Adrenaline: Fonte de informação sobre Tecnologia e Jogos

PC GamesXboxPlaystation

BGS 2018: Jogamos Resident Evil 2 Remake com a Claire e o Leon - veja o que achamos!

BGS 2018: Jogamos Resident Evil 2 Remake com a Claire e o Leon - veja o que achamos!






Share on Google+

Um dos jogos mais populares da BGS 2018 certamente é o remake de Resident Evil 2, e suas filas que só nos deixaram experimentar o game agora confirmam as expectativas em torno dele. Mas agora fizemos questão de jogar as demos dos dois personagens para trazer a vocês nossas impressões sobre o game, que deve ser um dos principais lançamentos de 2019!

Leon

O trecho disponível para jogar com o Leon nessa demo é quando acabamos de entrar na delegacia R.P.D. e precisamos explorar o cenário, ainda atrás de pistas enquanto o personagem tenta entender o que está acontecendo. Logo de cara dá pra notar como a ambientação neste game ficou bem implementada. Os ambientes são ricos em detalhes e muito bem construídos e a escuridão impera no jogo. O sentimento realmente fica um tanto opressivo e claustrofóbico e dá pra notar o potencial de tornar a delegacia muito mais assustadora quando não dá pra enxergar sem uma lanterna, algo que não poderia ter sido implementado tão bem na versão original do jogo.

A câmera "sobre o ombro" também ajuda muito na medida que você nunca tem uma visão muito ampla do cenário, que oferece inúmeros esconderijos para algum zumbi pegar o jogador de surpresa. Só isso já garante a tensão a cada passo em novos ambientes. E, quando você é atacado, a câmera se aproxima ainda mais, de maneira que a tela é quase totalmente ocupada pela cena da mordida, tornando a experiência ainda mais intensa e assustadora.

E claro que esse tipo de câmera também possibilita uma mira mais precisa, que vai valorizar muito os tiros na cabeça. Uma mecânica interessante aqui é que, assim que você mira, os tiros são mais imprecisos. Ficar um tempo com a arma empunhada melhora a acurácia do tiro, um sistema muito bacana porque não é só uma ótima mecânica de gameplay, mas é também algo realista e imersivo.

Infelizmente, a demo aqui é muito curta. São 10 minutos "cravados" no relógio e o jogo simplesmente encerra quando o tempo acaba, não importa o que você estiver fazendo. Por isso não dá pra se aprofundar mais nessas impressões, nem deu pra descobrir como funciona um novo sistema de tábuas para bloquear janelas, que encontrei o item, mas não tive a chance de usar. Mas, mesmo com apenas 10 minutos, deu pra ver que o jogo promete, e muito!

Claire

Se a demo foi legal com o João GAN, comigo foi impiedosa. Ganhei um tempinho de exploração, com aquela sensação desgraçada de "isso aqui está muito quieto" me acompanhando ao longo de todo o processo, mostrando que o jogo está mandando bem na ambientação e na construção de uma atmosfera de terror e tensão. Após encontrar Sherry Birkin, a rápida conversa é interrompida por uma luta com nada menos que William Birkin em estágios iniciais de transformação. O cenário é minúsculo, formado por corredores onde não tenho como passar por ele. Felizmente dá pra ficar circulando para ganhar espaço para disparar, mas após esvaziar a pistola que eu tinha disponível, o máximo que consegui foi deixar ele mais irritado e descobrir que o gerenciamento das munições vai ser crítico, exatamente como no jogo original.

A tensão está bem construída graças a falta de um ângulo amplo de visão, que obriga o jogador e ficar girando o tempo todo para ver se não tem algo vindo na direção dele, pelos cenário escuros e por eventuais "jump scare" quando perdi Birkin de vista e ele decide surgir do nada, do teto. 

Aparentemente os canos que quebrei soltaram um gás que estava influenciando na velocidade de combate do mostro, e na medida que conseguia manter ele mais tempo imerso na fumaça, mais isso parecia atrapalhar a capacidade dele de se mover. Estava juntando mais munição e itens para resolver o combate, mas antes de achar a solução para passar por ele, a demo terminou e recebi a singela mensagem de agradecimento por ter testado.

Mesmo no tempo bastante curto de teste e com "Despacito" a todo vapor no estande com Just Dance, logo ao lado quebrando a atmosfera, deu pra perceber que os gráficos e as trilhas sonoras estão muito bem trabalhadas, e a ambientação e imersão estão na dose certa para fazer com que a experiência com Resident Evil 2 Remake seja tensa e um tanto assustadora, o que é exatamente o que os nostálgicos da franquia e os fãs de games de terror estão buscando.

 

Resident Evil 2 Remake será lançado no dia 25 de janeiro e estará disponível nas plataformas Playstation 4, Xbox One e PC.


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Adrenaline. Se achar algo que viole nossas condições de uso, denuncie através do link de report de erro do conteúdo.

Comentários que não são pertinentes a discussão, com caráter ofensivo, com xingamentos etc., serão deletados sem aviso prévio e os usuários serão BANIDOS. Não iremos fazer análises de reclamações sobre banimentos, então pedimos a colaboração para evitar inconvenientes.

* Esse é um espaço de troca de conhecimentos e opiniões, use-o para esses propósitos *