Canal: Games



Siga a Adrenaline


Brand Channels


Colunas


Artigos


Enquete da vez

Qual API é o futuro dos games?
Ver outras enquetes


portáteis categoria : portáteis | 09.04.2012 / 09h12 | comentários : 9


Tamanho do texto:


Categoria "Jogos" da iTunes App Store chegará em breve ao Brasil [+update]

autor: risastoider

Uma das maiores reclamações dos brasileiros donos de dispositivos iOS é a falta de jogos na iTunes App Store do país, devido a entraves entre a Apple e o governo. Felizmente, isso está perto de acabar, pelo menos segundo informações da revista Veja.

Conforme a publicação, a categoria “jogos” começará a funcionar oficialmente no país até o final de abril.

Com isso, a Apple vai disponibilizar no país apenas games avaliados pelo Ministério da Justiça. É uma exigência da legislação brasileira, que prevê o teste de todos os títulos antes da comercialização para decidir para qual faixa etária cada jogo é indicado.

Por enquanto, os usuários precisam fazer certas “gambiarras” para adquirir os jogos. Uma alternativa era a criação de uma conta na loja americana usando um endereço qualquer dos Estados Unidos e um cartão de crédito internacional. Esse método, porém, deixou de funcionar nos últimos meses. Alguns usuários ainda utilizam contas da Argentina ou do Uruguai.

Lauro Jardim, colunista da Veja, ainda adiantou que a iBookStore vai estrear no Brasil dentro de 30 dias. Segundo a revista, é provável que os dois serviços comecem a funcionar simultaneamente.

UPDATE: A Apple foi rápida e discreta como um ninja. Pouco após a publicação desta notícia, os jogos começaram a aparecer na iTunes App Store brasileira. Aproveitem, galera! Ao que tudo indica, é o fim das gambiarras para baixar clássicos como "Plants Vs. Zombies", "Infinity Blade", "Angry Birds" e "Cut The Rope".






Comentários (9) Assinar


Junior.H264
Postado
09/04/2012
10:49
Bom. Mas agora o que ferrou foi o fato de eu ter 2 contas, e todas duas agora serem Brasileiras. Agora vai ser a maior gambiarra pra ficar atualizando apps

skekeu22
Postado
07/04/2012
08:44
Por enquanto to sussa comprando pela store do Uruguai.

benqbiggis
Postado
06/04/2012
21:43
acho a maior inutilidade essas classificações

pouco me importo se foi feita pelos USA ou pelo BR

so espero q o governão daq não mexa no steam\origin tão cedo

davidcmc
Postado
06/04/2012
00:01
citação do post de rosembergmsouza

Existe uma diferença enorme entre o Android Market e o Steam.


Não existe, cara.
O fato de a Google traduzir o Google Play e converter as moedas originais para o Real pode até torná-lo mais adequado aos ditames do CDC (art. 6º, III, e art. 31), mas tanto ele quanto o Steam estão vendendo produtos para cidadãos brasileiros sem obedecer totalmente ao descrito na lei.

Outra coisa, não é porque o Steam se omite em obedecer às regras da legislação brasileira, principalmente a legislação consumerista, que ele está menos obrigado ao que diz a Constituição do que o Google Play.

Se assim fosse, bastaria que a Google removesse as traduções para o PT-BR e apresentasse tudo em dólar. Só pelo fato de estar equiparada ao modelo do Steam (não disponibilizar os jogos oficialmente para o Brasil) ela estaria "menos errada"?

No mais, a legislação consumerista brasileira, e, creio eu, de boa parte do planeta, é muito falha e imatura quanto à distribuição digital, por via da Internet, de softwares.

A própria Constituição, quando tratou desse assunto em 1988 (art. 220, § 3º), nem de longe imaginava o que seria a distribuição de produtos digitais pela Internet. Inclusive, se você ler a redação do dispositivo, notará que ela fala de "diversões e espetáculos públicos". É preciso uma interpretação muito extensiva para incluir softwares nesse rol.
Note que esse tipo de regra vem sendo aplicado no Brasil, basicamente, quando se fala em programas de TV, shows e cinemas, o que condiz mais com a realidade da época (1988) e com a intenção do legislador constituinte.

Não há legislação específica para esse tipo de coisa, até porque, diante da natureza da distribuição digital por Internet, não dá para as autoridades regulamentarem cada um desses produtos. Mais importante ainda: não é preciso ser uma empresinha pequena para se esquivar da vontade do governo, vide Valve e Google.

O slogan da Apple sempre foi a simplicidade e praticidade das coisas.
Já tive dois MacBooks Pro, um iPod touch e um iPad 1. Te juro que tive exatamente o contrário disso com eles.

Por fim, eu concordo com você que não existe empresa certa e empresa errada. Todas elas tentam trabalhar de acordo com o que dizem as regras do lucro (Google se esquiva da legislação brasileira; Apple é conivente com a exploração exagerada da mão-de-obra barata chinesa).
O problema é que algumas cometem erros para beneficiar o consumidor (e, obviamente, aumentar seus lucros), enquanto outras insistem em pregar uma filosofia e um modelo demasiadamente fechado, a ponto de esperar que autoridades públicas rasguem sua própria constituição.

PilotWings
Postado
05/04/2012
18:49
citação do post de davidcmc

O entrave não é do governo brasileiro, e sim da Apple. Ela queria impor as próprias regras de restrição com base em faixa etária, passando por cima das regulamentações brasileiras.
Em vários outros países ela consegue funcionar assim, mas aqui no Brasil, não.

A culpa não é das nossas regras, e sim dessa mania megalomaníaca da Apple. Se conseguimos ter acesso a jogos para PC e consoles no mesmo momento em que são lançados lá fora (inclusive com pre-order), por que a Apple não consegue submeter sua querida App Store ao crivo do governo brasileiro?

Ou segue a linha, ou vai ficar fora do trilho aqui no Brasil. E tem que ser assim. Já chega do quanto que nosso governo abre as pernas para montadoras de veículos. Agora, abrir as pernas para uma Applezinha da vida já é foda.

Obs.: enquanto isso, o Google Play funciona a todo vapor, com todas as seções de aplicativos e jogos, no Brasil, inclusive aceitando cadastro de cartão de crédito brasileiro sem frescura, para poder comprar apps lançados lá fora e aqui.

Vê se aprende Apple. Não é à toa que o Android já comeu mais da metade do mercado de smartphone dos EUA.


meu deus, nunca vi tanta asneira escrita junta em um unico post.... :bottini:

rosembergmsouza
Postado
05/04/2012
18:37
citação do post de davidcmc

citação do post de rosembergmsouza

Cara, não é bem assim.

A Apple segue o padrão americano de classificação, que é diferente do Brasileiro. A Apple não pode classificar seus próprios jogos, isso tem que ser feito pela Secretaria Nacional de Justiça.

E como sabemos, não é algo tão rápido para se fazer. Em 10 anos, a Secretaria Nacional de Justiça classificou apenas 2.100 jogos. Então dá pra ter uma idéia de quanto tempo levaria para classificar todos os jogos da App Store.

A Apple tentou até negociar uma forma de reclassificação dos jogos, que seriam feitas pelos próprios desenvolvedores. Mas o governo brasileiro não aceitou.

Agora, de acordo com a Veja, vai poder vender alguns jogos, apenas os já classificados. Então não poderemos esperar que a loja de jogos brasileira esteja tão completa quanto a americana.

Mas, tudo isso, porque a Apple está obedecendo as leis, claro que tentaram negociar com o Ministério e não deu certo, então estão fazendo como mandam as leis no Brasil.


Já o Google...

O Google simplesmente igonora as leis brasileiras, porque hospeda todo o conteúdo da sua loja em servidores americanos. Então tudo é importado.

Essa é uma brecha na legislação brasileira que o google resolveu aproveitar. E isso vai contra a constituição nacional. O ministério da justiça está ciente desta brecha, e provavelmente tomará alguma providência.

Aqui tem mais informações:
http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/brecha-na-lei-permite-que-google-ofereca-jogos-sem-classificacao-etaria-no-brasil


Há uma diferença entre "tentar negociar" e "tentar impor" as normas regulamentares sobre classificações etárias de jogos eletrônicos.
A culpa da atual situação é da Apple, que por muito tempo decidiu bater o pé e culpar o nosso governo. Em outras palavras, afirmando que não iria austar-se à nossa legislação.

E quanto à distribuição de jogos no Google Play, é a mesma forma de burlar uma regra utilizada pela Valve. Por sinal, a vinda do Steam aos Macs foi bem aplaudida pela comunidade Mac (inclusive como um argumento de que a plataforma estava passando a ser competitiva no mercado de jogos para PCs), e parece que a brasileira se inclui nesse meio.

Como fica isso? Os usuários de Macs e iGadgets gostam de um lado e criticam por outro?

Se a Apple não quer utilizar-se desse meio para beneficiar consumidores, ela está fazendo por onde quando perde mercado constantemente.

Só para ressaltar: não fique acreditando em cada nota pública divulgada pela Apple; eles não são bonzinhos, tampouco o nosso governo é o mal encarnado num Estado; eles tentaram impor uma regra criada por eles mesmos, pedindo que nossas autoridades rasgassem as leis nacionais.

O que a Apple faz quando a norma jurídica brasileira é burocrática? Manda o País e, principalmente, seus consumidores se foderem.
O que a Google faz quando a norma jurídica brasileira é burocrática? Utiliza uma brecha e entrega ao consumidor exatamente o que ele quer.

Violando ou não o sistema, a Google está agradando os consumidores, assim como a Valve faz.
Já tive um iPad 1 e cansei de ter que ficar procurando coisa na App Store argentina (com CC brasileiro internacional) e comprando iTunes Gift Card para poder adquirir coisa da App Store estadunidense.

O que Google e Valve fazem não é crime, do ponto de vista da pessoa jurídica. Quase toda empresa nesse planeta viola regras de países. Redes de supermercados, montadoras de veículos, fabricantes de celulares (Apple/Foxconn violando regras da OIT), franquias de lanchonete multinacionais, fabricantes de eletrônicos em geral etc.



Existe uma diferença enorme entre o Android Market e o Steam.

Os produtos do steam realmente são importados, são pagos com cartão de crédito internacional.

O Google vende diretamente ao mercado brasileiro, em moeda brasileira, mas os produtos não estão no brasil.

Não sei de onde você tirou que estou "acreditando no que a Apple fala", você viu a fonte que postei? Não é a única, se pesquisar mais encontrará várias fontes afirmando a mesma coisa.

Na boa, eu não defendo a Apple nem o Google, muito menos o Governo.
Esse negócio de achar que há um "vilão da história" é ser muito infantil. Mais ainda achar que há um "herói" bomzinho que só quer o bem da população.

A Apple quer vender aqui, mas se seguir a legislação brasileira, vai demorar anos pra avaliar todos os jogos da App Store, por isso tentaram negociar outra forma, mas não teve acordo.

E nisso o governo brasileiro tá certo, temos nossas leis, e quem quiser vender aqui que as obedeça. Não tem que haver exceção pra nimgém. Mas a lerdeza do sistema de avalização brasieiro, vai atrapalhar muito isso se tornar realidade. Provavelmente teremos lançamentos na Store Americana que só serão liberados no Brasil anos depois. Angry Birds já tem classificação nacional, mas Fruit Ninja por exemplo, até hoje não tem. E olha que é um jogo já antigo nos portáteis. O nosso sistema de classificação é lento e tem uns problemas na hora tomar decisões. Basta lembrar que é o mesmo órgão que proibiu a venda do Counter-Strike no Brasil por conter "violência realista" demais para os cidadões brasileiros, mesmo para os maiores de idade. E isso, só foi feito depois de anos que o jogo rolava por aqui. Demoraram tanto pra avaliar que ninguém nem jogava mais quando foi proibido.

Já o Google aproveitou a brecha e está vendendo na boa, enquando a justiça fizer vista grossa pra esse caso, estará tudo de boa. Mas se for seguir as leis brasileiras e fazer tudo direitinho, já teriam barrado o Google também.

Não há certo ou errado na história, há situações, independente de preferência de marca, ou coisa parecida.

credo, escrevi "avalização" no lugar de "avaliação"


davidcmc
Postado
05/04/2012
17:36
citação do post de rosembergmsouza

Cara, não é bem assim.

A Apple segue o padrão americano de classificação, que é diferente do Brasileiro. A Apple não pode classificar seus próprios jogos, isso tem que ser feito pela Secretaria Nacional de Justiça.

E como sabemos, não é algo tão rápido para se fazer. Em 10 anos, a Secretaria Nacional de Justiça classificou apenas 2.100 jogos. Então dá pra ter uma idéia de quanto tempo levaria para classificar todos os jogos da App Store.

A Apple tentou até negociar uma forma de reclassificação dos jogos, que seriam feitas pelos próprios desenvolvedores. Mas o governo brasileiro não aceitou.

Agora, de acordo com a Veja, vai poder vender alguns jogos, apenas os já classificados. Então não poderemos esperar que a loja de jogos brasileira esteja tão completa quanto a americana.

Mas, tudo isso, porque a Apple está obedecendo as leis, claro que tentaram negociar com o Ministério e não deu certo, então estão fazendo como mandam as leis no Brasil.


Já o Google...

O Google simplesmente igonora as leis brasileiras, porque hospeda todo o conteúdo da sua loja em servidores americanos. Então tudo é importado.

Essa é uma brecha na legislação brasileira que o google resolveu aproveitar. E isso vai contra a constituição nacional. O ministério da justiça está ciente desta brecha, e provavelmente tomará alguma providência.

Aqui tem mais informações:
http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/brecha-na-lei-permite-que-google-ofereca-jogos-sem-classificacao-etaria-no-brasil


Há uma diferença entre "tentar negociar" e "tentar impor" as normas regulamentares sobre classificações etárias de jogos eletrônicos.
A culpa da atual situação é da Apple, que por muito tempo decidiu bater o pé e culpar o nosso governo. Em outras palavras, afirmando que não iria austar-se à nossa legislação.

E quanto à distribuição de jogos no Google Play, é a mesma forma de burlar uma regra utilizada pela Valve. Por sinal, a vinda do Steam aos Macs foi bem aplaudida pela comunidade Mac (inclusive como um argumento de que a plataforma estava passando a ser competitiva no mercado de jogos para PCs), e parece que a brasileira se inclui nesse meio.

Como fica isso? Os usuários de Macs e iGadgets gostam de um lado e criticam por outro?

Se a Apple não quer utilizar-se desse meio para beneficiar consumidores, ela está fazendo por onde quando perde mercado constantemente.

Só para ressaltar: não fique acreditando em cada nota pública divulgada pela Apple; eles não são bonzinhos, tampouco o nosso governo é o mal encarnado num Estado; eles tentaram impor uma regra criada por eles mesmos, pedindo que nossas autoridades rasgassem as leis nacionais.

O que a Apple faz quando a norma jurídica brasileira é burocrática? Manda o País e, principalmente, seus consumidores se foderem.
O que a Google faz quando a norma jurídica brasileira é burocrática? Utiliza uma brecha e entrega ao consumidor exatamente o que ele quer.

Violando ou não o sistema, a Google está agradando os consumidores, assim como a Valve faz.
Já tive um iPad 1 e cansei de ter que ficar procurando coisa na App Store argentina (com CC brasileiro internacional) e comprando iTunes Gift Card para poder adquirir coisa da App Store estadunidense.

O que Google e Valve fazem não é crime, do ponto de vista da pessoa jurídica. Quase toda empresa nesse planeta viola regras de países. Redes de supermercados, montadoras de veículos, fabricantes de celulares (Apple/Foxconn violando regras da OIT), franquias de lanchonete multinacionais, fabricantes de eletrônicos em geral etc.

rosembergmsouza
Postado
05/04/2012
17:05
citação do post de davidcmc

O entrave não é do governo brasileiro, e sim da Apple. Ela queria impor as próprias regras de restrição com base em faixa etária, passando por cima das regulamentações brasileiras.
Em vários outros países ela consegue funcionar assim, mas aqui no Brasil, não.

A culpa não é das nossas regras, e sim dessa mania megalomaníaca da Apple. Se conseguimos ter acesso a jogos para PC e consoles no mesmo momento em que são lançados lá fora (inclusive com pre-order), por que a Apple não consegue submeter sua querida App Store ao crivo do governo brasileiro?

Ou segue a linha, ou vai ficar fora do trilho aqui no Brasil. E tem que ser assim. Já chega do quanto que nosso governo abre as pernas para montadoras de veículos. Agora, abrir as pernas para uma Applezinha da vida já é foda.

Obs.: enquanto isso, o Google Play funciona a todo vapor, com todas as seções de aplicativos e jogos, no Brasil, inclusive aceitando cadastro de cartão de crédito brasileiro sem frescura, para poder comprar apps lançados lá fora e aqui.

Vê se aprende Apple. Não é à toa que o Android já comeu mais da metade do mercado de smartphone dos EUA.



Cara, não é bem assim.

A Apple segue o padrão americano de classificação, que é diferente do Brasileiro. A Apple não pode classificar seus próprios jogos, isso tem que ser feito pela Secretaria Nacional de Justiça.

E como sabemos, não é algo tão rápido para se fazer. Em 10 anos, a Secretaria Nacional de Justiça classificou apenas 2.100 jogos. Então dá pra ter uma idéia de quanto tempo levaria para classificar todos os jogos da App Store.

A Apple tentou até negociar uma forma de reclassificação dos jogos, que seriam feitas pelos próprios desenvolvedores. Mas o governo brasileiro não aceitou.

Agora, de acordo com a Veja, vai poder vender alguns jogos, apenas os já classificados. Então não poderemos esperar que a loja de jogos brasileira esteja tão completa quanto a americana.

Mas, tudo isso, porque a Apple está obedecendo as leis, claro que tentaram negociar com o Ministério e não deu certo, então estão fazendo como mandam as leis no Brasil.


Já o Google...

O Google simplesmente igonora as leis brasileiras, porque hospeda todo o conteúdo da sua loja em servidores americanos. Então tudo é importado.

Essa é uma brecha na legislação brasileira que o google resolveu aproveitar. E isso vai contra a constituição nacional. O ministério da justiça está ciente desta brecha, e provavelmente tomará alguma providência.

Aqui tem mais informações:
http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/brecha-na-lei-permite-que-google-ofereca-jogos-sem-classificacao-etaria-no-brasil

davidcmc
Postado
05/04/2012
14:02
O entrave não é do governo brasileiro, e sim da Apple. Ela queria impor as próprias regras de restrição com base em faixa etária, passando por cima das regulamentações brasileiras.
Em vários outros países ela consegue funcionar assim, mas aqui no Brasil, não.

A culpa não é das nossas regras, e sim dessa mania megalomaníaca da Apple. Se conseguimos ter acesso a jogos para PC e consoles no mesmo momento em que são lançados lá fora (inclusive com pre-order), por que a Apple não consegue submeter sua querida App Store ao crivo do governo brasileiro?

Ou segue a linha, ou vai ficar fora do trilho aqui no Brasil. E tem que ser assim. Já chega do quanto que nosso governo abre as pernas para montadoras de veículos. Agora, abrir as pernas para uma Applezinha da vida já é foda.

Obs.: enquanto isso, o Google Play funciona a todo vapor, com todas as seções de aplicativos e jogos, no Brasil, inclusive aceitando cadastro de cartão de crédito brasileiro sem frescura, para poder comprar apps lançados lá fora e aqui.

Vê se aprende Apple. Não é à toa que o Android já comeu mais da metade do mercado de smartphone dos EUA.






ENVIAR NOTÍCIA POR EMAIL:Fechar
seu nome: seu e-mail:
enviar para: separar os emails por vírgulas
comentários:
Máx. 800 caracteres (restam 800 caracteres).



Facebook
YouTube
Twitter
Fórum
RSS