ANÁLISE: Gigabyte GTX 980 Ti Xtreme Gaming

Depois de analisarmos a Gigabyte GTX 980 Ti G1 Gaming, placa de vídeo que recebeu nosso selo "Diamante", vamos analisar outro modelo da empresa: a Gigabyte GTX 980 Ti Xtreme Gaming, uma versão ainda melhor do que a G1 Gaming e que faz parte da nova linha Xtreme Gaming de produtos diferenciados da Gigabyte. A Gigabyte também lançou a GTX 980 Ti Xtreme Gaming com Liquid Cooling, modelo que promete melhor eficiência na dissipação de calor da placa.

Análise Gigabyte GTX 980 Ti G1 Gaming

Como maiores diferenciais desse modelo em relação à G1 Gaming, a Xtreme Gaming traz um sistema de cooler ainda mais parrudo e com uma série de LEDs que podem ser controlados pelo usuário, com possibilidade de mudança de cores e modo como eles funcionam. Os LEDs podem ser programados para ficar piscando, alternando cores gradativamente e etc. Além disso, a placa possui maior poder de overclock, inclusive com uma BIOS específica para usuários extremos que pretendem fazer overclock com nitrogênio líquido.

Site oficial da Gigabyte GTX 980 Ti Xtreme Gaming

Em cenário internacional, a 980 Ti Xtreme Gaming chega custando U$ 689,99, U$20 dólares a mais do que o modelo Gaming "tradicional" da empresa. No Brasil é estimado que a placa custe cerca de 10% acima de uma versão normal.

Assim como já aconteceu na versão "Ti" passada, o que temos aqui é  uma versão modificada do chip presente na Titan X, o GM200. Este chip é semelhante ao presente na placa mais potente, porém com o corte de 2 SMM (Multiprocessadores Stream Maxwell), o que resulta em um pouco menos de CUDA Cores (128 por SMM a menos).

A GTX 980 Ti é baseada no mesmo chip da GeForce GTX Titan X, e apenas traz dois dos 24 SMM desabilitados

Análise: NVIDIA GeForce GTX 980 Ti
Análise: NVIDIA GeForce GTX Titan X

Apesar da redução, a Nvidia tem sido bastante enfática: a redução dos SMM (de 24 da Titan X para 22 na GTX 980Ti) não impacta nos ROPs, no Cache L2 e, principalmente, nas memórias. Depois da polêmica do "três-e-meiogate", a empresa está dedicada a escapar de qualquer possibilidade de situação controversa, garantindo que todos os 6GB dedicados de memória GDDR5 presentes na GTX 980 Ti estão na mesma partição, e serão acionados com a mesma agilidade.

Entenda a divisão de memórias da GeForce GTX 970 e o motivo que levou a Nvidia a fazer isso

Sobre outras características, temos uma placa semelhante aos demais topos de linha desta geração Maxwell. A nova arquitetura em 28 nanômetros traz importantes reorganizações nos componentes do die e, entre suas principais vantagens, está uma eficiência energética superior e um menor aquecimento. Outro destaque desta geração de placas da Nvidia, desde os modelos de entrada até essa ponta avançada, é o alto poder de overclock com pouco consumo e aquecimento. Temos nessas placas uma margem mais segura para "acelerá-las".

Além das tecnologias novas, o grande destaque das placas baseadas na arquitetura Maxwell é o menor consumo e aquecimento, resultando em uma maior eficiência e potencial de overclock

 

A geração Maxwell introduz algumas tecnologias interessantes. A primeira delas é o Multi-Frame sampled AA (MFAA), que combina várias amostras de anti-aliasing em posições diferentes para produzir um resultado que tenha maior qualidade com melhor desempenho. De acordo com a empresa, é possível alcançar uma imagem que tenha visual equivalente a 4x MSSA, mas com custo de desempenho equivalente ao de 2x MSAA. Outro novo recurso chama-se Dynamic Super Resolution, e serve para aqueles jogos que o PC já está rodando no máximo "com sobra". Quando isso acontece, a placa de vídeo começa a renderizar o game numa resolução maior, e então é feito um downscale para a resolução do monitor do usuário.

Para finalizar, as placas Maxwell também contam com a tecnologia de iluminação dinâmica global em tempo real, que proporciona uma iluminação mais realista, a VXGI. Há também um recurso pensado para dispositivos de realidade virtual, VR Direct, que diminui a latência até pela metade, e que será muito útil quando tivermos disponíveis dispositivos como o Oculus Rift.

Comparativo


NVIDIA GeForce GTX Titan X

Gigabyte GTX 980 Ti Xtreme Gaming

Gigabyte GTX 980 Ti G1 Gaming

NVIDIA GeForce GTX 980 Ti

Preços

Preço no lançamentoU$ 999,00 U$ 649,00
Preço atualizadoR$ 5.800,00 R$ 3.100,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação28nm 28nm 28nm 28nm
ChipGM200 (Maxwell 2.0) GM200 GM200 GM200 (Maxwell 2.0)
Clock1000 MHz1216 MHz1152 MHz1000 MHz
Clock (Turbo)1089 MHz1317 MHz1241 MHz1076 MHz

Memórias

Interface de largura de BUS384 bit 384 bit 384 bit 384 bit
Quantidade de RAM|12GB| |6GB| |6GB| |6GB|
Tecnologia da RAMGDDR5 GDDR5 GDDR5 GDDR5
Clock1753 MHz1800 MHz1753 MHz1753 MHz
Clock efetivo7012 MHz7200 MHz7012 MHz7012 MHz
Largura de banda337 346 337 337

Características Gerais

Shading Units3072 2816 2816 2816
TMUs192 176 176 176
ROPs96 96 96 96
Pixel Rate96 GPixel/s117 GPixel/s110.6 GPixel/s96.0 GPixel/s
Texture Rate192 GTexel/s214 GTexel/s202.8 GTexel/s176.0 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes6.144 GFLOPS6,849 GFLOPS6,702 GFLOPS5.632 GFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 6 pinos {mais} 1x 8 pinos 2x 8 pinos 2x 8 pinos 1x 6 pinos {mais} 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasAté quatro placas Até quatro placas Até quatro placas Até quatro placas
Tipo de SlotDual-slot Triple-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa267 mm267 mm267 mm267 mm
TDP250 W250 W250 W W250 W
Fonte recomendada600 W650 W650 W600 W
Conexões de vídeoDual Link DVI-I, HDMI, 3x DisplayPort 1.2 1xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort 2xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort 1xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort

Recursos

DirectX12.1 12.0 12.1 12.1
OpenCL1.2 1.2 1.2 1.2
OpenGL4.5 4.5 4.5 4.5
Shader5.0 5.0 5.0 5.0

Extras

ExtrasSistema de cooler com 3 FANs, LEDs personalizáveis Sistema de cooler com 3 FANs, LEDs de temperatura

Tecnologias
Por carregar o selo Xtreme Gaming, já era de se esperar que a Gigabyte fosse incluir várias tecnologias mais avançadas na placa. A empresa trabalhou no sistema de refrigeração com o Windforce 3x, na estética com LEDs iluminados multi-cor e nas capacidades de overclock com o GPU Gauntlet, assim como foi feito com o primeiro modelo da linha Xtreme Gaming, a Gigabyte GTX 950 Xtreme Gaming.

Windforce 3X
O sistema de refrigeração Windforce 3X auxilia na dissipação de calor ao utilizar heat-pipes de cobre puro, que possuem contato direto com a GPU. A empresa também diz que o design único das fans contribuem para melhor passagem do ar, garantindo alta performance a baixas temperaturas. O sistema de fans também traz a funcionalidade de alternar a direção na qual as ventoinhas rodam. O fan do meio gira no sentido contrário dos outros dois, o que garante que a dissipação do ar seja mais efetiva.


Fan 3D-Active com indicadores LED
A placa de vídeo é equipada com a tecnologia 3D-Active Fan, um design de fan 0dB semi-passivo, que foi introduzido pela Gigabyte em 2007. Ele permite que os fans permaneçam desligados nos momentos em que a placa de vídeo estiver abaixo de uma temperatura ou carga específica. Além disso, indicadores de LED na parte de cima da GPU indicam se os fans estão rodando ou não.


LEDs iluminados multi-cor
Os gamers podem escolher a cor e os efeitos de luz dos LEDs em volta dos fans e da parte superior da placa de vídeo através do software Gigabyte OC Guru II. Os LEDs também podem indicar ao usuário quando a voltagem do PCI-E estiver instável.


Durabilidade Xtreme/GPU Gauntlet
De acordo com a Gigabyte, as placas de vídeo da série Xtreme Gaming utilizam os mesmos chokes e capacitores da Titan X, o que resulta em maior durabilidade. Já o GPU Gauntlet traz a promessa de maior capacidade de overclocking.

Super Overclock
Para garantir mais energia para overclock, a placa traz uma entrada adicional PCI-E de 6-PIN para conectores de energia, além de um botão para a placa dar BOOT com uma versão de BIOS especial para overclock através de nitrogênio líquido.


Proteção Xtreme
A Gigabyte aplicou uma proteção respirável de nível aeroespacial no PCB da placa de vídeo, com o objetivo de oferecer melhor proteção contra umidade, poeira e corrosão. Além disso, a empresa teve o cuidado de colocar um BackPlate na placa. Como se trata de um metal que esfria de forma mais rápida,o componente também ajuda na dissipação do calor. 

OC Guru II
A Gigabyte trouxe uma nova interface de usuário para o software, que ela considera ser mais intuitivo que a versão anterior. Ele permite ao usuário modificar velocidades de clock, tensão elétrica, desempenho do fan e um OSD (on-screen display) para monitorar e ajeitar tudo em tempo real. Para fazer o download da versão mais atual clique aqui.


Fotos
A Linha Xtreme Gaming é semelhante a linha G1 Gaming da Gigabyte, se posicionando acima, trazendo como principais mudanças sobre a série G1 Gaming overclocks mais altos e sistemas de coolers e projetos melhores. No caso da GTX 980 Ti Xtreme Gaming, o destaque fica por seu sistema de cooler com LEDs nos FANs e parte superior, sendo possível alternar entre uma série de cores, além de aplicar alguns efeitos como piscar, mudança de intensidade dos LEDs etc.

Outro detalhe que difere esse modelo da G1 Gaming é que ela tem um sistema de cooler do tipo triple-slot. Ou seja, utiliza o espaço de 3 slots PCI-Express. Placas com essas características normalmente possuem FANs mais eficientes, mas geram um problema de limitação de placas de vídeo combinadas. Assim, é impossível utilizar 4 placas, já que para isso ser possível é necessário que elas sejam dual slot (isso considerando todas as placas do mesmo modelo, já que se se for utilizar apenas uma triple-slot, basta colocar ela como última placa da combinação).


Reparem que a Gigabyte adicionou aos acessórios uma munhequeira, semelhante àquelas utilizadas por jogadores de tênis. A ideia é voltada à gamers que suam bastante, e assim podem ter uma forma de ajudar com essa situação... ;-)

O backplate na parte de traz da placa é outro diferencial do modelo, que além de dar proteção à placa, ajuda no resfriamento dela.

Além de 2 alimentadores de 8 pinos, tradicional em modelos diferenciados com o gpu GTX 980 Ti, a placa ainda conta com mais um alimentador de 6 pinos ao lado de um botão com uma BIOS, voltada aos usuários que vão fazer overclock extremo utilizando nitrogênio líquido.

Se tratando das conexões, são as mesmas já encontradas na G1 Gaming e outros modelos, uma DVI, uma HDMI 2.0 e três DisplayPort de formato tradicional.

Nas fotos abaixo temos lado a lado três GTX 980 Ti, a Xtreme Gaming analisada, a G1 Gaming e um modelo referência da Nvidia. Apesar do tamanho final das placas ser diferente, todas possuem PCBs próximos, ficando por conta do sistema de cooler a mudança no comprimento.

Na imagem abaixo podemos ver a tela principal do aplicativo OC Guru II da Gigabyte, que dentre suas principais funções serve para fazer overclock da placa. Além disso, o app pode gerenciar os LEDs se a placa de vídeo tiver suporte a esse gerenciamento, como acontece com a GTX 980 Ti Xtreme Gaming.

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo algumas fotos da placa instalada em nosso gabinete tradicional de reviews.

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 120M
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- NVIDIA GeForce 359.06
- AMD Catalyst 15.11.1

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostra as principais características técnicas da placa, que tem o gpu trabalhando em nada menos que 1216MHz, 216MHz acima do modelo referência quando se trata do clock do gpu. Já as memórias da placa foram overclockadas para 7.2GHz, exatos 188MHz acima do modelo referência. Apesar de ser pouco, é um dos escassos modelos do mercado que traz as memórias overclockadas, o que não é uma pratica comum de se fazer, mesmo em placas diferenciadas.


Apesar das telas terem sido capturadas com a versão 359.00, os testes foram feitos com a versão 359.06. 


Overclock
Apesar desse modelo já ser bastante overclockado (com gpu trabalhando 216MHz acima do clock do modelo referência, e as memórias também 200MHz acima setadas em 7.2GHz), aumentamos um pouco mais seus clocks. O gpu foi setado em 1275MHz e as memórias em 8.224MHz, sem que para isso fosse necessária nenhuma alteração de tensão, apenas aumentando o power target em 10%.

PS.: Testes com a placa overclockada: Temperatura, Consumo, 3DMark e games rodando em 4K.

Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem um sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, exitem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, pode existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Testes em games - FullHD (1920x1080)
Agora vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "injogável"

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

Grand Theft Auto V
O game GTA V para PC está entre os mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game.

The Witcher 3 Wild Hunt
The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

Testes em games - 4K (3840x2160)

Agora vamos aos testes de desempenho na resolução 4K, com os mesmos títulos dos testes em FullHD.

Battlefield 4

Grand Theft Auto V

Metro Last Light

 

Middle Earth Shadow of Mordor

The Witcher 3 Wild Hunt

A série G1 Gaming da Gigabyte se tornou uma das melhores séries de placas de vídeo do mercado, especialmente quando se trata de modelos com gpu Nvidia. Nossa análise da GTX 980 Ti G1 Gaming já destacou o excelente projeto e consequentemente nosso selo "Diamante", colocando ela como uma das melhores placas com esse gpu disponíveis no mercado. Mas para nossa surpresa, a empresa lançou nesse ano a série Xtreme Gaming, que traz produtos ainda melhores com foco em projetos que propiciam overclocks mais altos, além de personalizações visuais, especialmente através de LEDs. A GTX 980 Ti Xtreme Gaming está entre as melhores placas do mercado, trazendo um projeto bastante diferenciado, com sistema de cooler muito eficiente e uma série de detalhes visuais, com destaque para os LEDs dos FANs e a possibilidade de personalização de cores e efeitos. Além disse, a placa traz um alto overclock de fábrica com potencial para ainda mais overclock.

Se tratando de desempenho, considerando os testes em 4K (já que FullHD não é mais referência para placas com esse gpu), a GTX 980 Ti Xtreme Gaming fica em média quase 20% acima do modelo referência em nossos testes. Isso é muita coisa se considerarmos que é possível ir além via overclock. Em determinados games a placa chegou a quase 35% sobre o modelo referência, como foi o caso do Witcher 3. Outro detalhe é que em vários momentos ela superou o desempenho de duas GTX 970 em SLI - e não eram duas placas qualquer com esse gpu, uma G1 Gaming da Gigabyte com outra Gaming da MSI. Ou seja, é interessante fazer essa análise se a finalidade for alta performance visando 4K. Uma GTX 980 Ti é mais interessante especialmente pelas instabilidades desse tipo de tecnologia - que alguns games sequer suportam, como o recém lançado Just Cause 3.

Placa ideal para se jogar em resolução 4K, com média 20% superior a modelos com clock referência

O lado negativo fica por conta de ser uma placa padrão triple slot, o que pode gerar limitações em combinações de múltiplas placas, especialmente se houver mais modelos triple slot na combinação.

O preço? Alto, bem alto. Se uma GTX 980 Ti já custava bastante quando lançada, agora ela custa, em média, R$4.000 no Brasil - se considerarmos o dólar na casa de R$4. Isso se tratando de Brasil, logicamente. Porque fora do país ela custa cerca de U$40 dólares a mais do que os U$650 cobrados pelos modelos mais baratos com esse gpu.

Vale destacar ainda que a Gigabyte tem outro modelo GTX 980 Ti da linha Xtreme Gaming, que, diferente do modelo analisado, traz um sistema de cooler líquido, com certeza trazendo resultados ainda melhores quando se trata da dissipação de calor. Confira mais detalhes sobre a GTX 980 Ti Xtreme Gaming com cooler líquido.

Conclusão

 

Avaliação: Gigabyte GTX 980 Ti Xtreme Gaming

Performance
10.0
Tecnologias
10.0
Diferenciais
10.0
Overclock
10.0
Preço
6.0

 

PRÓS
Uma das melhores placas com gpu GTX 980 Ti do mercado
Componentes de alta qualidade
Excelente sistema de cooler com três FANs, eficiente e silencioso
Alto overclock de fábrica
Bom potencial de overclock
Backplate
Roda bem games em resolução 4K com alta qualidade gráfica
CONTRA
Preço alto
Ocupa 3 slots PCI-Express
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado é responsável pelas análise de drones e alguns gadgets relacionados a fotos e vídeo, como Action Cams.