ANÁLISE: XFX Radeon HD 7750 Core Edition

ANÁLISE: XFX Radeon HD 7750 Core Edition

Hoje iremos analisar a Radeon HD 7750 Core Edition da XFX, mais uma da série de anÁlises com placas utilizando o chip Radeon HD 7750. Este é um exemplo dos raros modelos com formato que utiliza apenas um slot PCI, e pode ser encontrada por 114 dólares no cenÁrio internacional.

XFX Radeon HD 7750 Core Edition
Essa placa da XFX tem como diferencial seu formato, que utiliza o espaço de apenas um slot PCI ao contrÁrio dos demais modelos que ocupam 2 slots que é, diga-se de passagem, praticamente padrão de mercado hoje em dia, mesmo para esses modelos de baixo desempenho. Em se tratando de tecnologias, a placa tem as mesmas especificações de um modelo referência, com core trabalhando a 800MHz.


{break::Os recursos da Radeon 7750}

Confiram os principais recursos presentes na Radeon HD 7750:

• 1,5 bilhão de transistores;
• Litografia em 28nm;
• 512 Stream Processors;
• 16 ROPs;
• 32 TMUs;
• GPU: 800Mhz;
• VRAM: 4.5Ghz;
• 1 GB de memória GDDR5;
• Bus de 128 bits;
• Suporte às tecnologias: DirectX 11.1; Eyefinity 2.0; Accelerated Video Transcoding (AVT); AMD Accelerated Parallel Processing (APP) para DirectCompute 5.1, OpenGL 4.2 e OpenCL 1.2; programação Microsoft C++ AMP; CrossFireX; HD3D; Unified Video Decoder 3 (UVD3); Morphological Anti-Aliasing; CSAA; HDMI 1.4a; Dolby TrueHD e DTSHD Master Audio;
• ZeroCore Power Technology
• Suporte ao PCI Express Gen 3

Olhando os números acima, bem como a tabela comparativa no final desta seção, podemos perceber claramente que a AMD foi extremamente comedida com alguma das especificações do chip grÁfico Cape Verde (Radeons 7770/7750). Basta mencionar a quantidade de Stream Processors, um dos principais fatores responsÁveis pelo "poder de fogo" de suas placas. Enquanto a boa e velha Radeon HD 6750 (leia-se 5750) possui 720 SPs, estranhamente a Radeon HD 7750 involuiu neste aspecto, ao contar com "apenas" 512 Stream Processors.

É claro e evidente que uma comparação direta entre placas com arquiteturas diferentes não é algo muito justo, mas paciência, a própria AMD aumentou a quantidade de SPs da nova série 7900 em relação a 6900. Assim, não é de se estranhar o tímido ganho de desempenho registrado pela 7750 em alguns de nossos testes.

A limitada quantidade de Stream Processors da linha Cape Verde (512 SPs na 7750 e 640 SPs na 7770), somado com a grande distância na quantidade de SPs da série 7800 (1024 SPs na 7850 e 1280 SPs na 7870) é ponto mais do que suficiente para a especulação de uma possível ampliação nas linhas 7700/7800. Algo como uma Radeon 7790 com 768 Stream Processors, além de uma 7830 com 896 SPs.

Não bastasse o fato de a placa contar com um número reduzido de Stream Processors, a quantidade de unidades de texturizações também sofreu retrocesso, ao passar de 36 (6750/5750) para 32 TMUs. Dentro da atual conjuntura, a permanência da quantidade de unidades rasterizadoras em16 ROPs pode ser considerada como positiva.

Em relação aos clocks, hÁ duas situações distintas. Se por um lado, a freqüência de operação da GPU passou de 700Mhz (6750/5750) para 800Mhz (7750) – aumento de 14% – as memórias sofreram leve downgrade, ao passar de 4,6Ghz para 4,5Ghz.

A grande crítica em torno da linha 7700, é a timidez em torno das macro especificações. Nada justifica uma baixa quantidade de Stream Processors, TMUs e clocks, a não ser que a tese de que a AMD estaria guardando na "manga" uma ou mesmo até duas novas placas intermediÁrias, conforme mencionado algumas linhas acima.

Entretanto, as Radeons HD 7770 e 7750 possuem alguns pontos de  destaque. São eles: quantidade de transistores, Área do die, e claro, a litografia do chip. Enquanto a dupla 5750/6750 tem processo de fabricação em 40nm, a Radeon HD 7750 tem GPU utilizando a moderna litografia em 28nm. Para o lado dos consumidores, os principais benefícios são: VGA com ótima relação de desempenho por Watt gasto, além de possibilitar um ótimo potencial para overclock. JÁ para a AMD, o novo processo de fabricação permitiu a redução da Área do die do chip grÁfico, possibilitando a fabricação de mais GPUs por waffer, reduzindo assim o seu custo unitÁrio.

Falando em Área do die, o Cape Verde tem 123mm², número extraordinÁrio se for levado em conta a expressiva quantidade de transistores: 1,5 bilhão. Esses números representam um avanço respectivo de 44% e 35% na quantidade de transisores e na Área do die em relação às Radeons 5750/6750. Isto foi possível, claro, mediante a utilização da moderna litografia em 28nm.

Outro ponto importante diz respeito ao TDP (dissipação térmica) em 55W, consideravelmente menor que os 86W da dupla 5750/6750.

Conforme jÁ mencionado no tópico anterior, a nova geração Southern Islands conta com o suporte para o PCI Express 3.0, dobrando a largura de banda no trÁfego de dados para 32GB/s. AliÁs, a linha Radeon HD 7000 é inovadora em muitos sentidos. Além de ser a primeira VGA compatível com o PCIe Gen 3, é ainda a primeira a contar com litografia High-K em 28nm e suporte para o DirectX 11.1.

Em relação ao poder computacional, a arquitetura Graphics Core Next é mais previsível em termos de performance atualmente usÁvel, enquanto nas gerações anteriores baseadas nas arquiteturas VLIW-5 e VLIW-4, a performance atual depende muito de diversos fatores, como interdependência entre operações e distribuição das operações pelo compilador.

Tal fato resulta, em alguns casos, em baixos níveis de aproveitamento das ALUs (unidades lógicas de aritmética em tradução livre). Na nova arquitetura GCN, a GPU lida bem tanto com algoritmos seriais como mais paralelizados, garantindo performance muito mais consistente em computação pela GPU.

{break::XFX Radeon HD 7750 Core Edition}Apesar de ser uma placa do segmento mais modesto, este modelo teve a mesma atenção dispensada à XFX HD7970 Black Edition Double Dissipation especial, no que diz respeito à seleção dos componentes da placa - desde o PCB até a FAN usada na refrigeração, com a diferença de possuir apenas uma ventoinha e ocupar somente um slot PCI.

O cooler usa o chamado Ghost Thermal Technology, uma nova solução de refrigeração da XFX. Ela melhora o fluxo de ar entre o PCB e os componentes bÁsicos, eliminando o acúmulo de calor dentro da caixa de resfriamento encontrado em outras soluções e que é resolvido com o aumento da rotação da FAN. A nova tecnologia usa alumínio, que além de ser leve e melhorar a dissipação de calor, dÁ um visual mais bacana à placa comparado ao plÁstico usado normalmente.

A XFX foi minuciosa na seleção dos componentes do cooler. Até mesmo a FAN usada foi especialmente projetada para operação por até dez mil horas, graças à ventoinha Duratec IP-5X, que é à prova de poeira.

{break::Fotos}Abaixo uma série de fotos da Radeon HD 7750 Core Edition da XFX, placa cujo grande diferencial é ocupar apenas um slot. Ela possui muitas semelhanças com a referência, como velocidade do clock.

Abaixo algumas fotos comparando o modelo analisado com a 7750 da HiS e com o modelo HD 7750 Black Edition Double Dissipation da XFX. O principal destaque em relação ao outro modelo da XFX é o de ocupar apenas um slot.

{break::MÁquina/Softwares utilizados}Como de constume, utilizamos uma mÁquina TOP de linha baseada em um processador Intel Core i7 3960X overclockado para 4.6GHz.

Abaixo, fotos do sistema montado com a placa analisada.

A seguir, os detalhes da mÁquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

MÁquina utilizada nos testes:
- Mainboard MSI Big Bang XPower II / MSI X79A-GD65 8D
- Processador Intel Core i7 3960X @ 4.6GHz
- Memórias 16 GB DDR3-1600MHz Corsair Dominator-GT
- HD 1TB Sata2 Western Digital Black
- Fonte XFX ProSeries 1000W
- Cooler Master Hyper 212 EVO

Sistema Operacional e Drivers
- Windows 7 64 Bits 
- Intel INF 9.3.0.1019
- Catalyst 12.3 / 12.4 WHQL: Placas AMD 
- GeForce 296.10 WHQL: Placas Nvidia

Configurações de Drivers
3DMark 
- Anisotropic filtering: OFF 
- Antialiasing - mode: OFF 
- Vertical sync: OFF 
- Demais opções em Default

Games: 
- Anisotropic filtering: Variado através do game testado 
- Antialiasing - mode: Variado através do game testado 
- Texture filtering: High-Quality 
- Vertical sync: OFF 
- Demais opções em Default 

Aplicativos/Games
- 3DMark 11 1.0.3 (DX11) 
- Unigine HEAVEN Benchmark 3.0 (DX11)

- Aliens vs Predator (DX11) 
- Batman Arkham City (DX11)
- Crysis Warhead (DX10) 
- Crysis 2 (DX11)
- DiRT 3 (DX11) 
- HAWK 2 (DX11)
- Just Cause 2 (DX10.1) 
- Mafia II (DX9) 
- Metro 2033 (DX11) 

{break::GPU-Z e Temperatura}Abaixo a tela principal do GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da placa, que possui clock do core em 800MHz e memórias em 4.6GHz(4x 1150MHz), igual a uma placa referência.


Temperatura
Iniciamos nossa bateria de testes com um bench bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

As placas da ASUS, clockada a 820 MHz, e da HIS, clockada a 800 MHz, conseguem as menores temperaturas, ficando 3 graus abaixo das duas versões da XFX, uma a 800 MHz e a outra a 900 MHz.

Medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark 11 rodando em modo contínuo. E novamente as placas da ASUS e da HIS apresentam as menores temperaturas entre todas, com um ganho de 17 e 19 graus, respectivamente. Enquanto isso, a XFX Radeon HDF 7750 DD OC conseguiu um aumento baixo, de apenas 17 graus e ficou apenas um grau acima do modelo da HIS, mas a XFX Radeon HD 7750 CORE EDITION subiu 31 graus em relação ao seu modo ocioso, por conter apenas um fan em seu design single slot.

{break::Consumo de Energia}Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Os testes foram feitos todos em cima da mÁquina utilizada na review, o que dÁ a noção exata do que cada VGA consome.

Em modo ocioso, todas as placas apresentam baixo consumo, com apenas 2 Watts de diferença entre a da ASUS, o menor consumo obtido, e as da XFX, maiores consumidoras.

 

No teste de carga, rodando o 3DMark 11, todas repetem o bom desempenho obtido em modo ocioso e apresentam os menores consumos entre todas as placas testadas, novamente com uma diferença de apenas 2 Watts entre si. Assim, vale ressaltar que os modelos da ASUS e da HIS são encontradas por cerca de 110 dólares, enquanto as da XFX são mais caras, 119 dólares a CORE EDITION e 124 dólares a DD OC, que vem com clock a 900 MHz.

{break::3DMark 11, Heaven 3.0}

Com o 3DMark 11, versão mais recente do aplicativo para testes de desempenho de placas de vídeo mais famoso do mundo, os modelos da ASUS e da HIS e a CORE EDITION da XFX obtém um empate técnico, com cerca de 0,11% de diferença entre si. A única que se distancia do grupo é a DD OC da XFX, modelo overclockado que consegue uma performance quase 5% melhor que as outras, mas ainda 23% abaixo da 7770 da HIS.

 

Unigine HEAVEN 3.0 - DirectX 11

Trata-se de um dos testes sintéticos mais "descolados" do momento, pois tem como objetivo mensurar a capacidade das placas 3D em suportar os principais recursos da API grÁfica DirectX 11, como é o caso do Tessellation.

O teste foi dividido em duas partes: uma sem e outra com o uso do Tessellation, ambas a 1920x1080 com o filtro de antialiasing em 8x e anisotropic em 16X.

No primeiro teste, com o tessellation desativado, as placas novamente não se distanciam muito umas das outras, com a XFX Radeon HD 7750 DD OC mais uma vez liderando, seguida pela da ASUS, apenas 2% abaixo. AtrÁs vêm a da HIS e a XFX Radeon HD 7750 CORE EDITION, com desempenho cerca de 2% inferior.

Usando o tessellation ativado em modo normal, as placas repetem o desempenho obtido no teste anterior, com o modelo overclockado da XFX um pouco à frente das demais, mas sem ultrapassar os 5%.

{break::Aliens vs Predator}

Começamos os testes em jogos com o Aliens vs Predator, game que traz o suporte ao DX11 e que foi muito bem recebido pelo público e crítica.

As placas mantêm o mesmo comportamento entre si nas três resoluções, com a XFX Radeon HD 7750 DD OC um pouco melhor que as demais, mas nunca ultrapassando os 2%, e a XFX Radeon HD 7750 CORE EDITION e os modelos da ASUS e da HIS com empates técnicos. O que chama a atenção aqui foi que nenhuma conseguiu superar a HD 5750, equivalente às 7750 de duas gerações atrÁs, ficando cerca de 10% atrÁs.

{break::Batman Arkham City}

Lançado no final de 2011, a sequência Batman Arkham City é um dos games mais elogiados de 2011, mesmo com alguns problemas relativos à API DirectX 11 na versão para PC. Utilizamos a versão atualizada que corrige o problema.

Mais uma vez, a versão overclockada da XFX se distancia das demais, com desempenho cerca de 8% superior na média das três resoluções, enquanto as outras se mantêm empatadas. Aqui elas se recuperam da falha no teste anterior e voltam a superar a 5750, dessa vez por mais de 25%.

{break::Crysis Warhead}

O FPS futurístico da Crytek fez muito barulho por trazer uma qualidade grÁfica bem superior a dos concorrentes e por ser considerado por muito tempo como um dos games que mais exigia recursos do computador, principalmente das placas 3D. Assim, nada melhor do que submeter as VGAs da review pelo crivo de "Crysis Warhead".

Leve vantagem das duas versões overclockadas, a da XFX e a da ASUS, mas sem superar os 2% de superioridade. Aqui elas vêem a GTX 550 Ti, da equivalente da geração anterior da NVIDIA que vinha se mantendo abaixo ou empatando, superÁ-las por mais de 8%.

{break::Crysis 2}

Para os testes com o Crysis 2, utilizamos a ferramenta Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool, que lançamos no ano passado e é utilizada por praticamente todos os websites internacionais para benchmarks com o Crysis 2. O game, como todos sabem, é referência em qualidade de imagem, e no mês de junho 2011 finalmente ganhou seu patch com suporte ao DirectX 11, jÁ que originalmente o game vinha apenas em DX9.

Todos os modelos mantêm o comportamento apresentado anteriormente entre si, com diferenças que passam por pouco os 3% em alguns casos. Aqui elas voltam a superar a GTX 550 Ti, com a diferença entre a CORE EDITION (a com o menor desempenho) e a rival da NVIDIA chegando a 8% na resolução mais alta.

{break::DiRT 3}

DiRT 3 é o game mais recente de uma das séries de corrida off-road de maior sucesso da história da indústria dos jogos eletrônicos. Lançado em junho de 2011, o game traz o que existe de melhor em tecnologia da API DirectX 11. Os testes com o game foram feitos utilizando a ferramenta Adrenaline Racing Benchmark Tool.

Mantendo a relação entre si apresentada nos testes anteriores, as 7750 vêem a GTX 550 Ti as superarem por cerca de 25% na média das três resoluções em relação à sua melhor colocada a XFX Radeon HD 7750 DD OC. Elas também são superadas pelas HD 5750 nas resoluções mais altas por menos de 1%.

{break::HAWX 2}

Agora é a vez da NVIDIA. Em HAWX 2, simulador aéreo da Ubisoft, a empresa tem grande vantagem sobre os modelos da AMD.

Aqui o modelo overclockado da XFX consegue uma vantagem de mias de 7% sobre as demais na resolução mais baixa, mas a diferença cai conforme subimos a resolução. Elas também conseguem conseguem se recuperar em relação à 5750, com vantagem de mais de 20% (em relação ao modelo da HIS), mas continuam atrÁs da GTX 550 Ti, diminuindo a diferença para 13% (em relação à DD OC)

{break::Just Cause 2}

Para fazer o "contra peso", as placas da série Radeon dominam em todos os segmentos rodando o Just Cause 2, curiosamente apoiado pela NVIDIA.

Aqui, a placa da HIS conseguiu os piores resultados entre as 7750 nas três resoluções, mas nunca com resultados mais de 5,5% abaixo da overclockada da XFX. Todas conseguem superar novamente a 5750 e a GTX 550 Ti em mais de 10%.

{break::Mafia II}

Mafia II trouxe a continuação do aclamado game de ação em terceira pessoa ambientado no obscuro mundo da mÁfia italiana dos anos 40 e 50, nos EUA.

Os resultados obtidos por todas as 7750 são tão próximos que podemos considerar um empate técnico geral. Elas conseguem um ganho de cerca de 5% sobre a 5750, mas novamente deixam a GTX 550 Ti ganhar vantagem. A rival da NVIDIA as supera em mais de 8% em todas as resoluções.

{break::Metro 2033}

Trata-se de um FPS da 4A Games baseado em um romance homônimo russo, que conta a saga dos sobreviventes de uma guerra nuclear ocorrida em 2013 que se refugiam nas estações de metrô. O game, que faz uso intensivo da técnica de Tessellation e demais recursos do DirectX 11, desbancou de Crysis o título de jogo mais pesado. Sendo assim, nada melhor do que observar como se comportam as VGAs sob este intenso teste.

Aqui observamos que o aumento de clock presente na DD OC da XFX (900 MHz) e na da ASUS (820 MHz), ampliam seu desempenho quanto maior a resolução. Isso porque a vantagem das duas sobre as demais aumenta conforme subimos as resoluções. A da ASUS, por exemplo, começa empatada com as demais abaixo da GTX 550 Ti e depois apresenta superioridade de 3% em 1920x1080.

{break::Overclock: Temperatura, 3DMark 11}Esse modelo não foi desenvolvido com características que facilitem overclock, como principal motivo seu cooler, que não possui mesma eficiência de outros modelos por ser single slot.

Colocamos o core em 900MHz, aumento pouco acima de 10%. JÁs as memórias subimos de 4.5GHz para 5.0GHz. Não fizemos nenhuma alteração nas voltagens. 


Temperatura
As XFX apresentam pequenos crescimento térmicos em relação à seu clock base, subindo apenas dois graus. Enquanto isso, a ASUS cresce 8 graus, o que é suficiente para ultrapassar a DD OC em 3 graus, mesmo estando 100 MHz abaixo. No entanto, devemos lembrar que o modelo overclockado da XFX sofreu também um aumento de apenas 100 MHz, enquanto que a da ASUS foi de 820 MHz para 900 MHz.

3DMark 11
A XFX Radeon HD 7750 DD OC foi a que apresentou melhor crescimento, mais de 15% em relação ao seu clock base (jÁ overclockado se comparado ao referência). Logo em seguida vem o modelo da ASUS, com aumento de mais de 11%, suficiente para superar o desempenho da CORE EDITION overclockada, que subiu apenas 8,57% em relação a seu clock base.

{break::Overclock: AvP, Crysis 2 e Metro 2033}Além do 3DMark 11, fizemos testes com a placa overclockada na resolução de 1920x1080 em alguns games. Vamos acompanhar abaixo como a placa se comportou.

Aliens vs Predator
Novamente a DD OC da XFX consegue o maior crescimento, cerca de 25% em relação a seu clock base, ultrapassando assim a GTX 550 Ti. No entanto, o crescimento do modelo da ASUS e da CORE EDITION da XFX não ultrapassou os 4%, o que não foi o bastante nem para superar a 5750 em seu clock base.

Crysis 2
O modelo da ASUS e a CORE EDITION da XFX conseguem um empate técnico de 4,8% em seus crescimentos, ficando bem atrÁs da DD OC, também da XFX, que sobe 14%. Com o aumento, a placa consegue um empate técnico com a GTX 460.


Metro 2033
A versão overclockada da XFX consegue um aumento de 12,5%, suficiente para novamente empatar com a GTX 460. Outra que consegue um bom ganho também é a 7750 da ASUS, subindo 10,87% e se distanciando da CORE EDITION overclockada, que conseguiu um aumento de apenas 6,52% em relação ao seu clock base.

PRÓS
CONTRA
Assuntos
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Mundo Conectado é responsável pelas análise de drones e alguns gadgets relacionados a fotos e vídeo, como Action Cams.