ANÁLISE: AMD FX-8370E

ANÁLISE: AMD FX-8370E

A quase um mês atrás, a AMD lançou três novos processadores da linha FX em cenário mundial: o FX 8370, FX 8320E e o que iremos analisar hoje, o FX 8370E. O modelo, produzido a partir de um refresh da microarquitetura Bulldozer, possui oito núcleos, porém trabalha com CPU base clock de 3.3 GHz, desempenho 24% menor que o FX 8370. No entanto, o CPU turbo clock dos dois ainda é igual, alcançando 4.3 GHz. A redução acontece para conferir um consumo de energia menor ao processador, cujo TDP é de 95W.

O objetivo da AMD com o FX 8370E é competir com a concorrência através do equilíbrio entre economia e desempenho. O modelo de processador é ideal para gabinetes de pequeno porte e estações de trabalho compactas, onde o consumo de energia e aquecimento é um ponto importante de preocupação. Como ambos trabalham com oito núcleos, é recomendada para quem não sente que perderá muito com 700 MHz a menos no base clock.

Abaixo você pode conferir uma tabela onde os principais atributos da linha de processadores da AMD com a microarquitetura Piledriver lançadas este ano. Confira:

 

Por se tratar de uma alternativa econômica para o mesmo processador, as duas CPUs estão disponíveis fora do país por $199,99. Com a previsão de disponibilidade no Brasil dentro das próximas semanas, ainda não há preço disponível para o FX 8370E, embora estime-se que ele custará em torno de R$550.

Devido ao lançamento dos processadores ocorrerem ao mesmo tempo que as novas placas de vídeo, a AMD disponibilizou um informativo com sugestões de placa de vídeo, memória e placa-mãe.

Fotos
Abaixo algumas fotos do processador, que por lógica é bastante semelhante a outros modelos FX socket AM3+.

Sistema utilizado
Abaixo, detalhes sobre o sistema que utilizamos, além de informações dos drivers e aplicativos/games utilizados nos testes. Na foto abaixo temos o AMD FX-8370E instalado na mainboard ASRock Fatal1ty 990FX Killer, utilizada para os testes.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todos os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes mudando apenas a placa-mãe e processador. Segue a lista dos componentes utilizados nos sistemas:

- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 780 (referência)
- Memórias: 8 GB (2x4GB) Kingston HyperX Predator 2800MHz
- SSD: Corsair Neutron GXT 240GB Sata III
- HD: Seagate Barracuda 2TB SATA III 7200RPM
- Fonte de energia (PSU): XFX ProSeries 850W PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 8.1 64 Bits com Updates
- Intel INF 10.0.17
- GeForce 340.52 WHQL

Aplicativos/Games:
- CineBENCH R15
- x264 FHD Benchmark 1.0.1
- wPrime 2.10
- PCMark 8
 
- 3DMark - Fire Strike (DX11)
- Bioshock Infinite (DX11)
- Metro Last Light (DX11)
- Tomb Raider (DX11)
 
Metodologia dos Testes
Todos os sistemas rodaram com os mesmos componentes, com exceção da placa-mãe e processador logicamente. Em todos os casos, o sistema estava rodando com a placa de vídeo GeForce GTX 780 instalada, usando sempre a mesma versão dos drivers.
 
CPU-Z
Abaixo, tela do CPU-Z mostrando detalhes do processador em modo idle e com o modo turbo ativado.
 

Overclock
Por não ser um modelo da série "K" seu overclock é bastante limitado, sendo que é necessário fazer tudo via frequência, sem possibilidade de modificações via multiplicador, dessa forma não fizemos overclock já que não é um diferencial desse modelo.
 
Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo. Caso o processador esteja utilizando um cooler diferente do modelo que o acompanha, fica destacado no benchmark o modelo utilizado.
 
Primeiro vamos a temperatura dos processadores com o sistema em modo ocioso:
 
 
Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.
 
 
Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema.
 
IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso.
 
 
Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os consumos abaixo:
 
 
Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes, com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema.
 
CineBENCH R15
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o CineBench, que testa o processador convertendo uma imagem. 
 
 
x264 Full HD Benchmark
Em um teste de conversão de vídeo Full HD, temos os seguintes resultados:
 
 
wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:
 
 
PCMark 8
Através do aplicativo PCMark 8 temos uma bateria de testes diversos do sistema, sendo um dos melhores para ver o comportamento geral do computador.
 

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark.

BioShock Infinite
Em teste de games, começamos pelo "Bioshock Infinite", o mais recente da franquia, lançado em 2013.

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo do sistema, em especial da placa de vídeo, é o game "Metro: Last Light".

Tomb Raider
Para finalizar os testes em games com o sistema utilizando uma placa de vídeo dedicada, vamos ao teste de desempenho do "Tomb Raider".

Conclusão

Conclusão

Avaliação: ANÁLISE: AMD FX-8370E

Performance
8.0
Preço
8.5
Tecnologias
9.0
Inovação
7.0
O "novo" processador FX-8370E da AMD chega ao mercado trazendo como maior atrativo sobre as demais versões da linha FX seu TDP, consideravelmente abaixo dos demais. Para lançar o processador com esse TDP, 95W (ao contrário de 125W da versão normal), a empresa optou por reduzir seus clocks, especialmente o clock base, setado em 3.3GHz, já na versão do FX-8370 (sem "E"), o clock base é de 4.3GHz. O clock em modo turbo também caiu, mas em escala menor, de 4.4GHz para 4.3GHz.

Com essa redução do TDP foi possível diminuir bastante o consumo de energia, um dos focos das empresas em novos produtos, como a Intel está na frente nesse aspecto(O core i5 4570 possui TDP de 84W), A AMD tem tentado correr atrás sem lançar uma nova plataforma, coisa que deve acontecer apenas em 2015 ou mesmo 2016. O motivo para "insistir" no AM3+ está em tudo que envolve o lançamento de uma nova plataforma e na atual situação de mercado da empresa.

Na prática, apesar da redução de consumo de energia e temperaturas, o processador deixa a desejar quando colocamos em competiçaõ com o Core i5 4570, seu principal concorrente por ter exatamente o mesmo preço. O processador da Intel conseguiu manter o consumo de energia abaixo tanto em modo idle (sistema oscioso) quanto rodando aplicações pesadas, sendo o processador da AMD ficou na vantagem no aquecimento, mantendo temperaturas mais baixas tanto em modo oscioso quanto rodando benchmarks.

Vale destacar ainda que a plataforma LGA 1150 da Intel tem tecnologias mais recentes e consequentemente oferece um conjunto um pouco menor, dessa forma os U$199,99 do FX-8370E ficaram um pouco caros, deveria ter chegado custando no máximo U$175 para que tivesse maior chance nesse mercado bastante competitivo. A performance do FX é equivalente ou até levemente superior em alguns benchmarks, mas ao combinar com uma placa de vídeo de alto desempenho, como a GTX 780, é perceptível a performance menor em games, logo esta CPU deve ser uma opção apenas para quem pretende combiná-la com uma placa de vídeo do segmento de entrada ou intermediário.

No Brasil ele deve começar a ser comercializado nos próximos dias, devendo chegar custando na casa de R$ 600, já que o FX-8350 custa cerca de R$550. Em nossa opinião não deveria custar mais do que o 8350 pelo fator desempenho, um dos principais quesitos na hora da compra.

Processador chega com TDP mais baixo e consequentemente menor consumo de energia, mas seu custo de U$200 o coloca em uma briga complicada com modelos como o Core i5 4570 que possui mesmo valor

 

 

PRÓS
Baixas temperaturas
Consumo caiu consideravelmente quando em uso contínuo devido seu TDP de 95W
CONTRAS
Valor alto comparado a modelos concorrentes
Perde para o Core i5 4570 em diversos testes
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber