Primeiro, vamos começar pela melhor notícia: a SteelSeries voltou agora no final de 2017 para o Brasil!

A princípio a marca havia saído do nosso país na metade de 2014. Embora ainda haviam produtos da marca neste tempo, especialmente produtos mais antigos, maioria destes eram sobras de estoques ou produtos importados por conta, o que limitava especialmente a presença das linhas mais novas de produtos da SteelSeries no nosso país.

Agora, não apenas teremos suporte oficial para produtos comprados em revendedores autorizados, mas finalmente os produtos mais novos e interessantes da marca estarão em lojas brasileiras. E um destes novos produtos é o SteelSeries Apex 100, um teclado de membrana de "baixo custo" (palavras de fabricante, não minhas):

E o que ele oferece de diferente? Como se compara ao restante do mercado? E vale o preço?

É o que veremos.

Construção Externa

A aparência externa do SteelSeries Apex 100 é bastante sóbria, mas não se enganem pela simplicidade, a construção do Apex 100 é muito mais caprichada do que parece.

A capa frontal é feita de um plástico ABS fosco e de alta qualidade, mais caprichado que muitos teclados mecânicos que já analisei. A menos que você tente riscar o teclado com algum objeto metálico, não há nada que vá desgastar ou criar marcas com o tempo em cima dele.

Agora, o que é interessante é o contraste entre a frente e o verso. Parece até que o designer que foi responsável pela frente do teclado, não foi o mesmo que trabalhou no verso. Atrás ele parece um teclado extremamente futurista, o que até chega a ser estranho.

Mas enfim, no verso do teclado temos 5 minúsculos pés de borracha, que não seriam o suficiente para aguentar o teclado caso ele não fosse bastante pesado, além de dois pés de ajuste de altura, também emborrachados.

Outro detalhe da traseira do teclado é que há dutos por onde líquidos podem escorrer caso caiam no teclado. A SteelSeries diz que este teclado é "resistente a respingos", e é bom que o público saiba o que isto significa.

"Resistência a respingos" significa apenas que se um pouco de líquido (especialmente água) cair no teclado, há por onde ele escorrer e há uma grande chance que se o líquido não molhar a placa eletrônica do teclado, ele voltará a funcionar após secar.

Mas ele não é à prova d'água ou qualquer outro líquido. Se algo do tipo cair perto da região onde está a controladora do teclado, ele pode entrar em curto-circuito ou até ser danificado permanentemente.

Também, se você derrubar refrigerante ou sucos no teclado, o líquido pode corroer o interior do teclado, endurecendo e/ou danificando a membrana ou até danificando o circuito do teclado, o que pode fazer teclas pararem de funcionar, ocorrer ghosting de teclas, algumas combinações de teclas pararem de funcionar, etc... Enfim, deveria ser senso comum, mas mantenham bebidas longe do computador.

Agora, vamos entrar no assunto das keycaps, o plástico com algo escrito em cima que muitos chamam de "teclas", embora este seja um termo muito amplo.

A começar pela fonte. Caramba, a SteelSeries é uma das poucas marcas do ramo gamer que se preocupa com algo que deveria ser uma das primeiras e maiores preocupações de qualquer empresa que faz teclados: legibilidade das teclas

A fonte dos teclados da SteelSeries é bastante diferente de outras marcas. Claro, é apenas uma fonte bonita e simples, sem nenhum exagero, mas isso já é raro hoje em dia. A fonte da SteelSeries fica posicionada à esquerda e as teclas do alfabeto do teclado, possuem uma fonte muito maior que o restante, o que dá um contraste bastante interessante ao teclado.

Também, as teclas de funções do teclado ficam centralizadas, como podem ver no Tab, Caps. Alt e CTRL.

Sendo sincero, com tantas marcas "gamers" optando por fontes com péssima legibilidade, onde não é possível nem saber qual tecla é qual se tirar elas do teclado, ver o Apex 100 com algo tão simples e fácil de entender é extremamente agradável para meus olhos.

Estas keycaps usam plástico ABS, a inscrição das teclas é feita a Laser e após é aplicado um infill branco, similar ao que teclados como o SteelSeries 6GV2 e 7G fazem.

Este é um material de durabilidade razoável, mas longe de serem as melhores keycaps do mercado. Embora não seja comum ver este tipo de impressão desgastar completamente, a parte "branca" da tecla pode perder um pouco da cor com tempo, ficando mais escura do que o resto do teclado nas teclas mais usadas.

E claro, se você meter acetona ou álcool, pode o acabamento inteiro sair completamente, por isso recomendo que nunca limpem QUALQUER teclado com materiais corrosivos.


PS: Esta imagem não é do Apex 100!

Mas, este não é o tipo de tecla que um teclado iluminado deveria usar... O que será que acontece quando a iluminação do teclado está ligada?

Pois é... A iluminação do teclado não atravessa a tecla. Agora entramos em uma questão bastante polêmica, pois além da questão estética, muitas pessoas compram teclados iluminados para verem as teclas no escuro, e não há como ver qualquer coisa desta maneira.

Por outro lado, há quem compre teclados iluminados exclusivamente pela questão de estética, e embora não agrade algumas pessoas, essa iluminação é bastante diferente do que teclados iluminados costumam oferecer e há um certo apelo especialmente para quem é capaz de digitar sem olhar para o teclado e gostaria de algo "diferente" em visual.

Independente o seu gosto, o fato é que estas não são teclas adequadas para um teclado iluminado, e apenas o SteelSeries Apex 150, a versão mais completa deste teclado, possui teclas com translucência, e a falta de translucência no Apex 100 ocorre apenas para reduzir o custo de produção dele:

Além disso, os únicos teclados de membrana com iluminação similar ao SteelSeries Apex 100, costumam custa na faixa dos R$ 40~80 e realmente optam por este tipo de iluminação apenas para reduzir o custo de produção. Para piorar, algo que muitos destes teclados fazem é enganar o público, fazendo-o pensar que este tenha iluminação similar à de outros teclados mais caros, quando na verdade é apenas um teclado comum com uma fita de LEDs instalada dentro.

Normalmente não são divulgadas imagens junto ao material publicitário que mostrem como estes teclados ficam no escuro, até a própria SteelSeries não mostra como o Apex 100 fica quando são apagadas as luzes. Na minha opinião isso é induzir o consumidor a comprar algo que pode ser bem diferente do que ele realmente espera.

Retirem suas conclusões com base nisto, mas acredito que maior parte do público não vai ficar feliz com o fato das teclas do Apex 100 não ficarem iluminadas, especialmente quando o seu irmão Apex 150 possui translucência, além de diversos outros teclados entre R$ 80 até a faixa dos R$ 250 onde ele se situa.

Enfim, a construção externa do Apex 100 é caprichada. Uma carcaça extremamente bem feita, bons ajustes, uma construção com um certo grau de resistência a líquidos, e keycaps razoáveis, mesmo que sejam inadequadas para ele.

Recursos e Extras

O SteelSeries Apex 100 é um teclado que possui circuitos individuais para as teclas ao redor da região do WASD, similar ao que tantos outros teclados de membrana realmente feitos para jogos possuem, e as únicas combinações que irão falhar são combinações estranhas (ex: Q + W + H).

O importante é que as principais combinações usadas por jogos, não apresentarão falha alguma.

O SteelSeries Apex 100 é um teclado de membrana, mas se você acha que todos os teclados de membrana são iguais e possuem a mesma resposta, você está muito enganado.

Independente como a SteelSeries goste de chamar estes switches, e da bobagem que vejo alguns lojistas chamando este (e qualquer outro) teclado de "semi-mecânico", o fato é que a resposta das teclas do Apex 100 é ridiculamente boa.

Lembra-me um pouco a resposta do switch Matias Quiet (que é bem diferente dos comuns "Red", "Black", "Brown" e "Blue"), mas é ainda mais tátil e mais macio. Nunca usei um teclado de membrana tão tátil como este e realmente gostei demais disso, é um dos melhores teclados para digitação que já usei até hoje.

Agora, um grande diferencial do SteelSeries Apex 100 (e de qualquer periférico moderno da SteelSeries) é o seu software.

Na tela inicial do software da SteelSeries, temos no lado direito configurações básicas, como controle da iluminação, a taxa de atualização do teclado e qual o idioma do teclado (atenção, este idioma se refere às teclas do teclado, não ao idioma que você quer utilizar no software ou digitar com o teclado).

No meio temos o teclado, por onde é possível configurar a função de todas as suas teclas (menos FN). Quando uma tecla foi reconfigurada, aparece um pequeno balão azul no topo direito dela, como podem ver nas teclas Insert, Scroll Lock e Pause, que foram configuradas com funções multimídia.

Já no lado esquerdo temos a lista das teclas, o que serve para você saber para qual função cada uma das teclas do teclado está configurada, além do editor de macros no topo. Ao clicar em qualquer tecla, esta é a janela que aparece:

O que há na primeira aba destas configurações, é a possibilidade de trocar a função de uma tecla por outra. Mas, há ainda mais configurações caso você clique no topo em "Botões do Teclado" e troque esta opção por outras funções tal como "Botões Multimídia":

Agora, pode-se trocar a função de teclas por funções multimídia. Bastante útil para quem não faz uso de macros, mas gostaria de trocar a função de teclas que podem ser pouco usadas pelo usuário (ex: Scroll Lock e Pause) por funções mais úteis.

Também, é possível definir teclas do teclado como se fossem botões do mouse, e até definir quantas vezes estas teclas serão repetidas ao pressionar cada uma:

Aliás, algo que não fica muito óbvio na primeira vez que é visto, é a função do recurso "Executar na tecla:" que está na parte inferior. Mas, ao deixar o mouse em cima deste recurso por alguns segundos, é dado uma explicação, algo que maioria dos softwares do mercado não fazem:

Outras ações que as teclas podem executar, são trocar perfis dos periféricos da SteelSeries, atalhos do Windows... Há também configurações para usuários do Mac, assim como também é possível configurar as teclas para responderem aos padrões do macOS:


E claro, o que para alguns é o principal, há como executar macros e há diversas opções de Playback para executar elas:

Agora, vamos para a interface de criação de macros iniciando o "Editor de Macros":

O que temos aqui é um dos melhores sistemas de criação de macros do mercado. Tudo é bem fácil de entender, quando a tecla foi pressionada, quando foi solta, qual o atraso entre cada operação... É possível editar o atraso apenas clicando duas vezes em cima dele, as teclas podem ser editadas da mesma forma, tudo fica bem simples e bem explicado, sendo fácil entender como a macro funcionará.

Também há opções para configurar o delay (conforme gravado, delay fixo com valor X ou sem delay), mas não há como adicionar novas teclas após a macro já ter sido gravada, o que é uma pena.

Por último, mas não menos importante, o software da SteelSeries possui pequenos "balões" com um símbolo de interrogação por todo ele. O que estes balões fazem, é explicar (e muito bem explicado) a função de cada botão e recurso do software, o que é um diferencial fantástico, especialmente combinado com o excelente português da equipe responsável pela tradução do software.

Enfim, o software SteelSeries Engine 3 possui uma das melhores interfaces gráficas do mercado (a melhor na minha opinião) e um dos melhores sistema de criação de macros (que várias outras marcas hoje copiam), fazendo dele um dos melhores softwares do mercado.

Além disso, é um dos poucos softwares que está muito bem traduzido para Português Brasileiro.

O único e maior problema dele é que ele atualmente (início de 2018) não faz Scaling, ou seja, quem tentar usar ele em resoluções como 4K, vai precisar da Lupa do Windows, pois tudo vai ficar minúsculo.

AVALIAÇÃO:

Construção Externa

8

Recursos e Extras

8

Preço - R$ 250

4.5
Conclusão

SteelSeries Apex 100 é o melhor teclado de membrana para digitação que já usei. Tendo teclas extremamente táteis mas ao mesmo tempo macias, sua resposta é uma das melhores entre teclados de membrana.

Dizer que as teclas deste teclado "simulam teclas mecânicas" é um erro grosseiro, pois além da resposta ser muito diferente de switches comuns em teclados mecânicos, o que ele oferece pode até agradar algumas pessoas mais do que alguns teclados mecânicos, eu mesmo prefiro digitar nele do que no seu irmão Apex M750 que utiliza switches mecânicos do tipo Red.

As teclas dele não simulam nenhum switch de teclados mecânicos e são as melhores teclas de membrana que já usei, melhores até que Topre na minha opinião. Aliás, acho ridículo esse "marketing" que hoje é necessário fazer em teclados de membrana, onde para um teclado de membrana ter boa resposta, ele precisa "simular" um mecânico. Bobagem isso.

Mas, para avaliar um teclado é necessário olhar além da resposta de suas teclas, é necessário avaliar todo o conjunto do teclado. E é aqui que o Apex 100 acaba derrapando.

Embora ele tenha um excelente software para configurações e macros, pagar cerca de R$ 230~300 por um teclado de membrana sem translucência, ou seja, com iluminação similar à de teclados iluminados de R$ 40~80 é simplesmente insano. Não preciso nem falar que há uma quantia absurda de concorrentes com mais recursos nesta faixa de preço, além de teclados mecânicos.

E sendo sincero, o público de teclados de baixo custo é até mais exigente que o público de teclados "high-end". Não em questões técnicas, mas em exigências como ABNT2 e troca de cores, e a ausência destas duas características pode afastar muitas pessoas deste teclado.

Acho que não haveriam tantos problemas se quem custasse R$ 230~300 fosse o SteelSeries Apex 150, que possui teclas translucentes e 5 áreas de iluminação configuráveis...

Enfim, fica apenas a pergunta ao público do Adrenaline: vocês preferem a versão capada (Apex 100) ou a versão que realmente valeria R$ 230~300 (Apex 150)?

Ou preferem algum concorrente que possui os mesmos recursos que o Apex 150, mas o preço do Apex 100?

Nota: Este teclado foi enviado para análise pela SteelSeries Brasil


PRÓS
  • Excelente software para configurações e macros
  • Membrana extremamente tátil, silenciosa e com excelente resposta, simplesmente o melhor teclado de membrana que já usei para digitação
  • Ótima construção externa e design resistente a respingos
  • Possui tecnologia anti-ghosting nas principais teclas usadas por jogos
CONTRAS
  • Disponível em apenas uma cor (azul)
  • Preço extremamente elevado para suas características
  • Teclas não possuem translucência (a luz não atravessa elas)