+ Responder ao Tópico
Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 22
  • Compartilhar Post
  • Ferramentas de Tópicos
  1. #1
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721

    Atenção Baterias seladas, porque duram pouco??

    BATERIAS SELADAS PORQUE DURAM POUCO!

    POR DESCONHECIMENTO TÉCNICO, O USO DE BATERIAS SELADAS NAS MAIS DIVERSAS APLICAÇÕES, EXIGE CRITÉRIOS E ESPECIFICAÇÕES QUE, SE NÃO FOREM SEGUIDAS, COM CERTEZA ,REDUZIRÁ SUA VIDA ÚTIL.
    ESCREVO O TÓPICO COMO FORMA DE ESCLARECIMENTOS.

    BATERIAS SELADAS PORQUE DURAM POUCO ?

    A Bateria Selada ainda é desconhecida por muitos usuários que, comumente, confundem os dois tipos existentes ( AGM e GEL ) com baterias ventiladas blindadas tipo automotivas por exemplo.
    Na realidade a pesquisa para dispormos de uma bateria confiável, com uma durabilidade aceitável levou um bom tempo. O uso de ligas metálicas, processos de formulação das placas, separadores, colas especiais etc., resultavam sempre numa dificuldade de durabilidade, devido ao processo de estabilização do ciclo de recombinação e conseqüentemente a contaminação interna.
    Os resultados mais estáveis conseguiu-se com chumbo puro em liga com cálcio. Mesmo assim, algumas primícias técnicas deveriam serem observadas em função do perfil cíclico de cada tipo de bateria como;
    A) Projeto da grade ( isto é; tipo da liga,espessura,configuração da malha).
    B) Formulações da Pasta ou Material Ativo ( isto é; densidade,tipo de óxidos, processo de mistura ).
    C) Processo de tratamento da placa.
    D) Tipos de separadores ( isto é; tamanho do poro,resistência interna, tipo de material ).
    E) Processo de formação da placa.

    Embora que a maioria dos projetos apresente similaridades, a capacidade cíclica de cada bateria projeta ,podem variarem em função da quantidade de ciclos que elas poderão fornecerem diretamente relacionada a profundidade das descargas. Portanto, os fabricantes realizam ensaios sucessivos de carga e descarga, objetivando obter uma vida útil estimada destas baterias.
    Desta forma o primeiro fator que pode contribuir para o não atendimento da vida útil estimada, esta relacionada ao numero de ciclos e a profundidade das descargas como por exemplo;

    Numero de Ciclos Profundidade de Descarga
    150  200 100%
    450  600 50%
    1250  1500 25%


    O segundo ponto importante que contribui para esta degradação é justamente o ciclo de recombinação dos gases ( ciclo do oxigênio). A aceleração deste ciclo resulta numa diminuição direta da vida útil porque parte do hidrogênio se deposita na placa positiva ao longo do tempo, portanto a tensão de flutuação/temperatura são fatores importantes.
    Ao contrario, tensão de flutuação muito baixa, ou armazenamentos acima de 6 meses, resultarão num lento e gradativo processo de descarga. A conseqüência é o processo de sulfatação das placas.

    SULFATAÇÃO: Cabe aqui, fazer um esclarecimento do uso desta palavra.
    Sulfato de chumbo se forma como parte natural do processo de descarga e, neste sentido, é uma parte necessária do funcionamento da bateria.Este sulfato tem estrutura finamente cristalina e é facilmente reduzido pela corrente de carga.
    O segundo aspecto é aquele formado pela ação de auto descarga das placas, que também pode ser reduzido por uma correta recarga.
    A terceira é a que nos interessa, é a que se aplica aos cristais grandes ou sulfato de chumbo duro, que podem se formarem nas placas, por um processo negligente ou de uso incorreto. Este processo é de difícil redução e podem causar danos permanentes nas placas.

    O terceiro item importante é o ripple ou tensão rms residual sobre o DC total. A recomendação é que o ripple fique no máximo a 1,5% da tensão total.
    Um de 4%´pode ser tolerado desde que ocorra de forma intermitente ( isto é, picos em situação transitórias ).

    O quarto item se refere a aspectos de instalação ( baterias sem espaçamentos p/ventilação), conexões mal apertadas, oxidações nas conexões e projetos de aplicação.

    Quanto à aplicação, deverá ser observado qual dos dois tipos se aplica ao uso pretendido e por isso mostramos abaixo os comparativos ente GEL e AGM.

    AGM

    Placa Positiva Plana (Empastada)
    Ácido imobilizado num separador a base de xxxxxxxxxxxxxx Separador é a própria microfibra de vidro
    Menor resistência interna ( Bom p/UPS) .
    Maior estratificação do eletrólito.
    Mais sensível a ciclagem
    Mais sensível às altas temperaturas
    Maior densidade de energia
    Maior taxa de auto descarga 3%/mês
    Maior taxa de recombinação  98%
    Menor Custo ( preço).
    Pode operarem varias posições





    GEL

    Placa Positiva Tubular
    Ácido imobilizado em solução de sílica fibra de vidro
    Separador Adicional ( Isolador das placas)
    Maior resistência interna
    Menor estratificação do eletrólito
    Aplicação cíclica
    Menos sensível às altas temperaturas
    Menor densidade de energia
    Menor taxa de auto descarga-2%/mês
    Menor taxa de recombinação~95%
    Maior custo
    Pode operar em varias posições

    O quinto item se refere à corrente de recarga ,que de uma forma direta, interfere no processo de recombinação com aquecimento interno do elemento. Em função disso, a recomendação é que os carregadores fiquem limitados em 10% da capacidade nominal das baterias . Ex: bateria de 12V/7A- A corrente de recarga deverá estar limitada em 0,7 A ( 700 mA.) .

    Portanto esta ai a explicação porque estas bateria seladas de uso geral duram no máximo 4 a 6 anos em instalações condicionadas, com tensão compensadas/adequadas e de com uma média de 3 anos dentro de equipamentos ou ambientes não condicionadas.
    Em compensação, nas baterias Top de Linha e uso em Telecom os fabricantes já desenvolveram baterias com vida estimada de 20 anos e, portanto, com duração real de 10 a 12 anos considerando os requisitos descritos acima.
    Nas fotos abaixo apresentamos uma tabela de vida útil estimada em função da temperatura com e sem compensação e fotos em corte de dois elementos de baterias, sendo um AGM e outro GEL.

    Bibliografia: Sec. Power / Power Battery - PM

    José Amilton 
    CREA-RS 87746

    Fotos e dados mais elaborados no endereço eletrônico;
    http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=246505
    Sds,
    José Amilton
    Última edição por josé Amilton; 25-04-13 às 11:57.



  2. #2
    Data de Ingresso
    Jun 2005
    Localização
    Santos e São Paulo
    Posts
    335
    Da pra fazer um resumo?

  3. #3
    Esse é o resumo, colega!

  4. #4
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721
    Meu Caro KEM,
    Como disse o RAU ,já fiz um resumo geral do tema, nos dois ítens postados. Dados mais claros com fotos e edição mais arrumada no forumpc ,conforme indicado.
    Se precisares de alguma informação específica por favor!!!!
    Sds,
    José Amilton

  5. #5
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721

    Info Baterias-efeito saco um perigo quase desconhecido !

    BATERIAS

    EFEITO SACO UM PERIGO QUASE DECONHECIDO !

    UM INIMIGO QUASE DESCONHECIDO DOS NO-BREAK´S É ESTA CARACTERÍSTICA INTRINSÍCAS DAS BATERIAS.
    QUANDO SUBMETIDOS A UMA CORRENTE DE DESCARGA, SAINDO DA SITUAÇÃO DE REPOUSO OU FLUTUAÇÃO, ELAS APRESENTAM UM DEGRAU DE TENSÃO, POR UM CURTO TEMPO.

    NOTA 1: Vamos citar a seguinte situação exemplificativa;
    - Cliente faz um chamado de assistência técnica, solicitando que seja feita uma manutenção corretiva.
    - Indagado pela Empresa Técnica, responde o seguinte;
    - Ocorreu uma falha da rede por X tempo e tudo correu normalmente, passados 15,20 ou 30 minutos voltou a faltar a rede, mais desta vez ,o No-break se desligou e toda carga do cliente foi desligada, gerando prejuízos.
    - O Técnico quando verifica o equipamento não encontra falha alguma, mede as baterias com carga resistiva e não encontra anormalidades. Sem saber o que dizer, fala que fez reajustes , reapertos em conexões e que ficará em observação, o tal equipamento.
    -
    A RESPOSTA ESTA NO EFEITO SACO ,QUE NADA MAIS É QUE UMA CARACTERÍSTICA DAS BATERIAS CHUMBO ÁCIDAS.
    ESTAS BATERIAS APRESENTAM UMA SUBTENSÃO QUE PODE CHEGAR A 20% DA TENSÃO DE CORTE NUM TEMPO DE 1 ms. DEPENDENDO DE SUA PROFUNDIDADE, DO ESTADO DE CARGA E DO TEMPO DE VIDA ÚTIL.
    BATERIAS SUBMETIDAS A UMA DESCARGA, DEMORAM DE 3 A 24 HS PARA SE CARREGAREM NOVAMENTE E, MUITAS VEZÊS, NESTE MEIO TEMPO SÃO SOLICITADAS A REALIZAR UM TRABALHO QUE NÃO ESTÃO PREPARADAS. A PROFUNDIDADE PODERÁ CHEGAR A 1,75 V / ELEMENTO NUM TEMPO DE 3 ms.

    DE QUE DEPENDE O EFEITO SACO :

    DIRETAMENTE :
    – 01) DA RESISTÊNCIA ( IMPEDÂNCIA ) INTERNA , QUE CONSISTE NA SOMA DAS RESISTÊNCIAS DO MEIO ELETROLÍTICO,PLACAS POSITIVAS E NEGATIVAS E CONEXÕES MECÂNICAS INTERNA.
    – 02) DA PROFUNDIDADE DA DESCARGA.
    – 03) DAS CONEXÕES MECÂNICAS EXTERNAS.

    EXEMPLO:
    No-break com as seguintes características:
    Potência de 1200 Va. / Saída 110 Vac / Cosf de 0,6 / 48 Vdc de Baterias.
    Então teremos: corrente de saída = 6,5 A
    4 Baterias internas de 12V /7 A .

    Grosseiramente poderíamos dizer que a corrente de descarga será de :
    720W ¸ 48 = 15 A / 10 minutos ( vide curva de descarga)
    Eu disse grosseiro porque no final de descarga ela será de :
    1,75 x 6elementos= 10,50 Vdc x 4 Baterias = 42 V
    Nesta situação 720 w ¸ 42 = 17,14 A / 5 minutos ( vide curva de descarga).
    Portanto o correto é calcular o dimensionamento pela tensão média e seguindo uma fórmula confiável como mostramos abaixo:
    – I BAT = ( S. COS f ) ¸ ( n. N. Vm) onde;
    – I.BAT= Corrente de descarga
    – S = Potência em kVA.
    – n = Rendimento do Inversor.
    – N = numero de elementos.
    – Vm = igual a tensão média de descarga.

    OBSERVE QUE UMA BATERIA DE 7 A É SUBMETIDA AO DOBRO DA CORRENTE ESPECIFICADA. E DAÍ , ELAS FORAM FEITAS PARA FORNECER SUA CARGA EM TEMPOS DE MINUTOS A HORAS DE FORMA SEGURA.

    FINALIZO COM AS SEGUINTES DICAS:

    - NÃO COMPRE BATERIAS DE SEGUNDA LINHA, ELAS SÃO BOAS PARA LUZ DE EMERGÊNCIA OU ALARMES , MAIS NUNCA PARA NO-BREAK´S.
    - CUIDE QUE AS CONEXÕES EXTERNAS ESTEJAM BEM FIRMES , LIMPAS E NÃO VENHA AGRAVAR O EFEITO SACO.
    - NÃO DEIXE QUE UMA BATERIA SELADA CAIA A ABAIXO DE 10 VDC, VOCÊ PODERÁ NÃO CONSEGUIR CARREGA-LAS NOVAMENTE COM A TENSÃO SIMPLES DO CARREGADOR NO-BREAK´S.


    JOSÉ AMILTON

  6. #6
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721
    A SEC POWER LANÇA NO MERCADO NACIONAL, BATERIAS PARA OPERAR COM TEMPERATURA ACIMA DOS 25 GRAUS PADRÃO.
    http://www.secpower.com.br/2008/produtos_ver.php?linha=fp&serie=lfpt

    PARA AQUELES LOCAIS ONDE A TEMPERATURA MÉDIA É MAIS ALTA OU SEM CONDICIONAMENTO TÉRMICO APROPRIADA, A SEC POWER LANÇA UMA BATERIA VLRA - AGM COM SUPORTABILIDADE A TEMPERATURA MUITO próxima DA BATERIAS GEL.
    É A TECNOLOGIA SE ADAPTANDO AO USO DO MERCADO .

    SDS,
    J.A

  7. #7
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721

    MediÇÃo e aviliaÇÃo de baterias pelo metodo da condutÂncia!

    Medição e avaliação de baterias pelo metodo da condutância:

    DDOS NO OUTRO FORUM ONDE ESCREVI ESTE ARTIGO:


    http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=246505&postdays=0&postorder=asc&start=10.

    AVALIAÇÃO DE BATERIAS PELO MÉTODO DA CONDUTÂNCIA.

    A Sec Power, nossa representada, tem feito seminários e palestras sobre tecnologias de baterias seladas e suas aplicações. Neste ano realizou o primeiro Seminário Nacional sobre Baterias e Manutenção.
    Participaram Pesquisadores, Fabricantes e Empresas da área elétrica e Telecomunicações.
    A grande novidade foi à nova tecnologia de medição/avaliação que não necessita desligar bancos de baterias ( Importantes em áreas que não possam serem desligadas sem programações prévias ).
    Assim com ocorreu com análise físico-químico de óleo e Termográfia, que trouxeram uma revolução na manutenção preventiva elétrica e, também ,análise de vibração na área mecânica, agora surge avaliação de Baterias pela condutância.
    Não se trata de um simples método de medição pela tensão e sim, de uma análise do estado de carga de cada elemento,permitindo intervenções antecipadas e cirúrgicas em determinado conjunto.

    Somente no mercado de Distribuição Elétrica,Geração,Telecomunicações,Industrial e CPD´s , as análises são feitas com medições periódicas baseadas somente nos níveis de tensão. Muitas delas por amostragem dos conjuntos. Isso gera erros de interpretação, que podem ocasionarem falhas nos sistemas, trocas de baterias sem critérios, diminuição da vida útil,custos de paradas não previstas e acidentes.

    Utilizando um software dedicado, o método pela condutância, cria um perfil dos elementos,mostrando o estado de carga e da curva de envelhecimento ,numa exatidão de 99%.
    O sistema pode gerar as informações num gráfico de barras,e assim , pode-se ter uma visão de todos os elementos de um determinado conjunto,permitindo intervenções pontuais e programáveis.
    Estudos feitos ao longo de dois anos pelo CPQD, pela CHESF, pela Light Rio e outros ,demonstraram a eficiência e exatidão comparativa da tecnologia (dados disponíveis em arquivo).

    Vejam o artigo todo :

    FILOSOFIA E TECNOLOGIA
    Este é um espaço preliminar onde desejo colocar e compartilhar conhecimentos com você. Dessa forma espero que você coloque suas opiniões, seus pareceres e faça uma interação conosco. Seja sempre bem vindo. Desse intercambio espero colaborar para o seu crescimento como pessoa e também profissionalmente como também espero crescer. Colabore sempre.
    Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008
    CONCLUSÕES SOBRE O MEDIDOR DE CONDUTANCIA PARA DIAGNÓSTICO DE BANCOS DE BATERIAS INDUSTRIAIS.
    Resumo da visita da CONTRONICS à CABIUNAS que foi acompanhado por nós.


    É um engano se pensar que a técnica de diagnóstico de bancos de baterias por meio de medição de condutância não é confiavel, pois testes exaustivos de comparação entre as técnicas de diagnósticos feitos com testes de descarga e medição de condutância, revelaram que as duas técnicas apresentam variação de apenas dois por cento ou seja os testes de medição de condutancia revelaram-se equivalentes aos testes convencionais feitos por meio de testes de descarga com equivalência de noventa e oito por cento, portando um desvio insignificante, se levarmos em conta que o teste de descarga também não é cem por cento confiável principalmente devido a paradas para retirada de elementos.





    Tanto isso é verdade que a Indústria automobilistica, as de telecomunicações, a IBM, e muitas outras utilizam hoje o medidor de condutância, o que consagra a confiabilidade do método de diagnóstico para Bancos de Baterias industriais.



    No entanto para que o teste tenha êxito é necessário que se conheça os parâmetros do Banco em questão, e se tenha conhecimento dos procedimentos corretos para o sucesso no teste.





    Portanto iremos enunciar aqui as regras necessárias para o êxito nos testes com medidor de condutância.





    1. O parâmetro de um elemento é o valor padrão de sua condutância quando ele estiver com 100% de capacidade. Conhecido esse valor, a medida que a condutancia for diminuindo, a redução será proporcional à capacidade do Banco de Baterias.


    2. Os principais fabricantes de Bancos de Baterias fornecem a sua condutância padrão, porém esse valor não deve ser considerado porque depois de instalado o Banco, a condutâcia sobe em torno de vinte por cento dentro de um período máximo de seis meses. Se subir vinte por cento, significa que o elemento está saudável. Se subir menos do que isso, indica problemas, e por isso deve-se permanecer alerta.


    3. Depois que a condutância atingir o valor máximo, esse deve ser o valor a ser levado em consideração como padrão para o teste. A redução desse valor significará a redução da capacidade do Banco de baterias.


    4. Quando um elemento atinge o valor de oitenta por cento de sua capacidade, significa que já deve se pensar em troca-lo, pois está em curva descendente de queda em sua capacidade.


    5. Nunca se deve encostar as ponteiras em local diferente dos bornes do elemento a ser medido. O contacto da ponteira de teste em local diverso do borne pode ocasionar correntes de fuga que poderão danificar o equipamento.


    6. As ponteiras são coloridas para indicar a polaridade em que deve ser feita a medição. Um sistema de bloqueio por meio de diodos internos impedirá o retorno de corrente.


    7. Cada medição será armazenada em um endereço no equipamento chamada string. Cada equipamento tem capacidade para um número bastante elevado de strings ou leituras. Depois de armazenadas as leituras, pode-se transferi-las para um computador de mão por meio de uma interconexão que utiliza uma porta serial do micro computador e um transmissor infra vermelho que faz a comunicação com o medidor portátil. Um software desenvolvido pela Midtronics, coloca as leituras em forma de gráfico e faz as necessárias comparações, inclusive com relatórios anteriores.

    8. Existem vários modelos para leitura de condutancia porém o modelo que mais serviria para a Petrobrás seria o modelo top de linha da Midtronics que é o CELTRON ULTRA, pois esse equipamento é o único que pode efetuar medições em UPSs. Os outros não fazem medições em UPSs pois não conseguem filtrar os armônicos que atrapalham a leitura. (Veja quadro acima) Além de tudo o celtron ULTRA dispõe de um display onde é possível visualizar a forma de onda dos harmônicos e outras variáveis como um scopmeter. O equipamento que a Petrobras tem hoje na Bacia de Campos não atende essa exigência. Serve para medição em equipamentos que não sejam UPSs.


    9. A vantagem do diagnóstico feito por meio de medição de condutância é que ele pode ser feito com o equipamento em funcionamento, sem que seja preciso modificar o seu regime normal de funcionamento, entretanto as medições devem ser feitas com as baterias em flutuação.


    10. A Contronics dá amplo treinamento no equipamento por ocasião da sua aquisição.
    11. A Contronics dispõe de um grande banco de dados que permite informar a maioria dos parâmetros dos elementos em uso no território Brasileiro e até no mundo, porém nos casos em que não se tem a informação de qual é o parâmetro de um determinado elemento, a forma de obte-lo é por meio de um teste de descarga que irá aquilatar a sua capacidade naquele momento. Sabida a capacidade do elemento ou Banco de baterias, pode-se medir a condutancia e associa-la à capacidade aquilatada.
    12. Como já informado a maioria dos fabricantes informa o valor da condutância padrão do elemento a qual servirá para se ter uma referência, sabendo-se que esse valor é o valor da condutancia do elemento assim que ele é fabricado, e que esse valor irá variar para mais vinte por cento depoisde estar o elemento instalado.
    13. A medida de condutancia é feita em cada elemento individualmente. Não é feita no banco inteiro.
    Postado por FILOSOFIA E TECNOLOGIA às 06:56

    José Amilton

  8. #8
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721

    MediçÃo e aviliação de baterias pelo metodo da condutÂncia!

    Medição e avaliação de baterias pelo metodo da condutância:

    DADOS NO OUTRO FORUM ONDE ESCREVI ESTE ARTIGO:


    http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=246505&postdays=0&postorder=asc&start=10.

    AVALIAÇÃO DE BATERIAS PELO MÉTODO DA CONDUTÂNCIA.

    A Sec Power, nossa representada, tem feito seminários e palestras sobre tecnologias de baterias seladas e suas aplicações. Neste ano realizou o primeiro Seminário Nacional sobre Baterias e Manutenção.
    Participaram Pesquisadores, Fabricantes e Empresas da área elétrica e Telecomunicações.
    A grande novidade foi à nova tecnologia de medição/avaliação que não necessita desligar bancos de baterias ( Importantes em áreas que não possam serem desligadas sem programações prévias ).
    Assim com ocorreu com análise físico-químico de óleo e Termográfia, que trouxeram uma revolução na manutenção preventiva elétrica e, também ,análise de vibração na área mecânica, agora surge avaliação de Baterias pela condutância.
    Não se trata de um simples método de medição pela tensão e sim, de uma análise do estado de carga de cada elemento,permitindo intervenções antecipadas e cirúrgicas em determinado conjunto.

    Somente no mercado de Distribuição Elétrica,Geração,Telecomunicações,Industrial e CPD´s , as análises são feitas com medições periódicas baseadas somente nos níveis de tensão. Muitas delas por amostragem dos conjuntos. Isso gera erros de interpretação, que podem ocasionarem falhas nos sistemas, trocas de baterias sem critérios, diminuição da vida útil,custos de paradas não previstas e acidentes.

    Utilizando um software dedicado, o método pela condutância, cria um perfil dos elementos,mostrando o estado de carga e da curva de envelhecimento ,numa exatidão de 99%.
    O sistema pode gerar as informações num gráfico de barras,e assim , pode-se ter uma visão de todos os elementos de um determinado conjunto,permitindo intervenções pontuais e programáveis.
    Estudos feitos ao longo de dois anos pelo CPQD, pela CHESF, pela Light Rio e outros ,demonstraram a eficiência e exatidão comparativa da tecnologia (dados disponíveis em arquivo).

    Vejam o artigo todo :

    FILOSOFIA E TECNOLOGIA
    Este é um espaço preliminar onde desejo colocar e compartilhar conhecimentos com você. Dessa forma espero que você coloque suas opiniões, seus pareceres e faça uma interação conosco. Seja sempre bem vindo. Desse intercambio espero colaborar para o seu crescimento como pessoa e também profissionalmente como também espero crescer. Colabore sempre.
    Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008
    CONCLUSÕES SOBRE O MEDIDOR DE CONDUTANCIA PARA DIAGNÓSTICO DE BANCOS DE BATERIAS INDUSTRIAIS.
    Resumo da visita da CONTRONICS à CABIUNAS que foi acompanhado por nós.


    É um engano se pensar que a técnica de diagnóstico de bancos de baterias por meio de medição de condutância não é confiavel, pois testes exaustivos de comparação entre as técnicas de diagnósticos feitos com testes de descarga e medição de condutância, revelaram que as duas técnicas apresentam variação de apenas dois por cento ou seja os testes de medição de condutancia revelaram-se equivalentes aos testes convencionais feitos por meio de testes de descarga com equivalência de noventa e oito por cento, portando um desvio insignificante, se levarmos em conta que o teste de descarga também não é cem por cento confiável principalmente devido a paradas para retirada de elementos.





    Tanto isso é verdade que a Indústria automobilistica, as de telecomunicações, a IBM, e muitas outras utilizam hoje o medidor de condutância, o que consagra a confiabilidade do método de diagnóstico para Bancos de Baterias industriais.



    No entanto para que o teste tenha êxito é necessário que se conheça os parâmetros do Banco em questão, e se tenha conhecimento dos procedimentos corretos para o sucesso no teste.





    Portanto iremos enunciar aqui as regras necessárias para o êxito nos testes com medidor de condutância.





    1. O parâmetro de um elemento é o valor padrão de sua condutância quando ele estiver com 100% de capacidade. Conhecido esse valor, a medida que a condutancia for diminuindo, a redução será proporcional à capacidade do Banco de Baterias.


    2. Os principais fabricantes de Bancos de Baterias fornecem a sua condutância padrão, porém esse valor não deve ser considerado porque depois de instalado o Banco, a condutâcia sobe em torno de vinte por cento dentro de um período máximo de seis meses. Se subir vinte por cento, significa que o elemento está saudável. Se subir menos do que isso, indica problemas, e por isso deve-se permanecer alerta.


    3. Depois que a condutância atingir o valor máximo, esse deve ser o valor a ser levado em consideração como padrão para o teste. A redução desse valor significará a redução da capacidade do Banco de baterias.


    4. Quando um elemento atinge o valor de oitenta por cento de sua capacidade, significa que já deve se pensar em troca-lo, pois está em curva descendente de queda em sua capacidade.


    5. Nunca se deve encostar as ponteiras em local diferente dos bornes do elemento a ser medido. O contacto da ponteira de teste em local diverso do borne pode ocasionar correntes de fuga que poderão danificar o equipamento.


    6. As ponteiras são coloridas para indicar a polaridade em que deve ser feita a medição. Um sistema de bloqueio por meio de diodos internos impedirá o retorno de corrente.


    7. Cada medição será armazenada em um endereço no equipamento chamada string. Cada equipamento tem capacidade para um número bastante elevado de strings ou leituras. Depois de armazenadas as leituras, pode-se transferi-las para um computador de mão por meio de uma interconexão que utiliza uma porta serial do micro computador e um transmissor infra vermelho que faz a comunicação com o medidor portátil. Um software desenvolvido pela Midtronics, coloca as leituras em forma de gráfico e faz as necessárias comparações, inclusive com relatórios anteriores.

    8. Existem vários modelos para leitura de condutancia porém o modelo que mais serviria para a Petrobrás seria o modelo top de linha da Midtronics que é o CELTRON ULTRA, pois esse equipamento é o único que pode efetuar medições em UPSs. Os outros não fazem medições em UPSs pois não conseguem filtrar os armônicos que atrapalham a leitura. (Veja quadro acima) Além de tudo o celtron ULTRA dispõe de um display onde é possível visualizar a forma de onda dos harmônicos e outras variáveis como um scopmeter. O equipamento que a Petrobras tem hoje na Bacia de Campos não atende essa exigência. Serve para medição em equipamentos que não sejam UPSs.


    9. A vantagem do diagnóstico feito por meio de medição de condutância é que ele pode ser feito com o equipamento em funcionamento, sem que seja preciso modificar o seu regime normal de funcionamento, entretanto as medições devem ser feitas com as baterias em flutuação.


    10. A Contronics dá amplo treinamento no equipamento por ocasião da sua aquisição.
    11. A Contronics dispõe de um grande banco de dados que permite informar a maioria dos parâmetros dos elementos em uso no território Brasileiro e até no mundo, porém nos casos em que não se tem a informação de qual é o parâmetro de um determinado elemento, a forma de obte-lo é por meio de um teste de descarga que irá aquilatar a sua capacidade naquele momento. Sabida a capacidade do elemento ou Banco de baterias, pode-se medir a condutancia e associa-la à capacidade aquilatada.
    12. Como já informado a maioria dos fabricantes informa o valor da condutância padrão do elemento a qual servirá para se ter uma referência, sabendo-se que esse valor é o valor da condutancia do elemento assim que ele é fabricado, e que esse valor irá variar para mais vinte por cento depoisde estar o elemento instalado.
    13. A medida de condutancia é feita em cada elemento individualmente. Não é feita no banco inteiro.
    Postado por FILOSOFIA E TECNOLOGIA às 06:56

    José Amilton

  9. #9
    Muito bom! Se eu trabalhasse com esse tipo de diagnostico, com certeza seria uma ferramenta que eu gostaria de usar.

  10. #10
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    721
    RAU,
    Se fosse a uns 10 ou 15 anos atrás, dava para arrumar um investidor ou fazer um FINAME só para comprar um equipamento desses que custa o preço de 1 carro médio completinho.
    Ia-se ganhar muito com este tipo de serviço.
    J.A.



Marcadores

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  • BB Code está Ligado
  • Smilies estão Ligados
  • Código [IMG] está Ligado
  • Código HTML está Desligado



  

CANAIS: TECNOLOGIA | TELECOM | INTERNET | SEGURANÇA | GAMES |

SEÇÕES: NOTÍCIAS | REVIEWS | ENTREVISTAS | COLUNISTAS | COBERTURAS | DOWNLOADS | VÍDEOS | PODCAST | ENQUETES | BIBLIOTECA | PROMOÇÕES | FÓRUM | RSS

A EMPRESA | EQUIPE | PARCEIROS | PUBLICIDADE | FALE CONOSCO | CONDIÇÕES DE USO | POLÍTICA DE PRIVACIDADE

COPYRIGHT © 2001 - 2013 ADRENALINE.COM.BR. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. ADRENALINE É UMA MARCA REGISTRADA DA ADRENALINE FRANQUIAS.