ANÁLISE: HiS Radeon HD 5970

ANÁLISE: HiS Radeon HD 5970

A ATi encerrou seu primeiro ciclo de lançamentos da nova geração Evergreen, iniciado no dia 23 de setembro com a Cypress (Radeon série 5800), ao lançar no último dia 18, a Hemlock (R800), chip voltado para usuÁrios TOP - como os entusiastas de plantão e hardgamers mais exigentes.

Apesar da grande maioria do mercado ter como "alvo" as placas dos segmentos intermediÁrios de alto desempenho (Cypress) e intermediÁrios (Juniper) - por agregar uma ótima relação custo x benefício - é inegÁvel que a grande estrela da nova geração de GPUs da ATi seja realmente a Hemlock, ao prover um "poder de fogo" sem precedentes para a indústria de jogos eletrônicos.

Uma das curiosidades da placa estÁ em seu nome. Diferentemente do que ocorreu nas últimas duas gerações de VGAs, a ATi não batizou a versão dual GPU com o mesmo nome da single, acrescida do sufixo X2. Desta vez a fabricante optou por inovar e aumentou o numeral da placa em "100". Desta forma, a Hemlock chegou ao mercado simplesmente com o nome de Radeon HD 5970 e nada mais. Sem X2 ou outra inscrição que faça menção ao fato de possuir dois chips.

Vale ressaltar que a ATi prepara ainda o lançamento de uma versão um pouco mais "simplificada" da R800, a Radeon HD 5950, ainda sem data oficial para chegar ao mercado, mas com previsão para o início de 2010.

Além de trazer as novas tecnologias presentes no DirectX 11 - como é o caso do DirectCompute, multi-threading, Tessellation via hardware, além, é claro, das novas extensões 5.0 do Pixel Shader - a Hemlock possui um desempenho avassalador mesmo nos jogos mais "pesados", colocando finalmente Crisys de "joelhos"em altas resoluções.


Modelo de referência da ATi

Outro grande trunfo presente na geração Evergreen estÁ na tecnologia Eyefinity, permitindo que o usuÁrio utilize vÁrios monitores simultaneamente (a RV870 estÁ limitada a 6), ampliando assim a Área do desktop e criando uma imensa tela wide screen, com resolução teórica mÁxima em 8192x8192 pixels (resolução de 67,1 megapixels).

Todas essas novidades aliadas ao imenso poder de processamento têm preço. Para ser mais preciso, um alto preço: US$599. Esse valor é teórico, uma vez que em virtude da pouca quantidade de placas disponíveis no mercado (e pelo fato de não haver concorrente direta), muitas fabricantes estão se aproveitando da situação e aplicando um "Ágio" em cima do valor sugerido pela ATi. Em alguns casos, o preço real pode chegar perto dos US$670!

Com o lançamento da Hemlock, a ATi deu um passe importante no segmento TOP, recebendo novamente o título da "Rainha das Placas 3D", deixando a sua rival GeForce GTX 295 às sombras, prometendo ainda ser um "osso duro de roer" contra a nova geração de GPUs da NVIDIA - a Fermi (GT300) prevista para o início do próximo ano.

{break::O segredo por trÁs da Radeon 5970}Para ser bem franco, não hÁ praticamente nenhum mistério na arquitetura da Radeon HD 5970 em relação à 5870. Tudo na VGA é dobrado em comparação a sua "irmã menor", em virtude de contar com duas GPUs.

Na verdade, o grande "segredo" por trÁs da Hemlock estÁ no chip PLX, também conhecido como "PLX PCI Express bridge", que - como o próprio nome sugere - faz o papel de uma "ponte" na comunicação entre os dois chips. Em outras palavras, a placa funciona em uma espécie de CrossFire interno.

Desta forma, os 3.200 Stream Processors estão divididos em dois chips Cypress, cada um com 1.600, agrupados em dois grandes blocos de 800 SPs, detalhados abaixo.

Conforme pode ser visto na imagem a seguir, cada GPU possui 20 clusters do tipo SIMD, cada um com 16 thread processors. Por sua vez, cada thread processor conta com 5 stream cores, resultando assim em 1.600 shader cores (20x16x5) por chip. Vale destacar que do total de 80 unidades de texturas - TMUs (por chip) - 4 estão presentes por cluster SIMD.



(Imagem seccionada da arquitetura mostrando apenas uma GPU)

Assim como na RV770, a Cypress conta com 5 unidades de stream processors por Thread Processor (segmento), onde um deles pode ser considerado como unidade central, que fica responsÁvel por lidar com instruções de shaders complexos.

Obviamente que os SPs receberam melhorias necessÁrias para lidar com o DirectX 11 e toda uma gama de novas instruções.

Embora a RV770 jÁ utilize as novas e ultra rÁpidas memórias GDDR5, a ATi equipou a nova geração Evergreen com uma espécie de "segunda geração" de GDDR5, na qual as mudanças de clocks agora acontecem de forma muito mais rÁpida e eficiente, sem qualquer cintilação. Como resultado, as velocidades das memórias podem diminuir quando a placa não estiver sendo utilizada a "pleno vapor", economizando assim uma significativa quantidade de energia e, consequentemente, reduzindo o calor.

Outra novidade é o código para detecção de erro presente dentro da controladora de memória (de 256 bits), que passa agora a procurar e corrigir qualquer discrepância de dados da memória, automaticamente corrigindo-o. O maior beneficiÁrio é sem dúvida o overclocker. Enquanto as VGAs das gerações passadas apresentavam altas taxas de erros na renderização dos dados (como o aparecimento de "fantasmas" na tela), quando se aumentava a velocidade das memórias, na RV870 agora isso praticamente não ocorre mais, pois o novo algoritmo de detecção de erro faz a correção do dado na controladora, disponibilizando assim a informação precisa.

{break::Os recursos da Radeon 5970}Confiram abaixo os principais recursos presentes na Radeon HD 5970:

- 4,3 (2x2,15) bilhões de transistores;
- Litografia em 40nm;
- 3.200 (2x1.600) Stream Processors;
- 64 (2x32) ROPs;
- 80 (2x40) TMUs;
- 2GB (1GB por GPU) de memória GDDR5;
- Bus de 256 bits;
- Suporte às tecnologias: Eyefinity; ATI Stream Technology; e Accelerated Video Transcoding (AVT);
- Suporte a DirectX 11 e Windows 7;
- Suporte ao OpenGL 3.1;
- Suporte ao CrossFireX;
- ATI Avivo HD vídeo; e
- Gerenciamento dinâmico de energia ATI PowerPlay technology

Diante do exposto acima, não hÁ dúvida: a Radeon HD 5970 é uma verdadeira "fera" em se tratando de especificações. Se uma Radeon HD 5870 jÁ possui uma performance de tirar o chapéu, o que dizer de duas (ou quase duas) unidades em uma única placa 3D?!

Antes que os leitores se perguntem o porquê de a Hemlock não possuir a mesma performance de duas Cypress, jÁ que possui dois chips "RV870", vale esclarecer em primeiro lugar que, na prÁtica, hÁ uma perda de performance natural ao se utilizar um sistema em CrossFire - o que por si só jÁ reduziria o resultado final.

Outro ponto, este bem mais importante, é que desta vez a ATi não utilizou os mesmos clocks de GPU e memórias para a versão "X2", fazendo um "downgrade" dos mesmos. Embora a fabricante não tenha feito nenhum comentÁrio oficial a respeito do assunto, alguns afirmam que o motivo seria o de manter a placa com uma relação aceitÁvel de consumo de energia e dissipação de calor. O fato é que ao invés do core trabalhar a 850Mhz e memória a 4.60Ghz, curiosamente a Radeon HD 5970 tem clocks idênticos à 5850, ou seja, 725Mhz e 4.00Ghz.

O processo de fabricação em 40nm trouxe benefícios significativos para as novas GPUs. O primeiro foi na Área do die do chip, com 334 mm², valor esse que é apenas 27% maior do que a RV770, apesar de possuir mais do que o dobro de transistores. A litografia mais refinada, bem como a tecnologia PowerPlay, possibilitaram um gerenciamento mais eficiente e racional no consumo de energia, praticamente no mesmo patamar que a Radeon HD 4870 X2 em modo "full" (a pleno vapor) em 294W, mas com uma sensível redução em modo "idle" (em estado inativo), reduzindo de 90W para 42W.

Tomando-se por base que a Radeon HD 5970 é praticamente duas 5870 em uma, com seus 3.200 stream processors tendo um poder computacional de fenomenais 4,64 TeraFLOPs (praticamente o dobro da 4870 X2) em um único slot PCIe x16, não é por acaso que ATi pode mais uma vez dizer para o mercado: "Sim, nós temos uma nova Rainha das Placas 3D!"

Maiores detalhes das especificações das últimas placas 3D da ATi podem ser conferidos abaixo:


Radeon HD
4890
Radeon
4870 X2
Radeon HD
5870
Radeon HD
5970
Codinome RV790 R700 Cypress Hemlock
Litografia 55nm 55nm 40nm 40nm
Transistores 959M 1.91B 2.15B 4.3B
Tamanho Die 282 mm² 263 mm² 334 mm² 334 mm²
Clock GPU 850 MHz 750 MHz 850 MHz 725 MHz
Qtde. Shader Processors 800 1600 1600 3200
Poder Computacional 1.36
TFLOPs
2.4
TFLOPs
2.72
TFLOPs
4.64
TFLOPs
Qtde. TMUs 40 80 80 160
Texture Fillrate 34.0
GTexels/s
60.0
GTexels/s
68.0
GTexels/s
116.0
GTexels/s
Qtde. ROPs 16 32 32 64
Pixel Fillrate 13.6
GPixels/s
24.0
GPixels/s
27.2
GPixels/s
64.4
GPixels/s
Z/Stencil 54.4
GSamples/s
96.0
GSamples/s
108.8
GSamples/s
185.6
GSamples/s
Tipo Mmemória GDDR5 GDDR5 GDDR5 GDDR5
Clock Memória 3.90 GHz 3.60 GHz 4.80 GHz 4.00 GHz
Largura Banda Memória 124.8 GB/s 230.4 GB/s 153.6GB/s 256.0 GB/s
TDP MÁximo 190W 286W 188W 294W
TDP Inativo 60W 90W 27W 42W

{break::O sistema de refrigeração}Como forma de manter a placa dentro de uma temperatura aceitÁvel, a ATi intensificou seu sistema de refrigeração, passando a utilizar um cooler composto por um imenso bloco dissipador sólido de cobre, com Tecnologia de Câmara de Vapor (Vapor Chamber Technology -VCT). O sistema oferece um desempenho um pouco melhor para superfícies com uma grande Área.

As câmaras de vapor são, em sua essência, heatpipes planos/achatados, que se utiliza dos princípios da evaporação e condensação para produzir um ambiente de alta condutividade térmica.

A VCT é uma espécie de câmara selada a vÁcuo composta de 3 "zonas": de vaporização, condensação e transporte. O funcionamento é relativamente simples. O calor emanado pela GPU aquece o fluido dentro da zona de vaporização, fazendo-o evaporar. O vapor do fluido se move através do vÁcuo até que se choque com a zona de condensação. Neste estÁgio, o vapor se condensa, voltando ao seu estÁgio inicial líquido (liberando o calor no processo). O fluido é então absorvido pela zona de transporte (por meio do processo de capilaridade), onde é então levado de volta para o ponto inicial do processo, a zona de vaporização, fechando o ciclo para então ser repetido.

As câmaras de vapor podem ter uma imensa combinação de tipos de materiais e fluidos, dependendo principalmente da temperatura de operação do sistema de refrigeração. A Combinação mais utilizada para dispositivos eletrônicos é formada por cobre e Água (como é o caso da Radeon HD 5970), devido a sua temperatura de funcionamento variando de 10 °C a 250 °C. Contudo para se atingir patamares mais extremos, são utilizados outros tipos de materiais e fluidos.

Para se ter idéia da eficiência da tecnologia, a capacidade de condução térmica chegou em alguns casos a ultrapassar em mais de 30 vezes a condutividade do cobre e em mais de 10 vezes o grafite pirolítico e o diamante.

De acordo com a ATi, o sistema de refrigeração da Hemlock é capaz de manter a placa em condições estÁveis de temperatura mesmo se a placa atingir o impressionante patamar de 400W de dissipação térmica. Desta forma, a Radeon HD 5970 tem plena condição de ter seus clocks turbinados pelas fabricantes, ou mesmo pelos usuÁrios. Na verdade, de acordo com slide da apresentação, a VGA é capaz de chegar em tese a 1Ghz de GPU e 6Ghz de memória. Vale ressaltar aqui que a Adrenaline não recomenda tal prÁtica, sob pena de acarretar danos irreversíveis na placa de vídeo.

{break::Eyefinity}Embora a tecnologia de uso simultâneo de múltiplos monitores seja algo para poucos, é inegÁvel que o Eyefinity trouxe uma verdadeira revolução para o mercado, ao permitir o uso de até 6 telas formando um gigantesco painel com resolução teórica mÁxima de 8192x8192.

Conforme pode ser visto abaixo, as possibilidades para a tecnologia são inúmeras, permitindo o uso de imagens independentes, simultâneas ou um misto das duas. É possível, por exemplo, o uso de três monitores para formar uma única imagem panorâmica, com o quarto independente; quatro telas simultâneas formando um grande painel e mais duas independes da primeira e entre si; e por aí vai.

Para tanto, faz-se necessÁrio o uso de até duas saídas DVI, HDMI ou VGA combinadas com saídas DisplayPort, para se conseguir os seis monitores compartilhados. Contudo, inicialmente a Radeon HD 5870 ficarÁ "restrita" a três telas.

Para quem não se convenceu do poder do Eyefinity, a ATi demonstrou durante o lançamento da tecnologia no mês passado, uma configuração composta por quatro placas Radeons de nova geração, em que estavam conectados 24 monitores de LCD!

Os benefícios da tecnologia não serão apenas no campo dos jogos. Profissionais de artes grÁficas, designers, arquitetos, analistas financeiros, dentre uma imensa gama de Áreas poderão tirar proveito do Eyefinity como forma de aumentar a sua produtividade no trabalho.

{break::DirectX 11}Como foi dito no início deste review, um dos grandes trunfos da nova geração de GPUs da ATi, é o suporte a nova API grÁfica da Microsoft, o DirectX 11, que promete facilitar e agilizar no processo de desenvolvimento dos jogos, além de trazer novas tecnologias ou mesmo melhorias nas atuais, aprimorando assim ainda mais a qualidade nos grÁficos.

As novidades presentes no DX11 são:

- DirectCompute 11
- Hardware Tessellation
- High Definition Ambient Occlusion
- Shader Model 5.0
- Depth of Field
- Renderização Multi-threaded (Multi-threading)

DirectCompute 11
O DirectCompute é um dos grandes trunfos do DX11, pois possibilita que os desenvolvedores utilizem a GPU para o processamento de outras tarefas alheias à renderização 3D. Trata-se do conceito por trÁs do termo GPGPU (que transforma a placa de vídeo em um processador).


Order Independent Transparency - OIT

Os benefícios não ficam restritos às aplicações gerais. Nos games, por exemplo, é possível programar para que a GPU cuide de tarefas como o processamento e filtro das imagens (conceito de post processing); Order Independent Transparency - OIT (técnica de sobreposição de objetos, aperfeiçoando o efeito de semitransparência – como, por exemplo, na criação de efeito de fogo, fumaça, cabelo, vidro); renderização de sombras, da física e da inteligência artificial.

Abaixo hÁ uma imagem onde é possível comprovar a eficiência da técnica OIT. À esquerda tem-se a foto com a técnica, em contraste com a direita, onde é utilizado o processo Simple Alpha Blending (SAB) presente no DX10. Além da diferença de qualidade, hÁ ganho de performance com o uso do DirectCompute 11. Enquanto que o SAB necessita de 64 passagens para a renderização, com o OIT, é preciso uma única leitura.


Hardware Tessellation
Trata-se de um dos benefícios mais aguardados pela indústria dos jogos eletrônicos.

Embora a ATi tenha implementado a tecnologia Tessellation jÁ nas Radeons HD série 2000, somente agora tal funcionalidade serÁ utilizada em sua plenitude, em virtude da adição de dois tipos de shaders (Hull e Domain) ao Shader Model 5.0.

De forma simplista, trata-se da tecnologia que adiciona em tempo real mais detalhes aos objetos 3D. Para tanto, subdividi-se um objeto/supefície em pedaços menores, acrescentando-se polígonos mais simples (de fÁcil execução).

Em outras palavras, ao invés da GPU gastar um grande tempo para o processamento de um objeto único (ou parte de um grande objeto) e complexo de uma única vez, o Tessellation "quebra" o mesmo em partes menores de forma a tornar a tarefa mais simples e rÁpida.

Assim, os desenvolvedores estão "impedidos" de acrescentar mais objetos e detalhes aos games. Com o Tessellation, o processamento dos terrenos/solos, serÁ muito mais simples e rÁpido, sem contar que permitirÁ que os programadores criem texturas e maiores detalhes aos mesmos (como a deformação dinâmica), resultando em um maior realismo ao jogo.

Nas fotos abaixo é possível perceber com nitidez a diferença na qualidade da imagem quando é utilizado a tecnologia.


High Definition Ambient Occlusion
Trata-se de outra técnica de efeito de pós-processamento de imagem que melhora as sombras e luzes, além de aumentar a sensação de profundidade dos objetos (3D).

Para isso, a Microsoft disponibilizou dois novos métodos de compressão de texturas: os filtros BC6 e BC7. O primeiro oferece uma taxa de compressão de 6:1 com 16 bits por canal e sem perdas, sendo uma texturização eficiente e de alta qualidade para a iluminação HDR. JÁ a BC7 oferece compressões de 3:1 com o padrão de cores RGB ou ou 4:1 para Alpha.


Shader Model 5.0
O DX11 introduz a versão 5.0 do Shader Model para a linguagem de programação HLSL, na qual adiciona precisão dupla para o processo, permitindo o uso específico dos shaders com polimorfismo, objetos e interfaces.

Na verdade, diferentemente das versões anteriores, o SM 5.0 não traz grandes avanços em termos de capacidades, mas promete facilitar o trabalho dos desenvolvedores, ao introduzir certos conceitos de programação orientada a objetos.

Depth of Field
O método adiciona efeitos bem interessantes envolvendo o foco da imagem (primeiro plano) e o plano de fundo para dar um aspecto cinemÁtico às imagens.


O Depth of Field utiliza um filtro de núcleo nos pixels da imagem processada como um efeito de pós-processamento. Este utiliza os dados dos pixels adjacentes para criar efeitos como borrado de movimentos, mapeamento de tom, detecção de bordas, suavização e nitidez.

Renderização Multi-threaded
É a técnica pela qual as GPUs processam os dados de forma simultânea, e não mais em sequência como em uma fila. O ganho, claro, estÁ na eficiência no processamento, resultando em uma melhor performance.

Embora existam pouquíssimos jogos desenvolvidos ou em desenvolvimento sob o DirectX 11, é justo dizer que a sua adoção estÁ sendo feita de forma mais acelerada em relação à versão 10. Por enquanto, eis a lista de games que apresentam compatibilidade com a nova API grÁfica da Microsoft:

- BattleForge (lançado)
- S.T.A.L.K.E.R. Call of Pripyat (lançado)
- DiRT 2 (1º de dezembro 2009)
- Battlefield: Bad Company 2 (Primeiro trimestre de 2010)
- Aliens vs. Predator (Primeiro trimestre de 2010)
- The Lord of the Rings Online: Siege of Mirkwood (Primeiro trimestre de 2010)
- Dungeons and Dragons Online: Eberron Unlimited (2010)
- Genghis Khan MMO (2010)
- Além das engines grÁficas Frostbite 2 e Unigine e Vision Engine

Confiram abaixo o vídeo Unigine "Heaven" DX11 benchmark em uma Radeon HD 5870.



{break::Fotos}Abaixo temos algumas fotos da placa de vídeo HiS Radeon HD 5970, onde podemos ver o tamanho "gigantesco" das placas baseadas no PCB com dois chips 5870. Colocamos também as demais placas que utilizamos nos testes comparativos, confiram.


{break::MÁquina/Softwares utilizados}Colocamos a Radeon HD 5970 frente as suas principais concorrentes da atualidade, são elas: Radeon HD 5870, Radeon HD 4870x2 e GeForce GTX 295.

Abaixo, detalhes da mÁquina, sistema operacional, drivers, configurações de drivers e softwares/games utilizados nos testes.

MÁquina utilizada nos testes:
- Mainboard ECS X58B-A
- Processador Intel Core i7 920 @ 3.8GHz
- Memórias 6 GB DDR3-1600MHz G.Skill Trident
- HD 1TB Sata2 Wester Digital Black
- Fonte XFX 850W Black Edition

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows Seven 64 Bits
- Intel INF 9.1.1.1019
- ATI Catalyst 9.11 WHQL: HiS Radeon HD 5970, XFX Radeon HD 5870, PowerColor Radeon HD 4870x2
- Nvidia ForceWare 195.62 WHQL: XFX GeForce GTX 295

Configurações de Drivers:
3DMark
- Anisotropic filtering: OFF
- Antialiasing – mode: OFF
- Texture filtering: Quality
- Vertical sync: Always OFF / Force OFF
- Demais opções em Default

Games
- Anisotropic filtering: 8x
- Antialiasing – mode: 4x
- Texture filtering: Quality
- Vertical sync: Always OFF / Force OFF
- Demais opções em Default

Aplicativos/Games:
- 3DMark06 build 1.1.0 (DX9)
- 3DMark Vantage 1.0.1 (DX10)
- Unigine HEAVEN Benchmark (DX11)
- Crysis v1.21 (Cry Engine – DX10)
- FarCry 2 v1.01 (Dunia Engine – DX10)
- Tom Clancys H.A.W.X 1.01 (Engine própria – 10.1)
- World in Conflict v1.0.1.1 (Masstech Game Engine – DX10)
- Resident Evil 5 v1.0 (Engine própria – DX10)
- Batman Arkham Asylum (Unreal Engine 3 – DX10)
- S.T.A.L.K.E.R. Call of Pripyat (Engine própria - DX11)
- Battle Forge 1.01 (Engine própria - DX11)
- DiRT 2 (Engine própria - DX11)

{break::3DMark06, 3DMark Vantage}Com o 3DMark06 a Radeon HD 5970 jÁ mostra todo seu poder, conquistando o TOPO do grÁfico que a coloca como placa mais poderosa do mundo.

Mais atrÁs temos as demais placas utilizadas nos comparativos, destaque para a 4870x2 e 5870 que fazem uma briga a parte, com leve vantagem para a placa TOP da geração passada.

{benchmark::339}

3DMark Vantage
Em cima do 3DMark Vantage temos uma mudança, a GTX 295 fica bem perto da 5970, mostrando que ainda pode competir em determinadas aplicações.

Como aconteceu no 3DMark06, a Radeon 5870 e a 4870x2 duelam, agora com vantagem para a placa da nova geração.

{benchmark::340}

Unigine HEAVEN
Comparamos a Radeon HD 5970 com a 5870 no Unigine HEAVEN Benchmark, "aplicativo" baseado em DirectX 11, que tem como destaque a tecnologia tessellation.

Abaixo podemos ver que a 5970 consegue superar a 5870 em mais de 50%.

{benchmark::341}

{break::Crysis}Começando os testes com games, primeiro em cima do Crysis. Vemos resultados bem altos, até então ainda não vistos por mim em reviews de placas de vídeos. A 5970 coloca 20FPS sobre a segunda colocada em todas as resoluções, muito bom principalmente quando falamos da resolução de 1920x1080, que na proporção os 20FPS representam poucos menos de 50%.

Como vemos temos uma briga boa pela segunda colocação entre GTX 295 e 5870, e mais atrÁs a 4870x2.

{benchmark::342}

{benchmark::343}

{benchmark::344}

{break::Far Cry 2}Em cima do Far Cry 2, novamente resultados impressionantes. Em todas as resoluções a 5970 tem FPS superior a 50% sobre a 5870, placa que utiliza um chip.

Reparem que na resolução de 1920x1080 a 5970 alcança 127 FPS, um resultado bem alto se analisarmos o fato do Far Cry 2 ser um game relativamente novo, e estar rodando com qualidade alta e filtros ativados.

{benchmark::345}

{benchmark::346}

{benchmark::347}

{break::Tom Clancy´s H.A.W.X.}Com o H.A.W.X., simulador aéreo da Ubisoft, a 5970 novamente fica com os melhores resultados, seguida pela GTX 295, 4870x2 e 5870.

Nesse teste temos um dos poucos casos onde uma placa da ATI consegue superar uma placa da Nvidia, que quase sempre domina os comparativos de placas de mesmo segmento.

{benchmark::348}

{benchmark::349}

{benchmark::350}

{break::World in Conflict}O game de estratégia World in Conflict estÁ entre os títulos que mostra os resultados mais "parelhos" na comparação ATI VS Nvidia.

Mas no caso da 5970 a ATI tratou de mudar essa situação, dando à placa uma vantagem muito boa, que vai aumentando na medida que as resoluções sobem, colocando uma diferença pouco superior a 35% em 1920x1080 na comparação com a 5870.

{benchmark::351}

{benchmark::352}

{benchmark::353}

{break::Resident Evil 5}Colocamos os benchmarks do game Resident Evil 5 a pedido de nossos usuÁrios, mesmo eu achando o Street Fighter IV mais interessante pelo fato de gerar resultados que diferem mais uma placa de outra, sendo que no RE5 as placas atingem um pico de FPS.

Como vemos as placas da ATI possuem vantagem sobre a placa da Nvidia em quase todas as resoluções, com destaque para os modelos baseados em dois chips, onde 5970 e 4870x2 andam coladas do começo ao fim.

{benchmark::354}

{benchmark::355}

{benchmark::356}

{break::BattleForge}BattleForge foi o primeiro game do mercado com suporte a DirectX 11, e não poderíamos deixar de colocar os resultados dele nessa review.

Como podem ver, a Radeon HD 5970 mostra toda sua força, muito dessa força devido aos benefícios que o DX11 deve trazer na otimização da parte de programação, além da melhora de qualidade prometida por novas tecnologias.

Outro ponto interessante é o fato dos outros três modelos utilizados nos comparativos estarem colados, sem que um se destaque mais que outro.

{benchmark::357}

{benchmark::358}

{benchmark::359}

{break::S.T.A.L.K.E.R. Call of Pripyot}Outro game que estÁ estreando em nossas reviews é o S.T.A.L.K.E.R. Call of Pripyot, que tem tecnologias do DX11. Para ficar claro, colocamos todas as opções iguais para todas as placas, mas a 5970 e 5870 rodando em DX11, e 4870x2 e GTX 295 rodando em DX10.

O sistema de benchmark S.T.A.L.K.E.R. Call of Pripyot apresenta um resultado final separado em 4 cenas diferentes, sendo elas: Dia, Noite, Chuva e Dia com raios de sol. Como seria muito colocar testes em muitas resoluções, optamos por colocar na resolução de 1680x1050, mÁxima de grande parte dos monitores LCD do mercado.

Reparem que a 5970 se mostra bem superior a todos os demais modelos de placas testados, e na briga pela segunda posição a 5870 se destaca levemente sobre as demais.

{benchmark::360}

{benchmark::361}

{benchmark::362}

{benchmark::363}

{break::Colin McRae DiRT 2}Essa semana tivemos o lançamento do DEMO do tão aguardado DiRT 2, game que estÁ entre as maiores promessas desse final de ano no estilo corrida. Entre seus destaques, o fato de ser um dos primeiros do mercado com suporte ao DirectX 11, e por isso não poderíamos deixÁ-lo de fora dos testes.

Mas antes de analisarmos os resultados, gostaria de esclarecer um ponto importante. A ATI liberou um hotfix de seus drivers corrigindo um problema com o sistema Crossfire, problema existente no Catalyst 9.11 oficial. A Nvidia também tem o mesmo problema com SLI no game, e ainda não liberou nenhum hotfix ou versão que corrija tal problema, mas certamente farÁ isso em sua nova versão a ser lançada em breve, por esse motivo não colocaremos resultados da GTX 295 nesse momento, seria injusto.

Fizemos dois testes, primeiro baseado em DirectX 11, onde logicamente mostramos apenas os resultados das placas 5970 e 5870, únicas opções das quatro a suportarem a nova API.

Como vemos abaixo a 5970 leva vantagem como era de se esperar, mas muito abaixo do que se espera de um modelo baseado em dois chips. Quem sabe a ATI consiga melhorar esses resultados através de novas versões de drivers, afinal lançou as pressas o hotfix para dar suporte ao Crossfire no game.

{benchmark::364}

O game pode rodar com duas versões da API DirectX, ou 9 ou 11, para isso é necessÁrio editar um arquivo de configuração na pasta My Documents/My Games/DiRT2/, e forçar o uso da API DirectX 9 em placas DX11, automaticamente a opção "Ambient Oclusion" vai sumir das configurações grÁficas dentro do game.

Feito isso, vamos aos testes, que mostram a 5970 bem a frente da 5870, e a 4870x2 entre as duas. Um detalhe interessante é o resultado comparativo entre DX9 e DX11, reparem que a queda das placas quando rodando em DX11 é bem grande para quando rodando com DX9, mostrando que as tecnologias da nova API comprometem bastante o desempenho da placa em determinadas situações.

{benchmark::365}

{break::Overclock}Fizemos um pequeno overclock com a placa, colocando ela para trabalhar um pouco acima dos clocks padrões. Para evitar problemas não subimos mais do que os clocks que podem ser visto abaixo na tela do GPU-Z, sendo que não é nossa intenção fazer testes mais avançados a fim de buscar altos resultados, mas sim mostrar que a placa pode subir um pouco mais do que o padrão.

Vale lembrar que eu não vejo sentido algum overclockar uma placa desse nível caso você seja um usuÁrio que queira usar ela para jogo, etc. A única situação que levaria um overclock de uma placa desse nível é buscar recordes em aplicativos como 3DMark, no demais é um risco totalmente desnecessÁrio e sem sentido, afinal ela jÁ possui um desempenho muito acima do que é necessÁrio para se jogar bem todos os games no momento, mesmo que com qualidade alta.

Far Cry 2
Abaixo temos os resultados da placa com clock padrão e overclockada em cima do game Far Cry 2, como vemos, com um ganho baixo quando overclockada.

{benchmark::367}

Tom Clancy´s H.A.W.X.
Em cima do H.A.W.X. o desempenho quando a placa overclockada é ainda menos notado, apenas 1 FPS.

{benchmark::368}

OBS.: Colocamos a placa com clocks maiores e a mesma começou a apresentar artefatos e resetar a mÁquina, por isso não aumentamos mais do que o apresentado na tela do GPU-Z.

{break::Conclusão}Sem sombra de dúvidas a Radeon HD 5970 é a placa mais poderosa do mundo na atualidade. Ponto para a ATI que consegue fechar sua primeira série de lançamentos TOP da geração 5000 com chave de ouro, uma placa para usuÁrios extremamente exigentes.

Como estamos falando de uma VGA recém-lançada e baseada em Crossfire por utilizar PCB com dois chips, temos sempre que frisar que seu desempenho é muito dependente de seus drivers, então podemos esperar melhorias de desempenho ao longo das novas versões do Catalyst, principalmente para games mais recentes como é o caso do DiRT 2.

Gostaríamos de destacar alguns pontos aos interessados em comprar uma Radeon HD 5970. Na verdade dois pontos cruciais: O primeiro é seu tamanho, gigantesco, a maior placa que jÁ vi. Como puderam acompanhar nas fotos, ela possui 30,5cm de comprimento, que pode ser um grande problema para muitos usuÁrios desavisados, visto que grande parte dos gabinetes não suporta uma placa dessa proporção. O segundo ponto é a fonte exigida para esse modelo, que não pode ser qualquer uma. Recomenda-se um modelo de no mínimo 750W reais, mesmo que a ATI recomende uma de 650W.

Vale destacar que duas Radeons HD 5850 em modo Crossfire se saem um pouco melhor que uma Radeon HD 5970, com a vantagem de serem separadas para trabalharem sozinhas se necessÁrio. Como uma 5850 custa $299 dólares e uma 5970 custa $599 dólares, essa comparação é bem pertinente.

Em se tratando do modelo utilizado na review da empresa HiS, o destaque fica em cima dos "extras" que a empresa deu à placa. Primeiro o fato de vir acompanhada do game DiRT 2, como jÁ destacamos nos testes do mesmo nesse review, um dos títulos mais aguardados do ano, e que traz suporte a DX11, um dos principais diferenciais da VGA. E também pelo fato da HiS colocar alguns acessórios como um mini kit de ferramentas com uma chave possuindo 7 utilidades, inclusive lanterna. Para uma placa com esse custo, esses "mimos" são muito bem vindos.

PRÓS
CONTRA