Faz um tempo que o PC da Crise faz apenas participações discretas em alguns episódios do PC Baratinho. Quase nunca o nosso PCzinho baratão consegue ter fôlego para jogar algum lançamento, sendo que Dragon Ball FighterZ foi um dos últimos que ele conseguiu dar o ar de sua graça. Mas após anos sem lançamentos relevantes, enfim a AMD atualizou a sua plataforma com gráficos integrados. Será que agora vai?

O Ryzen 5 2400G já mostrou que tem gás pra rodar qualquer coisa (algumas em 720p@30FPS no médio, mas roda), mas ele acaba com a principal premissa do PC da Crise: gastar pouco. Com um custo na casa dos R$ 800, esse valor paga o processador e a placa de vídeo do PC Baratinho (na maioria dos casos, uma GTX 1050 e um Pentium G4560), entregando menos performance em games que essa dupla.

PC Baratinho de 2017: o mais barato que encara tudo que saiu esse ano!

Mas não é só de Ryzen 5 que se faz o lançamento das novas APUs da AMD. Também foi lançado o Ryzen 3 2200G, com custo na casa dos R$ 500 (custa menos que a placa de vídeo do PC Baratinho) e algumas conceções (menos núcleos de processamento gráfico Vega, apenas 4 threads, clocks mais baixos) mas que ainda tem um bom conjunto inicial de hardware. Será que esse é o update para trazer de volta a ação o PC da Crise? Vamos dar uma olhada nas specs do A8 em uso hoje, o Ryzen 5 2400G e ele para ganharmos uma perspectiva do que esperar:

Desenvolvedor AMD AMD AMD
Distribuidor AMD AMD AMD
Plataformas AMD Socket FM2+ AMD Socket AM4 AMD Socket AM4
Site oficial Link Link Link
Preço no lançamento U$ 105,00 U$ 99,99 U$ 169,99
Preço atualizado R$ 350,00 (em 09/08/2017 ) R$ 499,90 (em 19/02/2018 ) R$ 815,00 (em 19/02/2018 )
Especificações
Socket FM2 AM4 AM4
Processo de fabricação 28nm 14nm 14nm
Conjunto de instruções 64-bit 64-bit 64-bit
Número de núcleos 4 4 4
Threads 4 4 8
Multiplicador desbloquado Sim Sim Sim
Canais de memória dual-channel dual-channel dual-channel
Codinome Kaveri Raven Ridge Raven Ridge
TDP 65 65 65
Cache L3 NÃO 4 4
Clock 3100 3500 3600
Clock (Turbo) 3800 3700 3900
Memórias suportadas DDR3 2133 DDR4 DDR4
PCI Express 3.0 3.0 3.0
Canais PCI Express 16 24 24
Vídeo Integrado
Monitores suportados 4 3 3
GPU Radeon R7 Radeon Vega 8 Radeon Vega 11
Clock 720 1100 1250
DirectX 12 12 DX12
Características Gerais
Acompanha cooler? Sim Sim, Wraith Stealth Sim, Wraith Stealth

Pichau - PC de baixo custo com o Ryzen 5 2400G + 4GB
Pichau - PC de baixo custo com o Pentium G4560 + GT1030 + 8GB

Olhando as especificações técnicas, fica óbvio porque o Ryzen 3 2200G é uma escolha ideal. Ele fica levemente abaixo do 2400G em quesitos como quantidade de núcleos de computação Vega e frequências, mas em compensação traz saltos comparado ao A8-7600 que usávamos hoje, incluindo clocks mais altos na CPU usando a mais moderna microarquitetura Zen, GPU mais moderna Vega com frequências consideravelmente mais altas e suporte as mais rápidas memórias DDR4, algo que é muito importante quando se usa gráficos integrados. Sempre é bom lembrar que os preços no mercado nacional oscilam muito, e essa pesquisa de preços foi feita em 27/03, então muita coisa pode ter mudado enquanto desenvolvíamos o vídeo.

Especificações do PC da Crise (A8-7600):

- AMD A8 7600 - R$ 410
- Placa-mãe FM2+ -  R$ 250
- 2x4GB de RAM em 1600MHz - 2x R$ 190
- HD de notebook de 2.5" 5400RPM - entre 200 e 300 reais
- Fonte de 300W SFX - entre R$ 50 e 100

Preço total estimado: R$ 1.365

Para trocar pelo Ryzen 3 2200G, precisamos mudar as memórias RAM, placa-mãe e, obviamente o processador. O preço fica:

- AMD Ryzen 3 2200G - R$ 500
- Placa-mãe AM4 B350 -  R$ 400
- 2x4GB de RAM em 2666MHz - 2x R$ 250
- HD de notebook de 2.5" 5400RPM - entre 200 e 300 reais
- Fonte de 300W SFX - entre R$ 50 e 100

Preço total estimado: R$ 1.725

Algumas mudanças importantes: as mainboards AM4 estão mais caras que as já raras FM2+ disponíveis no mercado, assim como achar um A8-7600 está quase impossível mas seu preço é mais convidativo, nesse fim de seu ciclo de vendas. Nós também investimos um pouco mais em frequências da RAM para obter mais desempenho, porém é preciso balancear o custo final, e os 2666MHz parecem ser o limiar de "mais desempenho sem gastar demais em memórias", já que existem memórias de 4GB operando nessa frequência com custo na casa dos R$ 250.

Pichau - PC de baixo custo com o Ryzen 5 2400G + 4GB
Pichau - PC de baixo custo com o Pentium G4560 + GT1030 + 8GB

O problema aqui é a aproximação com o preço do PC Baratinho, que no último episódio custou R$ 1.924 para ser montado, algo que resulta em uma margem de meros 200 reais separando os dois PCs. Essa diferença é bastante desproporcional quando observamos o comparativo de performance entre ambos, com o Baratinho entregando muito mais desempenho. A diferença é tanta que não faz sentido usar a mesma bateria de testes que usamos no Ryzen (resolução HD, qualidade média), pois ele chega a altíssimas taxas de quadros, muito acima dos 60FPS. É uma máquina equipada com G4560 e GTX 1050, e é melhor indicada para jogar em FullHD ou 900p e qualidade média ou alta, dependendo do jogo. Sem dúvidas compensa mais o PC Baratinho.

O Ryzen 3 2200G tem muito mais potencial de upgrades que o Pentium G4560

Mas tem um porém: o Ryzen 3 2200G tem um fator interessante. Ele tem uma CPU quad-core, ao invés dos apenas dois núcleos presentes no Pentium G4560. O resultado é um processador que quando combinado com uma placa de vídeo mais potente consegue ir muito mais longe do que o próprio Pentium G4560. Apesar de seus gráficos integrados entregarem menos desempenho, se você está pegando essa plataforma pensando em upgrades futuros, aqui há potencial para receber placas mais potentes e entregar resultados mais consistentes que os do Intel Pentium.

A AMD precisa resolver os problemas nas frequências
e estabilidade da iGPU nas APUs Ryzen

Porém, nem tudo é flores nesse nosso upgrade. Ainda percebemos sérios problemas de estabilidade na iGPU Vega do Ryzen 2200G, com clocks desabando dos 1100 MHz para 400 ou até menos em alguns instantes do gameplay, o que traz notáveis problemas de performance e stutterings eventuais. Enquanto a AMD não resolve a questão, ainda não é hora de adquirir esses processadores. Vamos incorporar no PC da Crise pois sem dúvidas hoje essa é a plataforma mais poderosa com gráficos integrados, e há potencial para a AMD solucionar essas inconsistências no desempenho em futuros updates. É possível contornar o problema usando mecanismos de overclock e travando as frequências da iGPU, porém isso não é o ideal. Esse produto precisa sair da caixa em boas condições de uso. Nos futuros lançamentos de games vamos ter um excelente laboratório para conhecer as capacidades da plataforma Ryzen+Vega em games, e também da empresa de corrigir essa falha.