", para que quando um certo período de inatividade (no caso da imagem, 3 minutos) passe, o teclado ative um modo de iluminação, seja para que o teclado fique piscando enquanto o computador não está sendo usado, reduza o brilho (útil para quem tem computador no quarto) ou desligue a iluminação.

Na aba "Lightning", é que vamos definir as cores e os efeitos do teclado:

Aqui podemos escolher as cores e pintar elas no teclado, usando uma palheta de cores na parte inferior, sendo também possível editar estas cores para conseguir as "16.8 Milhões de cores". Mas, as suas cores não correspondem "100%" ao que aparece na tela, sendo que o amarelo parece mais um laranja.

Ao clicar em "Effect Lighting", é possível escolher efeitos de iluminação para o teclado:

Em "Lightning Profiles", é possível "criar" novos efeitos, desde que estes sejam leves modificações dos efeitos já existentes. Não é possível adicionar novos efeitos ou baixar efeitos prontos da Internet e nem há qualquer tipo de integração com jogos.

A princípio, o software da G.SKILL não é impressionante nos efeitos de iluminação, sendo que os softwares da CorsairLogitechRazer Steelseries são mais completos e mais intuitivos que ele, mas pelo menos o software da G.SKILL consegue ser "decente" nesta questão e a iluminação que fizermos, ficará salva na sua memória interna, não sendo necessário instalar nada quando for utilizar em outro computador.

E acreditem, há coisas bem piores neste mercado...

Já em "Macros", há um sistema simples e não muito intuitivo, porém eficaz para criar macros, desde macros simples, até avançadas são suportadas, incluindo até mesmo macros com botões do mouse.

Também, é possível definir macros que insiram textos pré-programados quando pressionadas, o que pode ser útil para programadores ou pessoas que precisam copiar e colar o mesmo tempo sempre (ex: moderadores postando regras).

G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB tem uma quantia absurda de recursos e extras, vários bem implementados, outros nem tanto, mas é possível ver que muito esforço, tempo e dinheiro foi investido para criar ele. O que poderia ter sido uma catástrofe (e em muitos casos se torna), acabou gerando um ótimo teclado.

Conclusão

 

Avaliação: G.Skill Ripjaws KM780 RGB

Construção Externa
8
Construção Interna
10
Recuros e Extras
9
Preço
8.5

G.SKILL entrou com o pé direito no ramo de teclados mecânicos. Mesmo que ela não tenha "projetado" o RIPJAWS KM780 RGB, ela não economizou em sua encomenda. Contratou uma das melhores designers, utilizou uma das melhores fabricantes e usa alguns dos melhores switches do mercado.

O resultado acabou sendo natural: o RIPJAWS KM780 RGB é um dos melhores teclados mecânicos RGB, especialmente para quem procura muitos recursos e um visual agressivo.

No momento desta análise, o KM780 RGB estava disponível em apenas na Waz, com o preço de R$ 849,91. Este, é um valor elevado, para algumas pessoas até absurdo, mas para o mercado de teclados mecânicos, está dentro dos padrões.

Há teclados mecânicos RGB mais baratos, mas inferiores em qualidade e recursos, enquanto vários de seus concorrentes podem chegar até R$ 1.200. Dentro do mercado Brasileiro, o KM780 RGB está bem situado, não sendo exageradamente caro e nem um "Custo x Benefício". Para quem tem interesse em um teclado mecânico com um visual bastante agressivo e o maior número possível de recursos, o G.SKILL RIPJAWS KM780 RGB é um teclado que não decepciona.

Mas, para quem valoriza efeitos de iluminação e um software mais completo, o Corsair Gaming Strafe RGB (review), que está nesta faixa de preço, pode ser uma alternativa de qualidade similar. E para quem valoriza qualidade acima de um visual agressivo e recursos adicionais, há também o recém-chegado Ducky Shine 5, que custa um pouco acima, mas tem um capricho fenomenal.

PRÓS
A maior quantia de recursos que já vi em um teclado até hoje. Só faltou um porta-copos
Boa Construção Externa
Excelente Construção Interna
Iluminação RGB com 16.8 Milhões de Cores
O melhor controle multimídia que já usei em um teclado
Possui um software para configurações adicionais
Switches mecânicos de alta qualidade feitos pela Cherry
Três perfis internos
CONTRA
A qualidade de suas keycaps poderia ser melhor
Alguns de seus extras não foram bem planejados
Comparada à de outros teclados mecânicos RGB, sua iluminação não é tão forte, o que por outro lado pode aumentar a vida útil dos LEDs
Embora seja razoável, o seu software e seus efeitos de iluminação são inferiores ao de concorrentes como Corsair, Logitech, Steelseries e Razer
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.