ANÁLISE: Motorola Moto 360 Sport

O Moto 360 ganhou uma segunda geração de dispositivos esse ano, e entre as versões disponíveis para os consumidores está uma com foco nos esportes: o Moto 360 Sport. As mudanças vão compensar aos esportistas? Confira nossa análise completa!

Design
Um Moto 360 repensado para os esportes 

As principais diferenças do 360 Sport ficam com o design: ele é levemente menor que o Moto 360 de 2ª Geração, com um display de 1,37" enquanto o 360 tradicional tem 1,56". A redução no tamanho também impacta na bateria, que passa a ser de 300 mAh ao invés dos 400 mAh presentes no 360 de 2ª Geração.

 

A redução em seu porte tem um objetivo: tornar o relógio mais confortável no uso, mesmo para quem pratica esportes. No lugar das pulseiras de metal ou acabamentos rebuscados, entra em ação uma pulseira neutra em borracha, com material que não absorve suor nem mancha com o tempo, uma ótima pedida para o perfil de consumidor que deseja atingir.

A pulseira de borracha funciona bem, e mesmo com o suor não há problemas de utilizá-lo enquanto pratica exercícios. Seu único efeito colateral é que ele pode começar a deslizar demais em seu pulso. Costumo usar relógios com folga, porém com o 360 Sport precisei me adaptar a prendê-lo mais firme. Caso contrário, exercícios como corrida faziam ele "balançar" junto com o movimento do braço. 

A tela menor não impactou negativamente na visualização dos dados e na navegação na interface. O bilho de tela se adapta muito bem às diferentes situações de luz, e mesmo em ambientes excessivamente claros, como atividades externas em horários em que o sol é pouco amistoso.


Moto 360 Sport e sua visibilidade ao sol do meio-dia

Performance
Ágil a maior parte do tempo

Equipado com o mesmo Snapdragon 400 e 512MB de RAM, o Sport é capaz de entregar a mesma responsividade que o Moto 360 tradicional. Navegar através das telas é rápido, e em poucos segundos você consegue verificar todas as suas notificações e até mesmo respondê-las.

Porém um gargalo é sempre evidente: todo acionamento da tela é seguido de uma progressiva "construção" da interface. Dá pra notar toda vez que os elementos da tela aparecem de forma gradual, e em casos mais extremos podemos ficar um intervalo de mais de 1 segundo esperando esse processo acontecer. Não é algo que sabote a experiência com o dispositivo, porém passa uma sensação de menos agilidade do gadget.

Uma vantagem que o Moto 360 Sport é a presença do WiFi. O foco dessa forma de conectividade não é dar independência ao gadget, e sim aumentar o campo de comunicação entre o smartphone e o vestível. Assim, mesmo que mais distante do seu celular, ele continuará trocando dados trocando do mais econômico e restrito Bluetooth 4.0 LE para o WiFi, que mantém a troca de dados entre os aparelhos porém consome mais energia.

O Wifi é um diferencial do Sport. Ele aumenta o alcance da comunicação com o smartphone, porém consome mais bateria

Funcionalidades
Bom no monitoramento dos exercícios

Uma característica importante dessa segunda leva de smartwatches Android Wear é a maior independência do smartphone. Esses dispositivos agora possuem suporte inclusive a redes móveis, e assim podem atuar sem depender da conexão de dados de outro aparelho. A Motorola incorporou dois componentes no Moto 360 Sport para lhe dar mais "liberdade": um GPS e conectividade WiFi.

Graças a seu GPS próprio, o Moto 360 não depende de um smartphone durante uma atividade física. Basta sair apenas com o relógio, acionar o monitoramento e ao final ter um relatório de sua atividade, mesmo que seu smartphone não tenha saído de casa. 

O WiFi também teria potencial de abrir mais possibilidades de independência do smartphone, mas o Android Wear não vai muito longe nesse aspecto. Um exemplo é que caso você estiver apenas com o 360 Sport você não conseguirá conectar a uma rede, pois o vestível depende do smartphone para... digitar a senha.

A principal vantagem do Moto 360 Sport não depende do smarpthone para monitorar seus exercícios

Na hora de monitorar seus exercícios, além do GPS o Moto 360 Sport também conta com um sensor de batimentos. A eficiência do sensor varia, sendo que o ideal é fazer a captura sem se movimentar demais e com o smartwatch bem firme para a leitura ser mais eficiente. Assim como muitos desses acessórios disponíveis no mercado, pode servir como uma base de curiosidade para o usuário, mas ainda não alcança o grau de precisão de um equipamento voltado para uso profissional.

O Moto 360 Sport sofre das mesmas limitações de muitos dos vestíveis hoje do mercado: ele é um acumulador de informações e medidor das metas. Tanto através do Google Fit quanto o Moto Body, temos aplicações registrando e organizando nossos exercícios de forma bastante automatizada e eficiente, porém sem gerar algum "conhecimento" a partir desses dados.


Os gadgets de fitness hoje acumulam informações. Ainda não avançaram para um estágio onde extraem algo dessas informações

Além da tela sensível a toques, a interação com o Moto 360 Sport pode ser realizada através de comandos por voz. Ainda há um certo delay entre o processamento de sua fala e a ação ser realizada, mas a experiência não chega a ser sabotada por esses atrasos.

Outra interação possível são os gestos. O Moto 360 conta com alguns comandos via movimentos do pulso, algo muito bem-vindo já que uma das primeiras descobertas de todo dono de um vestível é que ele precisar se operado com as duas mãos, algo bastante inconveniente em algumas situações. Em situações mais cômicas, eventualmente você acaba dando algum gesto com... a ponta do nariz.

Felizmente o vestível conta com a possibilidade de receber comandos através de movimentos do pulso. Deles, o movimento de acionar a tela sempre que você gira o pulso para olhar a tela do relógio é o mais eficiente, pois inclusive recria nosso gesto natural para essa ação. Os demais, como avançar telas, descer nas opções ou voltar envolvem movimentos com um feedback um tanto incerto, e muitas vezes você precisa repetir o gesto para ter o efeito desejado. Por conta da amplitude do movimento necessário, em alguns momentos, acaba sendo bem cansativo, especialmente para o ombro, usar esse recurso.

Alguns movimentos por gesto são interessantes, mas o comando nem sempre é entendido e as múltiplas tentativas tornam seu uso cansativo

Os comandos por voz também tem altos e baixos. O Moto 360 Sport se sai bem em ouvir as instruções, e apesar de ambientes muito barulhentos atrapalharem, na maioria das situações, mesmo as externas, consegui que ele entendesse o que eu dizia. O que leva uma certa curva de aprendizado é quais o comandos a serem entendidos. "Envie uma mensagem para o Adrenaline através do Whatsapp" pode virar um SMS com a mensagem "através do Whatsapp" enviada para o Adrenaline. 

O Moto 360 Sport traz algumas características bem interessantes. A troca do design por um formato menor e com alças de borracha tornaram o vestível muito mais confortável mesmo durante atividades esportivas intensas, e por não absorver água, o suor não é um problema.

Até comparado com outros modelos do Moto 360, o Sport tem um preço bastante salgado

A grande dúvida acontece ao ver o preço. Com um valor de R$ 1.999 (pode ser encontrado já por R$ 1.750), o Sport é um dos vestíveis Android Wear mais caros disponíveis, consideravelmente acima do próprio Moto 360 de primeira geração que é encontrado por R$ 1.000. A adição do GPS e o design mais esportivo pode se justificar entre os consumidores que procuram essa característica, mas fica difícil justificar esse investimento a mais para quem não estiver nesse perfil.

O Moto 360 Sport é hoje a melhor opção de vestível com o sistema da Google para lhe acompanhar em seus exercícios

  

Outra questão continua: o dispositivo atua como um "companheiro" do smarpthone, porém seu custo de quase 2 mil reais torna ele mais caro que muito celular de ótima qualidade. Esse valor restringe bastante nossa capacidade de recomendá-lo, já que derruba consideravelmente sua relação entre custo e benefício. Se o valor não o assusta, e quer um bom Android Wear para lhe acompanhar em suas atividades físicas, o Moto 360 Sport é hoje a melhor opção de vestíveis com o sistema da Google.

Conclusão

 

Avaliação: Motorola Moto 360 Sport

Design
9.0
Funcionalidades
9.0
Desempenho
8.0
Preço
6.0

PRÓS
Confortável, mesmo em atividades físicas
Eficiente em identificar exercícios
Boas interações com o smartphone
Excelente duração de bateria
CONTRAS
Comandos por gestos cansativos
Preço elevado
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.