Shadow of The Tomb Raider seria o décimo segundo game da franquia Tomb Raider, contando desde a primeira edição, lançada em 15 de outubro de 1996 pela Eidos Interacttive. Em 2013 a produtora Crystal Dynamics juntamente com a Square Enix (depois de comprar a Eidos) iniciaram uma nova trilogia que traria a história de Lara Croft desde a sua adolescência quando ela naufragou junto com alguns amigos em uma ilha chamada Yamatai.

Shadow of The Tomb Raider chega agora para mostrar uma Lara Croft mais madura, adulta e emocionalmente ferida com os ecos do passado.

O game chega cheio de inovação como, por exemplo, ação debaixo d’água ou uso quase constante de rapel. Além disso, Shadow se torna mais "adulto" do que qualquer outro game da senhorita Croft. Pra mim, este é definitivamente o melhor da franquia, fechando a trilogia com Chave de Ouro.

Em uma análise onde o jogo é uma sequência natural, e a história é crucial para fechar um ciclo, no caso uma trilogia, não quero entrar no mérito dela aqui porque há muitas surpresas, reviravoltas e diversas cenas fortes incluindo flashbacks importantes. E isso estragaria a magia de quem for jogar.

Optei por escrever uma análise bem mais objetiva e direta na questão das diferenças e melhorias em relação ao game anterior. Mas como o inicio foi amplamente divulgado em diversos previews, não vejo problemas em citar. Mas se você não quer saber o que acontece, pule para "Uma Lara que não conhecíamos" no menu à esquerda.

--- SPOILER ---

Shadow of The Tomb Raider começa com Lara em uma expedição em busca de uma Adaga Maia ligada diretamente ao seu falecido pai. Obviamente que a Trindade (sempre ela!) busca a mesma relíquia. O fato é que Lara chegou antes e, sem pensar direito achando que estava fazendo a coisa certa, retira a tal Adaga do local. Foi um erro.

Um erro gigantesco, porque a poderosa Adaga não poderia nunca ter sido retirada de onde estava. As consequências foram fatais, já que a maldição da Adaga criou um enorme Tsunami que invadiu a ilha onde estava, destruindo tudo e matando dezenas de pessoas, inclusive crianças.

Em uma das cenas mais tristes, vemos Lara tentando salvar uma criança que estava pedindo socorro. Em vão. Além de se sentir culpada, a Trindade também a culpa e avisa que outras tragédias irão acontecer.

--- FIM DO SPOILER ---


Uma Lara que não conhecíamos

Quem está acostumado com o ar de aventureira da heroína, desde os primeiros games, vai se surpreender com a sua nova versão, que literalmente é a "sombra" de Lara Croft, daí o nome do game. Há uma grande reviravolta no início da jogatina, onde a partir deste ponto, o game se torna quase sombrio com uma Lara mais brutal e, por que não, sanguinária.

Para se ter uma ideia do lado sombrio de Shadow of The Tomb Raider, que é inédito na série, há cenários que parecem terem sido tirados diretamente de DOOM ou Hellblade, com corpos ensanguentados, esquartejados, espalhados por todo canto.

Shadow of The Tomb Raider é um game sombrio com uma Lara mais brutal

Existem inúmeros movimentos novos de combate, dentre eles um em especial onde Lara atira com sua flecha presa em uma corda, e pendura os inimigos na árvore ou os esconde nos galhos. Isso é extremamente útil nas florestas. Me senti literalmente jogando com uma "Spider-girl".

Jogar em Stealth é a cereja do bolo! Percebe-se claramente que ela é uma personagem letal, sem papas na língua, uma caçadora. Um dos momentos marcantes é quando ela se suja de lama para se esconder em paredes e arvores na floresta, com a intenção clara de matar o inimigo de forma grotesca. Quem assistiu o filme original O Predador, onde Schwarzenegger se suja de lama e se esconde para que o Predador não o veja? Pois é!

Também há novidades na movimentação, como a bem-vinda inclusão de um mundo subaquático, que inclui desde um Tsunami até cavernas imensas debaixo d’água. Além disso há diversas áreas secretas apenas acessíveis ao mergulhar, por vezes, em um pequeno fosso. Então uma dica é ficar atento a qualquer área com água, por menor que seja, até mesmo dentro de cabanas.

Acha que nadar é algo fácil? No início até é, mas em determinados momentos em cavernas longas Lara precisará respirar, e a tensão irá ao máximo quando se deparar, por exemplo, com uma enguia que se enrola na heroína. Ou um cardume de famintas piranhas. Há momentos milimetricamente calculados, onde por questão de décimos de segundos, Lara não se afoga.

Nadar é uma mecânica central neste jogo

Vale dizer que Shadow of The Tomb Raider é o mais claustrofóbico e tenso de toda franquia. Em dezenas de momentos Lara sobrevive quase que por um milagre, chegando a agonizar pouco antes. Logo no início do jogo, há uma situação incrivelmente tensa que lembra o filme 127 Horas, protagonizado por James Franco. Vale lembrar que o jogo traz várias referências à filmes e culturas pop, que vão de Predador a Rambo.

Todas as cenas de Shadow foram criadas de forma magistral, chegando ao ponto de mexer com as emoções reais do jogador. Você sentirá repulsa, agonia e ficará extremamente nervoso com a Lara. E ainda sentirá pena dela em alguns momentos. 

Parafernálias aprimoradas

A principal característica de toda franquia é desvendar os mecanismos, seja para atravessar um local a fim de seguir o seu caminho ou descobrir algum segredo guardado a sete chaves. Em Shadow of The Tomb Raider a opção foi tornar estas engenhocas mais complexas, mas não complexas em termos de dificuldade, mas sim de quantidade de coisas a se fazer. Um desses mecanismos me fez gastar quase trinta minutos para conseguir descobrir como ativar toda a parafernália, e olha que era apenas para atravessar um local e prosseguir na História.

Estes mecanismos são uma marca registrada da série, mas os de Shadow of The Tomb Raider, além da complexidade citada acima, estão mais vertiginosos do que nunca. É inacreditável assistir Lara se agarrando em várias estalactites com corpos pendurados, com uma altura de centenas de metros, podendo enxergar toda a selva peruana do alto! Tudo no jogo é "exagerado" em termos de altura. Realmente incrível!

Como o jogo é três vezes maior do que Rise of The Tomb Raider, a quantidade de locais secretos e tumbas também aumentaram e, com isso, as dificuldades para encontrá-las. Para se ter uma ideia, uma delas encontrei dentro de uma cabana em Paititi na Floresta Peruana, onde era preciso mergulhar em uma espécie de "latrina" e sair em uma caverna secreta, dentro dessa caverna era preciso chegar ao topo com penhascos enormes, pular e aí chegar literalmente dentro do local secreto. Chegando lá, me deparei com uma estrutura gigantesca movida a espelhos que refletiam a luz do Sol. Isso foi apenas um exemplo.

Vamos às compras

Lara agora pode comprar diversos itens com comerciantes, não se limitando apenas à armas. Itens como peles de animais, plantas, penas de pássaros raros, fragmentos, veneno, madeira, óleos, armas e até peças de roupas como coletes, botas, mantos e etc.

Cada comerciante possui itens de um determinado tipo, assim como acontece em games de RPG. E dependendo do local, os valores mudam. Além disso, Lara pode vender itens, principalmente pedras e metais preciosos encontrados na floresta e ainda debaixo d’água.

Esta função de comércio traz algo interessante à franquia, aproximando mais a um game de RPG, e possibilitando usar vestimentas misturadas com características diferentes.

Falando em roupas, Shadow of The Tomb Raider traz diversos trajes e dentre eles, clássicos da época de antes da trilogia atual como o sexto jogo da franquia Tomb Raider: The Angel of Darkness e Tomb Raider 2. Nesses dois casos, você poderá jogar com a Lara Croft clássica.

Floresta + HDR

Confesso que no início estava achando o visual de Shadow of The Tomb Raider apenas normal (tirando os trechos fixos que usam script), seguindo os mesmos padrões gráficos do último game de 2016. Mas ao passar toda a introdução e de fato entrar na história, que começa a partir de um grande acontecimento (Sem Spoiler!), o visual muda radicalmente e ai sim é mostrado todo seu poderio gráfico.

Os cenários na floresta peruana são lindíssimos. A região de Paititi no Peru é um dos mais belos locais já criados para esse tipo de game. Tudo é extremamente detalhado de texturas á efeitos de iluminação, de vestimentas locais à animais perigosos soltos pelo caminho. As animações estão mais aprimoradas, e condiz mais com a realidade, como a Lara enxugando o cabelo ao sair da água.

A região de Paititi no Peru é um dos mais belos locais já criados para esse tipo de game

Falando em água, há momentos bons e ruins. Em determinados locais, os efeitos de água são belíssimos principalmente em lagos paradisíacos com cachoeiras e córregos, já em outros é bem feio à tal ponto que parece que não finalizaram o visual. Chega a ser estranho a pouca interação com a água quando Lara nada ou mergulha. Isso sem falar que nesses mesmos locais, cardumes inteiros ficam travados em um looping constante. Claramente um bug gráfico que um patch poderá corrigir.

É importante dizer que no mercado existem dezenas de jogos quem usam a tecnologia HDR (High Dynamic Range), que define a quantidade de luz em diferentes intensidades, dependendo do local em que ela incide. Isso afeta diretamente o Brilho e Contraste gerando cor e iluminação mais intensa e realista. Shadow of The The Tomb Raider faz o melhor uso dessa tecnologia nesta geração. Fatores, como por exemplo o cenário onde o jogo se passa, ajudam a mostrar que o HDR pode transformar um visual bom em algo espetacular de encher os olhos.

Dublagem nativa

A dublagem de Shadow of The Tomb Raider se mantém na mesma qualidade excepcional dos dois games anteriores. Foram mantidas os mesmos dubladores, mas há uma novidade implementada no game: uma opção onde o jogador ativa a dublagem nativa da região que Lara está. Ou seja, ativando a opção, as vozes dos nativos ficam no idioma local e uma legenda aparece.

O jogo fica bem interessante e realista, mas há um ponto negativo: Lara continua a falar em Português ou Inglês e os nativos falam nos seus idiomas originais, e todos se entendem. Fica estranho, mas isso não tira a qualidade da dublagem e do sistema de som o game, que na floresta é primoroso.

A trilha sonora continua a cargo de Brian D'Oliveira e Martin Stig Andersen que trabalhou com Ambient Sound Designer nos efeitos sonoros ouvidos debaixo dagua. Além disso, um instrumento musical peculiar criado especialmente para o game original de 2013 está de volta em Shadow of the Tomb Raider: trata-se do "The Instrument", usado para recriar o som de percussão nativos das selvas sul americanas.

AVALIAÇÃO:

História

9.0

Jogabilidade

9.0

Gráficos

9.0

Áudio

9.0
Conclusão

Sem sombra de dúvidas (não, não foi um trocadilho) Shadow of The Tomb Raider, pra mim, é o melhor jogo da franquia. Ele fecha a trilogia com chave de ouro, mostrando que Lara é... ops! Como eu queria contar! Faria todos comprarem o jogo sem pensar duas vezes!

Com dezenas de novidades incluindo movimentos, acessórios, golpes e animações, o game se torna o mais completo, com mais opções de jogabilidade e maior liberdade de escolha.

Shadow of The Tomb Raider é o game mais completo da trilogia

Lara mais sombria faz com que o jogo se torne mais adulto e sério. Com reviravoltas e descobertas importantes que impactam diretamente na vida da heroína, Shadow of The Tomb Raider é um game obrigatório para quem conhece a franquia e para quem curte games de aventura e ação.

Paititi, estou voltando!


PRÓS
  • Lara mais sombria
  • Gráficos lindíssimos
  • Engenhocas mais aprimoradas
  • Jogo está mais sombrio
  • Exemplo de como usar HDR
  • Muitos locais secretos
  • Três vezes maior do que o game anterior
  • Paititi!!!
CONTRAS
  • Alguns bugs gráficos
  • Água é feia em alguns locais