Chegamos a terceira edição do nosso PC Ideal do ano. Depois de 2016 e 2017, agora é o momento de montar um computador pronto para encarar os lançamentos do ano de 2018. Aqui a meta segue a mesma das edições anteriores:  queremos um computador capaz de rodar jogos em resolução FullHD com uma taxa de quadros na casa dos 60fps e alta qualidade gráfica.

PC Gamer Adrenaline: qual o computador que indicamos você montar pra jogar!
PC Ideal para Jogar 2017: o computador que recomendamos montar

A meta: um PC Gamer capaz de rodar todos os jogos do ano em alta qualidade e com o melhor balanço entre custo e benefício ao consumidor


Links para os notebooks Acer/AMD:

Aspire E5-553G-T4TJ 
http://bit.ly/AspireE5-553G

Aspire A515-41G-1480
http://bit.ly/A515-41G


Para os testes escolhemos alguns dos principais títulos lançados ao longo do ano, o que inclui:

- Battlefiedl V
- Call of Duty Black Ops 4
- Assassin's Creed Odyssey
- Forza Horizon 4
- Monster Hunter World

Escolhendo a placa de vídeo

Nossa bateria de testes tem endereço certo: os hardwares do segmento intermediário, onde costumamos encontrar a performance suficiente para nosso objetivo. Por isso sacamos para a disputa das placas de vídeo a AMD Radeon RX 580 8GB  e a Nvidia GeForce GTX 1060 6GB. Recém-lançada e com disponibilidade ainda limitada, deixamos por enquanto a RX 590 fora do comparativo, e como podem ver nos resultados abaixo, a RX 580 já dá conta e tem preço mais competitivo.

Placas testadas:

- Gigabyte GeForce GTX 1060 G1 Gaming 6GB - link da análise
- Sapphire Pulse Radeon RX 580 8GB - link com especificações

Preços médios:

GTX 1060 6GB - aproximadamente R$ 1.3 mil
RX 580 8GB -  aproximadamente R$ 1.3 mil (com versão de 4GB saindo por R$ 1 mil) 
 

 

A primeira conclusão é que ambos os modelos atendem bem a proposta. Eles entregaram mais de 60fps ou passaram perto disso em todos os testes, com a exceção sendo Assassin's Creed Odyssey, game em que foi preciso derrubar o pre-set de qualidade do Ultra para o Alto, para conseguir uma melhor taxa de quadros. Na disputa há uma vitória para cada um: para a Radeon RX 580, ela ficou na vantagem em vários dos testes. Pra a GeForce, porém, há um trunfo importante: ela foi a única que apresentou boa estabilidade em todos os testes, pois não apresentou o péssimo desempenho como aconteceu com a Radeon em Assassin's Creed Odyssey.

Tanto RX 580 8GB quanto GTX 1060 6GB atendem nossa proposta

Com esse contexto, o consumidor pode escolher qualquer uma das duas, e se quiser definir o modelo pode usar critérios como afinidades com marcas ou as suíte de aplicativos adicionais (como o GeForce Experience ou o Radeon ReLive). Aqui nós precisamos pegar uma para poder ir para a próxima etapa, então vamos de Radeon RX 580 8GB. Além de ter ficado na frente na maioria dos testes, ela conta com um pouco mais de memória (algo que é sempre melhor ter sobrando, mesmo 6GB sendo suficientes). Para quem estiver afim de economizar um pouco e não pretende jogar em resoluções superiores ao FullHD, talvez compense pegar a RX 580 com 4GB. Eventualmente pode ser necessário baixar alguma configuração, como as texturas do ultra para o alto, mas na grande maioria dos casos os 4GB darão conta (como fica evidente em nosso comparativo em vídeo) e os 200 reais podem ser investido em algo como um SSD, que com certeza fará mais diferença no seu PC que a quantidade adicional de VRAM. O caso da GTX 1060 de 3GB já é diferente, pois além de "espremer" mais as coisas, ela também tem cortes de performance em relação ao modelo de 6GB.

 

Vez do processador

Ok, vamos de RX 580 (ou se você preferir, vai de GTX 1060). Que processador tem fôlego para extrair o potencial total dessas placas? Colocamos os modelos do segmento intermediário e "queridinhos" de muitos gamers, o Ryzen 5 2600 e o Core i5-8400. Dá para jogar muitos dos títulos desse ano em CPUs mais modestas, que o diga o PC Baratinho, mas processadores de baixo custo sofrem visivelmente em games como Battlefield V e Assassin's Creed Odyssey, e queremos um computador que não decepcione em nenhum título.

Processadores testados:

- AMD Ryzen 5 2600: 3.4GHz clock base, 6 núcleos, 12 threads, desbloqueado para overclock. - site oficial - Preço médio: R$ 900
- Intel Core i5-8400: 2.8GHz clock base, 6 núcleos, 6 threads, bloqueado para overclock - site oficial - Preço médio: R$ 1,1 mil 

Com uma meta que mira nos 60fps, e uma placa de video mantendo mais ou menos nessa casa a taxa de quadros, tanto o Ryzen 5 2600 quanto o Core i5-8400 deram conta e mantiveram uma performance semelhante nos testes, colocando a RX 580 muito próxima do seu potencial máximo. Porém nesse caso não ficamos "em cima do muro", já que há motivos para optar por um. O modelo da AMD vem sendo vendido por em torno de 200 reais a menos que o modelo da Intel, que inclusive estava fora de estoque na maioria dos lojistas pesquisados no momento que esse texto é escrito. O Ryzen tem uma plataforma mais longeva (até 2020 vai usar o mesmo soquete), tem SMT liberado o que resulta no dobro de threads e também permite overclock mesmo em chipsets intermediários como os B350 e B450, Definitivamente a AMD tem várias vantagens em sua plataforma intermediária, frente a Intel.

8GB de RAM dá conta?

Nossos testes até o momento não haviam limitado os recursos quando o assunto é RAM. A bateria com as placas de vídeo usou 16GB em 3200MHz. Para os processadores, os testes foram trazidos para mais regulares 2666MHz, mas ainda na quantidade farta de 16GB. Mas... será que 2018 ainda dá para usar 8GB? Baixamos a configuração para dois módulos de 4GB em 2666MHz e comparamos com nossos resultados anteriores, feitos com dois módulos de 8GB também nessa frequência.

8GB ainda entrega, mas o sinal vermelho já está aceso

8GB ainda dão conta, entregando uma taxa de quadros em níveis próximos dos 16GB, porém já fica evidente uma influência negativa. A performance não é comprometida quando jogamos em 8GB, mas em alguns games já há sinais consistentes de perdas de desempenho e especialmente estabilidade. Se você deixa aplicativos abertos em segundo plano, ou vai fazer atividades paralelas como fazer o streaming do gameplay, mais RAM está começando a se tornar um recurso necessário. Se você quer montar um PC para longo prazo, melhor já investir em 16GB ou se preparar para no futuro adicionar mais memória.

Configuração final

Com tudo definido, vamos para as peças finais estimados:

- Processador AMD Ryzen 5 2600 - R$ 900
- Placa-mãe A320 - R$ 350
- 2x4GB DDR4 2666MHz (ou 2x8GB para maior segurança a longo prazo) - R$ 550
- AMD Radeon RX 580 8GB (podendo ser substituída pela Nvidia GeForce GTX 1060 6GB) - R$ 1.3 mil
- SSD de 120GB -  R$ 150
- HD  de 1TB - R$ 200
- Gabinete - a partir de R$ 100
- Fonte de 500W - R$ 200

Custo total: R$ 3.750

Alguns componentes relevantes de serem mencionados: um SSD de 120GB para o sistema operacional e para aplicativos mais usados é indispensável para garantir que o computador seja ágil. Apesar do impacto nos games não ser sentido com tanta intensidade, no uso do computador como um todo esse armazenamento ágil muda em muito a qualidade da experiência com o PC, e por isso está nas nossas indicações. Porém, como jogos não são econômicos em espaço, ao menos 1TB de HD segue mandatário. 

Gameplay

Link para compra

Para quem está buscando a praticidade de uma máquina montada, a Pichau trouxe duas máquinas prontas com ambas as variações, com a GeForce GTX 1060 e a Radeon RX 580

PC Ideal Adrenaline com GTX 1060 - link para compra
PC Ideal Adrenaline com RX 580 - link para compra

Ok, muita teoria até aqui. Mas como é jogar com esse sistema? Pois é isso que vamos descobrir em nosso próximo vídeo com o PC Ideal 2018! Vamos jogar os principais lançamentos do ano, incluindo alguns que não participaram dessa bateria de testes iniciais, e vamos mostrar o que esse hardware é capaz de fazer! Fique de olho no site!