+ Responder ao Tópico
Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 13
  • Compartilhar Post
  • Ferramentas de Tópicos
  1. #1
    Data de Ingresso
    Jun 2011
    Posts
    21

    Teste de capacitor com multímetro digital

    Seguinte, gostaria de saber se esta técnica está correta para se testar capacitores (verificar curto e fuga) Colocar o multímetro na escala de resistência.
    Observar que quanto maior a capacitância, menor a resistência e vice versa.

    Observar se o capacitor carrega.
    Ele irá carregar. Logo após, deve-se inverter ás pontas de prova do multímetro e verificar se ele descarrega e carrega novamente. Se isto acontecer, significa que o capacitor está bom, mais não é garantido que seu valor de capacitância esteja certo.

    OBS.: Só tenho o multímetro digital .



  2. #2
    O correto seria utilizar o capacímetro. Muitas vezes, o capacitor esta com problema de isolação ou conhecida fuga. Nesta caso o melhor seria colocar-se um resistor em série e aplicar uma tensão dc com uma fonte. Medir a tensão sobre o capacitor , ela terá que chegar ao mesmo valor da fonte, caso contrario indica a fuga.
    J.A.
    Venda e Assist. Técnica No-break´s / Estabilizadores Profissionais
    Baterias Seladas AGM /GEL/Telecon e Alcalinas Cabeamento Estruturado
    Proteção e Aterramentos Acionamentos Industriais

  3. #3
    Data de Ingresso
    Jun 2011
    Posts
    21
    Ok, mais deste modo já ajuda alguma coisa?

  4. #4
    Citação Postado originalmente por phanda Ver Post
    Ok, mais deste modo já ajuda alguma coisa?
    OK! No entanto, para uma medição rápida, é possível sim, se medir a resistência ôhmica do capacitor e verificar alguma anormalidade grave. Por exemplo; curto ou aberto.
    Ao se medir com multiteste,o instrumento mede uma resistência baixa que vai gradativamente aumentando para valores de K ou M ôhms, depende muito da capacitância do componente.
    J.A.
    Venda e Assist. Técnica No-break´s / Estabilizadores Profissionais
    Baterias Seladas AGM /GEL/Telecon e Alcalinas Cabeamento Estruturado
    Proteção e Aterramentos Acionamentos Industriais

  5. #5
    Data de Ingresso
    Jun 2011
    Posts
    21
    josé Amilton, por curiosidade, tipo, testei 3 capacitores e peço que analise os resultados:

    O 1° Carregou, a ao inverter começou a descarregar e a carregar novamente, subindo para um n° infinito;
    2° Carregou, e ao inverter ele não foi caindo a tensão para depois subir, parece que ocorreu uma queda e depois continuou a subir;
    3° Apresentou um valor e ficou parado nele. Para todos os testes, fui mudando de escala até pegar medida.

    Então, podes me dar uma análise de qual que pode ser considerado bom, em curto, ou com fuga?
    Até.

  6. #6
    Citação Postado originalmente por phanda Ver Post
    josé Amilton, por curiosidade, tipo, testei 3 capacitores e peço que analise os resultados:

    O 1° Carregou, a ao inverter começou a descarregar e a carregar novamente, subindo para um n° infinito;
    2° Carregou, e ao inverter ele não foi caindo a tensão para depois subir, parece que ocorreu uma queda e depois continuou a subir;
    3° Apresentou um valor e ficou parado nele. Para todos os testes, fui mudando de escala até pegar medida.

    Então, podes me dar uma análise de qual que pode ser considerado bom, em curto, ou com fuga?
    Até.
    A pergunta que faço; são de mesma capacitância e tensão ?
    Uma explicação: Dentro do multímetro tem as pilhas. A polaridade tem tudo a ver com a tensão que ao medir-se resistencia é imprimida nas ponteiras. Quando invertes as ponteiras, inverte a tensão entendeu ( +/-).
    Capacitores eletrolíticos costuma carregarem mais lentamente. Os demais tem que ver a capacitância, sendo muito baixa; ex 0,1 uf, 0,2uf ou abaixo disso o multímetro dá um pequeno pico e vai para alta resistência.
    Como disse no inicio o ideal seria o uso de capacímetro, o meu Fluk tem um integrado, o que facilita bastante. Se tiveres dúvida, utiliza o método da tensão aplica como mostrei no inicio.
    J.A.
    Venda e Assist. Técnica No-break´s / Estabilizadores Profissionais
    Baterias Seladas AGM /GEL/Telecon e Alcalinas Cabeamento Estruturado
    Proteção e Aterramentos Acionamentos Industriais

  7. #7
    Data de Ingresso
    Oct 2006
    Localização
    Porto Alegre - RS
    Posts
    5.006
    Testar capacitor com um multímetro é mais ou menos equivalente a fazer exame de fezes pelo cheiro.. Confiarias?? Acreditarias no resultado??
    Quebra galho, mas não resolve...
    Identifica, mas não valora nem qualifica..
    Não faz eficaz teste de corrente de fuga, pois uma coisa é um capacitor com isolação de 100 Volts por exemplo, não apresentar fuga quando exposto a esses 100 Volts e outra é ele não apresentar fuga a tensão de 3 ou até mesmo 9 Volts do multímetro.. E assim vai...

    Serve para dizer que o capacitor está ou não em curto...
    Mac Book Pro 8.2
    HD 6750M

  8. #8
    Citação Postado originalmente por lfaller Ver Post
    Testar capacitor com um multímetro é mais ou menos equivalente a fazer exame de fezes pelo cheiro.. Confiarias?? Acreditarias no resultado??
    Quebra galho, mas não resolve...
    Identifica, mas não valora nem qualifica..
    Não faz eficaz teste de corrente de fuga, pois uma coisa é um capacitor com isolação de 100 Volts por exemplo, não apresentar fuga quando exposto a esses 100 Volts e outra é ele não apresentar fuga a tensão de 3 ou até mesmo 9 Volts do multímetro.. E assim vai...

    Serve para dizer que o capacitor está ou não em curto...
    Meu Caro conterrâneo I.Faller,
    Isso me faz lembar no tempo que trabalha com os grandes No-break´s em Sampa.
    Uma certa vez, atendendo um grande cliente da multinacional que trabalhava, fazia um reparo numa determinada gaveta inversora de um deste de 150Kva. Ocorria a abertura dos fusíveis de proteção. Não encontrei nenhuma defeito aparente e conclui naquele momento que poderia ter sido por falha de comutação. Liguei tudo de novo e buuum. Novamente não achei nada anormal e resolvi trocar a gaveta de lugar. Liga de novo e buuum. Desisti naquele dia e voltei no outro munido de um megôhmetro. Medi a isolação de tudo e adivinha quem apresentava fuga?
    - Era um capacitor do snumber ( RC que fica em paralelo com os tiristores chaveadores).
    Portanto, tens razão no que diz! A partir deste evento passei a carregar um megôhmetro no meu instrumental padrão.
    J.A.
    Venda e Assist. Técnica No-break´s / Estabilizadores Profissionais
    Baterias Seladas AGM /GEL/Telecon e Alcalinas Cabeamento Estruturado
    Proteção e Aterramentos Acionamentos Industriais

  9. #9
    Data de Ingresso
    Jun 2011
    Posts
    21
    Citação Postado originalmente por josé Amilton Ver Post
    A pergunta que faço; são de mesma capacitância e tensão ?
    Uma explicação: Dentro do multímetro tem as pilhas. A polaridade tem tudo a ver com a tensão que ao medir-se resistencia é imprimida nas ponteiras. Quando invertes as ponteiras, inverte a tensão entendeu ( +/-).
    Capacitores eletrolíticos costuma carregarem mais lentamente. Os demais tem que ver a capacitância, sendo muito baixa; ex 0,1 uf, 0,2uf ou abaixo disso o multímetro dá um pequeno pico e vai para alta resistência.
    Como disse no inicio o ideal seria o uso de capacímetro, o meu Fluk tem um integrado, o que facilita bastante. Se tiveres dúvida, utiliza o método da tensão aplica como mostrei no inicio.
    Olá, aqui estão os valores dos capacitores: 1° 2200¼F 6.3v; 2° 100¼F 16v; 3° 2200¼F 6.3v. Estes em escala de 2k.

    Obs: Só quero aprender como verificar se o capacitor está em fuga ou curto, uma verificação rápida mesmo. No meu caso já ajudaria .
    Última edição por phanda; 13-07-11 às 10:38.

  10. #10
    Citação Postado originalmente por phanda Ver Post
    Olá, aqui estão os valores dos capacitores: 1° 2200¼F 6.3v; 2° 100¼F 16v; 3° 2200¼F 6.3v. Estes em escala de 2k.

    Obs: Só quero aprender como verificar se o capacitor está em fuga ou curto, uma verificação rápida mesmo. No meu caso já ajudaria .
    Para verificar fuga ou problema de isolação, você precisaria elevar a tensão até o valor de trabalho. Para isso precisaria de uma fonte regulada, colocar um resistor de até 500R em série. Então, aplica a tensão no RC formado. O ideal é que tivesse dois multímetros, uma ligado na fonte e outro sobre o capacitor. Ao subir a fonte a tensão no capacitor subira em rampa até atingir o mesmo valor da fonte. Se por acaso a tensão da fonte por exemplo,marcar os 6,3 Volts e no capacitor ficar em 4 Volts esta configurado a fuga entendeu?
    O De 16 Vdc na fonte indicando este valor e no capacitor por exemplo 10 Volts, outro caso de fuga.
    Espero ter ajudado,
    J.A.
    Venda e Assist. Técnica No-break´s / Estabilizadores Profissionais
    Baterias Seladas AGM /GEL/Telecon e Alcalinas Cabeamento Estruturado
    Proteção e Aterramentos Acionamentos Industriais



Marcadores

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  • BB Code está Ligado
  • Smilies estão Ligados
  • Código [IMG] está Ligado
  • Código HTML está Desligado



  
ANÁLISES Ver lista completa VIDEOS Ver lista completa NOTÍCIAS Ver lista completa COLUNAS
redacao 
joaogan 
redacao 
luizf 
redacao 
Ver lista completa

CANAIS: TECNOLOGIA | TELECOM | INTERNET | SEGURANÇA | GAMES |

SEÇÕES: NOTÍCIAS | REVIEWS | ENTREVISTAS | COLUNISTAS | COBERTURAS | DOWNLOADS | VÍDEOS | PODCAST | ENQUETES | BIBLIOTECA | PROMOÇÕES | FÓRUM | RSS

A EMPRESA | EQUIPE | PARCEIROS | PUBLICIDADE | FALE CONOSCO | CONDIÇÕES DE USO | POLÍTICA DE PRIVACIDADE

COPYRIGHT © 2001 - 2013 ADRENALINE.COM.BR. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. ADRENALINE É UMA MARCA REGISTRADA DA ADRENALINE FRANQUIAS.