A Media Molecule é craque em fazer jogos de plataforma. Em 2008, a produtora inglesa já havia demonstrado grande talento quando iniciou a franquia "LittleBigPlanet". "Tearaway" é a nova aposta da empresa no gênero e, sem exageros, este é um dos melhores jogos exclusivos disponíveis no Playstation Vita. A aventura, além de ser bem divertida, traz personagens cativantes e uma jogabilidade que abusa dos recursos do portátil de forma bastante inovadora e criativa. Os gráficos apresentam um mundo colorido feito todo de papel e a incrível trilha sonora é perfeita para se sentir cada vez mais imerso na experiência. Leia a análise do game, abaixo. 



Enredo e Jogabilidade

A história de "Tearaway" é bem simples, mas é contada de uma forma bastante única. Este é um dos raros casos no gênero em que o enredo realmente importa e tem total ligação com as dinâmicas do gameplay. No controle do envelope Iota (ou Atoi, dependendo do gênero do personagem escolhido - macho ou fêmea), sua missão é entregar uma mensagem importantíssima a Você, o Sol, que recebe a estampa do seu rosto assim que a partida começa. A imagem é capturada com a câmera frontal do PS Vita e logo você mesmo está dentro do jogo e interagindo com o que aparecer pela frente, se envolvendo cada vez mais com a aventura com o passar das fases. 

Como o Sol, o jogador é uma espécie de entidade do outro mundo (a nossa realidade) e, no papel do Mensageiro, é sempre motivado pela astuta narradora a continuar explorando os cenários e a ser determinado em alcançar o seu objetivo de entregar a mensagem, sem nem mesmo ter ideia do que está escrito dentro do envelope. Enquanto isso, vai ajudando inconscientemente a recompor o belo mundo de papel do game e passa a conhecer personagens que, mesmo se comunicando através de um idioma próprio do universo do jogo, são bem carismáticos e envolventes. 



A jogabilidade é um dos pontos mais altos de "Tearaway". Tudo é bastante fluido, preciso e interativo, do jeito que deve ser em um jogo desse gênero. No começo, como acontece em qualquer outro jogo de plataforma 3D, é preciso correr, alcançar novas plataformas, encontrar áreas escondidas e ir coletando os itens (confetes, a moeda do jogo) pelos cenários para progredir. Alguns minutos adentro, já bastante imerso na aventura, você aprende a primeira habilidade, o pulo simples, sendo que outras são destravadas aos longo das 14  fases do game, como o rolamento, muito útil para transpor barreiras, e uma sanfona que assopra ou suga o vento, perfeita para acionar manivelas giratórias.  

A mágica acontece mesmo quando se começa a usar o touchpad traseiro do portátil. Apoiando os dedos nele, dedos gigantes virtuais aparecem na tela rasgando algumas superfícies, permitindo você derrotar inimigos, mover plataformas para abrir caminhos e resolver quebra-cabeças em geral. Batendo no touchpad, seu personagem pula mais alto com o impulso de tambores, algo que ajuda bastante a encontrar áreas secretas e coletar itens ocultos. Aliás, quem quiser encontrar todos os colecionáveis, vai ter que ficar de olhos bem abertos, pois alguns deles estão em locais improváveis de descobrir. Mas não se preocupe, a maioria deles têm localização de fácil alcance.  

 

 

 

 

Usando as funções de toque na tela do PS Vita, pode-se desdobrar enfeites, abrir caixas de papelão, arrastar paredes de papel, puxar objetos e girar e locomover plataformas, que também podem ser deslocadas para diferentes direções se você inclinar o portátil. Além disso, alguns objetivos pedem que você crie desenhos, recorte-os e cole-os nos personagens. Como cada jogador tem o seu jeito próprio de imaginar objetos com cores e designs distintos, a aventura assume uma identidade única para cada um, sendo essa uma das atrações mais autênticas do título. Iota ainda pode ser decorado da maneira como quiser, ao preço de alguns itens comprados com os confetes acumulados.      

Gráficos e Áudio

Os gráficos de "Tearaway" são absolutamente incríveis. A proposta aqui é ir no sentido contrário ao do visual realista. Sendo assim, a direção de arte do jogo instantaneamente transporta o jogador para um vasto mundo fantasioso feito com papeis de várias cores e tamanhos. Todos os ambientes, personagens e elementos que compõem os cenários, como vegetação, água, vento, animais e construções, são montadas com texturas bem características deste tipo de material. É revigorante ficar admirando a paisagem e perceber o grande capricho nos mínimos detalhes da produção.    



Toda a parte sonora está impecável. A começar pela trilha, muito marcante, tocante e combina com absolutamente todos os momentos da jogatina, dos mais serenos aos mais animados. As melodias são daquele tipo que ficam na cabeça por algum tempo e, depois de terminar a aventura, você faz questão de procurar pelas músicas só para curtir e ficar relembrando os momentos inesquecíveis. Os efeitos acompanham essa magnitude com barulhos de recorte, papel amassado, rasgos e colagens bem característicos, ajudando bastante na imersão. Não tem como não se envolver.  

Conclusão

"Tearaway" é um dos melhores jogos exclusivos disponíveis no Playstation Vita. Praticamente tudo no game funciona de forma bastante harmoniosa e dinâmica, desde a sua participação dupla como o Sol e o Mensageiro na aventura, a jogabilidade interativa e inovadora, os gráficos fantasiosos todos feitos de papel e a trilha sonora espetacular. Esse é um daqueles tipo de jogos que vale a pena voltar para descobrir todos os segredos e reviver os momentos mais marcantes. A diversão é mais do que garantida, sendo ainda possível expandi-la através site oficial do jogo, que permite que você imprima suas as fotos tiradas durante a aventura e monte seus próprios papercrafts, perfeitos para decorar sua estante.

 

 

 


PRÓS
  • Mundo de papel interativo
  • Inova nos recursos de jogabilidade do portátil
  • Visual artístico e personagens bem carismáticos
  • Colecionáveis e side-quests adicionam boa longevidade
  • Trilha sonora incrível
CONTRAS
  • Aventura termina rápido demais (cerca de 7 horas)