Adrenaline: Fonte de informação sobre Tecnologia e Jogos

NintendoPlaystationGames

Quatro JRPGs pouco conhecidos que valem a pena conferir

Quatro JRPGs pouco conhecidos que valem a pena conferir





Share on Google+

Wellington Diesel

Primeiro de tudo: esta não é uma lista "Top 4". Há muitos JRPGs que ainda não joguei e também JRPGs que já joguei, mas me esqueci completamente. Me perdoem se não incluí um de seus jogos favoritos na lista.

Esta lista contém apenas jogos pouco conhecidos, alguns deles inclusive esquecidos pelas próprias produtoras. Todo mundo conhece séries como Tales of, Dragon Quest e Final Fantasy, e concordo que há títulos bons e pouco conhecidos até mesmo nestas séries (*Coff* Tactics *Coff*), mas o foco é em títulos mais obscuros ou esquecidos pelo tempo.


Eleito seu favorito pelo criador da série, Dragon Quest V é um excelente jogo que não é tão famoso no ocidente

Todos estes jogos são amigáveis para novatos em JRPGs e nenhum requer algo absurdo como "mais de 100 horas de grinding" ou algo do tipo, mas são todos jogos em inglês e é necessário ter um certo nível de entendimento do idioma para aproveitar estes jogos, pois são jogos focados na história.

Todos os jogos recomendados são amigáveis para novatos em JRPGs

A seguinte ordem segue apenas a ordem alfabética.

1. Ar Tonelico 2

Disponível no: PlayStation 2 apenas

Sem dar spoilers, Ar Tonelico 2 é um jogo muito focado em seus personagens, alguns os quais podem parecer "estereótipos" na superfície, mas acabam mostrando outros lados e maior profundidade conforme você "entra na mente deles", o que é uma das principais mecânicas do jogo.

Ar Tonelico 2 é um jogo que mistura elementos de RPGs por turnos, com combos e algumas ações em tempo real, além de ataques especiais na forma de "canções", que carregam de acordo com seus ataques e reflexos para se defender.

É um sistema muito mais rápido que o sistema tradicional de turnos, não é entediante e é fácil de aprender, lembra o combate da série Mario & Luigi, mas há diferenças.

As interações entre os personagens e história são feitas no estilo de visual novel, fazendo uso de texto com dublagem e imagens.

Junto a isto, há toda uma trama que acaba se mostrando bastante pesada após certo ponto, além de algumas piadas pervertidas e um tanto de fanservice. Ah, e a trilha sonora é fantástica. Não é necessário jogar Ar Tonelico 1.

Para quem se interessou, recentemente foi lançado um "patch" feito por fãs para refazer completamente a tradução, adicionar conteúdo censurado e até mesmo conteúdo que foi removido durante a produção do jogo, mas que por alguma razão acabou sendo incluso no código do jogo. Para aplicar o patch, você precisará de um backup em ISO de uma cópia original do jogo.

2. Mana Khemia 1 e Mana Khemia 2

Disponível no: PS2, PSP, PS Vita

Os jogos da série Mana Khemia são basicamente simuladores de como seria a vida escolar em uma escola de magia, e fazem isto com mais carisma e credibilidade do que qualquer jogo do Harry Potter.

Feitos pela mesma produtora que Ar Tonelico 2, estes são jogos que fazem uso pesado de elementos de visual novels, mas que mesmo assim possuem um sistema de batalhas interessante, o qual incentiva o uso de magias e ataques que atrasem o turno de inimigos.

Passar tempo com seus amigos, criar poções e itens, explorar os mapas do jogo, fazer certas tarefas para seus professores e receber notas de acordo são seus objetivos. Parecem coisas triviais, mas acabam sendo divertidas.

Aliado a isto, há uma dublagem e trilhas sonoras excelentes, além de gráficos 2D estilizados, os quais ironicamente envelheceram melhor do que maioria dos jogos 3D da era do PS2.

A trama não se desenvolve em algo mais "pesado" igual Ar Tonelico 2 e não há nenhum fanservice ou piadas pervertidas aqui, mas o tom "light e alegre" acaba agindo em seu favor e tornando estes jogos memoráveis.

3. Sakura Wars: So Long, My Love

Disponível no: PlayStation 2, Nintendo Wii

A maioria dos jogos da lista possui alguns elementos de visual novels, mas Sakura Wars: So Long, My Love é uma visual novel e dating simulator com alguns leves elementos de SRPG. Aliado a isto, há uma dose de robôs gigantes, e o motivo é simplesmente porque sim.

A história, design dos personagens e forma como tudo é apresentado é igual alguns animes do início dos anos 2000, tal como Ai Yori Aoshi, Love Hina, e Ah My Goddess, até porquê alguns membros da equipe deste jogo trabalharam também no manga/anime destas séries.

O gameplay do jogo é bastante simples, durante as missões você controla robôs gigantes em um jogo de estratégia por turnos onde cada robô possui uma quantia de "energia" limitada, e esta energia é utilizada para movimentar ou atacar inimigo com os robôs da sua equipe.

Quando há muita energia e um inimigo está próximo, você pode atacar bastante. Quando há muita energia e seu inimigo está longe, você pode usar toda ela para se aproximar dele, sem ter que gastar 500 turnos igual alguns outros jogos do gênero.

Mas, o que é diferente para muita gente, são as opções de dialogo "LIPS", que parecem ser normais, mas possuem um tempo limite e às vezes são ativadas de forma diferente do que se espera, muito semelhante a um jogo que foi lançado recentemente.

Ao escolher uma das opções do LIPS, você acaba aumentando/diminuindo o afeto do personagem que está interagindo com o protagonista, podendo isto avançar para um relacionamento de amizade ou amor, afetar como eventos irão ocorrer e até qual final do jogo você terá.

Sim, o objetivo do jogo é arranjar uma namoradinha. Agora você sabe o que são "dating simulators".

Se analisarmos de forma crítica, a premissa de Sakura Wars: SLML é bastante estúpida, mas se deixarmos de ser chatos por um momento e tentarmos se divertir com o jogo, Sakura Wars: SLML apresenta personagens bastante carismáticos, muito humor, animações extremamente bem feitas e uma história mais envolvente do que parece ser.

4. Stella Glow

Disponível no: Nintendo 3DS apenas

Há uns 3 anos atrás, se você tinha um Nintendo 3DS e chutasse uma moita, as chances seriam altas que algum clone do Fire Emblem saltaria dela. E não é por menos, Fire Emblem Awakening realmente foi um sucesso estrondoso e todo mundo correu para fazer algo parecido, similar a como todo mundo faz jogos Battle Royale hoje em dia.

E aqui entra Stella Glow, um jogo que por ter elementos parecidos com Fire Emblem, foi bastante menosprezado, tanto no seu país de origem, quanto no ocidente, o que é uma verdadeira injustiça.

Stella Glow possui personagens extremamente memoráveis (embora não faltam clichês), uma qualidade de dublagem que não vi em nenhum outro jogo para Nintendo 3DS e uma trilha sonora espetacular.

O gameplay de início não parece ser nada novo e as primeiras fases chegam a ser cansativas, mas o jogo começa ganhar fôlego após você adquirir as primeiras "músicas' que serão cantadas pelas "bruxas" do jogo. E acreditem, as músicas são fantásticas.

Enfim, confesso que este não é um dos "melhores SRPGs do mercado", assim como alguns hereges não acham que Fire Emblem Awakening seja um dos melhores, mas assim como no Awakening, há um certo "charme" em Stella Glow que outros SRPGs não costumam ter, e é isto que faz até quem não é fã de SRPGs, gostar destes jogos.

Dê uma chance para Stella Glow, não desista no terceiro mapa igual eu fiz a primeira vez que fui jogar e você será sugado pelo carisma deste jogo. E aliás, se você não jogou Fire Emblem Awakening, faça isso também.

-------------------------------

Estes foram quatro jogos (na verdade cinco), mas há mais JRPGs que valem a pena conferir, alguns dos quais receberam relançamento, tal como o Rogue Galaxy (PS4) e outros que não são amigáveis para quem não é fã "hardcore" de JRPGs, tal como alguns jogos da série Suikoden, mas que ainda assim possuem seu "charme" se não olharmos para suas falhas.

Há outros jogos que "são famosos, mas não tanto" que também gostaria de ter incluso na lista, tal como Valkyria Chronicles (PS3, PS4, PC), Ys Origin (PS4, Vita, Xbox One, PC), Half Minute Hero (PSP, Xbox 360, PC), Wild Arms 3 (PS2, PS4) e Vagrant Story (PS1, PSP, PS3), mas fica a recomendação aqui e talvez terei a oportunidade de falar sobre estes e outros jogos na próxima.

Wellington Diesel
Colaborador

Twitter: @

Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Adrenaline. Se achar algo que viole nossas condições de uso, denuncie através do link de report de erro do conteúdo.

Comentários que não são pertinentes a discussão, com caráter ofensivo, com xingamentos etc., serão deletados sem aviso prévio e os usuários serão BANIDOS. Não iremos fazer análises de reclamações sobre banimentos, então pedimos a colaboração para evitar inconvenientes.

* Esse é um espaço de troca de conhecimentos e opiniões, use-o para esses propósitos *