ANÁLISE: ASRock Fatal1ty X99M Killer

Normalmente, quando se fala em placas-mãe com chipset X99, os primeiros modelos que vêm à cabeça são em formato ATX ou maiores, como ATX Extended (caso da ASUS Rampage V Extreme). Hoje iremos analisar um modelo em formato Micro-ATX, mas que não deixou de lado a alta qualidade das placas X99, assim como a grande quantidade de tecnologias. Estamos falando da ASRock X99M Killer, mainboard que leva o selo Fatal1ty.

Apesar do tamanho, esse modelo não deixa de trazer nenhuma das principais tecnologias da série Killer da ASRock. O único porém é que a placa suporta no máximo duas placas de vídeo via Crossfire ou SLI. Com certeza isso não é um grande problema, especialmente porque possibilita montar uma máquina de altíssimo desempenho, mas com tamanho um pouco mais compacto. 

Em cenário internacional a placa custa atualmente US$ 250 (pesquisa feita no dia 04/03/2015 no site newegg.com). No Brasil, placas com chipset X99 têm preço inicial pouco acima de R$ 1 mil. Esse modelo ainda não está disponível por aqui, mais deve chegar na casa de R$ 1,3 mil ou pouco mais.


Tecnologias
Como destacamos, entre suas principais características a Fatal1ty X99M Killer tem a seu favor um bom pacote de tecnologias. Abaixo listamos algumas delas. Mas antes, uma imagem da placa em detalhes:


Quad SLI / Crossfire seria para duas placas dual GPU, como a Radeon R9 295X2 e a GeForce Titan Z.

ASRock Super Alloy
De acordo com a ASRock, a placa-mãe é feita de liga de alumínio, e foi projetada para dissipar melhor o calor, prometendo melhor desempenho na redução da temperatura de funcionamento. Além disso, a empresa diz que os indutores premium de alumínio auxiliam em até 70% na redução de perdas, se comparados aos indutores de ferro. Capacitores Nichicon 12K Platina prometem duração de até 12 mil horas, 20% mais que os normais, de acordo com a ASRock.

Killer E2200 Game Networking
A ideia da ASRock com a série Killer de placas-mãe é focar no desempenho em games. Para melhorar a performance em jogos online e streamings de alta qualidade, a empresa incluiu um recurso chamado "Avanced Stream Detect". Ele detecta automaticamente tráfego de dados relacionados a games, e os prioriza em relação a outros tipos de tráfego.


Purity Sound 2
O Purity Sound 2 junta as tecnologias de áudio de 7.1 canais HD com o codec Realtek ALC1150. Além delas, também inclui SNR DAC de 115 dB com amplificador diferencial, amplificador de headsets TI NE5532, tecnologia Direct Drive, capa protetora EMI, proteção isolante do PCB e suporte a DTS Connect. Por último, são utilizados capacitores de áudio de alta qualidade da Nichicon. 

Key Master
O Key Master traz 2 recursos, chamados "Sniper Key" e "Macro Key". O primeiro permite que o jogador altere a velocidade do mouse quando ele está usando um rifle sniper em algum game. Enquanto isso, o segundo permite que o gamer escolha um grupo de teclas e macros para realizar ações repetitivas. Mas fique atento, pois o Key Master é proibido em alguns jogos. Por isso, sempre olhe o contrato de licença para usuário final dos games antes de utilizá-lo.

ASRock Cloud
A tecnologia ASRock Cloud permite que o usuário conecte dispositivos móveis a seu PC de maneira facilitada, e suporta o acesso simultâneo de múltiplos aparelhos ao serviço da nuvem File Explorer. A empresa oferece gratuitamente 1 ano de assinatura da versão profissional do serviço Orbweb.ME, que permite acessar os arquivos do PC de maneira remota. O custo mensal do serviço é de US$ 49,99.

Socket M.2 (PCIe Gen 2 x2 e SATA)
O socket onboard M.2 é uma nova interface, usada para conectar SSDs com padrão Next Generation Form Factor (NGFF) Â– de nome oficial M.2 Â– e outros dispositivos. A placa mãe suporta módulos SATA 3 M.2 de 6 Gb/s e módulos PCI Express M.2 que sejam até Gen2 x2 de 10 Gb/s. Este último é 2 vezes mais rápido, se comparado às soluções M.2 Gen2 x1, que são limitadas a 5 Gb/s.

Fotos
Por ser da série Killer, a placa tem bom acabamento e visual gamer com dissipadores vermelhos. Mas o que mais chama a atenção é justamente seu tamanho, já que ela está entre as poucas do mercado com formato Micro-ATX utilizando o chipset X99, compatível com processadores LGA 2011-v3.

Apesar do formato mais compacto, ela traz as principais tecnologias da plataforma, como suporte a múltiplas placas de vídeo, limitando-se a 2 placas, tanto em Crossfire como SLI. Outro detalhe é que ela suporta memórias em quad channel, mas com "apenas" 4 módulos. Afinal. devido ao seu tamanho mais compacto não, foi possível colocar 8 módulos, como na grande maioria de mainboards X99.

A placa-mãe também vem com 10 conexões SATA3 e um slot M.2 de alta velocidade, deixando de lado a conexão SATA Express, que na verdade não foi bem aceita pelo mercado já que traz pouco ganho de desempenho, e ainda precisa um conector exclusivo. Ou seja, não fará falta.

Ainda merecem destaque a conexão de rede com chip Killer E2200, sistema de áudio Purity Sound 2. Outras tecnologias comuns em modelos de alto desempenho como debug led, botões power e reset e dual bios também estão presentes nesse modelo.

A X99M Killer também traz diversas característias visando melhor o comportamento do sistema em overclock, como seus 12 controladores de fases, visíveis sobre o dissipador acima do socket do cpu. 

Nenhum grande destaque nas conexões do painel traseiro, tirando o fato de vir com duas conexões de rede e demais conexões já tradicionais em grande parte de placas-mãe. Tiramos algumas fotos com o sistema quase pronto, faltando apenas a placa de vídeo, indispensável para essa plataforma, algo que não acontece no LGA 1150, que vem com vídeo integrado nos processadores.

BIOS
A BIOS segue o padrão de layout das demais placas da ASRock, pelo modelo ser da linha Killer, com as cores vermelha seguindo o padrão das cores físicas da placa. A ASRock se saiu bem no quesito opções, especialmente porque não tem feito mudanças constantes no layout, situação que acaba complicando pela mudança no local das opções de uma plataforma para outra.

Os perfis pre-programados de overclock também são de fácil acesso como podem ver em uma das imagens abaixo.

OBS.: As telas da BIOS foram capturadas com o processador Core i7 5820K, diferente do modelo utilizado para os testes.

Sistema utilizado
Abaixo, detalhes sobre o sistema utilizado, mas antes, fotos com demais hardwares utilizados. Reparem que a placa possui "apenas" 4 slots de memória, impossibilitando utilizar 8 módulos ao mesmo tempo, mas ainda assim tirando proveito da tecnologia quad-channel.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i7 5950X
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 780 (referência)
- Memórias: 16 GB Corsair Vengeance LPX 2800MHz (4x4GB) @ 2400MHz
- SSD: Kingston HyperX 3K 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): XFX ProSeries 850W PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 8.1 64 Bits com Updates
- Intel INF 10.0.20
- GeForce 344.16

Aplicativos/Games:
- CineBENCH R15
- MaxxMEM 2.01
- AIDA 4.xx
- x264 FHD Benchmark 1.0.1
- wPrime 2.10

- 3DMark (DX11)
- Bioshock Infinite (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

CPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e sistema utilizado nos testes.


Overclock
A plataforma X99 tem como um de seus grandes destaques seu alto potencial para overclock. No overclock deste modelo, utilizamos um perfil pronto da BIOS, que colocou o processador trabalhando em 4075MHz e ativou o perfil mais rápido das memórias, fazendo elas trabalharem em 2800MHz.

Apesar de não termos colocado o perfil mais rápido, como poderão ver nos testes o sistema teve um bom ganho de desempenho já que na prática o clock ficou pouco acima de 25% mais rápido que o processador em seu clock normal. Esse é um bom overclock para se utilizar regularmente no sistema, já que traz bom ganho sem complicar a vida do processador a longo prazo como pode acontecer com overclock mais altos, forçando muito o cpu.

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema.

IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso.


Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os consumos abaixo:


Testes de desempenho

Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes, com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema.


CineBENCH R15
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o CineBench, que testa o processador convertendo uma imagem. 


x264 Full HD Benchmark
Em um teste de conversão de vídeo Full HD, temos os seguintes resultados:


wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:

MaxxMEM
O aplicativo MaxxMEM serve para testar o desempenho das memórias. Os testes são do modo "copy".

AIDA64 - Memory
Para medir o desempenho das memórias também utilizamos o aplicativo AIDA64. Abaixo estão os resultados.

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark.

BioShock Infinite
Em teste de games, começamos pelo "Bioshock Infinite", o mais recente da franquia, lançado em 2013.

Tomb Raider
Para finalizar os testes em games com o sistema utilizando uma placa de vídeo dedicada, vamos ao teste de desempenho do "Tomb Raider".

A ASRock tinha nos oferecido um modelo topo de linha X99, mas optamos por trocar por essa placa que tem valor mais acessível e suporte a uma série de tecnologias interessantes, com o detalhe de ser em formato Micro-ATX, muito legal para quem pretende montar uma máquina gamer de alto desempenho com um gabinete menor do que os tradicionais ATX. Seu acabamento é muito bom, com visual gamer já que faz parte da linha Killer, trazendo personalizações e tecnologias encontradas em outros modelos da mesma linha.

Em cenário internacional ela custa cerca de US$ 250 (pesquisa feita no dia 04/03/2015 no site newegg.com), mas no Brasil não custará menos do que R$1300, que é o valor básico para modelos com chipset X99, justamente por ser da plataforma entusiasta da Intel.

Tecnologias como suporte a 2 placas de vídeo, tanto via SLI como Crossfire, a nova conexão M.2 já com velocidade de 32Gs/s e sistema de áudio Purity Sound 2 estão entre os principais destaques, sem deixar de lado a rede Killer E2200, que promete melhor gerenciamento do tráfego de rede dando preferência aos games, melhorando assim o gameplay online. A ASRock ainda precisa melhorar sua suite de aplicativos, já que suas principais concorrentes estão mais adiantadas nesse quesito, algo que já destacamos na análise da ASRock X99 Extreme4. Destacamos ainda que apesar do modelo tres 4 slots de memória contra 8 de boa parte das placas-mãe X99, ela suporta quad channel.

Placa-mãe tem bom acabamento, principais tecnologias da plataforma e preço bom para uma placa X99, com o diferencial de ser em formato Micro-ATX, possibilitando assim montar um sistema de alto desempenho com tamanho mais compacto

Conclusão

 

Avaliação: ASRock Fatal1ty X99M Killer

Tecnologias
9.0
Acabamento
9.0
Overclock
9.0
Performance
9.0
Preço
9.0

PRÓS
Bom acabamento
Componentes de alta qualidade
Suporte a memórias DDR4
Suporte a 2 placas de vídeo
Áudio Purity 2
Conexão M.2 de 32 Gb/s
12 controladores de fases
Preço competitivo para uma placa X99
CONTRAS
Difícil de ser encontrada no Brasil
Kits de memória com perfil alto e cooler a ar de alto desempenho podem gerar incompatibilidade
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.