ANÁLISE: XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked

ANÁLISE: XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked

Em fevereiro do ano passado, a AMD apresentava para o mercado, as suas primeiras VGAs para o segmento intermediÁrio baseadas na então nova geração de GPUs Cape Verde (Radeon série 7700).

Passado mais de um ano, era de se esperar que a AMD renovasse a sua linha de placas 3D, com a chegada das primeiras Radeons da série 8000. Contudo, motivos alheios ao conhecimento do mercado resultou na postergação da nova geração. Os mais otimistas especulam em algo como o final do ano, enquanto que hÁ quem aposte que as novas Radeons só cheguem no próximo ano.

Para aumentar ainda mais o nível de mistério, a AMD lançou no final de março a Radeon HD 7790, placa que poderia até passar "batida", não fosse o "segredo" que carrega em seu "cérebro": a GPU Bonaire.


(Modelo de referência da Radeon HD 7790)

Para quem não sabe, trata-se do chip grÁfico baseado na futura geração de GPUs da AMD (geração Radeon HD 8000). Em outras palavras, a Advanced Micro Devices utilizou uma estratégia até então inédita no mercado: o batismo de uma VGA de nova geração com o nome da geração passada. Surpreendente não? Ainda mais quando as empresas utilizam da tÁtica inversa, ou seja, utilizar uma GPU da geração passada em uma placa 3D com o nome comercial da nova geração.

De acordo com o entendimento do mercado, a utilização de tal tÁtica foi a saída encontrada pela AMD para brigar com a GeForce GTX 650 Ti Boost, visto que a companhia não possuía uma opção em seu atual portfólio capaz de concorrer com a VGA da NVIDIA.

Apesar do "status", o Bonaire não passa de uma evolução do Cape Verde. O mesmo vale para as demais placas da geração HD 8000 em relação às atuais Radeons.

A placa analisada pela Adrenaline é a XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked, placa com projeto diferenciado equipada com o robusto sistema de refrigeração Double Dissipation baseado na tecnologia Ghost Thermal Technology e componentes com padrão superior de qualidade, além de possuir clocks turbinados em 1075MHz na GPU e 6.4Ghz nas memórias, contra 1000Mhz e 6Ghz do modelo de referência, que também possui 1GB ao contrario do modelo da XFX com 2GB. Fechando a lista de atrativos, a XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked custa os mesmos US$ 149 do modelo padrão da AMD. Iniciativa extremamente interessante, tornado a placa ainda mais competitiva frente a demais concorrentes.

{break::O que muda com o Bonaire?}Apesar de ser um chip da futura geração Sea Islands (Radeon série 8000), o Bonaire (assim com as demais GPUs) herda basicamente quase toda a micro arquitetura GCN (Graphic Core Next) presente na série HD 7000. Em outras palavras, a relação de 64 Stream Processors (formado por 4 conjuntos de unidades SIMD de 16 wide, com 64KB de registradores por unidade SIMD) por cada Compute Unit (Unidade Computacional) permanece inalterada. Não hÁ mudanças perceptíveis de eficiência dos Stream Processors/Compute Unit ou ROPs, por exemplo. 

As mudanças mais marcantes são a adição de novas instruções – úteis para o recurso HSA nas APUs; suporte de um número maior de filas de trabalhos computacionais; além da nova versão da tecnologia de overclock da AMD, conhecida como PowerTune.


(Estrutura interna do chip Bonaire)

O chip grÁfico Bonaire situa-se praticamente no "meio do caminho" entre as 10 Unidades Computacionais da Cape Verde (Radeons HD 7750/7770 e 20 Unidades Computacionais da Pitcairn (Radeons HD 7870/7850), com 14 Compute Units. Com isto, a Radeon HD 7790 possui 896 Stream Processors, além de 56 unidades de texturas, oferecendo assim 40% mais desempenho em termos de sombreamento (shading), texturização (texturing) e poder computacional, e de 100% em vazão de geometria em relação à Radeon HD 7770.

Outra grata evolução em relação ao Cape Verde foi a duplicação dos motores de geometria (geometry engines) e dos processadores de comando (ACEs), de 1 para 2 cada, dando a Bonaire, a capacidade de processar até duas unidades bÁsicas por clock, igualando-se (ao menos neste quesito) aos chips mais poderosos Pitcairn e Tahiti. Em compensação, a quantidade de unidades rasterizadoras e a interface de memória continuam as mesmas da Radeon HD 7770, respectivamente com 16 ROPs e 128 bits.


(Comparação nas Áreas dos chips da linha Radeon HD 7000)

Em se tratando de velocidades (clocks), a GPU da 7790 trabalha no mesmo patamar da 7770 Ghz Edition, ou seja, em 1Ghz. Entretanto, a memória passou de 4.5Ghz para 6.0Ghz, resultando no aumento de 33% na largura de banda de memória (de 72 GB/s para 96 GB/s).

Outro fato a destacar é a dissipação térmica mÁxima (TDP) da Radeon 7790 em 85W. Valor excepcional se comparado com os 80W da Radeon 7770 Ghz Edition, ainda mais se for levado em conta o fato que o chip Bonaire contar com 2,08 bilhões de transistores (distribuídos em um Área de die de 160mm2), contra 1,5 bilhão do Cape Verde (die com 123mm2), além do aumento no clock das memórias, e demais melhorias internas.

OBS.: O modelo da Radeon 7790 analisado da XFX possui 2GB de RAM, ao contrÁrio da referência que possui "apenas" 1GB. 

(Estrutura interna do chip Bonaire)


AMD PowerTune com Boost "2.0"

A tecnologia AMD PowerTune (gerenciamento dinâmico de energia – recurso para turbinar de forma automÁtica os clocks da VGA) foi introduzida em dezembro 2010, com o advento das Radeons da série 6900. Em junho de 2012, com a chegada da Radeon HD 7970 GHz Edition, o recurso ganhou um aprimoramento (permitindo clocks mais elevados), passando a se chamar AMD PowerTune com Boost.

Com a Radeon HD 7790 (chip Bonaire), a AMD segue no aprimoramento da tecnologia, passando a disponibilizar uma espécie de segunda geração do PowerTune com Boost. O objetivo é fornecer clocks mais elevados de forma sustentada (com o maior tempo possível), de forma a melhorar ainda mais o desempenho e a eficiência de energia para a GPU.


No método anterior, o recurso utilizava 8 estados DPM de voltagem & clock distintos, garantindo que a GPU trabalhe com a tensão ideal para cada velocidade de clock que estÁ sendo solicitado. Vale ressaltar que a GPU faz a escolha entre os estados DPM em uma velocidade de apenas 10ms, garantindo assim a maximização de potência e desempenho.


Com o aprimoramento, o recurso passa a contar com a interligação dos estados  DPM com a tecnologia PowerTune, onde o estado DPM é determinado com base na atividade da GPU, nos limites atuais (TDC), e gerenciamento térmico (TDP). Além disso, ao optar entre os estados DPM com base nos parâmetros acima mencionados, uma freqüência de clock efetivo entre os dois estados adjacentes é calculado com base na porcentagem de tempo gasto em cada estado e visível aos usuÁrios finais.

{break::Tecnologias by XFX}Apesar de ser uma placa do segmento intermediÁrio de baixo custo, a XFX teve a mesma atenção dispensada a outros modelos diferenciados da linha Radeon 7000 no que diz respeito à seleção dos componentes da placa, desde o PCB até a FAN usada na refrigeração.

A XFX R7790 Black Edition Overclocked usa capacitores sólidos, circuito impresso construído com duas onças de cobre (cerca de 28,36 gramas) e Ferrite Core Chokes que usam 25% menos energia com menor ruído e filtragem de frequências mais altas que os Ferrite Chokes comuns.

O PCB especial proporciona temperaturas de 5% a 10% mais baixas na GPU, melhora a capacidade de overclocking entre 10% e 30%, com impedância duas vezes menor, e melhor eficiência energética. Falando em overclocking, até mesmo o BRACKET usado foi pensado nisso, com frestas mais largas para melhorar o fluxo de ar.

As GPUs que equipam a série Black Edition são escolhidas por um processo especial que, segundo a XFX, identifica as melhores GPUs (estimadas em 1%) que podem alcançar frequências de operação mais altas. As placas da série oferecem alta performance ao usar clocks mais altos que o modelos de referência, mantendo o consumo de energia similar devido ao uso dos componentes especiais que compõem a série.

O cooler usa o chamado Ghost Thermal Technology, uma nova solução de refrigeração da XFX que melhora o fluxo de ar entre o PCB e os componentes bÁsicos, eliminando o acúmulo de calor dentro da caixa de resfriamento encontrado em outras soluções e que é resolvido com o aumento da rotação da FAN. A nova tecnologia usa alumínio, que além de ser leve e melhorar a dissipação de calor, dÁ um visual mais bacana à placa comparado ao plÁstico usado normalmente.

A versão analisada, Double Dissipation, como indica o nome, conta com duas FANs (ventoinhas), o que garante excelente fluxo de ar com baixo nível de ruído, privilegiando o silêncio ao mesmo tempo em que mantém a placa inteira refrigerada. Segundo a XFX, essa solução gera fluxo de ar até três vezes maior, resultando em temperaturas até 7ºC mais baixas e com nível de ruído até 13dBa menor.

O cooler da XFX utiliza tecnologia HydroCell, baseada na tecnologia de Câmara de Vapor (Vapor Chamber Technology - VCT)

O VCT foi usado inicialmente na Radeon HD 5970 e o príncipio do HydroCell é o mesmo: o calor emanado pela GPU aquece o fluido dentro da zona de vaporização, fazendo-o evaporar. O vapor do fluido se move através do vÁcuo até que se choque com a zona de condensação. Nesse estÁgio, o vapor se condensa, voltando ao seu estÁgio inicial líquido (liberando o calor no processo). O fluido é então absorvido pela zona de transporte (por meio do processo de capilaridade), onde é então levado de volta para o ponto inicial do processo, a zona de vaporização, fechando o ciclo para então ser repetido.

A tecnologia VCT é utilizada também em outras soluções de resfriamento de placas da AMD como as HD 6900 e também da NVIDIA, a partir da GTX 580.

A XFX foi minuciosa na seleção dos componentes do cooler, até mesmo a FAN usada foi especialmente projetada para operação por até dez mil horas, graças à ventoinha Duratec IP-5X, que é à prova de poeira.

{break::Fotos}Assim como os demais modelos com chip da série Radeon HD 7000, a Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked tem um layout bastante diferenciado do modelo referência, muito mais imponente e bonito, diga-se de passagem.

Como destaque, a placa tem o projeto do cooler com duas ventoinhas, melhorando o sistema de dissipação de calor, mas também reduzindo o barulho gerado pelo sistema de resfriamento comparado ao modelo referência.


Desmontamos a parte superior do sistema de cooler que protege os fans para ter uma ideia do projeto do cooler desenvolvido pela XFX. Nas fotos abaixo, podemos ver que a empresa adicionou dois heatpipes ao sistema.

XFX 7850 vs 7790 vs 7770
Abaixo algumas fotos comparando as placas 7850, a 7790 analisada e a 7770, todos modelos da XFX com design semelhante e característico da série 7000.

{break::MÁquina/Softwares utilizados}Como de costume, utilizamos uma mÁquina TOP de linha baseada em uma mainboard ASUS rampage IV Extreme, processador Intel Core i7 3960X overclockado para 4.6GHz para os testes, abaixo algumas fotos da placa montada no sistema:

A seguir, o preço de cada placa utilizada nos comparativos(pesquisa feita no dia 14/04/2013 no site newegg.com), detalhes da mÁquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

  • XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked - U$ 159
  • AMD Radeon HD 7850 - US 189
  • HiS Radeon HD 7770 - U$ 110
  • NVIDIA GeForce GTX 650 Ti Boost 2GB - US 169
  • NVIDIA GeForce GTX 650 Ti Boost 1GB - US 159
  • NVIDIA GeForce GTX 650 Ti 1GB - US 139
  • NVIDIA GeForce GTX 660 - U$ 200

MÁquina utilizada nos testes:
- Mainboard ASUS Rampage IV Extreme
- Processador Intel Core i7 3960X @ 4.6GHz
- Memórias 32 GB DDR3-1866MHz Patriot Viper III Black
- HD 2TB Sata3 Western Digital Black
- Fonte Cooler Master Silent Pro Hybrid 1300w
- Cooler Master Hyper 212 EVO

Sistema Operacional e Drivers
- Windows 7 64 Bits 
- Intel INF 9.3.0.1020
- Catalyst 13.3: Placas AMD 
- GeForce 314.22: Placas NVIDIA

Configurações de Drivers
3DMark 
- Anisotropic filtering: OFF 
- Antialiasing - mode: OFF 
- Vertical sync: OFF 
- Demais opções em Default

Games: 
- Anisotropic filtering: Variado através do game testado 
- Antialiasing - mode: Variado através do game testado 
- Texture filtering: High-Quality 
- Vertical sync: OFF 
- Demais opções em Default 

Aplicativos/Games
- 3DMark 11 (DX11) 
- 3DMark (DX11) 
- Unigine HEAVEN Benchmark 4.0 (DX11)
- Unigine Valley Benchmark 1.0 (DX11)

- Aliens vs Predator (DX11)
- BioShock Infinite (DX11)
- Crysis 2 (DX11)
- F1 2012 (DX11)
- Hitman Absolution (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

{break::GPU-Z e Temperatura}Abaixo temos a tela principal do aplicativo GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked da XFX, com core trabalhando 75MHz acima da referência, além das memórias 600MHz também acima do modelo "base" da AMD.


Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

Neste primeiro teste, com o sistema em espera, a 7790 da XFX fica com temperatura igual a uma 7770 com características do modelo referência. Vale destacar que apesar da 7790 analisada ser overclockada de fÁbrica, possui um sistema de cooler com projeto diferenciado utilizando dois FANs.

Medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark 11 rodando em modo contínuo. Reparem abaixo que a 7790 da XFX tem temperatura consideravelmente acima da 7770, mais ficando com temperatura abaixo da 650 TI Boost, sua principal concorrente no mercado.

{break::Consumo de Energia}Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Os testes foram feitos todos em cima da mÁquina utilizada na review, o que dÁ a noção exata do que cada VGA consome.

Em modo ocioso (também conhecido como idle), a 7790 fica na última colocação, empatada tecnicamente com a 7850 e demais Radeons. Também concluímos que a NVIDIA se sai melhor quando o sistema estÁ em modo ocioso.

 

No teste de carga, rodando o 3DMark 11, a 650 Ti normal se sobre-sai das demais placas. Para quem não conhece, vale destacar que a 650 Ti Boost tem projeto baseado na 660, dessa forma consome bem mais que a 650 Ti normal, que no caso do modelo referência comparado, possui PCB e projeto bem mais simples do que a grande maioria dos demais modelos de 650 Ti de parceiros da NVIDIA.

Tirando a 650 Ti, as placas com chip Radeon conseguem menor consumo de energia do que as placas da NVIDIA, com a 7790 consumindo 5w a menos que a GTX 650 Ti Boost, valor que podemos considerar empate técnico pela margem de erro.

OBS.: No teste em modo ocioso consideramos 5w como margem de erro. JÁ no teste rodando o aplicativo 3DMark 11, consideramos 15w como margem de erro, devido à grande variação que acontece testando uma mesma placa.

{break::3DMark 11, 3DMark}

3DMark 11
Começamos os testes com o benchmarks da Futuremark utilizando a ferramenta 3DMark 11.

Neste benchmark, a Black Edition da HD 7790 conseguiu um ganho de quase 5% em relação ao modelo de referência, ficando aproximadamente 3% abaixo da HD 7850. Comparado às placas Nvidia, este modelo conseguiu vantagem de 8% comparado a GTX 650 Ti Boost e ficou 8% abaixo da GTX 660.

 

3DMark
Mudando para o software mais recente, rodamos três testes da nova ferramenta: o Ice Storm, Cloud Gate e Fire Strike. Nestes testes temos uma oscilação no comparativo com a GTX 650 Ti Bost, em momentos temos vantagens para uma, outros para outra, e um terceiro caso de um empate técnico. A placa ficou 10% abaixo da HD 7850, em média, e conseguiu um ganho discreto de 2% a 4% sobre o modelo HD 7790 referência.

{break::Unigine Heaven 4.0, Valley 1.0}

Unigine HEAVEN Benchmark 4.0
Agora em sua nova versão, trata-se de um dos testes sintéticos mais "descolados" do momento, pois tem como objetivo mensurar a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API grÁfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation em modo "extreme", ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

No primeiro teste, com o Tessellation desativado, a BE conseguiu um discreto ganho de 3% sobre a HD 7790 convencional, e impôs vantagem de 10% sobre a GTX 650 Ti Boost. Para a HD 7850, a lacuna é grande: a placa foi quase 25% inferior.

Usando o tessellation ativado em modo EXTREME, o ganho novamente foi discreto comparado a HD 7790 referência, sendo apenas 3% superior. A diferença para a GTX 650 Ti Boost subiu para 11%, enquanto que a lacuna entre esta placa e a HD 7850 sofreu uma leve redução, sendo que BE foi 20% inferior.

Unigine Valley Benchmark 1.0
Neste benchmark a vantagem da Black Edition sobre o modelo referência subiu para 5%, enquanto a diferença para para a GTX 650 Ti  Boost se manteve na casa dos 10%. A HD 7850 apresentou desempenho 24% superior, neste teste.

{break::Aliens vs Predator}

Começamos os testes em jogos com "Aliens vs Predator", game que traz o suporte ao DX11 e que foi muito bem recebido pelo público e crítica. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Aliens vs Predator Benchmark Tool".

Neste game a GTX 650 Ti Boost levou a melhor com uma boa margem, abrindo quase 25% no comparativo com a HD 7790 BE. Em comparação com a HD 7790 referência, este modelo da XFX apresentou um ganho médio de 5%.

{break::BioShock Infinite}


O game "BioShock Infinte" é um grande sucesso de crítica (inclusive aqui no Adrenaline) desenvolvido pela 2K Games. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool".

Novamente, a GTX 650 Ti Boost apresentou uma performance bastante expressiva, batendo o modelo desta anÁlise em 43%. A BE da XFX conseguiu um ganho de 5% sobre a HD 7790 tradicional, e ficou quase 28% abaixo da HD 7850.

{break::Crysis 2}

Para os testes com "Crysis 2", utilizamos a ferramenta Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool, que lançamos no ano passado e é utilizada por praticamente todos os websites internacionais para benchmarks com o game. "Crysis 2", como todos sabem, é referência em qualidade de imagem, e no mês de junho 2011 finalmente ganhou seu patch com suporte ao DirectX 11, jÁ que originalmente o título vinha apenas em DX9.

Neste games vemos uma redução da diferença para a GTX 650 Ti Boost, sendo que o modelo da XFX ficou 11% abaixo no comparativo com a placa da Nvidia. A placa ficou novamente na casa de 5% acima do modelo convencional com o chip HD 7790, enquanto a HD 7850 se manteve 20% acima da performance do modelo desta anÁlise.

{break::F1 2012}

"F1 2012" é o game mais recente de uma da série de simulador de Formula 1. O game traz o que existe de melhor em tecnologia da API DirectX 11. Os testes com o game foram feitos utilizando a ferramenta Adrenaline Racing Benchmark Tool.

Com temos visto ao longo dos testes, o modelo BE consegue um sutil ganho de 5% sobre o modelo referência, a mesma vantagem que a placa GTX 650 Ti Boost conseguiu sobre a placa desta anÁlise.

{break::Hitman Absolution}

Produzido pela dinamarquesa IO Interactive e distribuído pela Square Enix, "Hitman Absolution" marca o retorno definitivo da franquia de espionagem e do mortal Agent 47. Desenvolvido com as ferramentas da não tão conhecida engine Glacier 2, o game é capaz de renderizar cenÁrios gigantescos, com mais de 1200 personagens na tela (com comportamentos distintos) e detalhamento grÁfico bastante apurado. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool".

Novamente a placa da Nvidia, a GTX 650 Ti Boost, segurou uma vantagem de 5 a 6% em relação ao modelo da anÁlise, assim como a vantagem da BE para HD 7790 referência ficou, mais uma vez, em 5%. A HD 7850 foi em torno de 30% superior a XFX HD 7790 BE.

{break::Tomb Raider}


O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamics com sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool"..

Neste teste, temos uma aproximação da placa com a HD 7850, sendo que a diferença entre as duas foi na casa de 10%. A placa se saiu melhor que a GTX 650 Ti Boost, mas por uma margem estreita de apenas 3%. Seguindo o padrão observado ao longo de todos os testes, o modelo Black Edition manteve performance 5% acima da HD 7790 referência.

{break::Overclock: Temperatura, Consumo Energia}Apesar do modelo analisado jÁ ser overclockado, fizemos um novo overclock sobre a placa, aumentando o clock do chip para 1250MHz e as memórias para 7000MHz.

Especialmente no caso do core, o aumento foi muito bom considerando que o clock referência é de 1000MHz, ou seja, o aumento foi de 25% sobre o clock de um modelo referência. JÁ as memórias que no modelo referência trabalham a 6GHz, nessa placa da XFX estão setadas em 6.6GHz e aumentamos para 7.0GHz, clock também considerado muito bom para um overclock.

Utilizamos a ferramenta Afterburner da MSI, aumentando o Power Limit em 10% como podem ver abaixo. 

Temperatura
Com a mudança da frequência de operação, vemos um um leve aumento de 3ºC na temperatura da placa, enquanto ela executa do 3D Mark. Apesar desta mudança, ela continua operando 2ºC abaixo do aferido na GTX 650 Ti Boost.

Consumo de Energia
O overclock alterou também o consumo de energia, mas de forma sutil: foi apenas 2% maior que o medido na BE quando como clock padrão. Com a mudança, a placa passou consumir aproximadamente o mesmo que a GTX 650 Ti.

{break::Overclock: 3DMark 11, AvP, BioShock Infinite, Tomb Raider}3DMark 11
No primeiro teste com a placa overclockada vemos um ganho respeitÁvel de 13%, fazendo a placa "passar raspando" no modelo Black Edition da HD 7850. Com a mudança de frequência, a placa também passou a ficar acima da GTX 660, e abriu uma vantagem de 16% sobre a HD 7790 convencional.

Aliens vs Predator
Com um ganho de 11%, o overclock reduziu a diferença da HD 7790 BE para a GTX 650 Ti Boost, caindo para 13%. A diferença para o modelo referência subiu para 17%.

BioShock Infinite
Novamente verificamos um ganho de 11%, aumentando a diferença para 17% no comparativo com o modelo referência. Apesar do ganho, a placa ainda passa longe da GTX 650 Ti Boost, que apresentou performance 35% mesmo com a BE overclockada.

Tomb Raider
Neste game temos o melhor resultado do overclock, aumentando a performance da placa em 15% e fazendo com que ela superasse a GTX 650 Ti Boost e inclusive a HD 7850 e GTX 660. O ganho em relação ao modelo referência chegou a 21%.

{break::Conclusão}Embora tenha chegado tarde ao mercado (mais de um ano após o lançamento das primeiras Radeons HD 7700), a Radeon HD 7790 tapa a lacuna existente entre as HD 7770 e 7850, tendo ainda a missão de competir com a GeForce GTX 650 Ti Boost.

A XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked agrega ainda mais valor ao modelo padrão da AMD, ao utilizar o robusto sistema de refrigeração Double Dissipation com tecnologia Ghost Thermal que, junto com os componentes de alto padrão, permitem um expressivo patamar de overclock (25% em termos de GPU e 16.7% nas memórias), que em última instância, geram bons ganhos reais em FPS. Além disso, o preço sugerido de US$ 149 é o mesmo de uma Radeon HD 7790 "comum" em algumas lojas conferindo, assim, maior atratividade à placa da XFX, além do fato desse modelo ter 2GB de RAM ao contrÁrio de 1GB do modelo referência.

O chip grÁfico Bonaire antecipa o que o mercado pode esperar no futuro com as Radeons HD da série 8000. Provavelmente, tal GPU deverÁ equipar as Radeons HD 8770 e 8750 ou, quem sabe, de uma inédita 8670.

Conforme evidenciado em nossos testes, a Radeon HD 7790 promete o que cumpre, no sentido de ficar com um desempenho entre a 7770 e 7850. Entretanto, comparada a GTX 650 Ti Boost, a placa deixou a desejar, ficando atrÁs de sua rival em praticamente todos os testes de jogos, ainda que a solução da AMD seja cerca de US$ 10 mais barata que a da NVIDIA. Com clocks turbinados de fÁbrica, a XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked consegue oferecer um "plus" a mais no desempenho, ainda que insuficiente para brigar em "pé de igualdade" com a GeForce rival. Apenas com um overclock mais severo é que a placa consegue um patamar verdadeiramente interessante.

Sem trazer grandes novidades em termos de arquitetura, a Radeon HD 7790 trÁs como grande novidade, o aprimoramento da tecnologia de overclock automÁtico - chamado pela AMD de Power Tune com Boost, que promete clocks mais elevados e por um período maior de tempo.

Com um belo projeto,  equipada com componentes de alto padrão e robusto sistema de refrigeração Double Dissipation baseado na tecnologia Ghost Thermal, a XFX Radeon HD 7790 Black Edition Overclocked oferece as condições necessÁrias para que o usuÁrio tire o mÁximo proveito do novo chip grÁfico Bonaire (que estarÁ presente na linha Radeon HD 8000)

PRÓS
Projeto diferenciado, com robusto cooler, componentes de padrão superior;
Modelo com 2GB de RAM (a referência possui 1GB);
Overclockada de fÁbrica, com VRAM em ótimos 6.4Ghz;
Ótimo potencial de overclock, com bons ganhos reais de FPS.
CONTRA
Interface de memória de 128 bits não ajuda;
Ficou atrÁs da GTX 650 Ti Boost em quase todos os jogos analisados.
Assuntos
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado é responsável pelas análise de drones e alguns gadgets relacionados a fotos e vídeo, como Action Cams.