ANÁLISE: Asus X99 Strix Gaming

Placa-mãe traz tecnologias atualizadas e suporte otimizado para novos CPU Broadwell-E

Com o lançamento dos novos processadores Intel Broadwell-E, as principais fabricantes do mercado lançaram versões atualizadas de suas placas-mãe com chipset X99, para processadores socket LGA 2011-v3, ou seja: processadores Haswell-E como também os novos Broadwell-E. Recebemos para análise a Asus X99 Strix Gaming, primeira placa-mãe da linha Strix lançada pela empresa, série essa que fez toda sua fama em placas de vídeo e agora passa a fazer parte de outros produtos.

É importante destacar que as primeiras placas-mãe com chipset X99 também suportam os processadores Broadwell-E, basta fazer uma atualização de BIOS

Em cenário internacional a X99 Strix chegou custando U$340 dólares, por aqui ainda não temos uma definição oficial, mas certamente chegará por volta de R$2.500.

Confira mais informações da placa no link oficial no site da Asus

Tecnologias


A primeira placa mãe da série Strix, da ASUS, é adaptada com tecnologias exclusivas para maximizar o potencial do novo processador i7 da série Intel Core Extreme.  A placa apresenta o design OC socket, que utiliza pinos extras no soquete para oferecer um desempenho ainda maior no overclocking. A placa-mãe também conta com as tecnologias 5-Way Optimization (para personalizar o overclocking e refrigeração) e Fan Xpert 4 (para o resfriamento e controle final).

Abaixo podemos ver em destaque o layout da placa com algumas de suas principais tecnologias:

AURA RGB
Dez efeitos de LED pode ser personalizados usando o ASUS Aura, um software de controle de iluminação intuitiva para as tiras RGB built-in de LEDs. A configurações de iluminação podem ser sincronizadas em todo o sistema, incluindo outros dispositivos Strix e as luzes nos cabos extras em RGB. 


SupremeFX ASUS
A tecnologia SupremeFX minimiza a interferência eletromagnética e os componentes premium oferecem áudio de melhor qualidade, inclusive, que o das placas de som dedicadas. Ela também normaliza o volume do microfone para uma gravação estável e reduz os ruídos do ambiente. Inclui o codec Realtek ALC1150 para maximizar o desempenho acústico e eliminar a interferência.

Memória e conexões
O Wi-Fi dual-band no padrão 802.11ac oferece velocidades de transferência de 867 Mbit/s, com antenas 2x2 capacitadas para 2,4/5 GHz e tecnologia MIMO; a placa ainda traz 4 slots PCI Express 3.0/2.0, conectividade M2 e U2 de 32Gbit/s e USB 3.1 Type-C reversível USB com velocidades de transferência de dados de até 10Gbps (duas vezes mais rápido USB 3.0). Também traz a tecnologia exclusiva da ASUS USB 3.1 Boost, que acelera automaticamente o desempenho da conexão.
 

Sistema FanXpert 4
O Fan Xpert 4 permite uma refrigeração personalizada com a capacidade de detectar os ventiladores PWM/DC em todos os pontos, possibilitando usar ventiladores de alta amperagem e de controlar as bombas de refrigeração líquida tanto no software quanto via BIOS.

Outras tecnologias
A ROG Strix X99 Gaming ainda traz o sistema Sonic Radar II prometendo áudio de melhor qualidade em jogos, já o chip de rede Intel Ethernet e o software GameFirst IV prometem oferecer conexão ininterrupta para jogos online mesmo quando a CPU está com sobrecarga.

Fotos


Assim como toda placa da linha RoG, espera-se um produto de alta qualidade e acabamento, sem contar que se trata de uma placa socket LGA 2011-v3, a plataforma mais cara da Intel. Visualmente ela não está tão imponente como outros modelos, talvez por conta da comparação com dissipadores e layout chamativos de algumas placas atuais desse segmento. Sobre o painel traseiro, onde temos o logo "Strix", é possível alterar o logo entre opções diferentes que acompanham a caixa, além da cor do "adesivo" o LED que está abaixo dele ajudará a dar um detalhe extra nessa onda de RGB que tomou conta dos produtos.

Outro detalhe em LED está sobre as "presilhas" das placas PCI-Express 16x, que acendem com o sistema ligado.

Como toda placa topo de linha, ela é recheada de tecnologias, apesar de ficar um pouco atrás da Asus Rampage V Extreme lançada anteriormente, modelo que só é superado pela nova Rampage V Extreme Edição de 10 anos de aniversário, também lançada junto aos novos processadores Broadwell-E.

Mesmo assim, o pouco atrás na pratica está mais limitado a combinação de placas de vídeo, "apenas" 3 ao mesmo tempo, alias, várias fabricantes removeram o suporte a 4 placas combinadas limitando em 3 placas para dar atenção a outras tecnologias no local onde até então iria um slot PCI-Express mais longo. A maioria das tecnologias existente na Rampage também fazem parte da Strix, inclusive WiFi/Bluetooth.

Em acabamento podemos considerar ela um modelo intermediário para os padrões de modelos X99, diferente de outros fabricantes, a Asus colocou acabamento metálico apenas no barramento PCI-Express 16x principal. outro detalhe é que apesar da placa possuir LEDs, não são tantos como em outros modelos.

As placas-mãe mais recentes trazem muitas opções de conexão para drives de armazenamento, a mais recente é a U.2, que ainda é apenas uma conexão se popularizando nas mainboards, já em drives sequer noticiamos modelos ainda. M.2, SATA Express, PCI com suporte a NVME também são suportados por essa placa-mãe.

O painel traseiro traz como destaque diversas conexões USB, em especial duas USB 3.1, uma Tipo A e outra tipo C. Também é possível notar as conexões para as antenas que dão suporte ao Wifi e Bluetooth.

Por fim o socket para o processador, que possui modificações feitas pela Asus para garantir melhor comportamento do sistema. A empresa chama de OC Socket, trazendo como conceito mais pinos que trabalham combinados a BIOS da placa, entregando assim entre os benefícios possibilidade de módulos de memórias DDR4 com maior frequência.

BIOS
O layout da BIOS continua seguindo o padrão das últimas mainboards da Asus, sempre clean e organizado, em nossa opinião, a melhor interface sem sombra de dúvidas. Para quem for utilizar os novos processadores Broadwell-E a Asus já disponibilizou perfils de overclock na BIOS, já modelos anteriores com esse chipset não trazem essa característica, ao menos por enquanto, sendo que bastaria atualizações por parte da Asus para adicionar esse tipo de funcionalidade.

 

Sistema Utilizado


Abaixo algumas fotos do sistema utilizado, mais abaixo a configuração completa:

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i7 6950X
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 (referência)
- Memórias: 8 GB Kingston HyperX Predator 3000MHz (2x4GB) @ 2133MHz
- SSD: Kingston HyperX Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): XFX ProSeries 850W PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates
- Intel INF 10.1.2.19
- GeForce 368.39

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 1.9.x
- CPU-Z Bench
- wPrime 2.10
- WinRAR 5.31

- 3DMark (DX11)
- Hitman (DX12)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro Last Light (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e sistema utilizado nos testes.

Overclock
Além de trazer atualizações em tecnologias sobre a primeira geração de placas X99, as novas mainboards com esse chipset como a X99 Strix analisada também trazem otimizações quando o assunto é overclock, tanto para os processadores Haswell-E com configurações otimizadas, mas em especial para os novos Broadwell-E quando comparamos a primeira geração de placas socket LGA 2011-v3.

Por se tratar de um lançamento, naturalmente as empresas tendem a dar mais atenção a otimizações de BIOS nas placas mais recentes, adicionando por exemplo perfis de overclock pre-programado que facilitam bastante a vida de usuários sem conhecimento avançado na hora de overclockar o sistema. O lado bom para quem tem placa-mãe da Asus é que a empresa é a melhor quando se trata de atualizações de BIOS, sempre mantendo seus produtos atualizados nesse sentido, mesmo modelos mais antigos.

No caso do Core i7 6950X utilizado nos testes, o perfil disponibilizado pela empresa colocou o CPU trabalhando em 4.4GHz, assim como também alterou as memórias para seu XMP máximo, no caso os 3000MHz do kit HyperX Predator da Kingston.

Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).  

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes, com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema.

CPU-Z Bench
Abaixo o resultado do teste "Multi Thread" do aplicativo CPU-Z.

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de latência, confiram:  

AS SSD Benchmark
Dando sequência, abaixo um teste de desempenho do mesmo SSD utilizado em todas as placas:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser usado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Testes em games

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC está entre os mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game e como fica a diferença entre os processadores:

Metro Last Light
Para finalizar, fizemos mais um teste em games com a placa de vídeo dedicada, agora com o Metro Last Light.

 

A placa-mãe Asus X99 Strix Gaming é mais um ótimo produto com selo RoG, trazendo bom acabamento e uma grande quantidade de tecnologias. Assim como praticamente toda nova X99 lançada em conjunto com a chegada dos processadores Brodwell-E, ela é atualizada com o que existe de melhor em tecnologias, afinal a primeira geração de placas X99 foi lançada em 2014 e de la para cá algumas novidades surgiram. Mesmo com esses dois anos de diferença, a verdade é que nenhuma dessas novas tecnologias servem como um grande motivo para um update da mesma plataforma, sendo essa placa-mãe, como qualquer outra X99, uma opção a se analisar para quem estiver montando um novo computador entusiasta, não para um upgrade caso você já possua uma placa X99.

Os destaques nas tecnologias da placa ficam por conta da várias conexões diferentes para drives, desde SATA, SATA Express, M.2 e a nova U.2, além é claro de PCI Express, sempre com suporte as transferências mais rápidas dentre essas conexões além de novos padrões como NVMe. Ela também tem suporte a múltiplas placas de vídeo, tecnologia essa que parece estar sendo direcionada para no máximo 2 placas pelas fabricantes das placas de vídeo, como deixou claro a Nvidia em seu lançamento da GeForce GTX 1080, e agora também por parte das fabricantes de placas-mãe que estão limitando os modelos de mainboards com suporte a 4 placas. A própria X99 Strix Gaming se tornou um exemplo desse processo, com suporte a 3 placas combinadas. Outra tecnologia que tem sido padrão em modelos de alto desempenho da Asus é o suporte a Wifi/bluetooth, também disponível na X99 Strix Gaming. O áudio SupremeFX também é um dos atrativos de placas RoG da Asus, especialmente quando trabalhando em conjunto com o software que faz o controle ideal da parte sonora do sistema.

Outro ponto importante é que mesmo que muitas das características citadas acima estão presentes em modelos de todas as fabricantes, em nossa opinião a suite de aplicativos e BIOS da Asus a colocam em muitos casos um pouco na frente de suas concorrentes. A suite de aplicativos proporciona as tecnologias das placas funcionarem de forma mais simples, como o uso de perfis de overclock, controle de FANs ou mesmo ajustes da conexões WiFi da placa, se apenas para conectar em uma rede ou como extensor de sinal para citar alguns exemplos. A BIOS presente nesse modelo e "replicado" em outros é sem dúvida a com melhor interface, sendo que a empresa atua trazendo atualizações constantes visando maior compatibilidades com memórias, novos processadores e é lógico correções de bugs e otimizações de suas funcionalidades, como dos perfis de overclock. Mesmo quando utilizamos o novo Core i7 6950X já foi possível um overclock com resultado interessante pelo perfil de overclock disponível na BIOS.

Para quem curte, ela ainda traz alguns LEDs e aliada a outros produtos com características semelhantes ou também da linha Strix vai gerar um visual interessante.

Uma ótima placa-mãe para quem está montando uma máquina entusiasta baseada em processadores Haswell-E ou Broadwell-E

O duro é o preço que esse tipo de produto chega ao Brasil, não é algo exclusivo da Asus, mas diferente do que é cobrado lá fora, por se tratar de lançamento sempre chegam consideravelmente acima de modelos semelhantes que já estão no mercado. Atualmente uma X99-PRO com características semelhantes e preço parecido fora do país, apesar de não ter o perfil gamer, custa por aqui pouco acima de R$2.000, então podemos esperar uma X99 Strix Gaming beirando os R$2.500, já que estamos falando de um lançamento.

Conclusão

 

Avaliação: ANÁLISE: Asus X99 Strix Gaming

Tecnologias
9.5
Acabamento
9
Overclock
9.5
Performance
9.5
Preço
7

PRÓS
Bom acabamento e visual gamer
Componentes de alta qualidade
Suporte a Crossfire e SLI
Bom comportamento em overclock
Suporte a memórias de 3333MHz
Conexões M.2, U.2 e USB 3.1
Excelente suite de aplicativos
CONTRAS
Não traz grandes novidades sobre modelos anteriores com chipset X99
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier