ANÁLISE: NVIDIA GeForce GTX 980 Ti

Mantendo sua tradição, a Nvidia volta a lançar uma versão mais potente de sua placa de vídeo para gamers, um tempo depois do line-up inicial e também da introdução de uma nova Titan. Diferente da GTX 780 Ti, que chegou para bater a R9 290X, a demora por parte da AMD deu à GTX 980 Ti uma situação bastante confortável: só tem os produtos "da casa" para enfrentar, caso da GTX Titan X e da GTX 980.


Assim como já aconteceu na versão "Ti" passada, o que temos aqui é  uma versão modificada do chip presente na Titan , o GM200. Este chip da placa é semelhante ao presente na placa mais potente, porém com o corte de 2 SMM (Multiprocessadores Stream Maxwell), o que resulta em um pouco menos de CUDA Cores (128 por SMM a menos).

A GTX 980 Ti é baseada no mesmo chip da GeForce GTX Titan X, apenas traz dois dos 24 SMM desabilitados

Análise: NVIDIA GeForce GTX Titan X

Apesar da redução, a Nvidia tem sido bastante enfática: a redução dos SMM (de 24 da Titan X para 22 na GTX 980Ti) não impacta nos ROPs, no Cache L2 e, principalmente nas memórias. Depois da polêmica do "três-e-meiogate", a empresa está dedicada a escapar de qualquer nova situação controversa garantindo que todos os 6GB dedicados de memória GDDR5 presentes na GTX 980 Ti estão na mesma partição, e serão acionados com a mesma agilidade.

Entenda a divisão de memórias da GeForce GTX 970 e o motivo que levou a Nvidia a fazer isso

Nas demais características, temos uma placa semelhante aos demais topos de linha desta geração Maxwell. A nova arquitetura em 28 nanômetros traz importantes reorganizações nos componentes do die e, entre suas principais vantagens, estão uma eficiência energética superior e um menor aquecimento. Outro destaque desta geração de placas da Nvidia, desde os modelos de entrada até essa ponta avançada, é o alto poder de overclock: com pouco consumo e aquecimento, temos nessas placas uma margem mais segura para "acelerá-las".

Além das tecnologias novas, o grande destaque das placas baseadas na arquitetura Maxwell é o menor consumo e aquecimento, resultando em uma maior eficiência e potencial de overclock

 

A geração Maxwell introduz algumas tecnologias interessantes. A primeira delas é o Multi-Frame sampled AA (MFAA), que combina várias amostras de anti-aliasing em posições diferentes para produzir um resultado que tenha maior qualidade com melhor desempenho. De acordo com a empresa, é possível alcançar uma imagem que tenha visual equivalente a 4x MSSA, mas com custo de desempenho equivalente ao de 2x MSAA. Outro novo recurso chama-se Dynamic Super Resolution, e serve para aqueles jogos que o PC já está rodando no máximo com sobra. Quando isso acontece, a placa de vídeo começa a renderizar o game numa resolução maior, e então é feito um downscale para a resolução do monitor do usuário.

Para finalizar, as placas Maxwell também contam com a tecnologia de iluminação dinâmica global em tempo real, que proporciona uma iluminação mais realista, a VXGI. Há também um recurso pensado para dispositivos de realidade virtual, VR Direct, que diminui a latência até pela metade, e que será muito útil quando tivermos disponíveis dispositivos como o Oculus Rift.

Comparativo


NVIDIA GeForce GTX Titan X

NVIDIA GeForce GTX 980 Ti

NVIDIA GeForce GTX 980

AMD Radeon R9 290X

Preços

Preço no lançamentoU$ 999,00 U$ 649,00 U$ 549,00
Preço atualizadoR$ 5.800,00 R$ 3.100,00 R$ 2.350,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação28nm 28nm 28nm 28nm
ChipGM200 (Maxwell 2.0) GM200 (Maxwell 2.0) GM204 Hawaii XT
Clock1000 MHz1000 MHz1127 MHz1000 MHz
Clock (Turbo)1089 MHz1076 MHz1216 MHz

Memórias

Interface de largura de BUS384 bit 384 bit 256 bit 512 bit
Quantidade de RAM|12GB| |6GB| |4GB| |4GB|
Tecnologia da RAMGDDR5 GDDR5 GDDR5 GDDR5
Clock1753 MHz1753 MHz1753 MHz1250 MHz
Clock efetivo7012 MHz7012 MHz7012 MHz5000 MHz
Largura de banda337 337 224 320

Características Gerais

Shading Units3072 2816 2048 2816
TMUs192 176 128 176
ROPs96 96 64 64
Pixel Rate96 GPixel/s96.0 GPixel/s72.1 GPixel/s64.0 GPixel/s
Texture Rate192 GTexel/s176.0 GTexel/s144 GTexel/s176 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes6.144 GFLOPS5.632 GFLOPS4.616 GFLOPS5,632 GFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 6 pinos {mais} 1x 8 pinos 1x 6 pinos {mais} 1x 8 pinos 2x 6 pinos 1x 6 pinos + 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasAté quatro placas Até quatro placas Até quatro placas Até quatro placas
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa267 mm267 mm267 mm275 mm mm
TDP250 W250 W165 W290 W
Fonte recomendada600 W600 W500 W600 W
Conexões de vídeoDual Link DVI-I, HDMI, 3x DisplayPort 1.2 1xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort 1xDVI, 1xHDMI 2.0, 3xDisplayPort 2x DVI, 1x HDMI, 1x DisplayPort

Recursos

DirectX12.1 12.1 12.1 12.0
OpenCL1.2 1.2 1.2 2.0
OpenGL4.5 4.5 4.5 4.4
Shader5.0 5.0 5.0 5.0

Extras

No posicionamento de mercado, a Nvidia volta a repetir o que aconteceu na geração passada: a placa chega pelos mesmos US$ 649 do lançamento da GeForce GTX 780Ti, preço que é 100 dólares acima do que a GTX 980 tinha ao chegar no mercado. Com uma placa mais potente e com preço próximo, a 980 foi "remanejada" e agora custa US$ 499.

Fotos
A placa tem aparência muito semelhante a outros modelos da série GeForce 900 e 700, com seu modelo "impresso" na carcaça de metal que dá um ar bastante imponente e robusto à placa.

Diferente da GTX 980 que possui dois conectores de energia de 6 pinos, ela traz um conector de energia de 8 pinos e outro de 6 pinos. 


Nas fotos abaixo é possível ver lado a lado a TITAN X, 980 Ti e 980, os três modelos topo de linha da Nvidia. A diferença visual, além da carcaça na cor preta da TITAN X, fica apenas nos conectores de energia e nome impresso na placa.

Sistema Utilizado
Como de costume, utilizamos uma máquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage V Extreme, com processador Intel Core i7 5960X overclockado para 4GHz para os testes. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas. Abaixo algumas fotos da placa instalada em nosso gabinete tradicional de reviews.

A seguir os preços atuais das placas de vídeo comparadas utilizando o valor cobrado em cenário internacional, já que ainda não sabemos quanto a GTX 980 Ti custará no Brasil. 

Agora é importante destacar que no Brasil o cenário é completamente diferente, com a Radeon R9 290X custando valores superiores a R$2.500, preço semelhante ao de uma GeForce GTX 980. 

Preços em U$
Nvidia GeForce GTX TITAN X 12GB - U$ 999
Nvidia GeForce GTX 980 Ti 6GB - U$ 649
Nvidia GeForce GTX 980 4GB - U$ 499

PowerColor Radeon R9 290X PCS+ 4GB - U$ 380

Mais abaixo, detalhes da máquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 5960X 3.0GHz @ 4.0GHz - Análise
- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise
- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 16GB 3000MHz (4x4GB) - Análise
- SSD Kingston HyperX 3k 240GB
- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB)
- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L
- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum
- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB
- Monitor ASUS PB287Q 4K

Sistema Operacional e Drivers
- Windows 8.1 Pro 64 Bits
- Intel INF 10.0.27
- NVIDIA GeForce 352.90 (GTX 980 Ti)
- NVIDIA GeForce 352.86
- AMD Catalyst 15.5

Aplicativos/Games:
- 3DMark (DX11)
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Middle Earth Shadow of Mordor (DX11)
- The Witcher 3 (DX11)

GPU-Z
Abaixo, a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando as principais características técnicas da placa analisada. Reparem que o nome não aparece corretamente, isso porque na versão 352.90 beta dos drives a Nvidia não especificou o nome da placa.


Overclock
O potencial da placa em overclock é semelhante a outros GPUs com arquitetura Maxwell. Em nossos testes, aumentamos o GPU em 150MHz e as memórias de 7GHz para 7.8GHz, valores que podemos considerar bons por se tratar de uma placa referência. Nos testes foi possível ver como foi o comportamento da placa nessa condição.

Testes com a placa overclockada: Temperatura, Consumo, GTA 5 e The Witcher 3. 

Abaixo a tela do GPU-Z mostrando os clocks utilizados em nosso overclock:


Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem sistema que desliga as fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples, por isso a temperatura consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que, na prática, não comprometem a placa, e de acordo com as fabricantes, aumenta o tempo de vida útil, além de consumir menos energia.

OBS.: Pelo modelo com GPU Radeon R9 290X ser diferenciado, com cooler contendo 3 FANs, adicionamos nesse comparativo uma GTX 980 da Gigabyte, que também possui 3 FANs no cooler, dessa forma temos uma noção mais realista das temperaturas, já que modelos referência normalmente aquecem mais do que placas com sistema de cooler diferenciado, como fica evidente nos gráficos de temperatura. 

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10w como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com dois testes, ou melhor, um teste em duas situações, o Fire Strike em modo normal e também em modo 4K. Abaixo, os resultados em modo normal:

Agora o resultado em modo 4K: 

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais “descolados” do momento, pois tem como objetivo medir a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API gráfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

Testes em games - FullHD (1920x1080)
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60FPS é o ideal. Quanto mais próximo dos 30FPS, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar injogável

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Grand Theft Auto V
O game GTA V para PC está entre os mais exigentes da atualidade, trazendo ótima qualidade gráfica. Confiram abaixo o comportamento das placas rodando o game:

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo da franquia "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game.

The Witcher 3 Wild Hunt
The Witcher 3 chegou como nova referência em qualidade gráfica para PC, sendo um dos games mais interessantes da atualidade para medir desempenho de placas de vídeo.

Testes em games - 4K (3840x2160)

Agora vamos aos testes de desempenho na resolução 4K, com os mesmos títulos dos testes em FullHD.

Battlefield 4

BioShock Infinite

Grand Theft Auto V

Metro Last Light

Middle Earth Shadow of Mordor

The Witcher 3 Wild Hunt

A GeForce GTX 980 Ti traz coisas muito interessantes à mesa. Assim como sua antecessora, este produto chega com performances dignas de rivalizar com a "linha topo-quase-outra-coisa" das GTXs Titans, entregando um desempenho muito próximo - ou, com um overclock, acima - do que a Titan X. Tudo isso com um preço de $649 dólares, bem menor que os $999 da linha Titan.

Um dos motivos para este bom desempenho é que, assim como a Titan X, esta placa não chegou com objetivo de ser econômica. Com uma alimentação de 6 e 8 pinos ela tem um TDP de 250W, consideravelmente acima dos 165W presentes na GTX 980. Como estamos falando de um segmento de alto desempenho, podemos dizer tranquilamente que uma boa parte do público não vê problema nesta troca entre "performance e consumo", e caso desagrade alguém, a GTX 980 segue disponível como uma placa com melhor balanço entre essas duas características.

Falando da 980, a chegada da versão "Ti" fez com que esta placa recebesse uma redução em seu preço. Por 499 dólares, a placa passa a ser uma opção mais interessante já que a performance excelente e o preço de lançamento baixo de outro produto "da casa", a GeForce GTX 970, deram trabalho na hora de competir. Mesmo com este corte de 50 dólares em seu valor, a GTX 980 continua entregando pouca coisa a mais que a GTX 970, que com custo na casa dos 349 dólares -  e no Brasil não raro aparece por menos de 1.4 mil reais - ainda é um modelo de peso quando o assunto é a relação entre custo e benefício.

Com este desempenho, não há duvida sobre o potencial da GTX 980Ti como um dos atuais sonhos de consumo para quem pretende montar uma máquina gamer de alto desempenho, especialmente se o interesse for jogar games em resolução 4K. Uma placa sozinha pode enfrentar algumas limitações, e não vai entregar em todos os jogos a tríade "60FPS - Ultra - 4K", mas com os devidos ajustes ou um SLI você conseguirá rodar esta resolução em excelente qualidade e fluidez. Quem quiser conferir o desempenho da placa em uma situação menos "sintética" que os benchmarks, pode conferir nosso gameplay da placa em 4K com games como "GTA V", "The Witcher 3" e "Terra-média: Sombras de Mordor".

Vídeo: Jogamos com a GTX 980Ti em 4K e mostramos a performance para você! 

Mantendo uma característica da família Maxwell, a placa tem bom potencial para overclock, e conseguimos um bom aumento mesmo tendo pouco tempo para testes mais avançados. O ganho de performance foi dentro do esperado para o aumento que aplicamos, e resultou em um salto suficiente para acabar com qualquer dúvida que esta placa é capaz de emparelhar com a Titan X sem dificuldades. Por sinal, a Titan agora só se justifica para os consumidores que irão utilizar alguns de seus recursos voltados a supercomputação, como processamento de precisão simples. Caso contrário, ela segura por muito pouco o título de GPU mais rápida para games, e por um custo injustificado.

Por fim, temos aqui um excelente produto, faltando só saber qual é o custo que chegará no Brasil para termos uma noção mais clara de seus benefícios para o público nacional. Outra coisa que está faltando não é por parte da Nvidia: precisamos dos concorrentes. Com a demora da AMD em apresentar a geração de placas da série 300, ficamos sem uma placa da rival para a disputa, afinal a R9 290X progressivamente vai ficando para trás - e, aqui no Brasil, seu custo é um salgado de mais de  2.5 mil reais. O jeito é esperar por uma potencial R9 390X com chip Fiji ou até mesmo outro modelo surpresa, para ver quais serão as armas da AMD na disputa, e descobrir se a dobradinha Titan X/GTX 980 Ti ainda vai segurar o topo. Estamos a mais ou menos um mês de descobrir.

Com performance muito próxima da GTX Titan X mas custo bem inferior, a GTX 980 Ti é a nova melhor opção do segmento de alto desempenho para games

Conclusão

 

Avaliação: NVIDIA GeForce GTX 980 Ti

Performance
10.0
Tecnologias
10.0
Diferenciais
10.0
Overclock
9.0
Preço
9.0

PRÓS
Placa "colada" na Titan X, mas por um preço bem mais competitivo
Otimizações da microarquitetura Maxwell
Novas tecnologias como 4K DSR / MFAA, VXGI e VR Direct
Bom desempenho em resolução 4K
Bom potencial de overclock
CONTRA
Não tem mesma eficiência de consumo de energia que GTX 980
Montar um sistema com um SLI de GeForce GTX 970 garante maior desempenho pelo mesmo preço
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".