Essa não deve ser a primeira vez que você encontra um conteúdo contrário à prática da pré-venda nos jogos. Isso já foi dito no ano passado pelo Kotaku e pelo youtuber Boogie2988 (mais conhecido pelo seu personagem Francis) no ano passado, e foi relembrado mais recentemente pela Polygon depois da E3 2016 e pela Wired depois do fiasco de No Man's Sky. E esses são os exemplos que apareceram depois de uma pesquisa superficial. Se eu investisse mais tempo nisso com certeza encontraria uma lista de quase todos os sites especializados aconselhando a não comprar um game na pré-venda. Então por que estou escrevendo mais uma vez sobre uma ideia que já foi tão repetida? Para somar ainda mais uma pequena voz ao coro dos jornalista e jogadores que parecem não estar tendo muitas chances contra as esmagadoras forças do marketing e da máquina de hype.

Sinal disso é este relatório do fim do ano passado, relatado pelo WCCFTech, apontando um aumento de 33% na renda obtida nas pré-vendas em 2015. E, amigos do Adrenaline, eu lhes pergunto... COMO?! As possíveis vantagens que poderiam ser trazidas pela pré-venda não se comparam às prováveis desvantagens da prática. Vamos recapitular 3 grandes lançamentos de 2016 para melhor explicar meu argumento:

As possíveis vantagens que poderiam ser trazidas pela pré-venda não se comparam às prováveis desvantagens da prática

Mafia 3

Começo falando de Mafia 3 que foi o lançamento controverso mais recente e a "gota d'água" pra escrever esta coluna que eu estava adiando há tempos.

- "Vantagens" da pré-venda: Quem comprou Mafia 3 na pré-venda em qualquer plataforma ganhou acesso a 3 armas e 3 carros "exclusivos", através do pacote Family Kick-Back. TRÊS armas e TRÊS carros.

- O que os jogadores ganharam: Um jogo travado a 30fps no PC. Isso não é o maior problema do mundo, ainda mais com a promessa de um patch a caminho, mas não foi informado na pré-venda que o jogo não rodaria a 60fps no lançamento e quem não comprou o jogo na pré-venda podia muito bem investir esse dinheiro em outro título enquanto espera a atualização, certo? Mas não é só isso. Aparentemente a trava de 30fps não é a única desvantagem acontecendo no PC:

No Man's Sky

O fiasco do ano e, muito possivelmente, da geração.

- "Vantagens" da pré-venda: Algumas lojas dos EUA deram a nave Alpha Vector. Na Steam, jogadores que compraram antes do lançamento ganharam a Horizon Omega e da PS Store um pacote de 10 avatares. Os ícones pra colocar no perfil da PSN. Uau.

- O que os jogadores ganharam:

Street Fighter V

- "Vantagens" da pré-venda: Dependendo da loja nos EUA você ganhava UMA skin de personagem, pro Ryu, Cammy ou Bison. Compras digitais davam uma skin pra Chun-Li (detalhes neste link).

- O que os jogadores ganharam: Um jogo incompleto. O jogo chegou com severos problemas de conexão e o modo história, que foi um dos pontos de propaganda para o jogo, não estava disponível no lançamento, sendo entregue só depois.

Mas só 3 jogos?

Não quero me estender muito analisando jogo a jogo, então peguei apenas 3 grandes lançamentos de 2016 para exemplificar, mas no ano passado tivemos o inesquecível Batman: Arkham Knight, que chegou a ter suas vendas congeladas na Steam por um tempo depois de tanto bug que deu no lançamento. E o brinde da pré venda era uma missão com a Harley Quinn que eu concluí, literalmente, em 15 minutos.

Mas não faltam jogos que saíram bugados como Just Cause 3, ou não cumpriram promessas, como Deus EX sem DirectX 12 ou que simplesmente decepcionaram, como Mighty No.9. Frente a tantos nítidos problemas, eu continuo perguntando, POR QUE, senhores, comprar na pré-venda?

A maioria dos jogos não sai bugada no lançamento

É justo lembrar que tem muito título grande que não chega bugado e se sai muito bem em seu lançamento, tendo qualidade não só técnica, mas também de jogo em si. Nesses casos, quem compra na pré-venda pode dizer que sua compra foi justificada, afinal, o jogo não teve problemas.

Desculpa, mas "o jogo funciona" não é nem de longe um bom argumento para justificar uma pré-venda. O jogo também funcionaria se você comprasse depois. "Ah, mas aí não teria os bônus ou esse desconto maneiro que eu consegui". Nessa parte cabe elaborar um pouco mais.

Realmente o desconto da pré-venda é comum e enquanto o jogo for novo dificilmente veremos o preço abatido tão cedo. Mas esse desconto nunca fica muito longe de meros 10% e, convenhamos, vale a pena economizar algo como, no máximo, R$ 20, correndo o risco do jogo não funcionar direito ou você não gostar dele? 

os bônus são a maior mentira que existe na pré-venda

Já os bônus são a maior mentira que existe na pré-venda, porque todo conteúdo anunciado como "EXCLUSIVO", eventualmente pode ser adquirido depois como DLC ou em versões GOTY ou o que valha do jogo. Pode ter certeza absoluta que as três armas mixurucas "exclusivas" da pré-venda do Mafia 3 mais tarde poderão ser conseguidas por outros meios. E não só isso, esses conteúdos extras são onde mora o maior problema da pré-venda.

O verdadeiro problema da pré-venda

Quem leu até aqui e ainda gosta de uma pré-venda pode argumentar que "tudo bem, não importa, eu tenho MUITO dinheiro. Se o jogo vem bugado ou eu não gosto dele, é só não jogar, o dinheiro não vai fazer falta". Este é um argumento difícil de vencer, então vou apelar pra vontade que todo gamer tem: que existam jogos bons.

Comprar na pré-venda é incentivar a prática, o que faz com que as produtoras pressionem os desenvolvedores a criarem conteúdos para serem oferecidos para jogadores que compram antes, a fim de convencê-los a fazer isso. É exatamente a mesma coisa que acontece com DLCs. Essa pressão se reflete em dois possíveis resultados: ou os desenvolvedores vão cortar algo que deveria estar no jogo para oferecer como bônus de pré-venda ou eles vão sacrificar um precioso tempo de desenvolvimento e otimização do jogo principal para inventar um conteúdo extra que é virtualmente inútil. No Man's Sky não pode deixar você começar com uma nave melhor porque isso é só pra quem comprou o jogo na pré-venda. E o problema de jogos sendo prejudicados para promover a pré-venda afeta todo mundo, não importa quanto dinheiro você tem. E se você tem alguma dúvida dos esforços das produtoras em fazerem as pessoas comprarem mais na pré-venda, é só relembrar este fiasco com Deus EX: Mankind Divided.

O futuro parece cada vez pior

Olha o tamanho desse artigo. Dá trabalho ler um negócio desses, não é que nem sentar e assistir a um trailer espetacular que precisa só de 2 minutos pra fazer aquele jogo parecer a melhor coisa que já aconteceu na sua vida e, o pior, lhe convencer que você precisa comprar ele AGORA. O marketing sabe que a gente fica louco pra jogar e ele se catapulta nessa vontade de ter o jogo neste exato segundo pra vender ele neste exato segundo, apesar disso não acelerar em nada sua chance de realmente jogar.

Já dá pra comprar Spider-Man pro PS4. Vocês conseguem perceber o absurdo que é isso? 

Acredito que a gravidade a que chegou a situação da pré-venda é perfeitamente ilustrada por um simples fato: já dá pra comprar Spider-Man pro PS4. Vocês conseguem perceber o absurdo que é isso? O jogo tem um trailer de exatos 1 minuto e 31 segundos. Não sabemos NADA da história, jogabilidade, qualidade do som, NADA. A pré-venda não tem nem bônus ainda porque não foi revelada informação nenhuma do jogo além do fato dele existir! E já tem gente comprando? Isso é impensável.

Direcione a pressão de volta às produtoras

O motivo das produtoras estarem tão obcecadas com a pré-venda é o mesmo que as levou a parar de lançar demonstrações jogáveis dos games. O negócio é lhe convencer a comprar antes de você conhecer os pontos negativos dos jogos, antes de aparecerem aqueles vídeos no YouTube mostrando os bugs, antes que você desista. Porque depois que você comprou "já era". A Steam até tem uma política de devoluções, mas são poucas pessoas que correm atrás disso quando o jogo não é bugado, apenas decepcionante.

Então é feita essa pressão enorme em cima dos consumidores pra que eles comprem logo, desperdiçando uma energia que deveria estar sendo direcionada em fazer um jogo bom. Dizer não à pré-venda é dizer para a produtora "não, eu não vou comprar esse jogo porque você me dá uma metralhadora verde, eu vou comprar se ele for BOM". Nós temos que reverter essa pressão em cima dos jogadores em comprar de volta para as produtoras, transformá-la numa pressão para fazer bons jogos. Ninguém tem culpa de ser enganado uma vez ou outra, mas insistir em ser enganado começa a virar culpa sua.