ANÁLISE: Nokia Lumia 710

ANÁLISE: Nokia Lumia 710

A Nokia é conhecida por fabricar smartphones com um excelente hardware, mas, nos últimos tempos, vem sofrendo um declínio tão grande, que acabou deixando seu próprio sistema operacional, o Symbian, de lado. Em contrapartida, fez uma parceria com a Microsoft para adotar o Windows Phone em seus aparelhos, em uma esperança de reestruturação.

Assim, duas grandes marcas com tradição entre o público se unem para oferecer uma experiência móvel diferente de tudo o que jÁ foi visto antes. O Windows Phone surge com uma interface totalmente diferenciada, baseada no conceito de "ladrilhos" animados na homescreen, que podem ser personalizados do jeito que o usuÁrio quiser.


Para apresentar o resultado dessa parceria ao público, a Nokia lançou a linha Lumia, composta de quatro modelos, do mais simples ao mais sofisticado: 610, 710, 800 e 900. O Lumia 800, que jÁ analisamos aqui, se mostrou uma ótima opção, mas com um preço ainda salgado em relação ao que oferece. O Lumia 710, um intermediÁrio, vem com um preço bem mais acessível e especificações muito parecidas. Confira se o aparelho vale mesmo a pena.

{break::Especificações e conteúdo da embalagem}Especificações

Tamanho: 119 x 62,4 x 12,5 mm
Peso: 125,5g
Tipo de bateria: Li-ion 1300 mAh
Frequências GSM: 850 / 900 / 1800 / 1900 
GPRS: Sim
3G: Sim
HDSPA: Sim
LTE: Não
Processador: Scorpion single-core de 1.4GHz
Cores disponíveis: Preto, branco, azul, rosa e amarelo
Tamanho do display: 3.7 polegadas
Resolução: 480x800 pixels
Resolução da câmera traseira: 5 megapixels
Flash: Sim
Gravação de vídeo: Sim (720p @30fps)
Formatos de Áudio: MP3/WAV/eAAC+/WMA
Formatos de vídeo: MP4/H.264/H.263/WMV
RÁdio FM: Sim
Entrada de fone de ouvido: 3.5mm
Memória interna: 8GB
Memória RAM: 512MB
Expansão de memória: Não
Infravermelho: Não
Bluetooth: Sim
Wi-Fi: Sim
USB: Sim
HDMI: Não
DLNA: Não
GPS: Sim
Sistema operacional: Windows Phone 7.5 (Mango)

Conteúdo da embalagem
Fones de ouvido
Cabo USB
Carregador
Manual de usuÁrio

{break::Design e tela}O Lumia 710 é mais leve e compacto que o Lumia 800, que jÁ analisamos aqui no Adrenaline, apesar de ter o mesmo tamanho de tela: 3.7 polegadas. O design, porém, é mais moderninho, com cantos arredondados e uma curvatura muito agradÁvel para segurÁ-lo com uma mão só. Ele é um pouco mais espesso que o Lumia 800 (apenas 0,5mm), o que também o deixa curiosamente mais confortÁvel.

Assim como seu "irmão", o Lumia 700 também tem um acabamento impecÁvel, mas tem uma construção bem mais frÁgil. O smartphone não transmite a sensação de resistência do 810, mas também não deixa a desejar. A parte da frente é feita em plÁstico preto brilhante e a traseira agora é removível.


Como a traseira não é fixa, o slot para o chip MicroSIM fica no compartimento abaixo da bateria. É uma boa ter uma tampa removível para poder trocar a bateria, por exemplo. Mas a ideia de colocar o chip da operadora em um slot protegido na parte de cima do aparelho é muito mais prÁtica e poderia ter sido adotada no Lumia 710 também.

Ao abrir o compartimento, uma surpresa interessante: a tampa tem uma placa emborrachada, que protege a bateria de impactos. O processo de retirar a tampa também é muito fÁcil e não exige esforços. A estrutura do smartphone, apesar de mais sensível, não causa muita insegurança na hora de colocar a unha na pequena ranhura e levantar a tampa, algo que ocorria com o Galaxy S II.


Voltando à parte frontal, ela sofre de um probleminha inexistente no Lumia 800, todo fosco: a alta incidência de marcas dos dedos. O acabamento brilhante que a Nokia utilizou é lindo, mas fica imundo rapidinho, principalmente no modelo preto, que é o que nós recebemos aqui. Pelo menos, é bem fÁcil de limpar, mas compromete a beleza geral do aparelho.



Diferente do Lumia 800, o 710 tem três botões físicos com um pequeno relevo na parte inferior (e não capacitivos). Isso ajuda a tatear as funções e encontrÁ-las com facilidade, o que é uma decisão bem acertada.Outro ponto positivo é que o botão de liga/desliga fica no topo, um posicionamento melhor e mais intuitivo que o do Lumia 800, que tinha esse mesmo botão na lateral.


No Lumia 710, a lateral esquerda é "limpa", apenas com uma pequena ranhura para auxiliar na retirada da traseira. A lateral direita, por sua vez, tem os botões de volume e o de atalho para a câmera, sem nenhum detalhe cromado. São foscos e na mesma cor da carcaça, o que deixa o dispositivo bem uniforme e discreto mesmo nas versões em cores. No topo, fica apenas o plug para fones de ouvido de 3.5mm e a micro USB, infelizmente sem tampinha de proteção. Na parte inferior, um buraquinho sob medida para colocar os famosos chaveirinhos.


A tela do Lumia 710 é praticamente a mesma do Lumia 800, com 3.7polegadas e 480 x 800 pixels de resolução, o que dÁ uma densidade de 252 pixeis por polegada. No entanto, ela é feita de LCD ao invés de AMOLED. Mesmo ssim, apesar de ter dimensões menores, a "Área útil" é a mesma. A proteção fica por conta do Gorilla Glass.

A qualidade da imagem, assim como no Lumia 800, é excelente. A tecnologia Nokia ClearBlack proporciona pretos praticamente 100% escuros, mesmo quando a tela estÁ sob luz forte. Isso ajuda muito a visualização das informações na tela em qualquer condição de luminosidade e faz com que fotos e vídeos exibidos no display fiquem com cores vivas e com bom contraste.

Outro ponto que vale destacar é a fluidez dos comandos na touchscreen. O display responde imediatamente e a transição entre telas é super suave. A experiência se assemelha a dos iPhones e dos smartphones da linha Galaxy, jÁ que a tela tem uma "aderência" natural e não escorrega excessivamente e nem suja tanto quanto alguns Androids.

{break::Câmera e multimídia}Uma das diferenças do Lumia 710 em relação ao 800 é a câmera, com apenas 5 megapixels contra 8. A qualidade não empolgou muito. O foco nem sempre sai como deveria e as fotos, mesmo as internas com boas condições de luminosidade, apresentaram uma quantidade inconveniente de ruído. Fotos noturnas não ficam boas, e o flash não é suficiente para melhorar muito essa condição.

Para focar, é preciso tocar de leve o botão da câmera e, depois, "empurrÁ-lo até o fim. Acontece que, diferentemente do Lumia 800, o botão da câmera é levemente mal posicionado, um pouco mais à esquerda do que o natural. E o botão estÁ praticamente no mesmo nível da carcaça, ou seja, não é muito fÁcil tateÁ-lo. Ele ainda não é tão firme quanto o do Lumia 800 e não faz aquele "click" que normalmente sentimos ao efetivamente tirar uma foto. É muito fÁcil tirar uma fotografia por "acidente", sem tomar o cuidado de focar antes.

O Lumia 710 filma só até 720p, o que jÁ é suficiente para bons vídeos. Porém, a filmagem sofreu com o mesmo problema das fotos: a dificuldade em conseguir um foco. Na maior parte do tempo, a imagem ficou "borrada", embora rode fluída e sem ruídos.



Felizmente, assim como o 800, o Lumia 710 se sai muito bem na reprodução de vídeos, inclusive FullHD. A tela ClearBlack da Nokia faz com que você tenha praticamente uma imagem de cinema na palma das suas mãos. E os vídeos não apresentam travamentos nem engasgos, a experiência é excelente.

Infelizmente, porém, o smartphone também não tem saída HDMI, assim como o Lumia 800. Todo esse potencial multimídia poderia ser muito melhor aproveitado.

Os vídeos ficam na mesma interface das músicas, o Zune, que mostra uma lista completa dos seus Álbuns e pode visualizar a sua coleção de maneiras diferentes: por Álbum, gênero ou artista, por exemplo. O Zune, aliÁs, funciona como um iTunes para o Windows Phone, mas a sincronização é bem mais rÁpida e intuitiva, praticamente não requerendo ações do usuÁrio.


Se você guarda suas músicas, vídeos e imagens nas pastas padrão do Windows, que levam esses mesmos nomes, automaticamente o Zune reconhece tudo. Ou seja, não hÁ a necessidade de adicionar itens manualmente à biblioteca. E o smartphone vai ficar apenas com aqueles que você escolher e arrastar para a imagem do telefone em miniatura na interface do programa.

Esse aspecto pode ser muito positivo para quem não gosta de passar trabalho arrastando músicas e organizando tudo manualmente por pastas, mas, por outro lado, vai desagradar a quem não gosta do modelo "fechado" da Apple e prefere algo mais flexível como o Android. Não hÁ como usar o Lumia 710 como um disco removível e colocar as músicas nele através do Windows Explorer.

{break::Funcionalidades e desempenho}Com os Lumias, fica claro que o Windows Phone é um sistema que se adapta bem a hardwares menos poderosos. Tanto o Lumia 800 quanto o 710 têm 512MB de RAM e um processador single-core de 1.4GHz e, mesmo assim, a performance e a experiência de uso é superior à maioria dos Androids (que normalmente requerem hardware bem mais avançado para funcionar com perfeita fluidez).

O sistema tem os mesmos recursos que vimos na anÁlise do Lumia 800. O mais interessante é a capacidade do smartphone integrar todos os serviços que você utiliza, nativamente: Hotmail, Gmail, Google Agenda, Facebook e Twitter, por exemplo. Quem depende demais dos serviços do Google (quem não??) não vai ficar na mão. O Windows Phone sincroniza normalmente todos os e-mails, compromissos e perfis.


Assim, sua lista de contatos vai ficar com uma enxurrada de pessoas, todas as que estão cadastradas nas redes que você configurar no smartphone. A partir da lista de contatos, você visualiza todas as fotos disponíveis do usuÁrio nas redes sociais, as atualizações de status e interações e os aniversÁrios. Na própria interface dos contatos, você confere as novidades no Facebook e ainda pode comentar e curtir. Mesma coisa vale para o Twitter: todas as interações podem ser feitas nativamente.


E por falar em socialização, como não podia deixar de ser, o Lumia também tem integração com a Xbox Live. Você pode visualizar seu próprio avatar no smartphone (e até modificÁ-lo, se baixar um app gratuito à parte), adicionar e interagir com amigos da rede e até comparar suas conquistas com a de seus conhecidos. O ladrilho "Xbox Live" não serve apenas para isso. É ele que concentra toda a sua coleção de jogos, além de permitir partidas com outras pessoas. Basta escolher um jogo que permita o recurso e aguardar sua vez, que aparecerÁ em "solicitações".


Para quem depende muito do Windows e das aplicações Microsoft, aí mesmo que o Windows Phone se torna essencial. O sistema traz um pacote Office bÁsico que não permite a criação de documentos muito avançados, mas ao menos ajuda o usuÁrio a dar um pontapé inicial e, depois, ajeitar o que falta no software para desktops. Processo bem fÁcil, jÁ que tudo fica sincronizado pelo SkyDrive. Seria muito legal ter um app como esse em tablets, porque nos smartphones, a tela pequena dificulta bastante o serviço.


A navegação web é fluida e tranquila, mas, assim como no Lumia 800, a renderização das fontes normalmente obriga o usuÁrio a dar um zoom nas pÁginas para visualizar tudo com clareza. Pelo menos, o movimento de pinch-to-zoom é muito fluido e a resposta é rÁpida, de forma que o usuÁrio nunca vai s sentir frustrado.


Vale lembrar que, em uma primeira tentativa, provavelmente nenhum vídeo do Youtube funcionarÁ, o que pode causar estranheza. Mas aí, o próprio sistema solicita o download de um aplicativo gratuito à parte para tornar possível a execução do conteúdo. Não entendi o porquê disso. Assim como o iOS e o Android, o WP poderia muito bem jÁ vir com o app pré-instalado de fÁbrica.

{break::Conclusão}O Lumia 710 mostra que o Windows Phone é um sistema flexível e muito bem concebido, que se adapta bem aos modelos diferentes de aparelhos e proporciona uma experiência excelente e intuitiva. O smartphone traz as mesmas vantagens do Lumia 800 com basicamente o mesmo hardware, perdendo na câmera, na memória interna (e na impossibilidade de expandir com um cartão microSD) e na bateria, que dura bem menos.

Quem quer um bom smartphone, que vai rodar todos os jogos disponíveis no Windows Phone Marketplace, rodar vídeos em FullHD e oferecer uma boa experiência de navegação, pode ir no Lumia 710 sem medo. É bem mais vantajoso que o Lumia 800 jÁ que, com praticamente o mesmo hardware, hÁ uma diferença de preço que ultrapassa os R$500. E a experiência de uso praticamente não muda.


Claro, o Windows Phone ainda precisa amadurecer. Embora ofereça uma experiência de uso maravilhosa, ainda precisa de uma maior oferta de apps. Recentemente, a loja chegou aos 100 mil apps, mas nem todos estão disponíveis no mundo todo. Além disso, o futuro dos smartphones baseados na plataforma estÁ incerto. A Microsoft ainda não deixou claro o programa de atualizações e hÁ rumores de que Windows Phone 8 pode simplesmente não chegar aos smartphones que jÁ estão no mercado.

Mesmo assim, quem não se importa muito com esse aspecto e quer comprar um novo smartphone agora, sem pensar muito no amanhã, vai se satisfazer com o Lumia 710. Desde que não se importe com a câmera, que não faz um serviço tão bom quanto deveria, e nem com a bateria, que continua o calcanhar de Aquiles dos smartphones atuais.


PRÓS
Ótimo custo x benefício
Muito leve
PersonalizÁvel, com traseiras removíveis em vÁrias opções de cores
Experiência de uso excelente
Bom hardware
CONTRA
A câmera decepcionou um pouco
Construção mais frÁgil que a do Lumia 800
Exige sincronização com o Zune
Não tem saída HDMI
Assuntos
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.