Siga a Adrenaline


Brand Channels


Colunas


Artigos


Enquete da vez

Começaram a aparecer os novos smartwatches. Qual te interessou?
Ver outras enquetes


Biblioteca



Menu - Notícias



Nota da redação: 4.9
Nota dos leitores: 2.1
0.0

NOTA DETALHADA DA REDAÇÃO
HISTÓRIA: 5.0 | Cópia dos três primeiros filmes da franquia; sem criatividade
JOGABILIDADE: 6.0 | Baseada em sistema sobre trilhos, ou seja, liberdade zero.
GRÁFICO: 3.5 | Cenas de corte ruins; visual geral feio para um game atual e que usa uma franquia de sucesso
ÁUDIO: 5.0 | Apesar de usar as vozes reais dos filmes clássicos, a qualidade final da mixagem é péssima

Compre aqui
FICHA TÉCNICA
Tipo/estilo: Ação
Desenvolvedor: Teyon
Distribuidor: Reef Entertainment
Plataformas: PC, PS3 e Xbox 360
Data de lançamento: 21 de fevereiro de 2014
Sistema requerido: SO: Win XP, Vista, 7, 8, 8.1 (32 & 64 bit), CPU: Core 2 Duo 2.8 ou AMD x2 3.1, Memória: 2 GB RAM, VGA: Direct X10 / Nvidia / AMD ATI ou Intel DX1, mais rápidas que GeForce 8800, GeForce 630, Radeon 3870 ou Intel HD 4400, DirectX: 10, HD: 8 GB
Sistema recomendado: SO: Win XP, Vista, 7, 8, 8.1 (32 & 64 bit), CPU: Core i5 ou Core i3 com 4 núcleos, Memória: 4 GB RAM, VGA: GeForce GT 650 / Radeon 6970, DirectX: 10, HD: 8 GB
Preço de lançamento: R$ 59,49
Preço atual: R$ 69,99
Data atualização: 26/02/2014
Classificação: 18 Anos
Link oficial: http://www.rambothevideogame....


ANÁLISES + POPULARES DO MÊS
Notícia

Shank 2 (PS3)

andrei

24.02.2012 / 20h36


Notícia

inFamous: First Light

andrei

13.09.2014 / 20h18


Notícia

The Walking Dead: Season Two

luizf

10.09.2014 / 20h11


Notícia

Hohokum

carlos

14.09.2014 / 19h18


Notícia

CounterSpy

andrei

11.09.2014 / 20h18





ação categoria : ação | 06.03.2014 / 12h11 | comentários : 50

Rambo: The Video Game - Como não fazer um jogo baseado em uma franquia de sucesso

autor: djlosada

Pode-se dizer que "Rambo: The Video Game" é uma aula de como NÃO fazer um jogo baseado em uma franquia. Uma pena que seja assim, mas é exatamente isso o que define o game. O único destaque razoável é o fato dele usar as falas e a trilha sonora original dos três primeiros filmes, com o tema de abertura de "Rambo". E para por aí, porque até nisso a qualidade é duvidosa. Todo o resto também é péssimo: da jogabilidade por vezes lenta e com lags no uso do mouse até à quantidade absurda de "inimigos gêmeos" na tela.


História


Meus pêsames

Uma história sem criatividade. Alias, a única coisa criada pelos produtores foi a morte de Rambo. E não se preocupe! Não é spoiler, porque o jogo já começa assim, no funeral de John Rambo. O jogo todo é um flashback em que um general vai contando as "peripécias" de Rambo no decorrer dos três primeiros filmes da franquia (cadê o quarto e mais recente filme?). Ou seja, o jogo é literalmente o filme, sem tirar nem por.

Os produtores optaram por recriar várias das célebres cenas dos filmes clássicos, desde a destruição da delegacia com uma metralhadora .50 até o resgate de um soldado americano prestes e ser executado.


Jogabilidade

Headshot, uhuuu!!

"Rambo: The Video Game" traz uma jogabilidade quase extinta. Trata-se daquela na qual o jogador apenas usa a mira da arma e por vezes uma tecla para agachar. Ou seja, o jogo é totalmente "sobre trilhos", sem liberdade de movimento.

Já foram lançados jogos que usam a mesma jogabilidade, mas esse tipo de jogo só fez sucesso em épocas longínquas. Em um mundo onde os jogadores exigem cada vez mais liberdade nos games, lançar um jogo assim e com qualidade duvidosa é praticamente um suicídio. Vale lembrar que o jogo em questão ainda usa uma marca de sucesso dos cinemas, que possui muitos fãs. Principalmente dos três primeiros filmes da franquia.

Juntando tudo isso, cabe uma pergunta: por que lançar um jogo de ação da franquia Rambo dessa forma, uma franquia que, com toda certeza, geraria uma expectativa imensa por parte do público?

Falando na jogabilidade em si, ela é bastante repetitiva no quesito desafio e inimigos (você verá mais sobre isso na parte gráfica). Além disso, o jogo possui um fator replay zero. Os inimigos aparecem sempre no mesmo lugar e da mesma forma. Para se ter uma ideia, se o jogador morrer e repetir a missão duas ou três vezes, já será possível decorar, e assim prever onde os inimigos vão aparecer. Isso destrói totalmente o fator desafio, que já era praticamente nulo.

Quem está acostumado com jogos de tiro no PC com o uso preciso do mouse, vai estranhar um pouco. Nos testes para a review, o mouse se comportou lento em algumas missões e com um pequeno lag, quase que imperceptível, mas que em jogos onde o mouse é fundamental, acaba se tornando um problema enorme.

Curiosamente, em algumas missões o mouse se comportou bem melhor. A causa dessa variação é bem clara: o jogo parece ter tido feito para console, ou seja, feito para usar um controle. Então esse Lag do mouse em algumas missões é devido a uma emulação do uso do controle, o que definitivamente estraga ainda mais a jogabilidade no PC.

Aqui não existe muita agilidade. Por mais que você movimente o mouse de forma rápida para mirar em algum inimigo, ele se movimenta de forma limitada. Muito parecido com o movimento de um controle.

Tirando um pouco essa questão de "sobre trilhos" e o uso do mouse, "Rambo: The Video Game" traz ainda algumas partes onde a jogabilidade muda um pouco, tornando-se QTE (Quick Time Events). Nesse modo, que são poucos, o jogador tem que apertar certas teclas no tempo exato em que elas aparecem na tela. Acertando, a cena prossegue de forma correta dando sequência ao game. Se errar, apertando rápido demais ou lento demais, Rambo pode ficar ferido e/ou até morrer direto.


O jogo possui ainda um sistema simples de upgrade (skills e perks), que permite o jogador aprimorar a reação de John Rambo, além de algumas características relacionadas as armas e acessórios, e ainda aumentar a capacidade de energia.

Falando nos perks, parece que os produtores não batem bem da cabeça. Uma dessas opções adiciona uma característica que simplesmente "elimina" qualquer possibilidade de erro nos modos de QTE. Desafio zero, basta sentar e assistir.


Gráficos

John Rambo atuando em The Walking Dead

À primeira vista, o visual do game parece bonito, bem apresentável para o tipo de jogo. Mas depois que o jogo começa realmente, percebe-se que é tudo artificial demais. Personagens com aparência plastificada, texturas em baixa resolução e por vezes animações robóticas e repetitivas. Algumas vezes os efeitos de luz mascaram os problemas e acabam deixando o visual bonito, como nas missões noturnas. Tanto na perseguição na cidade quanto na floresta, as luzes fazem um belo trabalho deixando tudo mais vivo e detalhado.

Apesar de não serem, os gráficos passam a ideia de pré-renderizados devido à jogabilidade fixa, sem liberdade. Mas isso não é o maior problema de "Rambo: The Video Game", mas sim ser muito repetitivo no que diz respeito aos inimigos. Em algumas missões, eles são praticamente todos iguais. A repetição exagerada irrita bastante.

Apesar dos problemas, os gráficos trazem algo de bom: a quantidade de coisas na tela é enorme. Em alguns momentos, o cenário é lotado de coisas na tela para serem destruídas, o que torna o jogo um pouco mais divertido. Mas não se engane: mesmo assim, as coisas são destruídas sempre da mesma forma. Por exemplo, na parte onde John Rambo destrói a delegacia, as paredes, o letreiro, as janelas e portas possuem sempre a mesma animação. Ou seja, sempre que você acertar um tiro em tal objeto, ele reage da mesma forma, com a mesma cena de destruição.



Áudio

O que dizer de um áudio onde todos os diálogos foram retirados dos três primeiros filmes da franquia Rambo? Seria muito interessante se tivesse uma qualidade aceitável, diferentemente da qualidade precária da época.

Mas não foi isso que aconteceu. O áudio das falas parece estar em mono, sem nenhum tipo de equalização A impressão que passa é que não houve nenhuma tentativa de se remasterizar o som. Obviamente que para os americanos, o uso do áudio original dos filmes pode ser melhor aceito, trazendo uma sensação de nostalgia ímpar.


Imagina se "Rambo: The Video Game" fosse lançado com a dublagem brasileira clássica? Para quem viveu a época, seria um sonho. Mas para nós brasileiros, o que resta de nostalgia é a trilha sonora, que se mantém fiel aos filmes originais. Mesmo com a qualidade aquém do esperado, de fato é bem legal ouvir as músicas reais dos filmes, incluindo a clássica trilha de abertura.


Conclusão


Parece que "Rambo: The Video Game" foi feito apenas para constar. Fica claro que sucesso ele não fará, até porque o game é abaixo do mínimo aceitável para qualquer jogo com pretensão de sucesso. Imagina então usando uma franquia de peso, como a de "Rambo"? É difícil chegar à uma conclusão sobre o por quê de lançar um game assim.

O jogo é curto, com fator replay zero, com gráficos por vezes feios, jogabilidade duvidosa, áudio com qualidade de "filme anos 80" e sem multiplayer online. "Rambo: The Video Game" deve agradar apenas aos fãs ferrenhos da franquia "Rambo", que idolatra o "herói". Uma pena, porque a série tinha um potencial enorme para um game de sucesso.

Prós
  • John Rambo
  • Destruir alguns cenários é divertido
  • Falas originais dos filmes
  • Trilha sonora original
  • Reviver cenas clássicas é bacana

Contras
  • Jogabilidade instável
  • Jogo curto
  • Gráficos de duas gerações passadas
  • Áudio sem qualidade
  • História banal e previsível
  • Multiplayer local é bem confuso
  • Fator replay zero






Comentários (50) Assinar


Underwood
Postado
10/03/2014
13:35
PRÓS:
?John Rambo (Em 2014? Não.)
?Destruir alguns cenários é divertido (Claro, que nem no BF, né?)
?Falas originais dos filmes (Tá uma b*sta esse áudio, isso sim.)

Não dá mais pra fazer jogo trilhado hoje em dia pra PC. Tenta no Android na próxima .

netuplay
Postado
08/03/2014
21:04
jogos baseados em filmes, entrega para Eidos, a mesma que produziu a série Batman, alguém sente falta de algo que teve nos filmes e não teve no jogo vice e versa?

Rdalmeida
Postado
07/03/2014
14:22
citação do post de Matemak

citação do post de EmersonSUB

citação do post de Matemak

citação do post de EmersonSUB

Resumindo, é um Assassins Creed piorado!

Nunca vi jogo mais "no trilho" e "QTE" do que este e a galera adora.

Tipico comentário de quem "zerou" AC no youtube


Infelizmente eu tenho o AC black flag ORIGINAL. joguei aproximadamente 1 hora. mas não deu pra continuar pelos mesmos motivos do jogo do Rambo. O jogo pausa e fica pedindo pra apertar determinado botão pra prosseguir a luta. isso é muito chato. Se voce ta acostumado com essa bizarrice beleza. mas eu to acostumado com jogo multiplayer de liberdade total.

Cara como assim apertar botão para continuar a luta?o jogo é assim,você aperta um botão é o personagem faz o que você mandou,o jogo não para se você não apertar,o personagem só leva dano e tudo continua.Acho que temos um zerador de youtube aqui hein.


Realmente não intendi esta comparação com Assassins Creed ainda? Se for em relação as lutas elas ocorrem normalmente e vc tem que saber a hora que o personagem precisa atacar ou defender, lembra bem o estilo de luta de batman.
Não joguei o Black Flag ainda para saber se possui cenas de sequencia de botões especificos tipo Havy Rain.

Matemak
Postado
07/03/2014
14:13
citação do post de EmersonSUB

citação do post de Matemak

citação do post de EmersonSUB

Resumindo, é um Assassins Creed piorado!

Nunca vi jogo mais "no trilho" e "QTE" do que este e a galera adora.

Tipico comentário de quem "zerou" AC no youtube


Infelizmente eu tenho o AC black flag ORIGINAL. joguei aproximadamente 1 hora. mas não deu pra continuar pelos mesmos motivos do jogo do Rambo. O jogo pausa e fica pedindo pra apertar determinado botão pra prosseguir a luta. isso é muito chato. Se voce ta acostumado com essa bizarrice beleza. mas eu to acostumado com jogo multiplayer de liberdade total.

Cara como assim apertar botão para continuar a luta?o jogo é assim,você aperta um botão é o personagem faz o que você mandou,o jogo não para se você não apertar,o personagem só leva dano e tudo continua.Acho que temos um zerador de youtube aqui hein.

jack5000br
Postado
07/03/2014
13:53
(modo ironic on)que isso? o povo reclama demais.esse jogo e sensacional.eo famoso bom,bonito e barato.ele custa so 69 reais?minha opiniao pessoal e q deveria valer mais.mt barato para um jogo q ja e considerado GOTY(modo ironic off)

Post editado por felippeDev em 07/03/2014 13:27:28 - ver histórico

felippeDev
Postado
07/03/2014
13:24
citação do post de AdrB-T_Godoy

Rambo na mão da Crytek hein, poderia ter sido épico.

Agora sobre o jogo: é um Time Crisis piorado com QTE's patéticas, um desrespeito total a franquia, jamais deveria existir.

PS: Quem está comparando com AC não tem a mínima ideia de como este jogo é, sugiro se informar antes de falar bobagem.

Olhem antes: http://www.youtube.com/watch


Estou 100% contigo, @AdrB-T_Godoy

Esse jogo na mão da Crytek seria um espetáculo; o problema é que a Crytek talvez nem aceitasse desenvolver o game por conta do Mito: "jogos baseados em filme são uma b^^&*"!

É triste ver casos como estes, pois existem estúdios (inclusive aqui no Brasil) que vivem de jogos independentes e pequenos projetos e adorariam uma oportunidade dessas para investir, usar uma engine bacana e crescer no mercado.

Hoje existem exemplos de jogos que já possuem um orçamento próximo da industria cinematográfica, o que prova que enquanto esse mito não for quebrado esses dois mercados deixam de ganhar.. E esse mito de que a industria cinematográfica e a industria de games não conseguem trabalhar juntas não procede, pois a industria de games hoje atua também na consultoria de e produção de livros, que na minha opinião são ótimos!

Acho que a questão aqui é esta.. rechaçar a péssima decisão dos produtores e quebrar esse mito de que o game só é ruim pois foi baseado no filme.. O jogo teve uma nota ruim porque seu desempenho foi ruim e isso é culpa dos produtores executivos e do estúdio de maneira geral.

Obs.: Não é porque o assunto gera uma certa nostalgia que exemplos como AC e COD devem ser comparados, AC e COD possuem milhares de fãs, são ótimos trabalhos; Se a Teyon tivesse a mesma competência nesse projeto que a Sledgehammer Games e a Infinity Award em COD ou que a Ubi com o AC essa avaliação teria sido bem diferente.

Abraço a todos

AdrB-T_Godoy
Postado
07/03/2014
12:20
Rambo na mão da Crytek hein, poderia ter sido épico.

Agora sobre o jogo: é um Time Crisis piorado com QTE's patéticas, um desrespeito total a franquia, jamais deveria existir.

PS: Quem está comparando com AC não tem a mínima ideia de como este jogo é, sugiro se informar antes de falar bobagem.

Olhem antes: http://www.youtube.com/watch

Rdalmeida
Postado
07/03/2014
12:14
Boa boa!!! Este jogo tem algum ponto positivo? Colocaram o Rambo como ponto positivo... Legal, mas só se fosse o rambo de verdade.
Falaram que é legal destruir cenário... ái ái... Até aquele jogo do Lego dos Vingadores o cenário destroi mais.
As fala originais serial legais se fossem refeitas, mas utilizaram com a mesma qualidade de anos atras.
Seria realmente bom se pudessemos reviver pelo menos as cenas classicas com alguma qualidade e não assim...
A unica coisa que salva é realmente a trilha sonora... Mas isso eu poderia ver pelo YOUTUBE.

Na boa... Quando se avalia um jogo ruim é para avaliar de verdade e não ficar tentando encontrar algo de bom para salvar. Este jogo não se salva NADA e não tem proposito a sua existencia. Se fosse para promover um novo filme ainda dava para pensar, mas neste caso nem isso... Muda esta nota ai para ZERO que é a mais pura verdade.


Post editado por EmersonSUB em 07/03/2014 11:39:34 - ver histórico

EmersonSUB
Postado
07/03/2014
11:38
citação do post de Matemak

citação do post de EmersonSUB

Resumindo, é um Assassins Creed piorado!

Nunca vi jogo mais "no trilho" e "QTE" do que este e a galera adora.

Tipico comentário de quem "zerou" AC no youtube


Infelizmente eu tenho o AC black flag ORIGINAL. joguei aproximadamente 1 hora. mas não deu pra continuar pelos mesmos motivos do jogo do Rambo. O jogo pausa e fica pedindo pra apertar determinado botão pra prosseguir a luta. isso é muito chato. Se voce ta acostumado com essa bizarrice beleza. mas eu to acostumado com jogo multiplayer de liberdade total.

Matemak
Postado
07/03/2014
11:22
citação do post de EmersonSUB

Resumindo, é um Assassins Creed piorado!

Nunca vi jogo mais "no trilho" e "QTE" do que este e a galera adora.

Tipico comentário de quem "zerou" AC no youtube


ENVIAR NOTÍCIA POR EMAIL:Fechar
seu nome: seu e-mail:
enviar para: separar os emails por vírgulas
comentários:
Máx. 800 caracteres (restam 800 caracteres).



Facebook
YouTube
Twitter
Fórum
RSS