ANÁLISE: TP-Link Archer C8

O Archer C8 é um roteador de alta performance da TP-Link, voltado aos usuários que desejam um aparelho com bom alcance e suporte a tecnologias como a conexão 802.11ac. O aparelho conta com três antenas e opera em duas frequências simultaneamente: 2.4GHz e 5GHz. Outra tecnologia está entre os destaques: o roteador suporta conexões no padrão 802.11ac, novo padrão wireless que promete importantes evoluções na velocidade de banda e conectividade.

Comparativo


TP-Link Archer C8

Linksys Smart Wi-Fi EA6200

D-Link DIR-868L

Especificações

Antenas|3 antenas externas| |Antenas internas| |Antenas internas|
Conexão USB1x USB 3.0 e 1x USB 2.0 1x USB 3.0 1x USB 3.0
Conexões com cabo1x WAN Gigabit + 4x LAN Gigabit 1x WAN Gigabit + 4x LAN Gigabit 1x WAN Gigabit + 4x LAN Gigabit
Configuração via smartphone/tabletSim Sim Sim
Frequência de operação|2.4GHz||5GHz| |2.4GHz||5GHz| |2.4GHz||5GHz|
Padrões Wireless802.11ac 802.11ac 802.11ac
Dimensões22,1 X 8,6 X 16,85cm 25,6 x 4 x 18,4 cm 10,23 x 12,33 x 21,7cm

Design
Nada de discrição, quer ser um enfeite em sua casa

Enquanto muitos aparelhos buscam ser o mais discretos possíveis, com perfis baixos e poucos detalhes, o Archer C8 tem outra premissa: quer ter uma estética suficiente para ficar à mostra, como uma peça de decoração.

 

A estética de um aparelho cheio de antes é sempre discutível, e não raro eles parecem uma coisa prestes a nos abduzir, porém dentro do possível a TP-Link criou um visual leve e bonito para o Archer C8. As linhas são discretas e o acabamento em branco brilhante é bastante interessante. Os acabamentos no estilo metalizado nas bordas e nos apoios harmonizam bem com o visual clean do roteador. 

O Archer C8 não é feito para ser escondido: seu design é de algo a ser exposto em algum lugar da casa

 

Com as conexões na parte traseira, é fácil esconder o emaranhado de cabos e até mesmo dispositivos de armazenamento que podem ser ligados na porta USB. Seria interessante uma conexão USB na lateral, para tornar ágil a conexão de pendrives no roteador, mas caso o roteador esteja em um lugar acessível, não é difícil conectar na porta traseira. O maior problema da escolha deste design por parte da TP-Link é a altura: como não é possível utilizá-lo "deitado", a altura  ele pode e prendê-lo em uma parede também não é uma opção.

Instalação e configuração
Simples e com boas possibilidades de gerenciamento

A configuração do Archer C8 não é nenhum mistério para quem possui o mínimo de experiência em lidar com roteadores. Apesar de trazer um CD de instalação, ele não serve para muita coisa exceto trazer um software que dá instruções mínimas de como conectar os cabos e preparar os dispositivos, como impressoras. O disco também traz um aplicativo necessário para configurar uma impressora na rede.

A configuração da rede em si é feita através do navegador, através do caminho IP do roteador na rede (para nós que conectamos o notebook diretamente nele, ficou 192.168.0.1). A interface de ajustes é bem organizada, e pode ser acessada pelo modo simples, bem mais visual e intuitiva, ou um modo avançado, onde as coisas ficam um pouco mais "áridas" mas em compensação abre muito mais possibilidades de ajustes.

O roteador possui boas opções de configuração e gerenciamento da rede, mas faltou uma interface em português

 

O principal porém, comparado a concorrentes, é a falta de uma interface em português. O Linksys Smart Wi-Fi EA6200, por exemplo, conta com uma opção em português para os ajustes, algo muito importante para usuários que não dominam a língua estrangeira.

Através das configurações é possível definir diferentes senhas para as redes operando em 2.4 e 5GHz, criar rede para visitantes com limitação de performance, administrar os dispositivos conectados e controle parental dos conteúdos acessáveis dentro da rede local. Este controle será mais que o suficiente para a administração de uma rede doméstica ou até mesmo de uma empresa de pequeno porte. 

Performance
A tecnologia 802.11ac mostra seu valor

Com duas frequências de operação, 2.4 e 5GHz, temos a possibilidade de explorar as vantagens de cada uma das duas - na primeira, mais alcance, na segundo, mais performance. Em nosso primeiro este, verificando a intensidade do sinal, o resultado não foi muito impressionante (lembrando que intensidade de sinal é medido em uma escala negativa, ou seja, MENOS É MELHOR) .

 

Na hora das transferências, porem, a menor intensidade do sinal não representou problema algum. Como dá para perceber, os resultados obtidos pelo Archer na hora de mover arquivos estão entre os melhores que já obtivemos por aqui.

Aí nosso equipamento virou gargalo...

Um detalhe importante: nossos testes de transferência, até o momento, utilizavam um notebook ainda na tecnologia WiFi 802.11 b/g/n, o que tornou nossa metodologia datada com a chegada dos modelos AC. Por isso fizemos o update no sistema responsável por realizar a cópia via Wi-fi, criando um problema: um novo computador traz novas características, como uma antena melhor de recepção, o que impossibilita colocarmos os resultados antigos e novos em um comparativo direto.

A tecnologia AC mostra seu valor ao entregar o dobro de velocidade

 

Mas comparando apenas a troca da tecnologia, qual o ganho que representa a tecnologia nova? Como ela opera exclusivamente em 5.0GHz, isso significa que utilizar a frequência de 2.4GHz é limitar a transferência a tecnologia anterior. Mesmo com uma menor intensidade de sinal - os 5GHz sofrem mais com barreiras físicas como paredes - a diferença em performance é notável.

Com isso conseguimos comprovar na prática uma das principais promessas da nova tecnologia 802.11ac: mais performance, resultado da maior largura de banda que a presente no wireless no padrão N, além de possuir múltiplos fluxos espaciais para transferência de dados. Apesar de não alcançarmos os 3x de ganho prometido em teoria, não há dá para reclamar: a transferência aconteceu em metade do tempo ao usar o novo padrão.


Beamforming em ação

Por ser uma frequência menos congestionada que os 2.4GHz, que disputam "espaço aéreo" com outros aparelhos, os roteadores em 5GHz conseguem melhor desempenho na transmissão, porém outro recurso da tecnologia AC também contribui para a eficiência: o Beamforming, algo que podemos chamar de "foco de sinal". Ao invés de transmitir o sinal de forma homogênea em todas as direções, um roteador no padrão 802.11ac consegue direcionar mais potência de sinal nos lugares onde há aparelhos "clientes" na rede. Ao mesmo tempo que o roteador ganha mais performance, ele também evita interferir em outros dispositivos, ao não "congestionar" áreas onde não possui aparelhos conectados.

O Archer C8 da TP-Link tem um bom repertório de recursos. Como um produto do segmento topo de linha, conta com boas possibilidades de configuração que atenderão bem uma residência ou um pequeno comércio. Apesar de não estar em português, as telas de ajustes possuem uma interface bastante intuitiva, e a possibilidade de gerenciar sua rede através do smartphone é uma opção sempre bem-vinda.

Com um visual bem acabado, o Archer C8 não é aquele roteador para se enfiar em um canto e manter escondido. Seu visual é feito para ficar exposto, bem à mostra, como algo que irá "valorizar" uma estante. Se o seu plano é sumir com o roteador, há opções mais baratas e que trarão mais possibilidades de funcionar "deitado" ou preso na parede.

Seu maior impeditivo, como não é incomum no segmento topo de linha de roteadores, é o preço. Com custo que passa facilmente dos 600 reais - pode ser encontrado por quase mil reais -  é um dispositivo bastante completo, mas que sofre pressão de aparelhos mais baratos que também suportam a conexão WiFi AC, alguns inclusive da própria TP-Link como o AC750 Archer C20, encontrado por metade do valor ou até menos.

O Archer C8 é um excelente roteador, sendo seu único problema o preço alto

 

Por conta disso, é um produto bastante direcionado a quem busca um roteador de alto desempenho e confiável, e não vê problema em desembolsar bastante dinheiro por isso. Se o seu orçamento é mais limitado, ou não tem nenhuma intenção de gastar demais, é possível encontrar outros roteadores mais em conta que entregarão as vantagens da tecnologia WiFi AC.


Conclusão

 

Avaliação: TP-Link Archer C8

Recursos e funcionamento
9
Instalação e configurações
9
Design
9
Preço
5

 

PRÓS
Excelente performance, especialmente em 802.11ac
Opera tanto em 2.4GHz quanto 5GHz
Design rebuscado
Boa quantidade de configurações
Acesso via smartphone e tablet
Porta USB 3.0 adicional
CONTRA
Não pode ser preso na parede ou usado em outra posição
Não há opção em português para as telas de configuração
Preço elevado
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".