XTD é a atualização do mouse Kone, da Roccat. A empresa manteve o design, mas incluiu diversas modificações para atualizar e agregar mais funções ao periférico. Seus grandes destaques são o sensor Laser Pro-Aim R3 de 8200dpi, a "rodinha do scroll" de alta precisão e resistência Titan Whell, o ágil processador e memória interna, para criação de um grande número de perfis e configurações, e rápida alternância entre eles.




Design e ergonomia

Apesar de bem inclinado para a direita em seu formato, parecendo até um mouse para canhotos à primeira vista, o Kone XTD é um mouse pra destros, o que fica evidente pelos dois botões na lateral esquerda, feitos para serem clicados com o polegar.

Além desses botões laterais, o Kone XTD conta com dois botões de ajuste de DPI abaixo e um botão acima do scroll, que também é clicável afundando-o ou puxando-o para as laterais. Somados botões esquerdo e direito do mouse, temos um total de 10 botões, a maior parte deles bem localizados e facilmente acessíveis. 

O destaque deste mouse é o seu scroll, Titan Whell. Este componente está entre os mais precisos que já testamos, sendo que aciona comandos com o deslocamento desta peça para as laterais, além do tradicional click. Feito com "os melhores materiais disponíveis", segundo a Roccat, esta peça promete alta durabilidade.

 

Roccat Kone XT

No visual, o Kone XTD é bastante discreto, com uma sacada interessante: ele é bastante sóbrio em suas linhas e na cor preta e cinza de seus acabamentos. O que "dá vida" a este modelo são seus quatro LEDs nas laterais, capazes de exibir diversas cores e padrões de mudança. Graças a isso, ele pode ir desde um chamativo arco-íris até uma combinação mais neutra com apenas uma cor ou duas, agradando a todos os públicos, e fazendo ser fácil combinar o periférico com o resto de seu "set gamer". 

Tecnologias 

O Kone XTD é um mouse cheio de recursos, entre os mais completos que já analisamos. Além dos ajustes indispensáveis de seus aspectos, como DPI,  ele vem equipado com capacidades interessantes para os gamers de plantão. 

Uma delas é a tecnologia EasyShift[+], que duplica as possibilidades de uso dos botões do mouse, fazendo novas ações através da combinação do botão da lateral traseiro e outro botão, em um processo parecido com o que usuário de notebooks estão acostumados com a famosa tecla "function". Assim, é possível atribuir ao clique "botão EasyShift[+] + botão esquerdo do mouse" a ação "voltar no navegador", por exemplo.

Este mouse é compatível com o software Roccat Talk que, apesar do nome, não é nada relacionado a voz. Esta tecnologia une os diversos periféricos da empresa, possibilitando ajustes em conjunto, semelhante ao que acontece com o Razer Synapse, por exemplo. Como só estamos com um periférico da empresa, no momento, não pudemos testar de forma mais completa esta função. 

Outro recurso do mouse é a resposta sonora a modificações das configurações. Esta, confesso, me pegou de surpresa durante uma partida. Quando algumas coisas são alteradas, como DPIs ou o profile em uso, uma voz (bastante forte) alerta o jogador sobre qual o novo "status" do mouse. Para mim, que jogava um game no estilo stealth, foi um susto e tanto. Infelizmente, só há uma opção de voz para estes avisos, mas caso você não goste dela, não há problema. É só desabilitar o recurso através do software de configuração.


Tecnologia EasyShift[+]

O mouse também não decepciona no hardware, sendo equipado com o sensor Laser Pro-Aim R3 de 8200dpi, que em momento algum "nos deixou na mão" durante os testes. O processador é um ARM de 72MHz Turbo Core V2 32-bit e a memória onboard é de 576kB, mais que o suficiente para armazenar uma grande variedade de perfis, macros e configurações. Esta combinação de peças se mostrou ágil na mudança de perfis e configurações através dos botões de atalho, mas quando fazemos alterações maiores, através do software de configuração, há momentos com longos lags após aplicar as mudanças. Felizmente, este atraso não acontece durante as partidas, e trocar o DPI ou perfis no jogo através dos botões de atalho, por exemplo, acontece de forma instantânea.

Customização e Macros

As configurações do Kone XTD são feitas através do software Kone XTD Mouse Settings, que agrupa os ajustes de funcionamento do mouse, tanto práticos quanto os estéticos. O software não está disponível no kit do produto, e precisa ser baixado do site oficial.

Nesta interface é possível alterar praticamente todas as características do mouse, como Polling Rate, DPI (o que também pode ser feito através de botões de atalho do mouse), velocidade do scroll e sensibilidade do mouse, por exemplo. As cores das laterais, e o padrão que elas alternarão, também são definidas por aqui, e diferentes perfis podem trazer diferentes aparências, o que ajuda na hora de saber que configuração você está usando.

A criação de Macros não é um processo muito intuitivo, sendo composto por diversos passos de criação do "macro set", gravação das teclas, ajustes de tempos e de loop e, por fim, atribuição do Macro a um botão do mouse. A Roccat ficou devendo um mecanismo de criação de macros "on the fly", na qual é possível criar uma nova configuração e atribuir funções a um botão sem necessitar da interface deste software.

Especificações técnicas

Sensor: Laser Pro-Aim R3 de 8200dpi
Polling rate: 1000Hz
Tempo de resposta: 1ms
12000fps, 10.8 megapixels
Aceleração: 30G, 3.8 m/s
10 botões
72MHz Turbo Core V2 32-bit Arm based MCU

Memória 576kB onboard
Alcance: 1-5 mm de altura
Cabo de 1.8 metros
Medidas: 13.5 x 7.8 x 4 cm
Peso: 123 g (sem os pesos adicionais)

Conclusão

O Kone XTD da Roccat está entre os melhores mouses que já testamos, com um hardware ágil, ótima ergonomia e muita qualidade nos acabamentos e nos materiais. Seus recursos e tecnologias adicionais colocam ele em igualdade com os melhores periféricos do mercado.

É preciso uma boa busca para encontrá-lo à venda no país, e ele tem sido comercializado por valores na casa dos 400 e 500 reais, dentro do cobrado pelos melhores e mais caros periféricos disponíveis (se tirarmos exceções malucas como o Razer Ouroboros). No exterior o mesmo acontece, com custo na casa dos US$89,00.

É um valor caro para se pagar por um mouse, sendo que podemos encontrar bons periféricos na casa dos R$150-200,00, então não podemos indicá-lo como um produto com bom "custo x benefício", se encaixando mais no perfil de quem busca alta qualidade, independente do preço que precisará pagar.


PRÓS
  • Boa precisão
  • Ótimo acabamento
  • Bastante customizável (especialmente os LEDs)
  • Peso adaptável
  • Easyshift[+] duplica as possibilidades de uso dos botões
CONTRAS
  • Salvar alterações no programa causam um estranho lag
  • Criação de Macros não é intuitivo, nem há como fazê-los "on the fly"
  • Caro