Recebemos para análise o gabinete Thermaltake View 27, modelo em tamanho Mid Tower que apesar do formato tradicional dos gabinetes, tem uma modificação que não deixa de ser inovadora visualmente em cima desse formato. Além do tampo de acrílico que ocupa a parte lateral e superior tudo em uma única peça, ainda permite posicionar a placa de vídeo em pé e não deitada conectada diretamente na placa-mãe como os modelos tradicionais, essas duas características podem gerar um visual bem mais bonito do sistema, especialmente se os componentes do sistema tiverem apelo visual, como grande parte das "peças" do sistema tem focado também em visual, nada melhor que desenvolver um gabinete que mostre essas características correto?

Em cenário nacional o gabinete Thermaltake View 27 está custando cerca de R$370, valor interessante pela qualidade dos produtos da marca e por seus diferenciais.

Site oficial do Thermaltake View 27

Características
Começamos falando sobre conexões, o Thermaltake View 27 possui portas UBS 3.0 (x1) e USB 2.0 (x2) frontais na parte superior. A ventilação conta com um sistema de fans de 120mm pré-instalado, com a facilidade de filtros removíveis para quando precisar limpar ou fazer alguma manutenção.

Ele comporta 6 drives em suas baias (2+4) além de possuir um sistema para tornar mais prática a organização de cabos. O View 27 possui ainda o certificado "Tt LCS", selo exclusivo da Thermaltake entregue aos produtos que passaram nos testes de qualidade rigorosos.

Segundo a Thermaltake, diferente de outros cases que possuem uma janela transparente no mercado, o painel do View 27 apresenta um design que permite que os usuários vejam o interior do gabinete e seus componentes sem correr o risco de entrar sujeira e acumular poeira, já que seu acabamento possui proteção "dust free".

O View 27 também possui um espaço confortável suficiente para comportar soluções de refrigeração líquida all-in-one e DIY. A área inferior do gabinete pode ser usada para organizar cabos ou guardar alguns fios que não estão sendo usados. Suas baias áreas para guardar os drives possuem um design que permite a instalação fácil, sem dificultar também a remoção dos componentes.

Cabo extensor PCI-Express para manter a placa de vídeo
em "pé" deveria acompanhar o gabinete

O gabinete suporta placas-mãe do tamanho ATX e menores, cooler com altura máxima de 155mm e acomoda VGAs de até 410mm. A placa de vídeo pode ser instalada horizontalmente ou verticalmente, com o auxílio de um cabo PCI-Expander/Riser Cable de 200mm(não acompanha o gabinete), com EMI shield. Ainda sobre seu tamanho otimizado, o View 27 possui capacidade de entregar refrigeração por todo case. Usuários podem instalar soluções de liquid cooling de até 360mm.

Especificações
Abaixo as especificações do gabinete, como tamanho dos componentes suportados, número de baias e conexões:


Fotos
Antes de começar a montagem do sistema, temos algumas fotos em detalhes do gabinete, tanto na parte externa como interna. Um detalhe negativo é que uma das principais propostas é permitir mostrar a parte interna do sistema usando a placa de vídeo em pé, mas para manter a placa de vídeo nessa posição é necessário o uso do cabo extensor PCI-Express, chamado de Riser Cable. O problema é que ele não vem junto com o gabinete, sendo assim não é possível utilizar a placa de vídeo em pé sem antes comprar esse cabo.

Temos duas considerações bem importantes relativas ao "Riser Cable". Primeiro que era bastante difícil encontrar ele à venda e quando encontrado muitos usuários relataram problemas com seu funcionamento logo no inicio, já que ele era um produto bastante frágil no que diz respeito ao seu manuseio, bastava dobrar um pouco para comprometer o funcionamento. Para resolver esse problema a Thermaltake mudou recentemente seu fornecedor visando ter um produto de maior qualidade, o novo que acaba de chegar ao Brasil, agora envolvido por borracha visando maior resistência, porém acabou trazendo outro problema, o preço. Por se tratar de um produto ainda limitado e poucos fabricantes e por buscar uma garantia de resolver o problema a Thermaltake não teve opções, sendo que o novo está chegando por R$145,90, aiiiiiiiiiii, sim, valor bem alto para um simples cabo correto? Quem já tem o anterior e funcionando bem, toma bastante cuidado dele.

Voltando ao gabinete, seu acabamento é muito bom, tem projeto considerando fácil montagem e manuseio das peças internas, traz bom suporte a drives de armazenamento, com possibilidade de fixar SSDs na parte de trás. Em se tratando de conexões, 2 USB 2.0 e uma USB 3.0 na parte frontal, além de microfone e fone de ouvido. Ainda temos um botão de power, reset e um led que indica se o PC está ligado e outro do uso dos drives de armazenamento.

Na parte interna destacamos um dos principais cuidados que a Thermaltake teve no projeto, o suporte a sistema de cooler líquido, inclusive para radiatores estendidos de até 360mm, ou seja, com 3 FANs de 120mm. A empresa fez todo o projeto considerando a ideia de mostrar a parte interna do sistema, possibilitando que os usuários com peças mais chamativas e com boa criatividade criem sistemas muito bonitos, como os que a empresa usa para a divulgação do gabinete. A tampa de acrílico foi desenvolvida em uma única peça para a lateral e parte superior, uma ideia muito interessante que também facilita muito a instalação e manutenção das peças.

Já na parte de trás temos espaço para conectar os drives de armazenamento, organização dos cabos e também a colocação da fonte de energia, que também já segue o conceito de ficar escondida na parte frontal, sendo acessível apenas pela parte de trás, algo que finalmente as empresas tem dado maior atenção, afinal cabos não são atrativos visualmente na maioria dos casos.

Na imagem abaixo temos o adaptador para prender o cabo expansor PCI-Express que dará suporte a placa de vídeo se a mesma forma instalada em "pé".

Nas fotos a seguir podemos ver 1 FAN de 120mm na parte de trás e mais 3 FANs de 120MM na parte frontal, no caso do modelo que estamos analisando, todos eles com LED na cor vermelha. Aqui vale outra ressalva e critica, não veio nenhum cabo adaptador para ligar esses 3 FANs frontais em sequência, ou seja, caso a sua placa-mãe não tenha muitas conexões para FANs de sistema (4 no total), pode ser necessário comprar esses cabos adaptadores(rabicho)/ou placa a fim de alimentar todos os FANs.

Continuando temos os cabos do painel frontal, baias e case para drives de armazenamento. Já na parte de baixo destaque para uma abertura com filtro visando a saída de ar quente, comum em vários gabinetes hoje em dia. O filtro facilita a limpeza da poeira retida nessa parte do gabinete.

Instalação
Para a instalação utilizamos uma placa-mãe MSI Z97 Gaming 9, processador Intel Core i7 4790K, placa de vídeo NVIDIA GeForce GTX 1070, memórias Kingston HyperX Predator DDR3 8GB (2x4GB) 2800MHz e um SSD HyperX Savage de 240GB, além de um HD Seagate de 2TB. A fonte também é da Thermaltake, modelo Smart 500 com cabos fixos, que permite ver como o gabinete se comporta na organização dos cabos extras que não podem ser removidos.

Como vários projetos mais recentes, ele não suporta drives de CD/DVD etc

A instalação é bastante simples pelo fato do tampo superior estar junto com o lateral, assim a abertura é bem maior do que gabinetes tradicionais, um ponto bem positivo nesse aspecto. Começamos pela instalação a fonte e depois placa-mãe, sendo essas duas peças fundamentais para conectar as demais.

Quer deixar a placa de vídeo em pé? Precisará comprar o Riser Cable

Em se tratando da instalação da placa de vídeo como já comentamos acima um dos grandes destaques desse modelo é a possibilidade de usar a placa de vídeo em pé, mas é importante salientar que o cabo que mostraremos abaixo e que permite a ligação da placa de vídeo com a placa-mãe, chamado de extensor PCI-Expresse ou Riser Cable, não vem com o gabinete, então se pretende fazer a instalação dessa forma é importante se programar para a compra desse cabo também.

Outra consideração importante é que o gabinete suporta apenas uma placa de vídeo em pé, ou seja, não é possível fazer Crossfire ou SLI.

Usando a placa de vídeo em "pé" não é possível fazer Crossfire ou SLI

Como hoje em dia os cabos do sistema podem ser "escondidos" quase que completos na parte de trás, não tem problema em deixa-los soltos, fica a critério do usuário, como estamos apenas analisando o gabinete, vamos deixar todos soltos.

Nas fotos abaixo mostramos como a placa de vídeo fica em pé e também no modo tradicional conectada na placa-mãe.

Por fim mais algumas fotos com o sistema montado.

Testes de temperatura
Os testes consistem em medir a temperatura máxima do processador e da placa de vídeo em modo ocioso e rodando alguns games e aplicações. Também fizemos testes de overclock no CPU e na placa de vídeo.

Confiram abaixo os testes:

Temperatura CPU
Começamos pelos testes de temperatura da CPU, sendo que as temperaturas foram medidas com o sistema em modo ocioso e rodando o wPrime.

IDLE
O modo IDLE, ou ocioso, consiste em testar a temperatura do sistema quando o mesmo não está executando nada além do Windows aberto, esperando alguma ação do usuário.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

Sistema ocioso (idle)

OBS.:

  • - Temperatura ambiente ou no máximo 25ºC
  • - Medida em graus Celsius
  • - Quanto MENOR, melhor

[ Temperatura (CPU) | Thermaltake View 27 ] Hardwares Comparados: 6

NZXT H440
32

NZXT H440
32

CM MasterCase5
33

CM MasterCase5
33

Thermaltake View 27
34

Thermaltake View 27
34

CM MasterCase5 - CPU Overclockado
35

CM MasterCase5 - CPU Overclockado
35

Thermaltake View 27 - CPU Overclockado
35

Thermaltake View 27 - CPU Overclockado
35

NZXT H440 - CPU Overclockado
36

NZXT H440 - CPU Overclockado
36



Metro Last Light
Rodando um game que exige bastante do sistema, vejam abaixo como foi o comportamento do processador:

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

Rodando Metro Last Light (Very High Full HD)

OBS.:

  • - Temperatura ambiente ou no máximo 25ºC
  • - Medida em graus Celsius
  • - Quanto MENOR, melhor

[ Temperatura (CPU) | Thermaltake View 27 ] Hardwares Comparados: 6

NZXT H440
67

NZXT H440
67

Thermaltake View 27
69

Thermaltake View 27
69

CM MasterCase5
70

CM MasterCase5
70

NZXT H440 - CPU Overclockado
83

NZXT H440 - CPU Overclockado
83

CM MasterCase5 - CPU Overclockado
85

CM MasterCase5 - CPU Overclockado
85

Thermaltake View 27 - CPU Overclockado
86

Thermaltake View 27 - CPU Overclockado
86



wPrime
Por fim, o teste com o wPrime estressa o CPU e todos seus cores, sendo um bom teste para ver como fica a temperatura do processador em uma situação extrema. 

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

Rodando wPrime

OBS.:

  • - Temperatura ambiente ou no máximo 25ºC
  • - Medida em graus Celsius
  • - Quanto MENOR, melhor

[ Temperatura (CPU) | Thermaltake View 27 ] Hardwares Comparados: 6

NZXT H440
93

NZXT H440
93

CM MasterCase5
94

CM MasterCase5
94

Thermaltake View 27
96

Thermaltake View 27
96

CM MasterCase5 - CPU Overclockado
99

CM MasterCase5 - CPU Overclockado
99

NZXT H440 - CPU Overclockado
100

NZXT H440 - CPU Overclockado
100

Thermaltake View 27 - CPU Overclockado
100

Thermaltake View 27 - CPU Overclockado
100



 

Temperatura da Placa de vídeo
Abaixo testes de temperatura com uma Gigabyte GTX 950 Xtreme Gaming, placa que já vem bastante overclockada de fábrica.

IDLE
Primeiro o teste em modo ocioso, com o sistema em espera. Reparem que ao remover as tampas do gabinete(laterais e frontal), essa placa da Gigabyte acaba desligando os FANs por considerar que não há a neessidade, consequentemente a temperatura fica acima do que as outras duas situações. Naturalmente se os FANs estivessem funcionando como nas outas situações a temperatura nesse caso seria menor como foi no teste abaixo.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

Sistema ocioso (idle)

OBS.:

  • - Temperatura ambiente ou no máximo 25ºC
  • - Medida em graus Celsius
  • - Quanto MENOR, melhor

[ Temperatura (GPU) | Thermaltake View 27 ] Hardwares Comparados: 5

NVIDIA GeForce GTX 1070
34

NVIDIA GeForce GTX 1070
34

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador @ Overclockada
34

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador @ Overclockada
34

Thermaltake View 27 @ GPU Overclockada
34

Thermaltake View 27 @ GPU Overclockada
34

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador
34

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador
34

Thermaltake View 27
35

Thermaltake View 27
35



Metro Last Light
Por fim, abaixo as temperaturas da placa de vídeo rodando o game Metro Last Light, que existe bastante do gpu.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

Rodando Metro Last Light (Very High Full HD)

OBS.:

  • - Temperatura ambiente ou no máximo 25ºC
  • - Medida em graus Celsius
  • - Quanto MENOR, melhor

[ Temperatura (GPU) | Thermaltake View 27 ] Hardwares Comparados: 5

NVIDIA GeForce GTX 1070 montada em bancada
79

NVIDIA GeForce GTX 1070 montada em bancada
79

Thermaltake View 27
81

Thermaltake View 27
81

Thermaltake View 27 @ GPU Overclockada
81

Thermaltake View 27 @ GPU Overclockada
81

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador
82

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador
82

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador @ Overclockada
83

Thermaltake View 27 - VGA em pé no adaptador @ Overclockada
83



Teste sem e com a placa de vídeo pelo cabo extensor
Uma curiosidade de algumas pessoas é se o cabo expansor gera alguma limitação na performance da placa de vídeo. A resposta é que isso depende bastante do cabo, no caso do modelo que utilizamos é um cabo PCI-Express 3.0, mesmo sendo bastante frágil ele é um cabo diferenciado em se tratando de limitações de velocidade, sendo um dos melhores na atualidade nesse aspecto.

Como é possível notar abaixo, a diferença é muito pequena e quase nula de quando a placa de vídeo está conectada diretamente na placa-mãe comparada ao cabo extensor.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

1920x1080, Very High, 16xAF, Tessellation: Very High

OBS.:

  • - Game baseado em DirectX 11
  • - Resultados em FPS médio
  • - Quanto MAIOR, melhor

[ Metro Last Light | Thermaltake View 27 ] Hardwares Comparados: 2

NVIDIA GeForce GTX 1070 direto na placa-mãe
117.50

NVIDIA GeForce GTX 1070 direto na placa-mãe
117.50

NVIDIA GeForce GTX 1070 via cabo PC expander
116.50

NVIDIA GeForce GTX 1070 via cabo PC expander
116.50



AVALIAÇÃO:

Acabamento

9

Design

9

Instalação

10

Tamanho

9

Preço

8
Conclusão

Quando falamos de gabinetes no formato tradicional, leia-se uma torre, que pode ir desde os modelos mais compactos a modelos maiores, como Full Tower, não temos visto muitas inovações na parte visual. Normalmente as empresas tem apostado em visuais que alteram acabamento e personalizações sem "mexer" muito no esqueleto com tampas laterais e base superior fixa, mas a Thermaltake mudou um pouco esse conceito com o gabinete View 27, que traz algumas características bem interessantes para quem deseja um gabinete diferente em cima do tradicional, usando como principal característica mostrar como é o sistema internamente.
Praticamente toda placa-mãe e placa de vídeo hoje tem um visual mais acabado, com sistemas de cooler chamativos, sem contar LEDs, que estão presentes em praticamente todos os componentes do sistema. Mas de que adianta um componente ter visual bonito se ele não aparece? O View 27 apostou bastante nisso com sua "janela" que ocupa quase toda a parte lateral e superior do gabinete, mostrando toda a parte interna do sistema. Além disso, traz um projeto interno muito bom no que diz respeito a organização dos cabos e demais componentes como drives de armazenamento, porém a cereja do bolo é a possibilidade de instalar a placa de vídeo em pé, algo bastante raro em gabinetes hoje em dia, mas que tem ganhado atenção da Thermaltake em outros produtos como o Core P5 e Core P3 por exemplo. Quando a placa de vídeo fica em pé, e se ela tem um visual atrativo, deixa o sistema muito mais bonito visualmente como é possível ver nas fotos que mostramos e que a própria empresa usa para divulgar o produto.

Gabinete perfeito para um sistema com muitos LEDs e liquid cooler personalizado

Mas temos um problema, o cabo que proporciona o uso da placa de vídeo em pé não acompanha o produto, mesmo a Thermaltake falando que o cabo é um acessório, em nossa opinião o mesmo deveria acompanhar o gabinete por ser um dos principais atrativos desse modelo, no mínimo essa estratégia força a compra do cabo porque como colocamos, a ideia desse gabinete é mostrar o sistema internamente, se não ele passa a ser um modelo normal em partes. Não trazer o cabo pci express junto ainda gera outro problema, dificuldade de encontrar esse cabo no mercado, sem contar que ele é bastante frágil e pode ocorrer do usuário ter que usar mais de um cabo dependendo do quanto mexe no sistema, alias, nós recomendamos comprar 2 por garantia. Também destacamos que ao usar a placa de vídeo em pé o sistema perde o suporte a Crossfire e SLI, já que apenas uma placa pode ser fixada nessa posição, diferente do Core P3 e P5 por exemplo.

Outro ponto interessante em se tratando do projeto é o suporte diferenciado a liquid coolers, com suporte a radiadores de 360mm e sistemas personalizados, ou seja, é possível montar um sistema de liquid cooler com uma bomba e personalização dos tubos, tornando a proposta bem mais interessante, porque normalmente esses sistemas deixam o visual do PC ainda mais bonito como a empresa demonstrou nas fotos oficiais do gabinete.

O preço do gabinete consideramos bom com um porém. Bom porque apesar do visual imponente, em uma análise bem fria e técnica, não aparenta ser um gabinete que podemos considerar com o que existe de melhor em componentes etc, para ter um preço maior, ele é um produto bom com algumas ideias diferentes e bem projetadas, mas que em momento algum geram um custo teoricamente maior do que modelos tradicionais, sendo assim seu preço parece de acordo com o projeto. Porém não trazer o Riser Cable junto da um desanimo, especialmente porque o cabo custa 40% do gabinete.

Quem quiser montar a placa de vídeo em pé
precisa comprar o Riser Cable que não acompanha o gabinete

No Brasil a Pichau vende o View 27 por R$370, mas novamente, caso queira usar a placa de vídeo em pé terá que gastar mais, e o novo Riser Cable emborrachado que teoricamente resolve o problema de fragilidade do cabo anterior chegou caro, R$145,90, alias, bem caro. Como explicamos anteriormente, o valor está relacionado a dificuldade em encontrar fabrica que garanta a qualidade que o cabo e a empresa procura visando evitar problemas de RMA. Ainda assim p-ensamos que a Thermaltake deveria lançar um modelo com o cabo incluso e um desconto no preço final, já que um de seus principais atrativos é o uso da placa de vídeo em pé.

 

Para quem desejar comprar o novo Riser Cable para posicionar a placa de vídeo em pé, seja no View 27 ou mesmo em outros gabinetes da empresa como o Core P3 e Core P5, a Pichau já está vendendo a nova versão do cabo. Outro problema em relação ao cabo é que ele "vai e volta" rapidamente no estoque devido a grande procura.


PRÓS
  • Design inovador para esse formato de gabinetes
  • Bom acabamento e projeto interno
  • Excelente para instalação e manutenção do sistema
  • Suporte a liquid coolers com radiador de 360mm
CONTRAS
  • Cabo expansor PCI-Express não acompanha o produto, é caro e difícil de achar