A Cougar é uma empresa que vende produtos para o público gamer desde 2007, mas que é relativamente nova no ramo de periféricos, fazendo pouco mais de dois anos que começou a comercializar este tipo de produto. Embora esta empresa alemã seja novata neste setor ela cresceu bastante, tanto na sua presença de mercado, quanto na qualidade de seus projetos.

Antes de continuarmos, gostaria de tentar esclarecer um pouco a numeração da Cougar. Assim como a Logitech, a Cougar também tem o mal costume de não usar nenhum tipo de ordem para a numeração de seus mouses. O Cougar 400M é superior em qualidade ao 700M por exemplo. Confuso? Sim, mas a imagem abaixo tenta explicar melhor em ordem cronológica:

E com exceção do Cougar 200M e Cougar Minos X1, que são os mouses mais baratos da marca, todos os mouses mais recentes são superiores aos modelos anteriores. Ex: 550M é extremamente superior ao 600M, e o Minos X3 é melhor do que o 300M.

Cougar 700M foi o primeiro mouse comercializado pela Cougar e embora muita gente ainda ache que este seja o melhor mouse da marca, ele é longe disso. O Cougar 700M, assim como o seu "irmão" G.SKILL RIPJAWS MX780, são dois mouses projetados com aparência em primeiro lugar e outros aspectos como secundários, tendo uma precisão bastante inferior a uma quantia absurda de concorrentes, muitos dos quais são mais baratos.

O que venho notando nos mouses mais recentes da Cougar é um certo amadurecimento por parte da empresa, tanto em suas atitudes quanto em seus produtos. Um maior foco em ter um preço competitivo, produtos projetados para serem confortáveis, precisos e um bom design, ao invés de ter foco apenas no design.

Mas a Cougar não projetou estes mouses sozinha. Ela trabalhou com outra empresa, uma que já mencionei em outras análises e certamente vou continuar mencionando no futuro: CRE8-DESIGN.

CRE8-DESIGN é atualmente uma das empresas mais influentes em designs de periféricos, tendo como clientes a ASUSCougarCorsair, EVGALenovoG.SKILL e outras marcas.

Sinceramente, fico feliz de ver que tanto a Cougar quanto a CRE8 estão amadurecendo e vendo que maior parte do público não quer mouses "transformers" cheios de frescuras como o 700M/MX780 e sim apenas algo que seja preciso e confortável, além, é claro, durável. Outras empresas que espero que tomem atitudes similares no futuro, são a G.SKILLRedragonTesoro...

Enfim, chega de papo e vamos para a análise.

Ergonomia e Construção Externa

É importante lembrar que existem formas que usuários podem manusear seus mouses, estas que chamamos de pegadas. As três principais são:

Ergonomicamente, o Cougar Revenger é bem similar a diversos outros mouses, pois afinal de contas também se baseia no antigo Microsoft Intellimouse 3.0.


Razer Deathadder, Cougar Revenger, Logitech G502, Steelseries Rival

Pesando 111 gramas (sem o cabo), o Cougar Revenger é um mouse de peso mediano. Nada exagerado como o concorrente Logitech G502, mas também sendo mais pesado do que o ZOWIE EC1-A, por exemplo. É similar ao peso do Razer DA 2013/Chroma/Elite.

Assim como quase todo mouse baseado no lendário Microsoft Intellimouse 3.0, o Cougar Revenger é perfeito para a pegada Palm:

E também pode ser utilizado sem problema algum pela pegada Claw.

Já a pegada Fingertip é um pouco mais complicada. Embora seja possível utilizar o mouse desta forma, nem todo mundo se sentirá confortável com seu tamanho e peso, alguns poderão utilizar ele sem problema algum, enquanto outros, tal como o autor desta análise, irão preferir mouses menores e mais leves do que o Cougar Revenger.

Cougar Revenger é basicamente uma versão melhorada do Cougar 550M:


Créditos da imagem para Rocket Jump Ninja: Cougar Revenger Review

Segundo a Cougar, ele foi modificado de acordo com sugestões dadas por usuários, jogadores profissionais e especialistas da área. O resultado é simples: um mouse um pouco mais levemais bonito e mais preciso.

Em um mercado onde há tantos mouses baseados no antigo Microsoft Intellimouse 3.0, trabalhar em cima deste e criar um mouse que consiga se destacar e ter um visual diferenciado é um feito em tanto, algo que poucos conseguem. E certamente o Revenger merece um prêmio por isto.

Sei que não deveria expressar opiniões pessoais na análise, mas realmente, o Cougar Revenger é um dos mouses mais bonitos que já tive oportunidade de testar e mesmo assim tem uma pegada bastante familiar, diferente de tantos outros que se focam apenas na aparência. Bonito sem ser vulgar. #maisRevenger #menosTransformers

Mas não é só visualmente que este mouse é caprichado, todos os materiais utilizados em seu acabamento são de primeira. O acabamento em plástico fosco caprichado e borrachas de alta qualidade em suas laterais fazem este ser extremamente confortável e ter uma excelente impressão de qualidade.

Além disto, o mouse conta com pés de teflons enormes, o que garante um excelente deslize independente a superfície.

Diferente do Cougar 550M, o Cougar Revenger agora utiliza um cabo simples emborrachado. Embora maior parte do público pense que cabos em nylon são os melhores e que marcas que não usam nylon, são ruins, há uma razão para marcas como a Steelseries e ZOWIE lançarem todos os mouses recentes desta forma: flexibilidade.

Embora o cabo em nylon seja de fato mais durável para diversas situações, há casos onde a presença dele não apenas desagrada certos jogadores, mas pode até atrapalhar a movimentação do mouse para alguns. Alie isto ao fato do cabo deste mouse não estar centralizado e é possível entender a razão para a mudança.

Também, o Cougar Revenger conta com um botão de troca de DPI enorme e embora pareça que este pode ser pressionado acidentalmente, seu sistema de ativação inibe isso, pois utiliza uma mola de pressão e precisa ser "puxado" e não simplesmente "pressionado".

Enfim, o Cougar Revenger é facilmente um dos mouses mais caprichados em sua construção externa que já tive em mãos, usando materiais de altíssima qualidade em conjunto com uma ergonomia já consagrada.

Construção Interna

Conforme já fora dito, o Cougar Revenger foi projetado pela CRE8 DESIGN e isto é bastante visível em algumas das características de seu interior. Lembra bastante os mouses da Corsair e G.SKILL que analisei.

Para início de conversa, é outro mouse da CRE8 com algumas dificuldades para abrir, especialmente devido ao "quebra-mato" que este possui em seu scroll. Sério, comecem projetar mouses mais fáceis para abrir, por favor.

Internamente, o Cougar Revenger é um excelente mouse, mas a presença do OMRON D2FC-F-7N 5M, que é o switch mais barato e com menor durabilidade da OMRON, em um mouse "topo de linha" lançado na metade de 2016, é um pouco complicada...

Não estou dizendo que o Cougar Revenger seja "ruim" por utilizar o OMRON 5M, de forma alguma, apenas que este tipo de disparidade quando comparado a concorrentes é indesejável, especialmente para o marketing do produto em um mercado onde há uma constante "guerra de números".

Embora a Cougar acabe ficando em uma posição indesejável nestes comparativos, estes número não são tão importantes quanto parecem, pois nenhum destes inclui o famoso "Double-Click", que é o maior problema com switches deste tipo. Isso é mais marketing do que qualquer outra coisa.

Enfim, no final das contas o Cougar Revenger é um mouse bem feito, tendo exatamente o nível de construção interna que se espera de um projeto da CRE8 DESIGN e com diversas similaridades a mouses de concorrentes que também trabalham com ela.

Desempenho

O Cougar Revenger utiliza o sensor Pixart PMW 3360, o que nada mais é do que a versão comercial do Pixart PMW 3366, sensor exclusivo da Logitech e usado em mouses como o Logitech G403 e G502. Este é capaz de alcançar até 12.000 DPIs e estes valores são ajustáveis através do software.

Começando, todos os testes foram realizados utilizando um mousepad G.FalleN Major Dream, o qual possui estampas (que podem dificultar o rastreio, mas esse é justamente o objetivo) e tem um nível de qualidade similar ao Razer Goliathus Speed.

O primeiro teste é realizado no MS-Paint no modo Lápis, com as configurações do mouse no Windows com sensibilidade 6/11 (default) e a opção de "Aprimorar a precisão do cursor" desligada, pois tudo o que ela faz é maquiar os dados, algo que não queremos.

Aqui os resultados são bons, embora a quantia de jitter (distorção) aumente conforme a DPI aumenta, o que é normal em mouses e é uma das várias razões que posso dar para vocês leitores não utilizarem DPIs muito altas.

Continuando, temos o teste de consistência de rastreio. Basicamente ele testa o que o nome diz, mostrando se por acaso há distorções no rastreio do mouse. Para realizar ele, é usado uma ferramenta chamada MouseTester.

E estes foram os resultados no mousepad da G.FalleN, em 1000 Hz e com o LOD padrão:

O Cougar Revenger apresenta algo curioso que vejo acontecer em alguns concorrentes como o Steelseries Rival e Logitech G502, que é algumas contagens (estas bolinhas) ficarem fora da média, mas serem acompanhadas logo em seguida por outra contagem na direção oposta, "anulando" o que seria uma distorção em outros casos.


Rastreio do Steelseries Rival, estranho, mas não é errado

Quando diminuímos a taxa de atualização para 500 Hz, tal evento simplesmente desaparece. O que parece acontecer é que em 1000 Hz estes mouses se comunicam tão rápido com o computador que o mouse envia dados antes do movimento ter sido registrado "por completo", e por isso é enviado uma "correção" logo em seguida.

Trabalhando em 500 Hz ou valores inferiores, há mais tempo para a controladora do mouse processar os dados e por isso estes ficam "bonitinhos" no MouseTester. A princípio, isso é estranho, mas não é incorreto e nem é considerado distorção, por isso não há problemas em usar o Cougar Revenger em 1000 Hz e nem 500 Hz, que é demonstrado na imagem abaixo:

No final das contas, o Cougar Revenger tem um rastreio perfeito nos testes de Consistência de Rastreio, mesmo que apresente alguns dados um pouco estranhos, algo que também ocorre com o Logitech G502 e Steelseries Rival.

Já o próximo teste, é o teste de aceleração. O ideal sempre, é que se o mouse for movido rapidamente 10 cm para a direita, ele tenha o mesmo resultado que teria se fosse deslocado lentamente a mesma distância. 

Caso o mouse for mais longe do que o necessário no movimento rápido, é dito que o mesmo tem aceleração positiva. Caso a distância que ele percorreu seja menor no movimento rápido, ele tem aceleração negativa.

E se o mouse parou no mesmo lugar que antes, ele não tem aceleração nenhuma, o que caracteriza um resultado perfeito.

Sendo que este foi o resultado do Cougar Revenger usando o mousepad da G.FalleN, em 1000 Hz e com o LOD padrão (médio):

E o resultado é simplesmente perfeito, não há aceleração alguma e o sensor deste mouse é realmente muito preciso.

Agora, vamos partir para o software. O software da Cougar é relativamente simples, tendo apenas três janelas principais: Performance, Key Assignment e Lightning Control

Na janela Performance, configuramos as principais características do mouse, desde as DPIs disponíveis: a DPI da função Sniper, a taxa de atualização (frequência que o mouse se comunica com o PC), correção de trajetória, a altura na qual o sensor para de rastrear (Lift Height, LOD) e outras configurações do Windows.

Já em Key Assignment, podemos configurar as funções de cada um dos botões do mouse, podendo desde realizar funções básicas (ex: trocar de perfil), funções multimídia (ex: mutar o volume) ou até macros.


Caso selecionarmos Macro, é possível criar macros extremamente complexas, sendo possível registrar funções tanto do mouse quanto do teclado.

Mas o mais interessante de tudo é que o software da Cougar é um dos pouquíssimos que permitem que sejam criadas até mesmo macros que controlem a movimentação do mouse.

Ou seja, é possível criar uma macro que movimente o cursor da tela para o usuário, o que pode ser algo bastante útil, mas polêmico ao mesmo tempo, pois pode também ser usado para criação de bots em certos jogos.

E por último, temos a aba de Lightning Control, onde é possível configurar a iluminação do mouse.

Embora este não tenha efeitos de iluminação avançados como o G.SKILL MX780 e nem reaja à música como alguns concorrentes, a interface do Cougar Revenger é bastante simples e prática de usar.

AVALIAÇÃO:

Construção Externa

10

Construção Interna

8.5

Desempenho

9.5

Preço

7.5
Conclusão

Cougar Revenger é sem sombra de dúvidas o melhor mouse da Cougar e um dos melhores mouses do mercado. A combinação do sensor topo de linha Pixart PMW 3360, componentes internos de ótima qualidade, um acabamento extremamente caprichado, um design diferenciado e ao mesmo tempo bastante familiar é simplesmente fantástica. Meus parabéns à equipe que projetou este mouse.

Para não dizer que não há falhas neste mouse, infelizmente este tem alguns pequenos problemas na interface gráfica de seu software, especialmente devido à fonte minúscula usada em algumas partes. Também, a utilização do switch OMRON 5M nos botões esquerdo e direito, quando há modelos "superiores", é um pouco inadequada.

E agora chega a hora de discutirmos sobre o que para maioria é o mais importante: preço.

Cougar Revenger está atualmente disponível entre R$ 310~350. Ele não é um mouse Custo x Benefício e este é um valor bastante elevado, mas que acaba se enquadrando na faixa de preço de outros mouses topo de linha.

Para quem não tem tanto para desembolsar, a Cougar também oferece o Minos X3, que é um mouse um pouco inferior, tanto em seu acabamento quanto em recursos, embora quase equivalente em termos de sensor e qualidade. Ele vale muito à pena pela faixa dos R$ 170 e vamos analisá-lo em breve.

Como nota final desta análise, fico feliz de ver como a indústria está amadurecendo ultimamente. Se compararmos as mudanças entre mouses como o Cougar 700M vs Cougar RevengerLogitech G500S vs Logitech G403Tt eSports Level 10M vs Tt eSports Ventus R e vários outros, é possível ver como o mercado está mudando

O público está se tornando mais exigente, dizer que o mouse tem "17 botões e sensor laser de 8.200 DPI" já não é mais o suficiente para agradar todos. O público está se informando e descartando mouses que são focados apenas em aparência e marketing.

Para este público, assim como também os leitores desta análise, eu deixo o meu muito obrigado.


PRÓS
  • Ergonomia consagrada baseada no Microsoft Intellimouse 3.0
  • Excelente Construção Externa
  • Excelente Precisão com seu sensor Pixart PMW 3360
  • Ótima Construção Interna
  • Ótimo Software
CONTRAS
  • A utilização do switch OMRON 5M acaba sendo um pouco inadequada
  • Pequenos erros na interface de seu software
  • Preço elevado