ANÁLISE: Asus GTX 760 Striker

ANÁLISE: Asus GTX 760 Striker

A Asus continua sua evolução em busca de produtos com projetos mais elaborados frente à concorrência, sempre visando melhorar visualmente e principalmente a parte técnica de seus produtos. A ROG Striker GTX 760 é outro exemplo clÁssico de produto da Asus seguindo esse conceito que a diferencia das demais fabricantes. Por ser lançado meses depois da chegada da placa referência (a primeira com esse GPU), a questão do timing é muito ruim; afinal, dependendo do tempo, a placa pode até mesmo brigar com uma nova geração. Mas se levarmos em conta tirar o mÁximo de proveito do GPU, ela é muito boa, jÁ que a empresa teve mais tempo e adquiriu mais experiência para saber até onde é possível levar o GPU em questão.

Sobre a Striker especificamente, temos uma placa com projeto bastante focado em overclock, com componentes da mais alta qualidade, mas acima de tudo, tecnologias para oferecer um produto que se comporte melhor em situações extremas que uma placa tradicional não tenha esse suporte. Agora, vale a pena lançar um produto tão bom assim com GPU GeForce GTX 760? Ela consegue superar a GTX 770 ou tem preço inferior? Sem contar que a nova geração chega no próximo mês. Enfim, veja do que a placa é capaz a seguir, em nossa anÁlise.

Em se tratando de valores, em cenÁrio internacional, a ROG Striker GTX 760 custa US$320, valor semelhante a alguns modelos com GPU GeForce GTX 770 e cerca de US$70 acima do valor cobrado pelos modelos mais baratos com GPU GTX 760. JÁ no Brasil, a placa chega custando cerca de R$1,2 mil, valor que a coloca novamente em briga com a GTX 770, que pode ser encontradas por um pouco menos. Na comparação com modelos tradicionais da GTX 760, a nova VGA da Asus pode custar mais de R$400 a mais. Além do projeto muito acima da média, outro motivo de seu preço elevado são seus 4GB de RAM, ao contrÁrio dos 2GB de RAM tradicionais.

Tecnologias
Abaixo listamos algumas das principais tecnologias da placa de acordo com a Asus, mas antes, uma imagem da placa semi aberta, mostrando seu projeto interno.

DirectCU II com heatpipes de 10mm
A placa possui tecnologia de resfriamento que coloca tubos de cobre de 10mm em contato direto com a GPU, dissipando o calor com extrema eficiência. Junto com as ventoinhas CoolTech, o DirectCU II faz com que a placa trabalhe até 37% mais refrigerada e 3 vezes mais silenciosa que o design de referência.

Tecnologia de ventoinhas CoolTech
CoolTech é uma ventoinha híbrida à prova de poeira que acelera a dissipação do calor para garantir estabilidade da placa. As hélices híbridas e o design do sistema oferecem fluxo de ar multidirecional. Cada detalhe foi pensado pela engenharia, incluindo a curvatura das hélices, para garantir refrigeração eficiente e silenciosa.

DIGI+ VRM com Super Alloy Power de 8 fases
A placa possui o módulo regulador de voltagem DIGI+ de 8 fases e componentes Super Alloy Power para aguentar altas demandas de trabalho e calor. O resultado é uma placa de vídeo estÁvel para extremo overclock. As tecnologias reduzem o ruído em até 30% e aumentam a durabilidade em 5 vezes.

Indicador ROG de LED
A Striker possui um indicador de LED da ROG que muda de acordo com o nível de trabalho da GPU. Vermelho: Trabalho pesado. Amarelo: Trabalho médio. Azul: trabalho leve.

Edição ROG do GPU Tweak
O GPU Tweak ajuda a modificar velocidades de clock, voltagem/tensão, performance da ventoinha e mais, tudo via uma interface bem intuitiva. A função GPU Tweak Streaming possibilita, ainda, compartilhar o conteúdo do monitor na internet em tempo real, permitindo, por exemplo, que outros usuÁrios vejam um live do game que o usuÁrio estÁ jogando.

Fotos e vídeo
Abaixo uma série de fotos da placa, que assim como em outros produtos com selo RoG, como a MARS 760, a RoG Striker GTX 760 de cara jÁ chama a atenção por ser uma placa de vídeo com projeto bastante acima da média quando comparada com modelos tradicionais, especialmente quando se trata da parte visual. Seu design é muito imponente, remetendo até mesmo a uma placa com GPU mais potente do que uma GTX 760. O sistema de cooler diferente da referência possui dois FANs e leva o projeto CoolTech e dissipadores com heatpipes de 10mm e selo DirectCU II. 

A Striker diferente do modelo referência requer um conector de 6 pinos e outro de 8 pinos quando o assunto é energia, importante para que pretende overclockar bastante a placa.

Também fizemos um vídeo apresentando a placa, confiram abaixo:

Abaixo temos a Striker ao lado de uma GeForce GTX 760 referência, deixando clara a diferença de projeto, tanto na parte de acabamento visual como na de tamanho, componentes e etc.

{break::Sistema utilizado, Temperatura, Consumo}Como de costume, utilizamos uma mÁquina top de linha baseada em uma mainboard ASUS Rampage IV Black Edition e processador Intel Core i7 4960X overclockado para 4.5GHz para os testes. Abaixo, algumas fotos da placa montada no sistema:

A seguir, o menor preço encontrado de cada um dos modelos utilizados nos comparativos (pesquisa feita no dia 12/08/2014 no site newegg.com e kabum.com.br), detalhes da mÁquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

- ASUS ROG Striker GTX 760 - U$ 320 / R$1250
- NVIDIA GeForce GTX 770 - US$330 / R$1100
- NVIDIA GeForce GTX 760 - US$260 / R$ 800

- XFX Radeon R9 280X BE - US320 / R$ 1400
- AMD Radeon R9 280X - US300 / R$ 1100
- AMD Radeon R9 270X - US200 / R$ 820

MÁquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i7 4960X @ 4.5GHz
- Memórias 32 GB (4x8GB) DDR3-2400MHz Kingston HyperX Beast
- SSD Kingston HyperX 3K 480GB
- HD 2TB Sata3 Seagate Barracuda
- Fonte Thermaltake Toughpower Grand 1200M
- Cooler Thermaltake WATER 3.0 Extreme

Sistema Operacional e Drivers

- Windows 8.1 Pro 64 Bits
- Intel INF 9.4.0.1027
- NVIDIA GeForce 340.52 WHQL
- AMD Catalyst 14.7 RC

Aplicativos/Games
- 3DMark (DX11) 
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Battlefield 4 (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Crysis 3 (DX11)
- GRID 2 (DX11)
- Metro: Last Light (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

GPU-Z
Abaixo, temos a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da ASUS RoG Striker GTX 760.


Overclock
Para o overclock da placa, usamos a ferramenta GPU Tweak criada pela própria Asus e indicada para o overclock em suas placas de vídeo. Como podem ver na imagem abaixo, subimos seu clock original em 100MHz, de 1085MHz para 1185MHz, jÁ o clock em modo turbo chegou a 1250MHz. Não fizemos nenhuma alteração na tensão, mantendo a voltagem original.

É importante destacar que essa placa jÁ é overclockada de fÁbrica. O modelo referência tem clock de 980MHz, ou seja, 105MHz abaixo, dessa forma podemos dizer que o modelo quando overclockado ficou trabalhando 205MHz acima de seu clock referência.

Outro detalhe é que a placa possui um projeto pensado em alcançar clocks bem acima de modelos tradicionais, dessa forma pode ir bem além do overclock que fizemos.

Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Os testes foram feitos todos em cima da mÁquina utilizada na anÁlise, o que dÁ a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da mÁquina e não apenas da VGA. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

 

No teste de carga, rodamos o 3DMark. O aplicativo exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS.: No teste em modo ocioso consideramos 5w como margem de erro. JÁ no teste rodando o aplicativo 3DMark 11, consideramos 15w como margem de erro, devido à grande variação que acontece testando uma mesma placa.

{break::Testes sintéticos}3DMark (2013)
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark, com o teste mais exigente da nova ferramenta, o Fire Strike. Abaixo os resultados:

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, o HEAVEN 4.0 é um dos testes sintéticos mais "descolados" do momento, pois tem como objetivo mensurar a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API grÁfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

O primeiro teste, com o Tessellation desativado:

E o segundo com o Tessellation ativado em modo EXTREME:

{break::Testes em games}Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de grÁficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da produtora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica (inclusive aqui no Adrenaline) desenvolvido pela 2K Games.

Crysis 3
Sendo o game "Crysis 3" um dos mais incríveis jÁ desenvolvidos quando o assunto é grÁfico, não poderíamos deixar ele de fora de nossos testes em anÁlises de placas de vídeo.

GRID 2
O game "GRID 2" jÁ não é o mais recente da série, mas utiliza a mesma engine de "GRID Autosport", sendo uma boa referência de desempenho em games de corrida.

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o mÁximo das placas de vídeo é o game "Metro: Last Light" que, junto com "Crysis 3", é referência de qualidade grÁfica em games para PC.

Tomb Raider
O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamics com sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine.

PhysX: Metro Last Light
Para testes de PhysX, utilizamos "Metro Last Light", um dos mais recentes e com destaque para uso desse tecnologia.

{break::Conclusão}Quem não quer uma placa de vídeo como a ASUS ROG Striker GTX 760? Acho que todo gamer de PC quer uma placa como esta; afinal, tem acabamento primoroso, é muito acima da média, traz tecnologias de ponta (desenvolvidas para oferecer ao usuÁrio um produto que vai se comportar melhor que os concorrentes no overclock) e, ainda por cima, é baseada em um GPU intermediÁrio. Então, não vai ser tão cara como modelos que utilizam GPU topo de linha. Ops, calma lÁ...

Por se tratar de uma placa tão diferenciada, seu preço fica bem acima de modelos tradicionais que usam o gpu GeForce GTX 760. No Brasil ela foi lançada com preço sugerido de R$1250, mas deve ficar entre R$1.000 e R$1.100, preço cobrado por modelos de placas com gpu GeForce GTX 770, que na prÁtica, são entre 15% e 20% mais rÁpidas, isso em se tratando de modelos tradicionais sem overclock de fÁbrica. A GTX 760 Striker jÁ é um modelo overclockado, mesmo podendo ir além, dificilmente vai alcançar uma GTX 770, e mesmo esse modelo sendo uma versão com características especiais para overclock, manter ela regularmente em clocks elevados não é indicado, diga-se de passagem, não para ela, muito menos para modelos "normais".

No grÁfico abaixo, temos a relação de custo x desempenho de cada um dos modelos utilizados. Como vemos a vida da GTX 760 Striker é complicada nesse sentido, jÁ que não traduz em desempenho todo o diferencial de seu projeto.

Vale destacar que a 280X utilizada é um modelo que custa cerca de R$300 a mais do que outros modelos, alguns deles com características semelhantes e que melhorariam consideravelmente a posição da placa na tabela, aumentando no mínimo 5 pontos em sua nota final.

Modo do resultado:  FPS somados dos games: BF4, BioShock, Crysis3, GRID2, MLL e Tomb Raider * 100 / Valor da placa em reais.

Outro detalhe é que seus 4GB de RAM ao contrÁrio dos 2GB tradicionais de placas com esse gpu na prÁtica não traz ganho de desempenho na grande maioria das situações, mas acaba que elevando ainda mais seu preço. 

A Asus sempre se destacou por esse tipo de projeto, em muitos casos ficando claro que a ideia não é fazer um produto que se torne sucesso de vendas, mas sim avançar nas tecnologias necessÁrias para criar produtos diferenciados da concorrência, típica empresa que busca criar tendências e virar referência em qualidade no que desenvolve, a ROG Striker GTX 760 é mais um exemplo clÁssico desse tipo de produto, assim como a MARS 760 que analisamos a algumas semanas atrÁs.

Bonita e imponente, a ASUS ROG Striker GTX 760 é provavelmente a melhor GTX 760 que existe, mas continua sendo uma GTX 760 e seu alto preço a coloca em briga com modelos tradicionais de GTX 770, que em média são 20% mais rÁpidas.

Outro grande problema da GTX 760 Striker é que temos uma nova geração da Nvidia saindo do forno, ao que tudo indica jÁ em setembro podemos ter o lançamento da GTX 880 e até mesmo da 870, investir em uma placa de vídeo agora, especialmente os modelos mais caros, pode ser um investimento ainda pior do que o normal, afinal, em uma situação normal o que se paga hoje é metade do que se paga daqui a meio ano, nesse caso podendo ser em perídio ainda menor.

PRÓS
Imponente e com ótimo acabamento;
Bastante silenciosa;
Sistema de cooler muito eficiente;
Ótimo potencial para overclock, provavelmente a melhor GTX 760 do mercado;
Possui 4GB de RAM;
Suporte ao que existe de melhor em tecnologias.
CONTRAS
Preço alto gerando competição com a GTX 770;
Não consegue alcançar uma GTX 770, fica cerca de 15% atrÁs;
Perdeu o timing de lançamento, vindo muito depois dos primeiros modelos com GTX 760, lançadas em julho de 2013.
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.