ANÁLISE: Asus Maximus IV Extreme

ANÁLISE: Asus Maximus IV Extreme

A Asus possui algumas séries especiais de produtos destinadas ao público entusiasta, aquele que procura algo a mais em qualidade, desempenho e tecnologias diferenciadas. Essas séries valem para placas-mãe, VGAs, gabinetes, etc, sendo que vÁrias delas levam o selo ROG (Republic of Gamers), desenvolvido especialmente para os hardgamers, overclockers e aficcionados de plantão.

Os produtos com o selo ROG são reconhecidos pela primazia do projeto e atenção aos mínimos detalhes. Sempre trazem diferenciais, desde o seu acabamento visual, passando pelo eficiente sistema de refrigeração e chegando à qualidade dos componentes utilizados e pelo uso de algumas tecnologias exclusivas.


É com satisfação que apresentamos hoje aos nossos leitores o review da Maximus IV Extreme (M4E), placa-mãe top da Asus pertencente à cobiçada linha Republic of Gamers, e que traz, dentre outros destaques, o fato de contar com o suporte à nova geração de processadores com chip grÁfico integrado (APU) da Intel, o Sandy Bridge.

A M4E é baseada no novo chipset P67 da Intel, voltado para o segmento de alto desempenho, contando com uma performace superior ao H67, este último sendo voltado para explorar a GPU integrada do Sandy Bridge.

{break::O chipset P67}Com o lançamento da geração Sandy Bridge, a Intel desenvolveu duas linhas de chipsets da série 6: A H e P, ambas compatíveis com a nova pinagem 1155. Enquanto que a H suporta a GPU on die dos novos processadores, a P é compatível estritamente com VGAs externas.

Junto com os novos Core ix LGA 1155, a Intel disponibilizou as versões P67 e H67, deixando a H61 para o segundo trimestre. Apesar da P67 não conseguir "explorar" o vídeo integrado, tal chipset é capaz de suportar 2 placas via PCIe x8. Além disso, com a P67, é possível destravar por completo os multiplicadores das memórias, enquanto que a H67 estÁ limitada ao padrão DDR3-1333.

Felizmente, a Asus Maximus IV Extreme é baseada no chipset P67, traduzindo assim em uma maior performance para o usuÁrio entusiasta. Para completar, a Asus equipou a M4E com o chip NVIDIA NF200, o que conferiu camadas extras ao barramento PCI Express, de tal forma a suportar o uso da tecnologia 3-Way SLI, ou seja, até 3 GeForces simultâneas. Vale ressaltar que por padrão, as placas mães P67 contam com 16 camadas de PCIe, permitindo assim as configurações 1x16 ou x8 + x8 para CrossFire ou SLI (mÁximo de 2 VGAs).

Por falar em camadas do PCI Express, a nova geração de chipsets da Intel turbinou a comunicação do barramento de 2,5GT/s para 5GT/s. Desta forma, um único slot PCIe x1 suporta agora uma largura de banda de 500MB/s por direção, ou 1GB/s de forma bidirecional. Esta mudança foi fundamental, entre outras coisas, para o uso de controladoras externas de USB 3.0.

Tanto as versões H67 quanto P67 suportam 2 portas do SATA de 6Gbps e 4 do tipo de 3Gbps. Embora nativamente a série 6 de chipsets da Intel não contem com o suporte do USB 3.0, a Asus Maximus IV Extreme conta com o chip da NEC, garantindo assim  a compatibilidade com o USB SuperSpeed.


Abaixo um resumo dos principais recursos presentes no chipset P67:

- Suporte para a segunda geração da família de processadores Intel Core
Suporta a segunda geração da família de processadores Intel Core com a tecnologia Intel Turbo Boost 2.0, processador Intel Pentium e processador Intel Celeron. O chipset P67 Express também habilita os recursos de overclocking dos processadores Intel Core de segunda geração.

- Tecnologia de armazenamento Intel Rapid (Intel RST)
Com a adição de outros discos rígidos, a Intel RST fornece um acesso mais rÁpido a arquivos de foto digital, vídeo e dados com o RAID 0, 5 e 10 e maior proteção dos dados contra falhas de disco rígido com o RAID 1, 5 e 10. O suporte para SATA externo (eSATA) possibilita uma velocidade mÁxima da interface SATA fora do gabinete de até 3 Gb/s.

- Tecnologia Intel Rapid Recover (Intel RRT)
A mais nova tecnologia de proteção de dados da Intel fornece um ponto de recuperação que pode ser utilizada para recuperar rapidamente o sistema em caso de falha no disco rígido ou se os dados forem danificados. O clone pode, também, ser montado como um volume "somente leitura" para permitir a recuperação de arquivos individuais.

- Serial ATA (SATA) 6Gb/s
Interface de armazenamento em alta velocidade de próxima geração com apoio para taxas de transferência de até 6Gb/s para excelente acesso a dados com até duas portas SATA.

- Serial ATA (SATA) 3Gb/s
Interface de armazenamento de alta velocidade com suporte para até 4 portas SATA.

- Interface PCI Express 2.0
Oferece até 5 GT/s para acesso rÁpido a dispositivos periféricos e redes com até 8 portas PCI Express 2.0 x1, configurÁveis como x2 e x4 conforme os designs das motherboards.

{break::Os recursos da M4E}


- Extreme Engine Digi+
Ao contrÁrio do design VRM digital comum, o Extreme Engine Digi + combina tanto as vantagens de design do VRM digital quanto analógico, reduzindo o tempo de espera de comutação e oferecendo maior precisão.

De quebra, a tecnologia oferece ainda espaçamento mais fino do intervalo de freqüência de potência do PWM, como o os chokes utilizados que sustentam 25% mais corrente do que o projeto de referência, chegando ao pico de 40A. Isso permite uma melhor permeabilidade e menor perda de potência, significando assim a produção de menos calor que as placas mães concorrentes que seguem o modelo padrão.

Além disso, graças à natureza de ser digital, a solução de alimentação também pode ser totalmente personalizÁvel pelo usuÁrio em tempo real, tornando a otimização do sistema facilmente gerenciÁvel pelos utilizadores.

Assim, o usuÁrio serÁ capaz de "explorar" ainda mais os limites da nova geração de processadores da Intel, atingindo resultados de benchmarks maiores.

- EFI BIOS
Trata-se de um recurso bastante interessante, que promete facilitar a vida dos usuÁrios na hora de configurar os parâmetros do computador. O EFI BIOS é na verdade uma interface grÁfica (bem intuitiva e com suporte ao mouse) entre o sistema operacional e o firmware do hardware, aposentando de vez a chata (e muitas vezes complicada) antiga versão das BIOS, presentes desde os primórdios dos primeiros PCs padrão IBM.

- BIOS Print
Com o BIOS Print, o usuÁrio poderÁ facilmente compartilhar as configurações de seu BIOS com outras pessoas, bastando para tanto, o pressionamento de um botão. Assim, a Asus aposenta de vez o velho método de bater fotos da tela.

- GPU.DIMM Post
Quem nunca desejou que a VGA ou memória não fosse detectado pelo sistema? Com este recurso, o usuÁrio terÁ controle sobre todos os componentes/periféricos, podendo analisar rapidamente o problema, a fim de corrigir facilmente antes de tentar um overclock.

- ROG Connect
Com este recurso, o usuÁrio pode monitorar o status do PC e ajustar seus parâmetros em tempo real através de um notebook. Para tanto basta conectar o portÁtil ao desktop com um cabo USB, permitindo a visualização em tempo real dos códigos do POST e demais status de hardware, assim como a possibilidade de ajustes no sistema.

- RC Bluetooth
Esta tecnologia promete aposentar o modo atual de se fazer overclock no sistema. Para tanto, basta simplesmente apertar o botão do painel de I/O traseiro na placa Bluetooth RC, e os overclockers poderão monitorar em tempo real o estado do sistema e ajustar seus parâmetros - tais como as tensões e freqüência. Quando os usuÁrios quiserem usar as funções comuns de bluetooth, basta apertar novamente o botão para desfrutar de toda a conveniência da conexão sem fio do RC Bluetooth.

- ROG iDirect
Com este recurso, o usuÁrio poderÁ monitorar e mesmo fazer ajustes nas voltagens e freqüências a distância, através de um iPhone ou iPad, por meio da tecnologia de Bluetooth presente na placa mãe.

- USB BIOS Flashback
Trata-se de uma das maneiras mais convenientes e tranqüilas para se fazer a atualização de BIOS. Para tanto, basta conectar um pendrive na porta ROG Connect, apertar o botão e segurar por 2 segundos para que a mudança aconteça. O USB BIOS Flashback permite ainda, por exemplo, que um overclocker utilize duas versões diferentes BIOS, cada qual para uma situação específica, como uma para o modo OC e outra para utilizar o sistema nas condições "padrões".

- ProbeIt
Esta tecnologia acaba de vez com a "arte das adivinhações" de eventuais problemas com a placa mãe. Através de um conjunto de grupos de pontos de detecção, o usuÁrio poderÁ agora saber exatamente onde obter leituras precisas e rÁpidas por meio de um multiteste.

- MemOK!
O MemOK! rapidamente assegura a compatibilidade de inicialização de memória. Esta excelente ferramenta de resgate da memória requer um simples aperto de um botão para solucionar problemas. O recurso determina as configurações à prova de falhas e melhora consideravelmente o seu sucesso de inicialização do sistema.

- AI Suite II
Trata-se de uma suíte com interface amigÁvel que congrega diversos dos recursos apresentados acima. Ela permite que o usuÁrio supervisione overclock, gestão de energia, controle de velocidade da ventoinha, voltagem e leituras de sensores, e, até mesmo, interagir com dispositivos móveis através de Bluetooth.

- LN2 Mode
Bug de inicialização a frio é uma das barreiras que overclockers muitas vezes enfrentam ao realizar resfriamento com LN2 (nitrogênio líquido). Quando tais bugs ocorrem, o processador não darÁ nenhum sinal de erro no POST de inicialização até que este tenha sido aquecido novamente. Com este recurso, exclusivo da linha Maximus IV Extreme, os usuÁrios estão livres deste problema.

- Q Reset
Os overclockers mais arrojados podem, às vezes, enfrentar a difícil decisão entre reiniciar ou forçar o desligamento do sistema quando ocorre algum problema no meio do OC, uma vez que, volta e meia, o botão de reiniciar não funciona e o desligamento a força, geralmente, pode resultar no congelamento dos componentes no modo S5. É nesse momento que o Q Reset entra em ação. Com um exclusivo design o botão do QReset, localizado no canto superior esquerdo da placa, os usuÁrios serão capazes de apagar o CMOS, e, em seguida, inicializar o sistema ignorando o modo S5, evitando assim ter de passar por tais limitações.

- EZPlug
A Asus Maximus IV Extreme vem com dois conjuntos adicionais de plugs Molex de 4 pinos, fornecendo energia extra para ambas as portas USB 3.0, bem como as placas VGA. Isto permite  uma melhor compatibilidade com os dispositivos USB 3.0, além de ser ideal para uma placa de vídeo de alto desempenho na condução de overclock.

{break::Especificações}Abaixo, as especificações completas da placa, incluindo as tecnologias suportadas e conexões disponíveis, assim como slots para placas adicionais.

Temos vÁrios destaques, como a nova BIOS(EFI) com interface grÁfica e suporte a mouse, além de sistema que detecta a placa de vídeo, memórias e acessórios.

Diversos botões integrados à placa também facilitam a vida de usuÁrios que utilizem o sistema aberto. Outro detalhe interessante é o botão de troca de BIOS, que alterna entre duas opções. Outra característica interessante é o "LN2 Mode", que ajuda o sistema a bootar com baixas temperaturas.

LED´s indicam como estÁ o status do sistema, se acusando onde estÁ o problema quando o sistema não da boot, ou mesmo mostrando um código numérico que indica o que pode estar errado (no manual existe uma tabela com a explicação de cada código numérico).


CPU
- Intel® Socket 1155 for Intel® 2nd Generation Core™ i7 Processor/Core™ i5 Processor/Core™ i3 Processor/
- Support Intel® 32nm CPU
- Supports Intel® Turbo Boost Technology 2.0

* The Intel® Turbo Boost Technology 2.0 support depends on the CPU types.
* Refer to www.asus.com for Intel CPU support list

Chipset
- Intel® P67 Express Chipset

Memory
- 4 x DIMM, Max. 32 GB, DDR 2200(O.C.)/2133(O.C.)/1866(O.C.)/1600/1333 Non-ECC,Un-buffered Memory

Dual Channel memory architecture
* Supports Intel® Extreme Memory Profile (XMP)
* According to Intel® SPEC, the Max. 32GB memory capacity can be supported with DIMMs of 8GB (or above). ASUS will update QVL once the DIMMs are available on the market.
* Due to CPU behavior, DDR3 2200/2000/1800 MHz memory module will run at DDR3 2133/1866/1600 MHz frequency as default.
* Please refer to www.asus.com or user manual for Memory QVL.

Expansion Slots
- 4 x PCIe 2.0 x16 (single @x16, dual @x8, triple @x8, x16, x16 )
- 1 x PCIe 2.0 x4
- 1 x PCIe 2.0 x1

Multi-GPU Support
- Support NVIDIA® 3-Way SLI™ / ATI CrossFireX™ Technology

Bluetooth
Bluetooth Module Accessory Card
- Bluetooth V2.0/V2.1+EDR
- RC Bluetooth On/Off Switch

Storage
Intel® P67 Express Chipset
- 2 xSATA 6.0 Gb/s ports (Red)
- 4 xSATA 3Gb/s ports (Gray)
Intel® Rapid Storage Technology Support RAID 0,1,5,10

Marvell® 9182 PCIe SATA6Gb/s controller
- 2 xSATA 6Gb/s ports (Red)

JMicron® 362 controller
- 2 xExternal SATA 3Gb/s ports at rear (SATA On-the-Go)

* Due to the Windows XP/ Vista limitation, the RAID array with the total capacity over 2TB cannot be set as a boot disk. A RAID array over 2TB can only be set as a data disk only.

LAN
- 2 x Intel® Gigabit LAN

Audio
Realtek ALC889 8-Channel High Definition Audio CODEC
- Blu-ray audio layer Content Protection
- Supports Jack-Detection, Multi-streaming, Front Panel Jack-Retasking
- Supports 1 x Optical S/PDIF out port at back I/O

USB
Intel® P67 Express Chipset
- 9 x USB 2.0/1.1 ports (8 ports at mid-board, 1 port at rear is also for ROG connect)

1 x NEC USB3.0 Controller
- 2 x USB 3.0/2.0 ports at rear

1 x NEC USB3.0 Controller with 2 x VIA SuperSpeed USB hub controllers:
6 x USB 3.0/2.0 ports at rear
2 x USB 3.0/2.0 ports at mid-board for front panel support

Overclocking Features
ROG Connect
RC Bluetooth
ROG iDirect
USB BIOS Flashback

ROG Extreme Engine Digi+
- 8-phase CPU power
- 3-phase Memory power
- ML Cap on CPU only

BIOS Flashback with onboard switch button
ProbeIt
Extreme Tweaker
iROG
Loadline Calibration

ROG OC Kit
- LN2 Mode
- PCIe x16 Lane Switch
- Debug LED
- Q_Reset

EFI BIOS features
- ROG BIOS Print
- GPU.DIMM Post
- CPU Socket Monitor

Intelligent overclocking tools:
- ASUS TurboV Evo
- O.C Profile

Overclocking Protection:
- COP EX (Component Overheat Protection - EX)
- Voltiminder LED
- ASUS C.P.R.(CPU Parameter Recall)

Special Features
- CPU Level Up
- MemOK!
- Onboard Switches: Power / Reset / Clr CMOS (at rear)
- Q-Fan Plus
- ASUS Fan Xpert
- ASUS Q-LED (CPU, DRAM, VGA, Boot Device LED)
- ASUS Q-Connector
- ASUS Q-Shield
- ASUS Q-Slot
- ASUS Q-DIMM
- ASUS EZ Flash 2
- ASUS CrashFree BIOS 3
- ASUS MyLogo 2

Back Panel I/O Ports
- 1 x PS/2 Keyboard/Mouse Combo port
- 2 x External SATA
- 2 x LAN(RJ45) port(s)
- 8 x USB 3.0/2.0
- 1 x USB 2.0/1.1 (also for ROG Connect)
- 1 x S/PDIF Out (Optical)
- 8 -Channel Audio I/O
- 1 x Clr CMOS switch
- 1 x ROG Connect On/Off switch
- 1 x RC Bluetooth switch

Internal I/O Connectors
- 1 x USB 3.0/2.0 connector(s) (Red) supports additional 2 USB 3.0 ports
- 4 x USB 2.0/1.1 connector(s) support additional 8 USB 2.0 ports
- 4 x SATA 6.0Gb/s connectors (Red)
- 4 x SATA 3.0Gb/s connectors (Gray)
- 1 x CPU Fan connector(s)
- 3 x Chassis Fan connector(s)
- 1 x Power Fan connector(s)
- 3 x Optional Fan connector
- 1 x Power-on switch
- 1 x Reset switch
- 1 x S/PDIF Out connector
- 1 x 24-pin ATX Power connector
- 1 x 8-pin ATX 12V Power connector
- 1 x Front panel audio connector
- 1 x System Panel connector
- 7 x ProbeIt measurement points
- 3 x Thermal sensor connectors
- 1 x En/Dis-able Clr CMOS header
- 2 x EZ Plug connectors (4-pin Molex Power connectors)
- 1 x RC Bluetooth header
- 1 x LN2 Mode switch
- 1 x Q_Reset switch
- 1 x Go Button
- 1 x BIOS switch button
- 1 x ROG light connector

BIOS
- 32 Mb Flash ROM , EFI AMI BIOS, PnP, DMI2.0, WfM2.0, SM BIOS 2.5, ACPI2.0a Multi-Language BIOS

Manageability
- WfM 2.0,DMI 2.0,WOL by PME,WOR by PME,PXE

Accessories
- User's manual
- 1 2-port USB2.0 module
- 1 x I/O Shield
- 2 x SATA 3.0Gb/s signal cables (2-in-1)
- 2 x SATA 6.0Gb/s signal cables (2-in-1)
- 1 x Q-Connecor Kit (2-in-1)
- 1 x ROG Connect Cable
- 1 x ProbeIt cable set
- 1 x Thermal Sensor Cable Pack
- 1 x 3-Way SLI bridge
- 1 x SLI Cable
- 1 x Crossfire cable
- 1 x Cable Ties Pack
- 1 x ROG Theme Label
- 1 x 12-in-1 ROG Cable Label
- 1 x RC Bluetooth card
- 1 x ROG exclusive feature guide

Support
- Disc    Drivers
- ASUS AI Suite II
- ROG CPU-Z
- 3DMark Vantage
- Kaspersky® Anti-Virus 1-year license

Form Factor
- Extended ATX Form Factor
- 12 inch x 10.6 inch ( 30.5 cm x 26.9 cm )

{break::Fotos}Abaixo uma série de fotos da placa, que tem como destaque seu acabamento diferenciado, comum em placas que levam o selo "Republic of Gamers" (ROG).

Podemos ainda destacar a placa bluetooth, os conectores para Crossfire / SLI triplo, jÁ que a placa vem com suporte a 3-way (3 x PCI-Express 16x), e as diversas saídas USB 3.0, que agora deve ganhar mais força pelo amplo suporte da Intel a tal conexão.

Reparem também que a placa não traz conexão de vídeo integrada, isso se da pelo fato dela utilizar o chipset P67, que não tem essa opção.

BIOS
As BIOS das placas para Sandy Bridge da Asus trazem uma grande novidade sobre versões anteriores de BIOS. Os modelos da empresa para a segunda geração de processadores Core i3, i5 e i7 acompanham BIOS da EFi amigÁvel com interface grÁfica, além do suporte a mouse.

Mas não para por ai, além da mudança bastante grande, até mesmo em se tratando de opções, agora a BIOS passa a reconhecer alguns hardwares. Abaixo podemos ver ela detectando inclusive que temos uma placa de vídeo da ATI no sistema, assim como a velocidade da conexão PCI-Express que a placa de vídeo estÁ trabalhando, além de "aparelhos" USB, memórias, etc.

Tirando as mudanças destacadas acima, como jÁ era de se esperar, a placa traz diversas opções avançadas para overclock, afinal é esse o público que a Asus visou quando desenvolveu esse modelo. Abaixo, algumas telas.

{break::MÁquinas/Softwares utilizados}Montamos o sistema com um processador Core i5 2300 que possui clock default de 2.8GHz. Esse processador definitivamente não é a melhor opção para se testar uma placa destinada a overclockers, mas era o que tinhamos no momento.

Mesmo com a limitação em over do Core i5 2300, ainda conseguimos colocar ele estÁvel em 3.6GHz, se fosse um processador desbloqueado conseguiriamos subir consideravelmente esse clock.

Abaixo detalhes do sistema montado, que foi comparado com uma mainboard ECS H67H2-M v1.1.

MÁquinas utilizadas nos testes:
- Motherboards: Asus Maximus IV Extreme / ECS H67H2-M
- Processador Intel Core i5 (Sandy Bridge) 2300 @ 2.8GHz
- Memórias 4 GB DDR3-2000MHz G.Skill Trident
- Placa de vídeo ATI Radeon HD 5570
- HD 1 SSD OCZ Agility 2 120GB e HD 80GB Sata2 Samsung
- Fonte Aerocool V12XT-800

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 64 Bits com Updates
- ATI Catalyst 10.12

Aplicativos/Games:
- WinRAR 3.93
- CineBENCH 11.5
- x264 HD Benchmark 3.19
- Sandra 2011 (16.75)
- AIDA 64
- Aliens vs Predator
- Just Cause 2

CPU-Z
Abaixo temos algumas telas do CPU-Z, mostrando as principais características da placa e sistema.


{break::Winrar, CineBench, x264 HD}WinRAR
Como destacamos na pÁgina anterior, a comparação foi feita com uma mainboard da ECS baseada no chipset H67, dessa forma veremos pouquíssimas mudanças de desempenho quando ambas em mesmo situação. Abaixo podemos conferir que no caso do WinRAR a diferença foi de apenas 40 pontos.

{benchmark::1315}

CineBENCH 11.5
JÁ com o CineBENCH ambas as placas alcançaram resultados idênticos: 4,47 pontos.

{benchmark::1318}

x264 HD Benchmark
Continuamos nossos testes com o x264 HD, que renderiza um vídeo em 720p. Assim como os testes anteriores não temos mudança visível, novamente com empate técnico entre os modelos.

{benchmark::1319}

{break::Sandra 2011, AIDA64}SiSoftware Sandra 2011
Com alguns benchmarks do Sandra os resultados mostram o mesmo que vimos na pÁgina anterior, empate técnico em todas as situações, logicamente levando em consideração que por enquanto o que fizemos foi montar e ligar a mÁquina, nada de testes com overclock por exemplo.

{benchmark::1316}

AIDA64
Com os testes CPU Queen e Leitura da memória do AIDA64 também não temos mudanças, as placas ficam empatadas tecnicamente.

{benchmark::1317}

{break::Aliens vs Predator, Just Cause 2}Aliens vs Predator
SerÁ que em games a coisa muda? É ainda mais improvÁvel do que nos testes anteriores. Mesmo assim, como em um game a margem de erro aumenta, jÁ que diversos fatores influenciam, como uma simples leitura no HD, a diferença com o Aliens vs Predator foi de quase 1FPS.

{benchmark::1320}

Just Cause 2
JÁ no Just Cause 2 acreditem, quase 1,5FPS de diferença entre as mobos, mostrando bem o que acontece quando troca de uma mobo para outra com chipset igual ou de mesmo socket se ambos utilizando configurações padrões.

{benchmark::1321}

{break::Overclock}Em overclock tivemos algumas surpresas. Muita coisa mudou na comparação com o primeira geração de processadores da linha Core i3, i5 e i7 e, para dificultar, o processador que tinhamos em mãos não é de série desbloqueado, o que limitou bastante seu overclock, jÁ que tinhamos um limite mÁximo para o multiplicador e pouco podiamos alterar no BCLK.

De qualquer forma, colocamos o Intel Core i5 2300 de 2.8GHz para 3.6GHz, overclock de pouco mais de 22%. Abaixo algumas dicas para o overclock do Core i5 2300 com a Maximus IV Extreme.

- Opção "EIST" = Enabled
- Opção "C1E" = Enabled
- Opção "C3 Reporting" = Enabled
- Opção "C6 Reporting" = Enabled
- Opção "Turbo Ratio" = All Cores
- Opção "Maximum Turbo Ratio Setting" = 35
- Colocar a opção "BCLK" para 103, se passar, pode ir aumentando de um em um até o sistema bootar normalmente.

Vamos aos testes:

WinRAR
Rodando o benchmark do WinRAR temos ganho pouco acima de 9%, bem abaixo do ganho de overclock sobre o clock padrão do processador.

{benchmark::1322}

CineBENCH 11.5
JÁ com o CineBENCH temos um ganho bastante superior ao do WinRAR, o sistema quando overclockado conseguiu desempenho melhor em pouco mais de 20%, próximo aos 22% de overclock do clock do processador.

{benchmark::1323}

x264 HD Benchmark
Com o teste de renderização de vídeo x264 HD também temos um ganho muito bom, 19% no primeiro teste e quase 21% no segundo teste, muito próximo do overclock.

{benchmark::1324}

Just Cause 2
Para finalizar, também fizemos teste de overclock com o game Just Cause 2, onde o sistema, quando overclockado, apresentou melhora de 8%, o que era esperado, jÁ que em games normalmente o processador não altera tanto nos FPS.

{benchmark::1325}

{break::Conclusão}A ASUS estÁ entre as melhores empresas do mundo quando se trata de placas mãe, isso ninguem questiona, entre os motivos, estÁ o fato de desenvolver produtos que a diferenciam das demais empresas, a linha Republic of Gamers é um exemplo disso. Essa linha foi criada justamente para dar opções destinadas a um o público mais exigente, e ai entra o layout diferenciado, tecnologias exclusivas, opções avançadas para tirar o mÁximo em performance mesmo em situações extremas de overclock e por ai vai. A Asus Maximus IV Extreme vem para conquistar o título de melhor placa mãe para socket LGA 1155 destinado aos novos processadores Sandy Bridge, com chances reais de conseguir, principalmente nessa primeira leva de lançamentos, jÁ que em breve deveremos ter revisões, inclusive da Asus.

Como destaque além de tudo que jÁ conhecemos de outras placas mãe da empresa, como bluetooth, ROG Connect, Crossfire, SLI, opções avançadas de overclock, acabamento personalizado, etc, agora a BIOS vem com interface grÁfica amigÁvel, com suporte a mouse e trazendo informações mais detalhadas dos hardwares e acessórios conectados ao computador, dessa forma facilitando a vida do usuÁrio, que pode identificar problemas antes mesmo de instalar o sistema, ou mesmo de dar boot. Vale destacar que essa interface não é exclusiva da Asus. Outras empresas poderão desenvolver, cada uma com um design próprio, como exemplo, na Maximus IV Extreme a "skin" da BIOS é toda avermelhada, jÁ no modelo P8P67 Deluxe/Pro a "skin" da BIOS é azulada.

Para finalizar, apenas para nível de comparação, estamos com outros modelos de mainboards Sandy Bridge, que iremos analisar ainda esse mês, em nenhuma delas as opções de overclock são tão apuradas na BIOS. Diga-se de passagem, esse é um dos pontos fortes da Asus, que sempre se destacou por dar essas opções avançadas ao público overclocker.


PRÓS
Excelente acabamento
Nova interface amigavel da BIOS com suporte ao mouse
Excelente para overclock
Bluetooth integrado
Tecnologias diferenciadas como ROG Connect
Conexões de gerenciamento das voltagens
Botões de ações diretas na placa, como Power, Reset, MemOK, etc
CONTRAS
Faltou o suporte a tecnologia HydraLogix
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.