O Gear IconX 2017 é a segunda geração dos fones de ouvido ultracompactos da Samsung para quem deseja praticar esportes. Ele trás melhorias em relação ao modelo anterior, que entre seus principais defeitos em nossos testes mostrou uma duração de bateria bem baixa.

Samsung IconX - Excelente e minúsculo fone para exercícios, mas que "pode cansar" antes que você

A nova geração do produto conta com pequenas mudanças no design mas grande mudanças em aspectos como capacidade da bateria e funcionalidades (não foram adicionadas novas, na realidade algumas saíram). Será que agora temos um produto mais consistente? Vejamos no restante da análise!

Especificações técnicas principais:

Conexões: USB 2.0 (para carregamento e cópia de músicas) e Bluetooth v4.2
Memória interna: 3,4 GB disponível (Até 1000 músicas) 
Sensores: Acelerômetro, Sensor de Proximidade
Dimensões do fone de ouvido (AxLxP): 21.8 x 18.9 x 22.8 mm
Peso do fone de ouvido: 8g cada
Dimensões do case (AxLxP): 31.4 x 73.4 x 44.5 mm
Peso do case: 54.5 g
Capacidade da bateria (Fone de Ouvido): 82 mAh
Capacidade da bateria (Case): 340 mAh

Design
Compacto e confortável

A premissa do IconX de 2017 é parecida com o modelo do ano passado: esse fone de ouvido sem fio é extremamente compacto, com toda sua estrutura "espremida" na área do fone intra-auricular. Comparado ao modelo anterior temos aqui um fone um pouco maior e mais pesado (subiu de 6 para 8 gramas) porém ainda tem porte pequeno o suficiente para não ser desconfortável. O kit do fone conta com outros dois tamanhos de borrachinhas tanto para a parte que fica interna, no ouvido, quanto para a estrutura emborrachada que dá mais sustentação e fixa o gadget na orelha.

Em meus testes só senti uma fadiga ao utilizar o IconX por períodos superiores a três horas, o que mostra que o conjunto é bastante confortável. Ele não chega a ser praticamente imperceptível como seu antecessor, mas ainda é muito discreto e não demorei a me adaptar ao seu uso. Mesmo praticando exercícios intensos, com movimentos bruscos e suor, o fone fica bem fixo no ouvido.

O IconX é bastante confortável e
fica bastante firme no ouvido

A case onde os fones são guardados mudou de formato com o reposicionamento dos fones em seu anterior, mas na prática é a mesma. Seu formato compacto e arredondado são bastante confortáveis de se manter no bolso, e basta colocar os fones para que o carregamento se inicie. Dois LEDs frontais indicam o status da carga dos fones, enquanto um traseiro indica a carga da case e também o modo de pareamento. Agora o case traz conexão USB Tipo-C, porém está incluso na caixa um adaptador para micro USB. Detalhe: o fone não vem com carregador nem cabo, mas por conta desse adaptador é muito difícil que o carregador de seu smartphone não sirva para recarregar esse gadget.

Funcionalidade
Algumas coisas tiveram que sair

O Gear IconX anterior trazia funcionalidades impressionantes considerando seu tamanho. Ele trazia memória interna para músicas, conexão bluetooth para tocar suas trilhas do smartphone, controles por gestos através da lateral sensível a toques, capacidade de monitorar automaticamente exercícios com sensores de batimentos cardíacos e acelerômetro, treinador virtual com instruções por voz, leitura automatizada de mensagens... tudo em um aparelho com apenas 6 gramas!

A versão 2017 faz tudo isso? Quase. Entrou muito mais bateria, mas saíram recursos como o sensor de batimentos cardíacos. Ele ainda consegue monitorar e atuar como técnico em suas caminhadas e corridas, mas agora você não terá mais um relatório com sua frequência cardíaca.

O IconX ainda monitora exercícios automaticamente,
mas não tem mais o sensor de batimentos cardíacos

Os comandos são realizados através de gestos nas laterais do fone e são bem mais interessantes que comandos por voz, comparado a rivais como o Airpods. Também existe a possibilidade de usar comandos por voz no IconX, porém como ele não é compatível com o português, perde bastante de seu valor para os consumidores brasileiros.

Uma função interessante do IconX acontece com ele conectado ao PC através do USB. Além de realizar o carregamento da case, é possível acessar a memória interna dos fones e adicionar músicas copiando os arquivos da mesma forma como seria feito em um pendrive, como próprio navegador de arquivos do sistema. Também é possível instalar um software para gerenciar os fones, porém não há nenhuma funcionalidade adicional que justifique o consumidor se dar esse trabalho.

Uma das funcionalidades mais curiosas do Gear IconX é utilizar seu conjunto de microfones (são dois por fone) para captar o som externo e incluí-lo junto com a trilha sendo executada. O isolamento do fone não é total, porém com uma trilha tocando fica difícil ouvir sons exteriores, e ligar esse recurso é interessante caso você esteja na rua (no meu caso, muitas das vezes pedalando). Só é preciso se adaptar com um tom um tanto diferente (mais agudo) que deixa tudo meio "engraçado" e torna cliques de mouse em algo especialmente irritante. O único ponto negativo desse recurso é que ficou faltando um atalho para ligar e desligar esse modo de forma ágil. Como está implementado é preciso abrir o app Samsung Gear e entrar em alguns sub-menus, e ele se desliga com uma certa frequência de modo automatizado.

Performance
Enfim uma duração de bateria consistente

Com muito mais bateria e com alguns sensores a menos, o IconX 2017 resolve e muito o maior problema de seu antecessor: a autonomia. Em nossos testes usamos o fone por mais de 4 horas no modo bluetooth de forma ininterrupta e o fone "aguentou o tranco", ainda com uma boa quantidade de bateria restante. Isso mostra que ele tem fôlego para aguentar longas sessões antes de se descarregar (seu antecessor podia fica sem carga em menos de 1 hora). De acordo com a Samsung, ele aguenta até 5 horas conectado via bluetooth e até 7 horas tocando mídias da memória interna.

A autonomia melhorou muito na versão 2017 do IconX,
"segurando" facilmente mais de 4 horas

Curiosamente um gargalo surgiu em outra parte: a bateria do case. Com uso intenso praticamente todos os dias (3 horas ou mais), a case ficava sem energia em mais ou menos três dias. Como não há um indicativo no app de quanta carga há restante nela, eventualmente esquecia de carregá-la e isso acabava inutilizando o fone. Os 340 mAh na case são muito modestos, e tem fones muito mais barato colocando 3 ou 4 vezes mais capacidade de bateria (e na minha experiência, levando semanas para precisar de carga).

Falando em performance de áudio, aqui chegamos em um ponto sensível de qualquer fone desses ultracompactos intra-auriculares. Com pouco espaço disponível para drives, e ainda disputando com todos os demais componentes do fone (bateria, placa wireless, memória interna, sensor de movimento) os fabricantes tem feito "o possível" na parte de qualidade de áudio. O Gear IconX nesse aspecto é um retumbante "regular".

É um gadget para quem quer sua praticidade e monitorar exercícios,
não para entusiastas de áudio de alta qualidade

Se considerarmos seu custo elevado, sua qualidade de áudio é muito inferior a muitos modelos bem mais baratos. Esse é um gadget para quem está buscando mais a sua portabilidade e sua capacidade de monitorar exercícios, e um pouco menos uma qualidade de áudio impressionante. A definição de tons agudos e intermediários tem qualidade regular, e os tons graves também estão presentes porém sem muita intensidade. Entusiastas de áudio não devem nem passar perto desse modelo ou de muitos outros nesse perfil.

Outro ponto que acho importante destacar é a conexão. Com o bluetooth embarcado no fone sem possibilidade de possuir uma antena ou uma forma robusta de recepção do sinal há eventuais problemas de conexão, seja por interferência ou quando você se afasta um pouco do celular. Dependendo do bolso que você mantém seu aparelho, se você se apoiar em uma bancada ou em alguma parede, também pode ter um pouco de instabilidade. Não acho que esse problema tenha ocorrido com frequência suficiente para ser relevante na análise, já que foram casos muito pontuais e que não levaram muito tempo para serem solucionados (seja porque os próprios fones se reconectaram por conta, seja porque mudei o celular de bolso). Mas é bom destacar que acontecem.

AVALIAÇÃO:

Construção

10

Conforto

9.0

Qualidade sonora

7.5

Microfone

7.0

Preço

5.0
Conclusão

O IconX 2017 soluciona o grande problema da versão anterior do gadget fitness da Samsung: a duração de bateria. Com mais de 4 horas de autonomia mesmo no modo bluetooth temos aqui um gadget capaz de encarar mesmo longas sessões de exercícios, e que deve garantir carga suficiente para até o próprio usuário cansar de usá-lo.

O IconX é um fone muito caro

Outros dois problemas persistem. A qualidade de áudio não é elevada, então não é o tipo de fone que um audiófilo deve buscar, e em defesa do Gear IconX, nenhum desses fones ultracompactos fitness se saem excepcionalmente nesse quesito, e é uma troca inevitável para conseguir um dispositivo tão compacto, cheio de funcionalidades adicionais e prático. A outra falha não apenas se manteve, como se agravou: o IconX é muito caro, até mais que seu antecessor e que seus rivais.

Se você quer um fone compacto com monitoramento de exercício
e um som de qualidade mediana, o IconX pode ser uma boa opção

Ele foi lançado no mercado brasileiro por R$ 1.499, sendo encontrado por R$ 1.050 no momento que a análise foi escrita. Isso torna esse dispositivo mais caro até mesmo que o Apple Airpod, que não é uma referência de "preço amistoso". Isso reduz bastante a possibilidade de recomendar esse produto, já que o preço paga tranquilamente muitos outros fones de excelente qualidade. Se você se encaixa nesse perfil bastante restrito de alguém que quer um fone muito compacto e leve, com qualidade mediana de áudio e capaz de monitorar exercícios e trazer músicas na sua memória interna, esse gadget pode ser uma boa opção. Claro, se sua carteira comporta um investimento tão grande nesse acessório.

Esse fone leva novamente o selo prata, assim como seu antecessor, porém dessa vez estamos recomendando, já que sua autonomia é bem mais convincente e agora ele é muito mais eficiente para uso no dia-a-dia. Ele é uma boa pedida contanto que o consumidor tenha em mente seus dois graves poréns (qualidade de áudio apenas regular e custo elevado)


PRÓS
  • Ultracompacto e leve
  • Design fica firme no ouvido
  • Comando por gestos
  • Monitora exercícios e toca músicas sem precisar do smartphone
  • Boa autonomia
CONTRAS
  • Preço MUITO alto
  • Não possui mais sensor de batimentos cardíacos
  • Áudio apenas regular