ANÁLISE: Maxprint Vibration

ANÁLISE: Maxprint Vibration

Como jÁ devem ter visto, existem diversos tipos e tamanhos de caixa de som, mas todas usando da mesma arquitetura bÁsica. A aparência bÁsica é sempre esta com alto-falantes, que é justamente onde é gerado o som.

Para mudar um pouco esse conceito, a MaxPrint trouxe ao mercado brasileiro uma caixa de som, podemos dizer, inovadora. Trata-se da Vibration, que a principio pode parecer com qualquer coisa, menos uma caixa de som.

A caixa de som Vibration possui uma potência real de apenas 10 Watts, mas que parece ter bem mais ao ser colocada em funcionamento. O grande destaque, à primeira vista, é a sua aparência em forma de bola com uma parte na cor laranja feita para que se possa segurar com os dedos. A curiosidade é que ela foge de qualquer conceito jÁ visto de caixas de som, não possuindo alto-falantes à vista.

Mas aí você deve estar se perguntando: então como que ela produz som? Para responder essa pergunta, é preciso saber como funcionam os alto-falantes.

{break::Parte 2}O formato bÁsico de um alto-falante usa os seguintes componentes: uma bobina flutuante (espiral de Voz, na imagem abaixo), um ímã fixo e um cone (diafragma) que pode ser de papel. Quando a corrente elétrica passa pelos componentes, a bobina se transforma em um tipo de imã. Todo imã possui duas polaridades: uma norte e outra sul. Polaridades iguais não se juntam, pelo contrÁrio, se repelem. JÁ polaridades diferentes se atraem. Para gerar o som, a bobina se movimenta rapidamente para cima ou para baixo, dependendo da polaridade do sinal elétrico que flui através dela.

Esse movimento da bobina, que fica no meio do imã e é colada ao cone, gera fluxo de ar e assim cria-se o som. Ou seja, a vibração da bobina e do cone é que geram as ondas sonoras.



Obviamente que essa pequena explicação é bem bÁsica, para que todos possam entender o funcionamento da Vibration. Até porque o funcionamento de um alto-falante é um tanto complexo para se chegar ao movimento exato do cone e assim gerar os infinitos tipos de sons. Ou seja, a transformação da energia elétrica em mecânica.

{break::Parte 3}Bom, sabendo como é gerado o som, podemos dizer agora que na prÁtica a Vibration "transforma" qualquer superfície de vidro, madeira, metal, plÁstico, papel dentre outras, em um tipo de alto-falante. Isso porque ela possui um sensor com minúsculas molas na sua base, que vibra de acordo com a frequência sonora. Quando em contato com a superfície, ela transfere as ondas sonoras para a tal superfície, que pode ser uma mesa, armÁrio, bancada, até mesmo uma caixa de sapatos, fazendo com que o som seja propagado por toda essa Área. O mais bacana é que o som sai de qualquer ponto da superfície, criado um efeito 360 graus.


Fica difícil de explicar a sensação sonora ao usar a Vibration, por exemplo, em uma mesa. O som da Vibration sem estar em contato com qualquer superfície lembra um rÁdio de pilha bem baixinho, somente com som agudo. Ao colocÁ-la em cima da mesa, isso muda completamente e a sensação é de que o som estÁ em todo ambiente, inclusive parecendo com aparelhos que dispõem de subwoofer, por conta da melhora da reprodução dos tons mais graves.

É importante dizer que o fabricante não recomenda que ela seja ligada com volume alto e solta, ou seja, fora da superfície, porque pode queimar os circuitos do sensor devido a vibração muito forte que ela produz.

A qualidade realmente impressiona. Nos testes feitos, todas as pessoas que olhavam a Vibration, não acreditavam muito no que ela prometia, e confesso que nem eu. Quando é colocada em uso, a sensação de espanto é enorme.

É bom dizer que o som varia do tipo de superfície em que ela é colocada. Dentre as testadas, a melhor foi em uma mesa grande com vidro em cima, porque deixava o som mais cristalino. JÁ a pior, e isso é questão de gosto, é a superfície de papel, que deixa o som abafado, mais grave e com um pouco de eco.


Outro destaque da Vibration é o material usado. Ela é feita de um plÁstico bem rígido à prova de arranhões. Possui um acabamento impecÁvel, acima da média, e é relativamente pesada para o seu tamanho, com quase meio quilo. Mas esse peso todo é fundamental, justamente para ela se manter firme e não balançar quando tiver em uso.

{break::Parte 4}Especificações

  • Cor
    • cores branca e laranja
  • Potência de saída
    • 10 W RMS
  • Impedância
    • 4 ohm
  • Resposta de frequência
    • 150 Hz - 20 kHz
  • Conectores
    • Entrada: P2 (3,5 mm)
  • Alimentação
    • 110-220 V
  • Dimensões (L x A x P)
    • Caixas: 9 x 9 x 9 cm
    • Embalagem: 16 x 16 x 16 cm
  • Peso
    • Caixa: 400 g
    • Embalagem: 700 g
  • Componentes
    • Caixa de Som MaxPrint Vibration
    • Adaptador de energia
    • Cabo P2xP2
    • Guia do usuÁrio

Conclusão
Uma caixa de som inovadora e excelente é o mínimo que se pode dizer da Vibration. É curioso o espanto das pessoas ao vê-la em uso, principalmente a qualidade sonora que ela produz. É prÁtica e robusta, e uma ótima opção para quem usa gadgets como iPods, MP3 Players e até celulares.




PRÓS
- Material à prova de arranhões e sujeiras
- Qualidade sonora ótima, dependendo da superfície
- Ideal para Mp3 Player, Notebook, Netbook, Celular e iPods
- Dificil acreditar que tenha apenas 10 Watts. Parece ter mais.
CONTRA
- Apenas 10 Watts
- Preço um tanto salgado
- Faltou um alimentador via USB
Assuntos
  • Redator: João Paulo Losada

    João Paulo Losada

    Gamer por natureza, JP Losada, ou simplesmente DJLosada como é conhecido por toda a comunidade gamer, é um grande conhecedor de games em geral. Eventualmente analisa lançamentos e comenta sobre os sucessos e decepções relacionadas aos games que chegam ao mercado através do portal Adrenaline. Já escreveu para revistas de games, artigos para produtoras, além de ter citações em seu nome em caixas de jogos de PC lançados no Brasil. Possui parceria com algumas produtoras, principalmente de corrid