Games

O golpe do Playstation 3

12/03/2012 20:00 | | @twitter







João Paulo Losada

Game by Gamer

Uma prática que vem acontecendo desde meados de 2010 ainda acontece sem que nada seja feito. Trata-se de um "golpe" de várias empresas ditas importadoras, na venda do PS3.

Em 2010 a Folha fez uma reportagem para o UOL e um vídeo explicando bem o problema, inclusive afirmando ser fraude, ou seja, crime contra o Código de Defesa do Consumidor, além de crime de sonegação de impostos e falsificação de CNPJ, o que dá cadeia.

Mas... Estamos no Brasil. Enfim.

Bom, resolvi pesquisar a fundo sobre isso e ouvir todas as partes porque esse "golpe" aconteceu comigo e com mais um amigo meu.

Um Playstation 3 foi adquirido no Shoptime com desconto de R$ 400,00, vinculados através da TV, onde informava garantia de 1 ano, o que fica implícito ser Sony do Brasil. A atendente no telefone também informava o mesmo. Até aqui, tudo normal.

Antes de fazer o pedido pelo telefone, o site foi verificado e encontrado o Playstation 3 com mesmo valor, modelo idêntico, e dizendo ser a Sony do Brasil como fornecedor. Além disso, no anúncio dizia ter 1 ano de garantia.

O produto chegou e tudo estava dentro da normalidade. A Caixa é de fato da Sony do Brasil, totalmente em português do Brasil, inclusive com carimbo impresso dizendo ser importado, distribuído e garantido por Sony DADC Brasil, com endereço de São Paulo na Barra funda.


O modelo impresso na caixa dizia ser CECH 2511A com região 4, normal para os padrões brasileiros, que permite ler qualquer DVD fabricado no Brasil.


 

A descoberta

Depois de 20 dias, pesquisando na Internet descobri que havia uma fraude do Playstation 3. Resolvi, apenas para tirar a dúvida que ficou na minha cabeça, ligar para a Sony e perguntar sobre a garantia do aparelho.

Informei o modelo (CECH-2511A) e como era a caixa. A atendente disse que sim, era a versão nacional. Mas para ter plena certeza, ela pediu o número serial do aparelho. Foi difícil achar porque ele não estava onde me foi informado. Consegui achar e passei o número para a menina, que na mesma hora disse que esse aparelho não é da Sony Brasil.

Ela questionou a caixa, pedindo informações sobre ela, após verificar que a caixa seria de fato da Sony Brasil, ela entrou em contato com um setor mais avançado e informou, pasmem, que esse modelo do Playstation que veio nessa caixa não é nem o CECH2511A, mas sim o CECH 3001A e que nem era para esse aparelho estar no Brasil. Ele é designado para outro país.

Após 1 hora de conversa e esclarecimentos, a Sony informou que é fraude o uso da caixa nacional em um produto importado. Informou ainda que caracteriza produto falsificado, que mesmo que seja um Playstation 3 original da Sony, ele não teria autorização legal para estar no Brasil, e muito menos dentro de uma caixa nacional.

Além disso, a Sony chegou à conclusão que até o manual é falsificado. Foi "copiado" e impresso pela "importadora" que, inclusive, adicionou mais quatro folhas no final com nome dela e termos de garantia dizendo ter três meses no aparelho e um mês nos acessórios. A Sony na mesma hora informou que não autoriza a reprodução nem a modificação do manual, pedindo inclusive o nome da Importadora para tomar providencias.


Para piorar alguns DVD's meus não leram no aparelho e deram erro de região. Já outros funcionaram normalmente.

 

O outro lado



Com a palavra da Sony em mãos, liguei para o Shoptime e informei tudo isso. O atendente disse que devia ser algum engano porque o Playstation 3 tem sim 1 ano de garantia, garantidos pela Sony do Brasil. Me pediu 5 dias para resolver o problema.

Ninguém entrou em contato comigo após os 5 dias. Reclamei de novo com o Shoptime, acreditando ser uma empresa idônea, e novamente me foi informado que teria 1 ano de garantia sim, mas que seria registrada outra reclamação porque eu exigia o produto nacional e não o importado. Queria o que me foi vendido, produto Sony Brasil com garantia de 1 ano.

No mesmo dia recebi um e-mail do Shoptime informando que o que comprei foi o que eu recebi. Óbvio que não foi. Respondi ao e-mail e até hoje não responderam de volta. Isso foi no dia 28 de Fevereiro.

No dia seguinte liguei de novo e dessa vez, depois de me identificar dizendo o que eu fazia e que ainda estaria escrevendo um artigo sobre essa fraude toda, me transferiram para outro setor. Fui atendido com mais delicadeza e mais transparência.

A atendente me informou que iriam investigar novamente o que estava acontecendo porque a distribuidora não retornou o contato deles. E que se fosse preciso, me devolveriam o que foi gasto ou trocaria por outro produto no mesmo valor. Informou ainda que todos os produtos que vendem lá, leia-se Playstation 3, são importados. Mostrei alguns anúncios do site deles onde dizia ser Sony do Brasil com garantia de 1 ano. Ela então disse que entraria em contato com o setor de vendas para confirmar isso e que se caso seja o nacional, me mandaria um vale compras no valor gasto pra "comprar" o nacional, e o mais absurdo, eu teria que pagar a diferença de R$ 400,00. Isso no dia 29 de Fevereiro. Até hoje não retornaram.  Totalmente fora de questão.

Apenas para confirmar o que eu já sabia, liguei para uma entidade civil de advogados sem fins lucrativos da qual sou filiado, chamada Proteste (http://www.proteste.org.br), e me informaram que o Shoptime estaria fazendo propaganda enganosa, que eles são obrigados a me enviar o produto que comprei, e não um similar, no caso o importado.

Nesse dia finalmente consegui falar com a distribuidora desse Playstation 3, a SAF Genesis através do 0800. Vale lembrar que fiquei mais de duas semanas ligando e só dava ocupado.

A atendente disse que o produto "deles" são todos importados e que a caixa já vem assim toda em português de fora do Brasil. Na mesma hora eu informei que a Sony disse que seria fraude e falsificação. Prontamente a atendente me disse que iria investigar com outra empresa que importa o produto.


Falei do manual onde ele foi alterado e re-impresso com o logotipo da SAF. Informei que a Sony não autoriza esse tipo de coisa, que caracteriza crime de violação de direitos autorais. Novamente a atendente disse que já vem tudo assim de fora do Brasil, e em seguida desligou o telefone.

 

Conclusão... Que conclusao?!?



É bom que se diga que isso acontece com todas as lojas virtuais e físicas. Se você comprou um Playstation 3 recentemente achando ser a versão nacional e que ainda está dentro da garantia de 1 ano, entre em contato com a Sony e peça informações sobre o aparelho. Na mesma hora a atendente informa se é de fato o nacional. Se for, sorte sua, você não foi enganado. Mas se não for, tome suas providências, ligue para onde você comprou e exija o produto nacional. Não importa o tempo de uso, se o consumidor descobrir que foi enganado dentro do prazo da garantia, ele pode exigir a troca pelo produto original comprado. A lei dos 7 dias não vale nesse caso, ou seja, pode pedir a troca com 1 semana, 1 mês, 6 meses, etc.

É importante informar que o Playstation 3 Slim 160Gigas, nacional com garantia de 1 ano é tabelado em R$1.399,00. Já a versão importada custa entre R$750,00 e R$1.000,00.

Até agora estou aguardando um posicionamento oficial e final do Shoptime. Esta semana entrarei em contato novamente com eles. Pelo visto essa história está longe de acabar.

Existe um lado pior ainda: caso seu produto importado apresente algum defeito, você deverá enviar o Playstation 3 para a distribuidora em São Paulo, pagando todos os custos, o que pode chegar a ser mais caro do que mandar consertar em uma assistência qualquer.
No caso do produto nacional, não importa onde você more, a Sony é que vai até a sua casa, através dos correios, retirar o produto. O consumidor não gasta absolutamente nada.

Prova de que a caixa é adulterada, com etiqueta de outro produto por cima do que está impresso:


Como disse no início do artigo, enfim, estamos no Brasil.

Twitter: @adrenaline

João Paulo Losada
djlosada
Colaborador: Redator e Colunista

Gamer por natureza, João Paulo Losada, ou simplesmente djlosada como é conhecido por toda a comunidade gamer, é um grande conhecedor de games em geral. Na Adrenaline, djlosada desenvolve artigos sobre tendências, analisa novos lançamentos e comenta sobre os sucessos e decepções relacionadas aos games que chegam ao mercado. Claro que ainda sobra um tempinho para frequentar o fórum, interagir com os leitores e escrever colunas mensais.