ANÁLISE: NVIDIA GeForce GTX 950

Há quase um ano, em de setembro de 2014, tivemos o lançamento da GeForce GTX 980 e da GeForce GTX 970, primeiras placas da geração GeForce 900. Agora acontece o lançamento da GeForce GTX 950, placa de entrada que chega para fechar o ciclo dessa geração, ficando um pouco abaixo da GTX 960, placa lançada em janeiro desse ano.

Apesar da primeira placa maxwell ser a GTX 750, a GeForce GTX 950 não é baseada nesse gpu, mas sim na GTX 960 e seu GM206. O que pode ter ajudado a Nvidia a ter tomado essa decisão foram as muitas críticas sobre as placas "requentadas" da AMD, se caso ela seguisse esse caminho, possivelmente algumas tecnologias deixariam de estar presentes, a exemplo do HDMI 2.0, que é suportado pela GTX 950 por ela ser baseada no mesmo gpu da GTX 960.

Em cenário internacional a placa chega custando U$159, mas que nos Brasil, em seu lançamento considerando o alto dólar, deve girar na casa de R$800 ou mais, muito próximo ao da GTX 960. Vamos a análise da placa para ver o que vale ser pago por ela.

A GeForce GTX 950 chega para substituir a primeira Maxwell, a GTX 750 Ti, lançada no início de 2014

A GeForce GTX 950
Para a GTX 950, a Nvidia utilizou o mesmo chip usado na GTX 960: o GM 206. A diferença é que aqui vemos 768 CUDA Cores (contra 1024 da 960), além de que GPU possui clock base de 1024 MHz e boost clock de 1188 MHz (contra 1127 MHz e 1178 MHz da 960). A nova placa de vídeo chega com 2 GB de memória RAM GDDR5, com clock de 3,3 GHz.



De acordo com a companhia, o objetivo da GeForce GTX 950 é rodar todos os games mais modernos na qualidade alta, em 1080p e acima de 30 FPS. Além disso, ela é uma opção para jogadores de MOBAs e, especialmente, para quem ainda utiliza gráficos integrados. Mantendo o conceito da GTX 750 Ti, a GTX 950 consome apenas 90W. Mais que os 60W da 750 Ti, mas com desempenho superior também.

Comparativo

Asus Radeon R7 370 StrixNvidia GeForce GTX 750NVIDIA GeForce GTX 750 TiNVIDIA GeForce GTX 950

Preços

Preço no lançamentoR$ 430,00 U$ 159,00
Preço atualizadoR$ 430,00 R$ 650,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação28nm 28nm 28nm 28nm
ChipPitcaum GM107 Maxwell GM107 Maxwell GM206
Clock do GPU1050 MHz1020 MHz1020 MHz1024 MHz
Clock do GPU (Turbo)1085 MHz1085 MHz1188 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR5 GDDR5 GDDR5 GDDR5
Interface de largura de BUS256 bit 128 bit 128 bit 128 bit
Quantidade de RAM|4GB| |1GB| |2GB| |2GB|
Clock das memóriass1400 MHz1253 MHz1350 MHz1653 MHz
Clock efetivo5600 MHz5012 MHz5400 MHz6612 MHz
Largura de banda179.2 80.2 86.4 105.8

Características Gerais

Shading Units1024 512 640 768
TMUs64 32 40 48
ROPs32 16 16 32
Pixel Rate33.6 GPixel/s16.3 GPixel/s16.3 GPixel/s32.8 GPixel/s
Texture Rate67.2 GTexel/s32.6 GTexel/s40.8 GTexel/s49.2 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes2,048 GFLOPS1,044 GFLOPS1,306 GFLOPS1.573 GFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 6 pinos Não requer alimentação via PCI-E Não requer alimentação via PCI-E 1x 6 pinos
Suporte à combinação de placasAté duas placas Nenhuma Sem suporte Até duas placas
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa258 mm145 mm145 mm202 mm
TDP150 W55 W60 W90 W
Fonte recomendada400 W300 W300 W350 W
Conexões de vídeo2xDVI, 1xHDMI, 1xDisplayPort 2xDVI, 1xmini-HDMI 2xDVI, 1xmini-HDMI 1xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort

Recursos

DirectX12.0 12.0 12.0 12.0
OpenCL2.0 1.1 1.1 1.2
OpenGL4.4 4.5 4.5 4.5
Shader5.0 5.0 5.0 5.0

Extras

 

Fotos
Abaixo uma série de fotos do modelo utilizado na análise, a chamada placa de referência da Nvidia. O destaque fica por conta do seu tamanho, bastante reduzido, com um cooler composto de único FAN de 80mm.

A GTX 950 ainda traz um conector SLI possibilitando a combinação de duas placas, coisa que não acontecia com as GTX 750 por exemplo. Outro detalhe é que a nova 950 requer um alimentador PCI-E de 6 pinos, a primeira maxwell não precisava desse alimentador, justamente por ter TDP menor e consequentemente consumir menos energia. Em se tratando de conexões de vídeo, as mesmas disponíveis nos modelos anteriores, sendo uma HDMI 2.0, que traz suporte a 60Hz em resolução 4k.

Abaixo algumas fotos com a GTX 950 ao lado de uma GTX 960 Gaming G1 da Gigabyte, placa que é bem mais longa do que a referência devido seu sistema de cooler com 3 FANs, e também ao lado de uma GTX 750 Ti, placa levemente menor. Uma GTX 960 referência requer apenas um alimentador PCI-E de energia, esse modelo da Gigabyte requer 2 por ser um modelo com foco em overclock. Como podemos ver, a GTX 750 Ti não requer conexão PCI-E de  alimentador de energia, justamente devido seu TDP bem inferior.

A Gigabyte está entre as poucas empresas que mudaram as conexões originais de vídeo, uma GTX 960 "padrão" tem as mesmas conexões que a GTX 950. 

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo algumas fotos da placa instalada em nosso gabinete tradicional de reviews.

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- Intel INF 10.0.27
- AMD Catalyst 15.7.1
- NVIDIA GeForce 355.65

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando as características técnicas da placa analisada.


Overclock
Conseguimos fazer um overclock bem interessante da GTX 950, seguindo nosso conceito de não alterar tensão, subimos o clock do gpu em 150MHz, setando o clock em 1176MHz em modo normal e 1340MHz em modo turbo. As memórias subimos de 6.6GHz para 7.4GHz. Modelos com sistemas de cooler mais eficientes devem segurar clocks mais altos, apesar de que a própria placa analisada poderia chegar além, visto que não a forçamos de mais justamente por se tratar de um modelo referência.

Testes com a placa overclockada: Temperatura, Consumo, 3DMark, GTA 5 e The Witcher 3. 


Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples, por isso a temperatura consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que, na prática, não comprometem a placa, e de acordo com as fabricantes, aumenta o tempo de vida útil, além de consumir menos energia.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo medir a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games - FullHD (1920x1080)
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado. Mantivemos os mesmos testes que sempre utilizamos em nossas análises, com resolução FULL HD e qualidade máxima.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar injogável

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Grand Theft Auto V
A versão de GTA V para o PC está entre os games mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game.

The Witcher 3 Wild Hunt
The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

A Nvidia continua com bons lançamentos em se tratando de placas da série GeForce 900, a escolha acertada de lançar a GTX 950 baseada no gpu GM 206, mesmo da GTX 960, fez com que a placa trouxesse como principal diferença prática o desempenho inferior, mas mantendo todos os benefícios desse gpu.

O desempenho dela é superior em 20% ao desempenho da GTX 750 Ti, e cerca de 20% inferior ao da GTX 960, quase justificando a diferença de preço entre elas, que hoje fica na casa de U$25 dólares em cenário internacional. Acredito que em se tratando de preço, o ideal seria manter a placa em no máximo U$149, algo que eu imagino que vá acontecer naturalmente pelo próprio mercado, já que como sempre acontece, a própria AMD deve fazer algum corte, especialmente na Radeon R7 370, placa que passa a brigar diretamente com a GTX 950 nesse momento.

Seu desempenho é pouco mais de 20% superior a GTX 750 Ti, rodando bem a grande maioria dos games em FullHD e alta qualidade gráfica

No Brasil teremos uma situação diferente para a GTX 950. Como estamos em um modelo bastante distinto com o dólar batendo recordes, por se tratar de lançamento as placas com gpu GTX 950 podem chegar custando mais do que modelos com gpu GTX 960 que já estão no mercado a algum tempo, afinal elas chegaram com o dólar mais baixo. Esse cenário pode dificultar a vida da GTX 950 em primeiro momento, outra situação que o mercado vai tratar de corrigir naturalmente com o tempo, porque logicamente ela perde totalmente o sentido se chegar brigando com sua irmã mais velha que entrega desempenho consideravelmente acima.

A GeForce GTX 950 chega para esquentar o mercado de entrada, mas a atual situação do Brasil pode fazer ela brigar com a GTX 960, perdendo seu sentido

Conclusão

 

Avaliação: ANÁLISE: NVIDIA GeForce GTX 950

Performance
9.0
Tecnologias
10.0
Diferenciais
9.0
Overclock
9.0
Preço
7.0

PRÓS
Tamanho compacto;
Baixo consumo de energia;
Baixo TDP;
Bom potencial para overclock.
CONTRAS
Requer alimentador de energia PCI-E;
Poderia custar no máximo U$149
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.