Esse foi um ano bem movimentado em lançamento de games, e de quebra também foi para o PC Baratinho! Fim de ano a gente entra na vibe de relembrar as conquistas desse tempo que passou, e aqui pro nosso PC de baixo custo a treta é bem maior: é hora de ver uma configuração que sobrevive a tudo que lançaram nesse ano que se vai!

Pra começar a desenhar o PC que vamos criar é preciso primeiro entender o que foi que rolou. Foram ao total 20 episódios ao longo do ano, com alguns que não são relacionados especificamente com lançamentos, como aquele que montamos um PC para MOBAs. Agrupando as estatísticas do que rolou, como preços, peças usadas e configurações, temos o seguinte:

 

- PC Baratinho é possuído pelo sinistro Resident Evil VII
- PC Baratinho banca o espadachim em For Honor!
- PC Baratinho encara Ghost Recon Wildlands!
- PC Baratinho versus Mass Effect Andromeda: dá pra viajar pela galáxia com pouco hardware?
- PC Baratinho assombrado por Outlast 2: Qual hardware mínimo para morrer de medo?
- PC Baratinho é invadido pelos mímicos em Prey! Com participação do Pentium G4560 
- PC Baratinho leva vários frags em Quake Champions!
- PC Baratinho para MOBAs e Free-to-Play
- Disputamos o PC Baratinho no Tekken 7!
- PC Baratinho tenta ser o sobrevivente em PlayerUnknown's Battleground
- PC Baratinho encara a psicose de Hellblade!
- Hardwares Baratinhos encaram o Beta de Destiny 2
- PC Baratinho e da Crise dão uma voltinha na demo de Forza 7
- PC Baratinho e da Crise encaram o modo gratuito de Fortnite
- PC Baratinho passa trabalho em Evil Within 2!
- Shadow of Baratinho: será que Sombras da Guerra vai rodar bem em nosso PC?
- Nós tentamos ficar na pista enquanto o Baratinho tenta rodar Project Cars 2!
- PC Baratinho vem chutar bundas nazistas em Wolfenstein II: The New Colossus
- Baratinho vai pro Egito e o Pentium passa um suadouro no Assassin's Creed Origins!
- Segunda Guerra Mundial Baratinha com COD WWII

Escolhendo as peças

Com os infográficos e dados devidamente computados e gerados, vamos focar nos maiores problemas que tivemos ao longo do ano para rodar os jogos, pois resolvendo eles chegamos a uma configuração final. Já de cara 2017 foi treta: Residen Evil 7 nos forçou usar uma GTX 1050 Ti para conseguir atingir uma taxa alta e estável de quadros em qualidade média. Junto com ele ficam caras como Wolfenstein 2 e Outlast 2 entre os jogos que pesaram para a placa de vídeo. Mass Effect também entra na roda dos jogos que faltou performance para rodar em qualidade e taxas mais altas, porém não vamos testá-lo novamente porque... A chave de testes que nos foi enviada venceu duas semanas após o lançamento do jogo. Pois é, a EA nem precisa de mais coisas para ganhar a antipatia da galera, mas elas surgem mesmo assim. E eu que não vou comprar um jogo que nem gostei.

Nossa chave de Mass Effect Adromeda para a imprensa expirou,
então não vamos testar de novo esse game

Para o nosso Pentium G4560, CPU mais usada no ano e que substituiu o FX-8300 a partir do episódio com Prey, passou "perrengue" em alguns jogos, entre eles Assassin's Creed Origins, Ghost Recon Wildlands e deu uns stutterings em Call of Duty World War 2, mostrando que esses episódios foram complicados para a vida do processador.

Ghost Recon entra também para a lista de "dores de cabeça" por causa da dificuldade em rodar em placas com apenas 2GB de VRAM, sendo que tivemos que usar uma RX 460 de 4GB para conseguir um bom desempenho.

Precisamos subir um pouco as configs para
conseguir passar por todos os títulos

O jeito foi pegar um pouco mais de margem em todas essas deficiências, mas dentro do possível não deixando o custo "escapar do controle". Por isso matamos a questão da placa de vídeo subindo um patamar: se a GTX 1050 conseguiu lidar com a maioria dos títulos, a GeForce GTX 1050 Ti tira o problema de falta de VRAM por possuir 4GB GDDR5 e também dá um fôlego para a performance gráfica, mesmo em momentos que "a coisa aperta". Isso encarece nosso PC em uns R$ 200 comparado ao que tínhamos com a GTX 1050, porém tem como vantagem manter o baixo requisito de fonte e entregar um ganho de performance bem-vindo.

Para processador a vida complica um pouco mais. O Pentium G4560 é imbatível em seu segmento de preço, entregando um nível de performance para jogos difícil de ser batido considerando seu custo. Porém ele sofreu muito com Assassin's Creed Origins, e não tem como montar um PC Baratinho do ano "passando reto" de um dos maiores lançamentos de 2017. Também não tem como investir para fazer esse game rodar em 60FPS, isso sai caro demais (como vocês ainda vão ver em nosso PC do Custo Ideal 2017). Ficando em um campo aceitável, "desembolsamos" um pouco mais e subimos para um Ryzen 3 1300X, CPU que não traz o gameplay para os sempre desejados 60FPS, porém que é suficiente para colocar ACO em 30FPS bastante estáveis. Essa taxa de quadros também é uma boa pedida para a GPU, já que a GTX 1050 Ti sua para manter 60FPS mesmo em qualidade média e 1080p. 

Assassin's Creed Origins é o título mais difícil de rodar do ano

O processador foi um problema em alguns outros títulos, como foi o caso de Ghost Recon Wildlands. Mesmo com o Ryzen 3 1300X só conseguimos estabilizar em no máximo 45FPS em cenários mais urbanos, onde o CPU sofre mais para lidar com esse game de mundo aberto. Fechando a sequência de "dores de cabeça do ano" o nosso prêmio "port picareta do ano" vai para Evil Within 2. Esse é um jogo que precisará ser jogado em taxas travadas a 30 ou 45FPS e, diferente dos dois games da Ubisoft, está bem longe de trazer cenários amplos ou mesmo gráficos interessantes o suficiente para justificar a sua performance ruim. Ele roda pior até mesmo que o inacabado PlayerUnkown's Battlegrounds, que entregou um decente 45FPS ou mais com a dupla Ryzen 3 1300X e GTX 1050 Ti.

Prêmio pior port de 2017 vai para Evil Within 2

As configs finais

Os componentes escolhidos (com preços de compra à vista pesquisados em 01/12):

- CPU: AMD Ryzen 3 1300X - R$ 418
- Placa-mãe A320 - R$ 300
- RAM: 8GB DDR4 2400MHz - 2x R$ 270
- Placa de vídeo Nvidia GeForce GTX 1050 Ti - R$ 695
- HD 1TB - R$ 214
- Fonte: Cooler Master Elite Power 400W - R$ 99
- Gabinete, teclado e mouse, tela e outras peças reaproveitadas de um PC velho - R$ 0

Preço total:R$ 2.266 

Bônus: as montagens

Uma característica do PC Baratinho é que, além dos testes de desempenho, cada episódio temos verdadeiras obras-primas do Photoshop nas montagens que ilustram as matérias. Aqui vão algumas que rolaram ao longo do ano. Fica aí o desafio: consegue identificar de qual jogo é cada uma delas?