A Trust é uma marca com vários tipos de produtos, desde produtos de informática básicos, até produtos para gamers, similar a empresas como a C3Tech, Multilaser e outras.

Mas, algo que ela vem fazendo nos últimos anos é investir mais e mais no ramo gaming, deixando de vender produtos que eram apenas remarcações de mouses da A4Tech, para agora ter mouses e teclados exclusivos. E um destes é o Trust GXT 890 CADA:

E o que este teclado tem de diferencial? Como ele se compara com o resto do mercado? É o que veremos a seguir.

Construção Externa

O Trust GXT 890 CADA é um teclado mecânico com design de teclas flutuantes e a placa de suporte de seus switches, feita em aço, é utilizada como capa externa:

É impossível negar que o concorrente Razer BlackWidow X foi a origem de seu design - o formato do local onde está o logotipo na parte inferior, a fonte com pouca legibilidade, o estilo dos indicadores acima do numérico e principalmente a parte superior por onde o próprio cabo do teclado sai, tudo muito similar ao Razer BlackWidow X.



E não há nada de errado nisso, pelo menos para o consumidor e como reviewer. Só me preocupo que um produto similar demais a um design que possui direitos autorais pode enfrentar problemas legais ou até mesmo ter sua venda barrada em alguns países.

Virando o teclado, há algo estranho. Parece que deveriam haver cinco pés de borracha, enquanto na nossa unidade parecem estar faltando dois pezinhos. Isso é um problema que vai ocorrer em outras unidades? Não creio, mas se por acaso acontecer com a sua unidade do teclado, deixe seu relato nos comentários do Disqus no final da análise.

Agora sério, até no formato e localização das borrachas foi necessário copiar o Razer BlackWidow? Não que haja algo errado nisso, mas CADA vez que olho para este teclado, mais parece o BlackWidow. Não reclamem se o público apelidar o teclado de "Trust CopyWidow". Pelo menos é um nome melhor que "GXT 890 CADA".

Na parte inferior do verso há pequenos buracos onde é possível a drenagem de líquidos caso caiam no teclado. Lembrando que isto não lhe torna resistente contra água ou qualquer outro líquido, apenas cria um ponto de drenagem.

Agora, vamos entrar no assunto das keycaps, o plástico com algo escrito em cima que muitos chamam de "teclas", embora este seja um termo muito amplo.

A começar pela fonte: infelizmente assim como o teclado que foi inspiração do Trust CADA, ele também possui baixa legibilidade em suas teclas devido à fonte "gamer" que é usada, mas não chega a ser tão ruim quanto o Blackwidow:

Em contrapartida, o BlackWidow pelo menos não possui problemas de alinhamento... O "V" ficou tão para cima que quase saiu da tecla. Novamente, pode ser um problema apenas da nossa unidade, não temos certeza.

As keycaps do Trust GXT 890 CADA são feitas em plástico ABS e com impressão laser. Não sei quem é a fabricante, mas me lembram muito as keycaps do PCYES Nemesis:

A construção externa do Trust GTX 980, digo, Trust GXT 890 CADA é bem feita, mas sem destaques. Uma placa de aço bem feita cobrindo a parte superior, keycaps de qualidade mediana e plástico de boa qualidade na capa inferior. Seu visual é bem trabalhado e é um teclado bonito, mas sinceramente não é tão bonito quanto o teclado que tentou copiar.

Construção Interna

A construção interna é uma das responsáveis pela durabilidade de um teclado mecânico. Soldas mal feitas podem resultar em diversos problemas no teclado, desde teclas parando de funcionar, LEDs com problemas ou até o teclado inteiro parando de funcionar.

Além disto, é necessário se atentar à qualidade dos switches, que são o mecanismo de ativação das teclas, cuja qualidade pode causar problemas com Double-Clicks ou até mesmo teclas parando de funcionar após algum tempo.

Vamos então depená-lo:

Uma placa bem organizada, embora sem indicação específica das teclas cujas soldas são referentes, com soldas tendo o brilho característico de um trabalho bem feito:

No coração do Trust GXT 890 CADA encontramos a MCU "VS11K09A", a mesma que usada nos concorrentes Motospeed CK108 e Sharkoon SGK3. É uma controladora simples que possibilita macros, software para configuração e outras coisas, mas também não é tão avançada quanto o que é encontrado em teclados da Corsair, Logitech, Razer...

O Trust GXT 890 CADA possui um LED no logotipo abaixo da barra de espaço, mas o mesmo é um simples LED Vermelho, incapaz de trocar sua cor:

Quanto aos switches, aqui entramos em algo polêmico. Embora eu mesmo tenha elogiado muito os switches da Outemu no passado, a situação atual deles não merece elogio algum. O índice de falhas tem aumentado e o controle de qualidade da Outemu vem decaindo bastante, havendo inclusive provas de que a marca está utilizando materiais inferiores em lotes mais recentes de seus switches.

O resultado disso é que casos de Double-Click em teclados com estes switches explodiram em comparação com os primeiros anos da marca, sendo que atualmente está bastante arriscado escolher teclados com estes switches e por isto deve-se procurar concorrentes que utilizem switches como Cherry, OMRON, Kailh ou Gateron.

A boa notícia porém, é que a Trust 3 anos de garantia para este teclado, o que é bastante respeitável. Também, não estou dizendo que ao comprar o Trust GXT 890 ou outro teclado com Outemu você vai certamente ter problemas com estes switches, mas realmente não vale a pena arriscar, especialmente quando há outras escolhas pelo mesmo preço.

Enfim, o Trust GXT 890 CADA é um teclado caprichado por dentro, soldas bem feitas, placa bem organizada, e com o hardware necessário para alguns efeitos e recursos adicionais. Mas para o preço de R$ 570 pelo qual ele está sendo vendido, o que há dentro dele é abaixo do esperado.

Recursos e Extras

Agora, chegando ao software do teclado:

Olá software da Motospeed, quanto tempo! Enfim, ao contrário do que eu pensava, este software na verdade não é produzido pela Motospeed e sim por uma empresa terceirizada. Mas, mesmo que a base do software seja a mesma, há mudanças na interface entre cada uma das marcas que utilizam ele, seja a Motospeed, Trust, Sharkoon ou a PCYES.

Ao contrário da PCYES, que claramente se esforçou para traduzir tanto para Português quanto para Inglês as bobagens que a fabricante do software escreveu, a Trust, assim como a Motospeed, utiliza a interface padrão com diversos erros e termos que não fazem sentido, especialmente os nomes dados aos efeitos de luz.

O Trust GXT 890 possui três perfis customizáveis em seu software, sendo que é possível configurar cada uma de suas teclas para diferentes funções, seja uma tecla individual:

É possível configurar macros e o sistema é bastante simples e fácil de editar, embora não há opções de playback fora o número de repetições, que é limitado em 255 (ou seja, não é possível criar uma macro que rode infinitamente ou até que você queira parar ela):

E pode-se configurar teclas para responderem como funções multimídia. Assim, teclas que você pouco usa (ex: Scroll Lock e Pause) podem ser configuradas para funções mais úteis (ex: aumentar e diminuir o volume).

Voltando ao menu principal, o Trust GXT 890 possui 18 efeitos de iluminação, e mais um efeito onde pode-se customizar individualmente a cor de cada tecla. São efeitos relativamente simples e não há como integrar o teclado a jogos e nem há programas que permitam que o teclado reaja ao som do computador como é possível fazer em teclados de alguns concorrentes.

Porém, um erro que o Trust GXT 890 comete e que seus concorrentes Motospeed CK103, CK108 e PCYES Nemesis RGB não fazem, é utilizar uma imagem de fundo do teclado com iluminação RGB ligada.

O resultado, é que ao tentar criar um perfil de iluminação customizado, tudo fica confuso, já que a cor que você configurou fica nessa caixa colorida ao redor da tecla, enquanto que a imagem do fundo serve apenas para gerar confusão. Um erro básico de quem projetou essa interface.

O software do Trust GXT 890 é simples e fácil de usar, mas há poucas modificações em cima do software "Stock" e algumas delas até atrapalham. É um software bastante aceitável para teclados de baixo custo como o Motspeed CK103 e CK108, mas este não é o caso do Trust GXT 890, que está na mesma faixa de preço que teclados da Corsair.

AVALIAÇÃO:

Construção Externa

7,5

Construção Interna

7,5

Recursos e Extras

7,5

Preço - R$ 570

4
Conclusão

O Trust GXT 890 CADA é um bom teclado mecânico, mas não possui destaque em suas especificações. Uma boa construção externa, boa construção interna, keycaps de qualidade mediana, um software "mais ou menos" e switches Outemu, os quais estão com um nível de qualidade bastante "questionável" nos últimos tempos.

Não são especificações ruins, mas também não há nada topo de linha nele. Para que ele seja um bom teclado com estas especificações, é necessário apenas ter um preço competitivo, o que infelizmente falta nele.

O Trust GXT 890 CADA custa na faixa dos R$ 570 e não tem nada que justifique este valor. Pelas suas especificações, pelo switch utilizado e pelo software limitado, este é um teclado da faixa dos R$ 300. Ele não consegue competir contra concorrentes como o Corsair Strafe RGB e Logitech G810 em questão de qualidade e recursos.

Aliás, até por R$ 300 ele teria dificuldades, pois há o Motospeed CK108 com Gateron, que é exclusividade do Brasil, o Sharkoon SGK3 com um excelente Custo x Benefício, bons switches e ABNT2 e o HAVIT KB366L, que possui especificações similares ao CADA, mas custa na faixa dos R$ 270 e é ABNT2.

O maior diferencial deste teclado acaba sendo sua semelhança com o Razer BlackWidow... E isso chega ser triste.

Nota: Este teclado foi enviado para análise pela Trust Brasil


PRÓS
  • Boa construção externa
  • Boa construção interna
  • Software leve e fácil de usar
CONTRAS
  • A qualidade dos switches Outemu nos últimos tempos anda bastante "questionável"
  • Preço inadequado para suas especificações