Desde que a caixa do Ryzen chegou aqui no Adrena, surgiu uma vontade de fazer uso da curiosa embalagem que a AMD usou para nos enviar os dois primeiros modelos de processadores a usarem a importante arquitetura Zen. A ideia foi amadurecendo, e virou um objetivo: montar um sistema topo de linha com tecnologias da empresa (tanto em CPU quanto em GPU) dentro da caprichada caixa que nos enviaram.


Unboxing do kit Ryzen

Depois de juntar um pouco de coragem e muitos hardwares caros e de alto desempenho, enfim embarcamos nessa, utilizando as seguintes peças:

Processador Ryzen 7 1800X - site oficial - análise

Thermaltake Water 3.0 Riing RGB 240 - site oficial

Placa-mãe Gigabyte Aorus AX370-Gaming 5 - site oficial - análise

2 x SAPPHIRE PULSE Radeon RX 580 8GD5 - site oficial

32 GB de memória G.SKILL Trident Z Series DDR4 3200MHz (2x16GB) - site oficial

SSD M.2 Samsung EVO 960 500GB - site oficial

Thermaltake Smart Pro RGB 850W Bronze Fully Modular - site oficial

Enquanto as Vega não ganham maior disponibilidade no país, montamos esse PC com as placas mais potentes da linha Polaris. A escolha pelo modelo da Sapphire tem duas motivações: seu porte compacto, que encaixa no espaço disponível, e um certo acabamento no backplate que nos pareceu interessante:

A caixa do Ryzen nos trouxe dois principais desafios: espaço e resfriamento. Além da placa de vídeo, outros componentes como o SSD M.2 foram cruciais para conseguir encaixar todo mundo do lado de dentro da caixa. Já lidar com o aquecimento a dor de cabeça foi ainda maior: além de todo mundo estar "apertado" lá dentro, madeira não é um bom condutor de calor, o que significa que nosso projeto precisou levar em conta que o aquecimento pode fugir do controle facilmente.

Hora de por a mão na massa!

Montagem

Fotos

Para tentar manter o máximo de aquecimento fora do nosso gabinete de madeira, usamos um sistema de resfriamento líquido para jogar o máximo de calor para fora da caixa, com o radiador e suas ventoinhas parafusadas na tampa da caixa e puxando o ar de dentro e jogando para fora. A única ventoinha adicional de "nosso gabinete" puxa o ar de fora para dentro, formando uma corrente que é expelida pelas ventoinhas do Water 3.0.

O problema foi a região das duas placas Radeon RX 580. Já conhecemos os efeitos terríveis que duas placas tão próximas causam para a dissipação de calor mesmo em gabinetes muito mais arejados e espaçosos, então não é a toa que temos ali a maior de nossas preocupações. Felizmente, devido ao formato curioso de nosso gabinete, também temos a opção de tentar abrir a tampa, caso não dê certo jogar de tampa fechada. Tudo que deu pra fazer foram duas aberturas na lateral da caixa onde as placas de vídeo projetam seu calor, na esperança que ao menos parte consiga ser expelido.

 

Cenas do próximo episódio

Nosso PC montado na caixa está pronto! Agora é hora de descobrir se realmente devíamos ter feito isso. Com tudo em seu devido lugar e instalado, vamos fazer um segundo vídeo onde vamos colocar essa bela caixa de som esse belo computador em ação rodando games e testando o resultado de nossa montagem em um espaço tão inusitado. Como uma Radeon RX 580 já lida tranquilamente com FullHD em qualidade Ultra, vamos forçar o limite de nosso CrossFire vendo o que acontece quando jogamos em resoluções como o 4K, Fiquem de olho no site, logo vai ao ar nosso gameplay!