Seguindo a serie de muitos lançamentos do final do ano de 2016, hora de dar uma conferida em outro game que não ganhou a simpatia dos gamers de PC por sua otimização: Dishonored 2! Deixamos passar o primeiro patch de "conserto" do game, algo que já virou muito tradicional na indústria dos games, e vamos testar com a versão mais atualizada disponível no momento dos testes (a disponível em 05/12).

Uma mudança importante: trocamos o processador do FX-6300 para o FX-8300. Com uma diferença de preço que não supera os 50 reais em muitas vezes, ele possui dois núcleos a mais (oito ao total) e tem um clock turbo mais alto (4.2GHz). O FX-6300 estava próximo de seu limite em games anteriores, como Battlefield 4, então um pouco mais de CPU nos dará mais margens para os próximos episódios. 

A troca para o FX-8300 traz pouco custo, e nos dá um pouco mais de margem

E os Intel? O Intel Core i3-6100 não fica muito longe em preço, também aparecendo abaixo dos 500 reais. Já faz um tempo que fizemos o pedido para a Intel Brasil realizar o envio uma CPU para utilizarmos em nossos testes, porém até o momento não tivemos nenhuma novidade nesse sentido. Naturalmente, vamos sempre recomendar os componentes que podemos testar, e a AMD tem ampla vantagem nesse aspecto ao nos disponibilizar praticamente todo seu line-up de CPUs, o que torna possível para nós realizarmos os testes em diversos patamares de performance e identificar as melhores opções. Quem quer ver o Baratinho em um Intel Core i3, temos esse teste onde jogamos com um Core i3-4150, que não fica muito longe do desempenho de um Core i3-6100. Se houver mais interesse por parte da Intel em disponibilizar um componente para testes, dando assim ao nosso público a possibilidade de conhecer sua performance, devemos fazer um novo artigo colocando as CPUs de entrada "para brigar" por seu espaço no Baratinho.

Também testaríamos com um Intel Core i3... se a Intel tivesse mandado um

Mas chega de papo sobre CPUs, vamos voltar a Dishonored! Tentamos começar com a configuração mais básica atual do PC Baratinho:

- AMD FX-8300 - R$ 430
- Gigabyte AM3+ mATX GA-78LMT-USB3 - R$ 309
- XFX RX 460 2GB - R$ 495
- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 275
- 8GB de memória RAM - 2x R$ 118
- Fonte 350W -  R$ 158
- Tela, mouse e teclado reaproveitados de PCs velhos - R$ 0 

Preço estimado: R$ 1.903

A primeira rodada foi pavorosa, com um gargalo bastante evidente: os 2GB da memória da placa de vídeo estouram mesmo em configurações mínimas na resolução FullHD, derrubando os FPS para menos de 30FPS e tornando o gameplay impossível. Foi só realizar a troca para a Sapphire RX 460 Nitro, que possui o mesmo chip gráfico (RX 460) e mais memória (4GB), passou a ser possível jogar acima dos 30FPS em qualidade mínima.

Sem condições jogar com placas de 2GB e resolução FullHD

O problema é que o jogo fica bastante "feio" em qualidade mínima, com destaque para os pavorosos serrilhados e as texturas sem definição alguma. Trocar para o pre-set de qualidade médio está acima do que o chip RX 460 é capaz de "suportar", sendo que aí a GPU se torna o novo gargalo do sistema.

Com a RX 460 não aguentando o tranco, e placas com 2GB fora do baralho, Dishonored nos pressiona a partir para placas bem mais caras, tanto do lado AMD quanto Nvidia. No line-up vermelho, a próxima opção seria a muito mais potente RX 470, uma placa que já apareceu por 800 reais, e eventualmente ainda é encontrada próxima desse valor, mas que tem se situado mais frequentemente na faixa dos 900 reais. Do lado verde, a opção é a GTX 1050 Ti, placa que foi anunciada com preço sugerido de R$ 750, e que já apareceu à venda por esse valor e também por muito mais caro. A disponibilidade desse modelo anda um tanto errática, com poucas placas disponíveis e muitas vezes fora de estoque nos lojistas.

PC Baratino com upgrade de GPU para encarar Dishonored 2:

- AMD FX-8300 - R$ 430
- Gigabyte AM3+ mATX GA-78LMT-USB3 - R$ 309
- Zotac GeForce GTX 1050 Ti - R$ 750 ou XFX RX 470 4GB - R$ 850
- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 275
- 8GB de memória RAM - 2x R$ 118
- Fonte 350W -  R$ 158 ou de 430W para a RX 470 - R$ 208
- Tela, mouse e teclado reaproveitados de PCs velhos - R$ 0 

Preço estimado: R$ 2.158 (GTX 1050 Ti)
R$ 2.308 (RX 470)

Com esse upgrade de GPU conseguimos jogar na casa dos 35~45FPS na qualidade média com a GTX 1050Ti e chegamos aos 40~50FPS com a RX 470. O problema é que essas placas aumentam consideravelmente o orçamento, sendo que a RX 470 também encarece mais ao aumentar os requerimentos de fonte. Como sempre buscamos um balanço ótimo entre custo e desempenho, a GTX 1050Ti leva esse episódio por ser a opção mais barata (se vocês acharem por seu preço sugerido) e que é capaz de manter o FullHD/30FPS/Qualidade média. Apesar de mais cara, a RX 470 também surge como uma opção bem interessante, por conta de sua maior margem de desempenho com um custo de apenas 150 reais a mais, porém mesmo ela não é capaz de alcançar os 60FPS de forma estável. Ela pode ser a opção para quem quer mais fluidez e aceita a "dança" entre 45 e 50 FPS que acontece a maior parte do tempo, com eventuais quedas para 40FPS ou um pouco menos.

Dishonored 2 trouxe resultados ruins, pois está pesado demais para as placas de vídeo

Colocando essas duas placas de 4GB em ação e a qualidade média, fica evidente que o consumo de memória fica na casa dos 3GB, demonstrando que Dishonored não será simpático com placas de 2GB, mesmo. Podemos considerar o resultado dos testes ruins, já que a GTX 1050 Ti é uma placa que costuma entregar uma experiência entre a qualidade média e alta, mantendo na casa dos 60FPS, e a RX 470 devia garantir um HIGH próximo dos 60FPS sem problemas. O peso excessivo de Dishonored "rebaixou" essas duas placas a qualidade média em 30FPS cravados, e jogou praticamente para escanteio modelos mais de entrada.