ANÁLISE: Nokia Lumia 520

ANÁLISE: Nokia Lumia 520

O Nokia Lumia 520 é o smartphone de entrada da série Lumia e considerado por muitos o aparelho com a melhor relação custo/benefício. O modelo roda Windows Phone 8, a versão mais recente do sistema da Microsoft, e vai receber atualização para o 8.1. Ele possui cinco cores: amarelo, azul, vermelho, preto e branco. No Brasil, o mais comum é encontrar o aparelho nas cores preto e branco.


A tela IPS multitouch do smartphone é de 4 polegadas com resolução de 480 x 800 pixels. A câmera possui 5 megapixels e produz fotos e vídeos de qualidade em locais com boa luminosidade. O Lumia 520 não possui câmera frontal, flash, nem NFC. No Brasil, o aparelho custa cerca de R$549,00. Abaixo, você confere nossas impressões sobre o aparelho que é uma das opções da Nokia para popularizar o sistema Windows Phone.


Especificações

Por ser um smartphone de entrada, logicamente não podemos esperar que o Nokia Lumia 520 possua  os recursos mais avançados. Mesmo assim o aparelho não deixa a desejar em desempenho, tanto para navegação quanto para jogos e a utilização de aplicativos. A usabilidade é questionada por outros pontos que serão tratados adiante. Vamos, agora, às especificações.

  • Tela LCD IPS multitouch capacitiva de 4”, resolução de 480 x 800
  • Processador Qualcomm dual-core de 1GHz
  • GPU Adreno 305
  • 512MB de memória RAM
  • 8GB de armazenamento. Até 64GB com cartão MicroSD
  • Câmera traseira, sem flash, de 5 megapixels
  • Dimensões: 119.9 x 64 x 9.9 mm
  • Peso: 124 gramas
  • Bateria: Li-ion 1430 mAh

Comparativo


Lumia 520
Motorola D1
Galaxy Ace 2
Processador
Dual-core 1GHz
Single-core 1GHz
Dual-core 800MHz
Armazenamento
8GB (interna) + 64GB (microSD) 4GB (interna) + 32GB (MicroSD) 4GB (interna) + 32GB (MicroSD)
Memória RAM
512MB
1GB 768MB
Sistema operacional
Windows Phone 8 (update para Amber)
Android 4.1
Android 2.3 (upgrade para 4.1.2)
Câmeras
Traseira 5MP
Traseira 5MP Traseira 5MP / Frontal VGA
Tela
IPS LCD 4" (480 x 800)
TFT 3.5' (320 x 480) PLS TFT 3.8' (480 x 800)
Dimensões
119.9 x 64 x 9.9 mm 110 x 59 x 11 mm 118.3 x 62.2 x 10.5 mm
Peso
124g 110g 122g
Bateria
Li-Ion 1430 mAh Li-Ion 1785 mAh Li-Po 1500 mAh
LTE

HDMI

NFC
Preço (19/08/13) R$ 549,00 R$ 400,00
R$ 469,00


Design e Tela

A princípio, podemos dizer que o Nokia Lumia 520 é um smartphone de entrada com aspecto de top de linha. Exceto pelo tamanho e características da tela. As laterais e a parte traseira são formadas por uma única peça, a capinha, que pode ser trocada. O modelo que analisamos veio com a capa preta. Depois de muito procurar, encontrei a amarela, oficial, em uma loja online do Reino Unido. As cores chamativas são as responsáveis por deixar o aparelho mais bonito e a Nokia peca por não disponibilizar (ou disponibilizar pouco) todas as cores por aqui.

Ao contrário dos outros aparelhos da série Lumia, o 520 é um pouco mais quadrado em seu formato. Os botões de volume, desbloqueio de tela e câmera, no entanto, estão posicionados no mesmo lugar dos demais smartphones, na lateral direita. Na parte superior está a entrada para fone de ouvido, na inferior a porta microUSB e na traseira, no canto inferior direito, a caixa de som.

Com densidade de pixels de 233 ppi, a resolução da tela de 4 polegadas não deixa a desejar na qualidade das imagens que exibe. Para o tamanho da tela, a qualidade é boa, já que resoluções exageradas não fazem muita diferença em displays pequenos. Claro que o resultado não é similar ao dos smartphones top de linha. A tela, em si, tem qualidade inferior. Se compararmos com o 920, por exemplo, vemos que as cores não são tão vivas e a distorção delas é maior conforme o ângulo que olhamos. Tudo isso é aceitável ao lembrarmos que o 520 é um modelo de entrada e de baixo custo.

Além disso, a tela responde muito bem ao toque e permite, inclusive, o uso de luvas para controlar o smartphone.

Desempenho e funcionalidades

O sistema Windows Phone roda bem com o processador de 1GHz. O aparelho que analisamos já está com três meses de uso intenso e, até agora, a resposta não se mostrou lenta, mesmo com a instalação de bastante aplicativos e jogos. Porém, claro que alguns bugs e travamentos apareceram. Essas falhas não são constantes, mas acontecem. Nesses três meses, o aparelho reiniciou sozinho umas 3 vezes após travar. É um pouco incomodo, já que a inicialização do sistema não é a mais rápida.

Os aplicativos para Windows Phone são o calcanhar de Aquiles do sistema. Alguns são muito mal feitos e é uma vergonha colocá-los ao lado da mesma versão para iOS ou Android. Sem falar nas notificações imprecisas. O do Facebook, por exemplo, mesmo depois de atualizado para uma versão mais similar à utilizada em outras plataformas, notifica o usuário com atraso (inclusive, semanas de atraso), repetidas vezes. Não dá pra confiar. A impressão que temos é que os apps foram desenvolvidos rapidamente, apenas para não ficarem de fora do sistema.

Já que o 520 é um aparelho de entrada, alguns apps não podem ser instalados no aparelho por sua baixa configuração ou pela falta de recursos. Cito dois exemplos. A Nokia possui o Here City Lens, que inclusive já foi App em Destaque aqui no Adrenaline. É um serviço muito legal e que eu estava louco pra usar. Porém, o 520 não possui bússola, requisito exigido para que o aplicativo funcione.

Outro exemplo: recentemente foi lançado aquele cliente oficial do Instagram pra WP, o Hipstamatic Oggl. Ele não funciona porque exige, ao menos, 1GB de RAM e o 520 tem apenas 512MB. Esse eu não fazia questão, mesmo.

A carga da bateria dura um dia com uso moderado, entre músicas e acesso à internet e jogos. Utilizando pouco e desligando à noite, talvez dure dois.

Câmera e Multimídia

A Nokia sempre investiu na câmera dos seus aparelhos e com os modelos Lumia não foi diferente. O 520 possui apenas uma câmera traseira de 5 megapixels, sem flash. As imagens em baixa luminosidade não ficam muito boas. Porém, em um dia ensolarado ou em ambiente com bastante luz, a qualidade não é nada ruim. À noite, ele se esforça pra compensar, instantaneamente após o clique, a deficiência de luz. Com os vídeos, o resultado é um pouco diferente. As filmagens ficam com baixa resolução e um pouco trêmulas. Abaixo, o comparativo entre uma foto tirada pelo 520 e outra pelo 920 em um dia nublado, dentro da redação.

Mais fotos tiradas com o aparelho. Nenhuma delas passou por qualquer edição.




Conclusão

O Nokia Lumia 520 é um ótimo aparelho para usuários que não são muito exigentes. O smartphone é bonito e pode ser muito discreto ou bem chamativo com a alternância da capa que envolve o aparelho. O hardware é suficiente para rodar com tranquilidade o Windows Phone 8, aplicativos e jogos, a resposta ao toque é precisa e suave e a câmera quebra muito bem o galho. Claro que por ser um smartphone de entrada, apresenta limitações e as especificações não são de ponta. Apesar de algumas falhas e da falta de aplicativos para o sistema, ele pode ser considerado sim, um dos melhores smartphones da atualidade na relação custo/benefício.


PRÓS
Muito bonito
Permite a troca da capa traseira
Tela IPS
Câmera de qualidade
Preço
CONTRAS
Limitações do Windows Phone e de hardware para certas tarefas
Não tem câmera frontal
Pouca memória RAM
Assuntos
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.