Depois que o Ray Tracing enfim chegou ao Battlefield V e foi possível rodar os primeiros testes, descobrimos o grande impacto que usar a tecnologia traz para a performance da placa. O resultado é que o desempenho cai pela metade na maioria dos cenários.  Agora a atualização mais recente do game e do driver trazem novidades relevantes nesse front, prometendo reduzir o impacto de ativar o recurso e trazer ganhos de até 50% de performance comparado ao driver anterior.

Diferença visual e de performance do Ray Tracing rodando nas RTX 2080 Ti e 2080

Nossos testes vão por em ação a mesma bancada usada no teste original, e as placas usadas também serão as mesmas. Infelizmente a RX 2070 fica de fora do testes porque na época do lançamento da tecnologia a Origin travou nossa cópia do jogo depois da troca da placa de vídeo.

Hardware usado:

- Intel Core i9-9900K
- Placa-mãe Gigabyte Z390 Aorus Master
- 16GB (2x8) memória  G.SKILL TRIDENTZ 3200MHz
- Themaltake TOUGHPOWER GRAND SERIES RGB 850W

Placas
- Nvidia GeForce RTX 2080 Founder Edition
- EVGA GeForce RTX 2080 Ti FTW3 Ultra

Repetimos o trecho de nosso primeiro teste, feito novamente nas ruas de Roterdã, por ser um cenário interessante repleto de objetos como poças d'água, carros e vidros onde o efeito do Ray Tracing é amplamente usado. Fizemos os testes em FullHD com DXR no Ultra, pois essa é a configuração utilizada em nosso teste anterior, e descartamos o 4K porque as placas não são capazes de rodar satisfatoriamente esse teste mesmo com 50% de ganho de performance, e a própria Nvidia está indicando jogar em QuadHD, no máximo.

É claro que se a Nvidia indicou ganhos de até 50%,isso não quer dizer que esse seria o salto em todas as situações. Em nosso teste, que tem variações desde momentos em que olhamos diretamente para vidraças até partes correndo pelas ruas do mapa, o ganho foi entre 20 a 25%, um salto relevante de performance. 

Os 20% de incremento em performance viabilizaram o QuadHD,
mas 4K e Ray Tracing seguem fora de cogitação

Esse ganho de desempenho melhorou consideravelmente a performance, mas ficam longe de ser suficiente para tornar viável um gameplay que una a resolução 4K e o recurso do Ray Tracing, por isso faz sentido que além de anunciar a novidade, a postagem da Nvidia também trouxe recomendações do nível de qualidade que os gamers podem definir o game para alcançar bom desempenho, sendo que o indicado para cada modelo é:

- RTX 2080 Ti - 2560 x 1440 com DXR no Ultra
- RTX 2080 - 2560 x 1440 com DXR no médio
- RTX 2070 - FullHD com DXR no médio

Jogamos com essas configurações, dando prioridade ao mapa "Aço retorcido", onde há trechos alagados em que há bastante impacto na performance do sistema para lidar com o Ray Tracing de tanta superfície com água ou úmida. Em nossos testes a empresa conseguiu entregar em todas as configurações sugeridas, mantendo uma taxa de quadros acima dos 60fps praticamente o tempo todo, e quando não conseguiu, a queda não é relevante o suficiente para ser problemática ao jogador.

O que ficou faltando no novo driver é outra funcionalidade que desapareceu nos updates mais recentes. A Nvidia tirou o suporte ao SLI em Battlefield V. A justificativa da empresa é que foi encontrado um problema que gerava artefatos na tela, como gliches gráficos e elementos piscando. De acordo com Alexandre Ziebert, do marketing técnico da Nvidia, as correções aplicadas até o momento estavam impactando em excesso a performance, então enquanto não é solucionado ao mesmo tempo o desempenho e a estabilidade, a empresa está tirando o recurso do ar. A expectativa é que não demore para vir um driver viabilizando a combinação de placas novamente, mas ao mesmo tempo não foi dado nenhum prazo para que isso aconteça.

No momento o SLI está desabilitado e não há
uma previsão de quando voltará em BF V

Nessas situações não é uma surpresa que o Ray Tracing, um dos principais recursos de marketing da série 20 de placas de vídeo, tenha ganho a preferência e recebeu melhorias e correções mais rapidamente, porém é bom lembrar que todo chip gráfico high-end da empresa tem entre seus features o SLI, e normalmente não tem nenhum aviso, nem aquele com letrinhas pequenas, avisando que haverá games que ele não funciona, e que eventualmente a solução para problemas de desempenho é simplesmente desabilitá-lo e tornar uma das placas inútil.

Mesmo com os avanços, ainda não é a hora de embarcar no hype do Ray Tracing. O custo muito elevado das placas e a baixa quantidade de títulos utilizando o recurso ainda tornam pouco interessante migrar para a plataforma RTX. Afinal, já que ainda está em desenvolvimento e evolução, melhor pegar depois por um custo mais baixo e com os "perrengues iniciais de novas tecnologias" superados. Se você é entusiasta e gosta de estar entre os early adopters, mesmo com todos esses inconvenientes que listamos, ao menos já dá pra dizer que é realista mirar em QuadHD o seu gameplay com Ray Tracing.