A Kaspersky traz para este ano sua nova suíte de segurança, o Kaspersky Internet Security 2012, com uma novidade: a proteção híbrida, inédita até então nos softwares da empresa. Ela combina os recursos instalados no PC com o poder da nuvem para oferecer um nível maior de proteção e resposta mais rápida a ameaças recentes.



Com o selo de certificação do AV-Test.org, instituto independente de pesquisa e comparação entre softwares de segurança, o KIS 2012 conseguiu nota máxima em proteção, detectando 100% das ameaças recentes e já conhecidas. A suíte também recebeu o selo ADVANCED+ do AV-Comparatives.org e, não só isso, a Kaspersky é detentora do título “produto do ano” de 2011.

Agora, é o momento de ver se tudo isso realmente faz diferença no dia-a-dia. A seguir, você confere as principais novidades da nova versão e nossas impressões sobre o software.

 

Requisitos do sistema e principais características

Processador: 800MHz ou superior
Memória RAM: 512MB
Espaço em disco disponível: 480MB
Microsoft Internet Explorer 6 ou superior
Microsoft Windows Installer 2.0
Conexão com a Internet para ativação do produto



Principais características

•    Combina nossa proteção antivírus essencial com defesa premium contra ameaças da Internet
•    Evita ataques com firewall bidirecional
•    Protege sua identidade ao trabalhar em banco online e fazer compras online
•    Verifica imediatamente a segurança de arquivos, aplicativos e sites
•    Reverte a maioria das atividades perigosas de malware
•    Mantém seus filhos seguros e agindo com responsabilidade com o controle avançado para pais

 

Instalação e interface

Antes de começar a instalação do Kaspersky Internet Security 2012 é necessário, como em qualquer outro software do tipo, desinstalar outras suítes de segurança ou antivírus instalados no PC. Nos nossos testes, mesmo após remover tudo, o KIS detectou alguma coisa, embora não mostrasse, na janela que deveria indicar, quais os softwares são incompatíveis. De qualquer forma, o instalador se propôs a remover o que sobrou, e o fez rapidamente e sem percalços.


A instalação é intuitiva, mas não oferece nenhuma opção interessante para quem escolhe o modo personalizado. Só dá para alterar o local de instalação, e nada mais. Nenhuma configuração de segurança pode ser feita nesse momento.


No final do processo, que leva cerca de cinco minutos, o software já está pronto para ser utilizado: basta inserir o número do registro, ou optar pela versão de avaliação por 30 dias. A partir daí, o KIS 2012 vai ficar sempre ali na sua barra de tarefas.


A interface do software melhorou bastante em relação à versão 2011, que já analisamos aqui no Adrenaline. Sempre foi um dos pontos fortes nos softwares da Kaseprsky e conseguiu ficar ainda melhor. A janela principal mantém o mesmo esquema de cores tradicional da companhia, em tons de verde e cinza, mas ficou mais compacta e intuitiva.

Antes os botões estavam dispostos na vertical, agora para acesso às principais ferramentas estão na horizontal. O espaço padrão da janela permite a exibição de apenas quatro opções, mas as setas nas laterais permitem ao usuário rolar pelas outras funcionalidades. O interessante é que elas estão dispostas em uma ordem de prioridade, especialmente para o usuário mais leigo: logo de cara ele vai encontrar os recursos de verificação de ameaças, atualização do software, controle dos pais e ferramentas.


Já o segundo rol de funções traz a execução segura de aplicativos, o monitor de atividades e o de rede, e o teclado virtual. Por fim, surgem a execução segura de sites (que merecia um lugar de maior destaque e mais acessível ao usuário comum) e a quarentena. Para quem não gostar da ideia de ficar “rolando” entre as opções, basta clicar na setinha superior para esticar o menu, exibindo, assim, todas as possibilidades.


O maior espaço da janela fica ocupado com as estatísticas de proteção do computador. Uma área tão grande poderia ter sido melhor utilizada, já que acaba delegando algumas funções primordiais da suíte a segundo plano, no menu inferior. Mas serve como uma boa forma de chamar a atenção: caso encontre algum problema, o software avisa. E é só clicar nessa grande área para ler mais detalhes.


De modo geral, o visual do programa está elegante e intuitivo: é preciso poucos cliques para chegar onde é preciso, e as funções estão bem explicadas na própria interface, o que facilita demais o uso para os iniciantes. As transições entre as telas são suaves e com efeitos discretos que tornam a experiência de usar um software de segurança bastante agradável.

Assim como na versão anterior, o KIS 2012 oferece um widget para usar na área de trabalho do Windows. E ele também ficou mais bonitinho. Ao invés de um globo verde, agora o widget coloca um computadorzinho no desktop. Basta clicar na tela dele para abrir a interface principal do KIS. Outros botões menores acionam funções rápidas, mas não menos importantes: atualização, gerenciador de tarefas do KIS, relatórios e execução segura de aplicativos. Apesar de funcional, a sua utilidade é questionável, já que essas funções são facilmente acessíveis pelo painel principal do KIS.

 

Antivírus e capacidade de detecção

Uma suíte de segurança precisa, imprescindivelmente, de um bom antivírus. E nisso, o software da Kaspersky tira de letra. O Kaspersky Anti-Virus 2012 foi o produto do ano na escolha do AV Comparatives. O Kaspersky Internet Security 2012 ainda foi um dos produtos que acumularam as notas mais altas nas três categorias do AV-Test: proteção, reparo e usabilidade, em testes realizados em janeiro e fevereiro de 2012.

A nova versão deixou as coisas ainda mais fáceis. Para executar uma verificação sob demanda, basta selecionar “varredura” na tela principal do software. A partir daí, são quatro opções: verificação completa, que procura por ameaças em todos os cantos do PC; a verificação de áreas críticas, que faz uma busca mais rápida, apenas em pontos mais estratégicos; e a verificação de vulnerabilidades, que vamos detalhar em outra seção. Por fim, a janela tem um espaço reservado para a verificação de arquivos individualmente.


A varredura sob demanda completa ocorre em segundo plano e, se você fechar a janela, o software vai continuar trabalhando, mas o desempenho é tão bom que você provavelmente vai esquecer. Dá para usar outros programas tranquilamente, inclusive fazer algumas edições no Photoshop. Eventualmente, pode ocorrer uma demora um pouco maior que o normal na hora de salvar os arquivos, mas nada que comprometa de fato qualquer atividade.

Felizmente, o antivírus sempre tenta reparar um arquivo infectado automaticamente, mas, quando não consegue, solicita uma ação do usuário. Antes de tomar qualquer decisão, você pode, a partir do próprio KIS, abrir a pasta na qual o arquivo infectado se encontra e até obter mais informações sobre o código malicioso no site da empresa. Infelizmente, nem sempre todas as ameaças estão descritas lá.


Depois, é só mandar “reparar” que o KIS vai exibir, no canto inferior direito da tela, algumas opções: desinfectar (eventualmente desativada), excluir e ignorar. Só faltou uma opção de mandar para a quarentena.


Outra novidade muito legal é o espaço no qual você pode arrastar e soltar um único arquivo para verificar se ele representa algum risco. A varredura é ultra rápida e, no final, o KIS 2012 avisa se o arquivo em questão é seguro ou não. O recurso é tão útil, intuitivo e rápido que, imagino, ficaria excelente se fosse acessível rapidamente pelo gadget da área de trabalho.

A versão 2012 do antivírus da Kaspersky conseguiu ótimos resultados nos testes de verificação sob demanda do AV-Comparatives, nada menos que 98,3%, somando as médias das categorias worms, backdoors/bots, trojans e outros. Assim, mais uma vez a companhia consegue certificação ADVANCED+.

Na avaliação realizada em fevereiro de 2012 pelo AV-Test.org, o KIS 2012 mostrou um grande avanço em relação à versão 2011. Tanto em janeiro quanto em fevereiro, ele detectou 100% das ameaças dia-zero e também daquelas já conhecidas. Enquanto a versão 2011 conseguiu encontrar entre 96% e 99% das ameaças recentes (descobertas em um período de, no máximo, três meses), a versão 2012 aumentou um pouco a média, ficando em 99%, pouco acima da média da indústria (97%).


O que realmente melhorou muito foi a reparação. A versão 2011 ficou abaixo da média da indústria, conseguindo remover todos os componentes de um código malicioso em apenas 70% dos casos. Agora, o KIS 2012 conseguiu a surpreendente média de 100%, o que inclui rootkits e malwares do tipo “stealth”. A recuperação do sistema após danos causados por softwares maliciosos também melhorou, saltando de 60% para 90%, enquanto a média da indústria é de apenas 54%. Esses resultados garantiram a nota máxima (6) para o KIS 2012 na categoria proteção e 5.5 em reparo.

A usabilidade é que pecou um pouco. Embora o desempenho do antivírus seja muito bom, ele ainda provoca alguma lentidão nas outras atividades no PC, embora muito pouco. O AV-Test.org calculou uma média de 11 segundos de atraso, um segundo a mais da média geral dos outros produtos, o que rendeu uma nota 5. Pelo menos, durante as avaliações o KIS simplesmente não detectou nenhum falso positivo, algo importantíssimo para a relação de confiança com um software desse tipo.

 

Busca por vulnerabilidades e execução segura

Um recurso muito útil e extremamente bem-vindo é a verificação de vulnerabilidades, que ficou bem mais fácil de encontrar e mais intuitiva na nova versão. Ela funciona da mesma maneira que a varredura antivírus sob demanda, mas, ao invés de procurar por malwares, busca configurações do sistema e aplicativos desatualizados que representam riscos para a segurança do PC.

No final da verificação, o KIS 2012 exibe todos os problemas encontrados. Você pode clicar em “detalhes” para ir até a página de suporte da Kaspersky e encontrar mais informações sobre o problema. Outra opção, é claro, é reparar o que foi encontrado. No caso de configurações do sistema, um dos casos é a execução automática de mídias removíveis, que o software recomenda alterar.


Outra aba mostra informações ainda mais importantes: as vulnerabilidades encontradas em aplicativos. Essa função é excelente por permitir ao usuário gerenciar facilmente todas as atualizações de software, já que nem sempre é fácil saber qual programa precisa de correções. O KIS 2012 não permite, no entanto, reparar o problema a partir da sua própria interface. Pelo contrário, é preciso buscar a solução junto à empresa desenvolvedora. Felizmente, clicando em “detalhes”, a página de suporte comumente oferece um link diretamente para onde se encontra o patch de correção apropriado.


O KIS 2012 ainda inclui uma funcionalidade já existente na versão passada, mas não menos importante: a execução segura de sites e de aplicativos. Ao ativá-la, pela interface principal, a suíte cria um ambiente protegido, uma espécie de camada protetora isolada do sistema operacional. Assim, se você tem dúvidas sobre um determinado arquivo que pode ser perigoso, mas, mesmo assim, deseja executá-lo, pode fazer isso sem medo de prejudicar seu sistema.


Para facilitar as coisas, dá até para criar um atalho para o recurso na área de trabalho. Além disso, é possível criar uma pasta compartilhada, com arquivos que permanecerão acessíveis mesmo após sair da execução segura. O recurso, mesmo quando ativado, não afeta significativamente a performance do computador. Inclusive, você pode mantê-lo em “stand-by”, alternando entre o modo normal e o seguro quando for conveniente.

A execução segura de sites funciona de maneira parecida. Está vendo a borda verde em torno da janela? Ela que indica que você está em um ambiente protegido. O ideal para visitar aqueles sites suspeitos – é sempre bom evitar, mas, se você PRECISA de qualquer forma entrar em uma página não muito confiável, não pense duas vezes para optar pela execução segura.


O recurso é compatível com vários navegadores e, nas suas configurações, você pode escolher qual deles será utilizado. Também é possível configurar o KIS 2012 para apagar (ou não) automaticamente os dados de navegação. Por fim, assim como na execução segura de aplicativos, também é possível criar uma pasta compartilhada. No entanto, ambas são compatíveis apenas com sistemas 32-bit.

 

Controle dos pais e outras funções

O KIS 2012 herda outra ferramenta da versão 2010: o controle dos pais, essencial em qualquer boa suíte de segurança. Uma novidade é a possibilidade de escolher quando o software vai solicitar a senha de administrador: seja quando for gerenciar as opções, na hora de sair do aplicativo e/ou para removê-lo. Para segurança máxima, o ideal é marcar tudo.

No mais, o recurso não mudou praticamente nada. Até a interface continua a mesma. Uma vantagem para quem já está familiarizado com o recurso, mas fica a impressão de que algo a mais poderia ser adicionado – como a possibilidade de acessar os relatórios de atividade online, assim como no Norton 360.


A utilização do controle dos pais, então, continua idêntica à do KIS 2011. Para começar, é preciso adicionar vários perfis de uso – que devem coincidir com a conta de cada usuário utilizada para entrar no Windows – e, então, setar as configurações individualmente. E elas incluem os dias em que o computador e a Internet podem ser utilizados, os aplicativos que podem ser abertos e que tipos de sites podem ser acessados, por exemplo.


Uma opção importantíssima é a de inserir dados particulares, que serão imediatamente bloqueados assim que alguém tentar compartilhá-los. O mesmo vale para o uso de certas palavras. Todas as ações ficam registradas em um relatório completo na própria interface do KIS.


Para ajudar na manutenção do sistema, o KIS 2012 também traz algumas ferramentas, também herdadas do KIS 2011. Uma delas é a criação de um disco de recuperação, que cria um CD, DVD ou flash drive inicializável com uma série de ferramentas para recuperar o PC naqueles casos escabrosos em que ele nem inicia mais.


Sua máquina não está tão danificada assim? Então pode tentar a “solução de problemas do Microsoft Windows” antes que a coisa fique feia. Com ele, o KIS procura por danos causados por malware, bem como vulnerabilidades no sistema e utilitários que não estejam funcionando direito. Eventualmente, os resultados podem ser os mesmíssimos encontrados na seção “verificação de vulnerabilidades”, aliás.


Por fim, o KIS 2012 ainda faz a limpeza dos dados particulares armazenados após a navegação web e o uso do PC, ou seja, cookies, logs, caches e históricos de atividade. E, ainda, faz um diagnóstico das configurações do Internet Explorer e sugere algumas alterações para aprimorar a segurança do browser. Uma pena que o software não faça isso também em outros navegadores.

 

Conclusão

Os softwares de segurança da Kaspersky sempre agradam pela leveza, usabilidade e altas taxas de detecção e reparação. E, agora, o KIS 2012 conseguiu realmente superar seu antecessor, valendo a pena o update. A combinação com a defesa na nuvem aprimorou bastante a capacidade da suíte em encontrar novas ameaças e atualizar rapidamente seu banco de dados e fez com que o KIS 2012 obtivesse algumas das taxas de detecção mais altas do mercado.

Não só isso, ele também satisfaz na hora de reparar os danos causados por malware no PC. E, felizmente, possui uma varredura antivírus bem intuitiva e que não faz tudo sozinha, evitando a exclusão de arquivos que o usuário deseja manter. Uma pena que a quarentena parece um pouco inútil aqui: na hora da verificação, o software simplesmente não exibe uma opção para enviar o arquivo suspeito para lá: só dá para removê-lo ou ignorá-lo.


Fora a proteção híbrida e a interface repaginada, o KIS 2012 não traz nenhuma grande novidade. O controle dos pais continua essencialmente o mesmo, assim como a execução segura de sites e aplicativos. Pelo menos, o novo visual deixou o software bem mais intuitivo e agradável de usar, melhorando bastante o que já era bom. A verificação de vulnerabilidades ficou mais fácil de achar, junto da varredura antivírus, e até o gadget da área de trabalho ficou mais bonito.

Por R$149,95 em uma licença para três PCs durante um ano – o mesmo preço da versão 2011 – o Kaspersky Internet Security é uma excelente escolha tanto para usuários leigos quanto avançados.  Com todas as funções essenciais de um software de segurança completo: antivírus, firewall, antispam, proteção de identidade e controle dos pais, ele ainda traz muitas outras ferramentas para aprimorar sua segurança, tudo isso sem afetar drasticamente o desempenho do computador.


AVALIAÇÃO:

Desempenho

9.0

Interface

9.5

Segurança

9.5

Extras

10.0

Preço

8.0


Nota final

PRÓS
  • Interface melhorada e mais intuitiva
  • Ótimo desempenho
  • Com a proteção híbrida, aumentaram as taxas de detecção
  • Solicita a ação do usuário antes de apagar qualquer arquivo suspeito
CONTRAS
  • A quarentena é um pouco subutilizada
  • O controle dos pais é ótimo, mas faltaram novidades
  • A execução segura continua compatível apenas com sistemas 32-bit