A AMD lançou novos modelos de Athlon com o soquete AM4, o mesmo utilizado nas CPUs Ryzen, porém dessa vez não temos aqui o reaproveitamento de microarquitetura antigas. Esses novos produtos vem com o processamento baseado em Zen e os gráficos integrados baseados em Vega. Recebemos o Athlon 200GE para testes, e esse modelo dual-core com custo na casa dos R$ 300 tem endereço certo: um tal modelo dual-core com custo na casa dos R$ 300 chamado Pentium G4560, da rival Intel.

Vídeo: Será que dá pra jogar no Athlon 200GE? Colocamos ele no PC da Crise pra descobrir!

O G4560 é um CPU muito relevante para nós por ser o processador usado extensivamente ao longo da série do PC Baratinho, justamente por conseguir dar conta do recado quando o jogo não é exigente em processador, e por custar tão pouco. Mas será que temos aqui um produto digno de disputar o trono de rei dos processadores baratinho?

Desenvolvedor Intel AMD
Distribuidor Intel AMD
Plataformas Intel Socket LGA 1151 AMD Socket AM4
Site oficial Link Link
Preço no lançamento U$ 64,00 U$ 60,00
Preço atualizado R$ 330,00 (em 09/08/2017 ) R$ 299,99 (em 31/10/2018 )
Especificações
Socket LGA1151 AM4
Processo de fabricação 14nm 14nm
Conjunto de instruções 64-bit 64-bit
Número de núcleos 2 2
Threads 4 4
Multiplicador desbloquado Não Não
Canais de memória dual-channel dual-channel
Codinome Kaby Lake Raven Ridge
TDP 54 35
Cache L3 3 4
Clock 3500 3200
Clock (Turbo) 3200
Memórias suportadas DDR4 DDR4
PCI Express 3.0 3.0
Canais PCI Express 16 8
Vídeo Integrado
Monitores suportados 3 3
GPU Intel HD 610 Radeon Vega 3
Clock 1050 1000
DirectX 12 DX12
Características Gerais
Acompanha cooler? Sim Sim

Os dois produtos compartilham muitas características. Ambos tem 4MB de L3 cache, ambos contam com dois núcleos e ambos conseguem entregar 4 threads. Ambos também são construídos na litografia de 14 nanômetros, e ambos tem um TDP baixo, um indicativo de baixo consumo e aquecimento. As principais diferenças ficam por conta das arquiteturas. Enquanto o Athlon vem com a microarquitetura Zen, o Pentium vem com a Kabi Lake. Em geral, a Intel tem se saído melhor em performance por thread, e a AMD compensa essa diferença entregando mais núcleos e mais threads, algo que não acontece nessa batalha.

Mas talvez a diferença mais relevante está nos gráficos. Enquanto a Intel usa o HD Graphics 610, a AMD tem em sua manga uma GPU baseada em Vega. A empresa que fabrica boa parte dos chips para consoles e uma parte significativa das placas de vídeo para PCs tem em seu favor a ampla experiência nessa área.

Vamos ver as duas frentes, tanto CPU quanto GPU, fazendo os testes primeiro com apenas os processadores (vendo o que os gráficos integrados tem para oferecer) e depois colocando uma placa de vídeo para ver se o processador aguenta empurrar um chip gráfico dedicado.

Gráficos integrados

As impressões no teste com gráficos integrados são uma mescla de diferentes situações. Sem nenhuma dúvida o chip gráfico do Athlon mostrou uma clara vantagem sobre o disponível no Pentium, empurrando a média de quadros para muito acima do que o alcançado pelo produto da Intel. Rocket League, Fortnite e Counter Strike mostram claramente esse cenário, porém é bom destacar que em CSGO, onde a ferramenta de benchmark usada passa duas vezes por dentro da fumaça, nenhum dos chips gráficos deu conta e os 1% e 0.1% "foram para o chão".

Porém em DoTA2 é que temos o resultado mais divergente. Além de ter pouca margem de vantagem comparado a outros testes, o Athlon é tão instável nesse game que seus 1% e 0.1% são piores que os apresentado no Pentium. Assistindo o game rodando nas duas plataformas, fica evidente o quanto a experiência é muito melhor no modelo da Intel, mesmo tendo uma média um pouco inferior. Com ambos os chips tendo uma boa margem de desempenho, isso traz a carga para o processador, e aqui temos um primeiro indício de uma vantagem pro Pentium. 

Mas nada melhor do que equipar uma placa de vídeo, aumentar a taxa de quadros e ver qual CPU aguenta melhor o tranco. E para isso vamos colocar em ação a GTX 1050, uma placa de vídeo de entrada e que faz muito sentido de ser combinada com esses modelos!

Combinado com a GTX 1050

 

Colocando em ação os sistemas com games mais exigentes, a conclusão é: não use nenhum desses modelos se pretende jogar algo que exige performance de processador. É só olhar para os 1% e 0.1% de quedas para ver como nenhum dos dois modelos apresentou algo decente em qualquer um dos games testados. Jogos mais leves, como os da primeira bateria, serão possíveis, mas querer games de mundo aberto muito complexos, como Assassin's Creed Odyssey, é pedir para ver o sistema se tornar tão instável que o gameplay fica inviável.

Olhando os testes o primeiro a chamar a atenção é Forza Horizon 4. O jogo roda pessimamente mal no Athlon, algo que nos indica algum problema específico em driver, já que fica completamente fora da curva comparado aos demais testes, então estamos desconsiderando ele até investigar mais a fundo o problema. No restante dos testes, temos uma leve vantagem para o Pentium em Witcher 3 e menos stutterings em Battlefield 1, enquanto a AMD ficou na frente em Assassin's Creed Odyssey. Porém, sinceramente, é inútil essa vitória no game da Ubisoft, já que os dois se saem tão mal que não é aproveitável jogar em nenhum dos dois. Também testei jogar com os dois processadores em um servidor com 64 jogadores em BF1 porém, sinceramente, apesar de mostrar uma leve vantagem o modelo da Intel, os dois não servem para jogar nessa situação, com travadas após travadas destruindo a fluidez do game.

Nessa situação ruim para ambos, decidimos então pegar o caso que mais parecia promissor: apesar da instabilidade, ambas as CPUs parecem ter condições de travar Witcher 3 em 30fps, uma situação mais realista para esses processadores tão limitados em um game com amplo mapa. Aqui vemos um novo indício da vantagem do modelo Intel quando a carga está direcionada a porção de CPU dos chips.

Enquanto o modelo Athlon apresentou mais variações, o Pentium cravou 30fps nos 1%, mostrando que foram muito raras as variações na taxa de quadros e que ele dá conta de rodar o game travado nessa configuração.

Veredito

Temos duas situações bastante diferentes. O Pentium se mostrou mais consistente ao longo dos testes quando o assunto foi performance de processador, algo que ficou mais evidente nos testes com DoTA 2 e Witcher 3, além do problemático teste com Forza Horizon 4 do Athlon. Mas quando falamos de performance gráfica, o chip Vega massacra o indefeso Intel Graphics HD 610, abrindo uma margem de vantagem que faz toda a diferença para um gameplay sem uma placa de vídeo dedicada.

Eles dão conta de games mais leves, algo que o Pentium já provou em muitos vídeos da série do PC Baratinho e que o Athlon não fez feio em nosso gameplay, porém foi colocar games mais exigentes com CPU no "cardápio" para ver ambos não darem conta. Eu passaria reto de ambos se tem em mente um game com mapas amplos ou muitos jogadores simultâneos, e também é importante estar ciente que os dois processadores não tem margem de desempenho para garantir uma alta estabilidade, então é bom estar pronto para encarar alguns stutterings de vez em quando, se pegar um deles.

Para usar gráficos integrados, o Athlon. Para combinar com uma placa de vídeo, o Pentium. Para jogos pesados em CPU, nenhum dos dois