A ESET lançou a versão 5 de seus softwares de segurança, incluindo o antivírus NOD32, que analisamos aqui no Adrenaline em sua versão 4. Agora, recebemos a mais nova suíte completa, o ESET Smart Security 5, que adiciona várias funcionalidades interessantes à já tradicional proteção antivírus.

Os novos softwares chegam em um momento positivo para a ESET, que foi eleita a empresa com maior crescimento mundial no segmento da segurança da informação para o usuário final durante 2010, segundo dados do Market Share: Software de Segurança, Mundial 2010 do Gartner. No período, a companhia cresceu 51,10%, quase quatro vezes a média da indústria.



Só na América Latina, a ESET cresceu 47% no mesmo ano. No primeiro trimestre de 2011, a empresa atingiu o crescimento de 55% no mercado latino-americano, em comparação ao mesmo período do ano passado.

O Smart Security 5 promete, além de combater malwares e proteger o computador através de um firewall, mínimo impacto no desempenho do sistema, pesquisa com tecnologia baseada na nuvem, nova interface gráfica e controle dos pais. Nas próximas páginas, você confere nossas impressões sobre mais uma solução completa de defesa do sistema.

 

Requisitos do sistema e principais características

O ESET Smart Security exige, em PCs com Windows XP:
Processador: 400MHz ou superior
Memória RAM: 128MB
Espaço livre em disco: 320MB

Para máquinas baseadas em Windows Vista, 7 ou Server, os requisitos mínimos são:
Processador: 1GHz
Memória RAM: 512MB
Espaço livre em disco: 320MB

Entre os principais recursos, estão:

  • Melhor controle de mídias: bloqueia as ameaças que tentam invadir o sistema através de mídias externas, informando automaticamente o usuário que devem pesquisar o conteúdo de todas as unidades flash USB, as unidades de CD e as de DVD. Permite bloquear mídias específicas com base em uma classificação de parâmetros, como o número de identificação do dispositivo, o tipo de mídia e o número de série.       
  • Pesquisa com tecnologia baseada em nuvem: o laboratório de malware da ESET mantêm os serviços da empresa atualizados graças à transmissão na nuvem por sequência em tempo real da informação relacionada às ameaças.
  • Modo de Jogador: durante as aplicações em tela cheia, o ESET Smart Security entra automaticamente em modo silencioso, o que representa economia aos recursos do sistema. Além disso, o usuário pode aproveitar os jogos ou concentrar-se nas tarefas do trabalho sem se distrair com mensagens.
  • Interface gráfica melhorada: Conforme a ESET, o software recebeu várias modificações de design e de usabilidade para melhorar a experiência do usuário.
  • Controle dos pais: O controle dos pais  permite bloquear sites que possam conter material potencialmente ofensivo. Os pais podem ainda proibir o acesso a mais de 20 categorias pré-definidas de sites.        
  • Antispam melhorado: O módulo antispam, que está integrado no ESET Smart Security, passou por um processo de otimização para obter um nível de precisão em detecção ainda maior.
  • Firewall inteligente: O ESET Smart Security 5 ajuda a controlar o tráfego da rede e a prevenir que os usuários não autorizados acessem o equipamento de forma remota.

 

Instalação e interface

A instalação do ESET Smart Security deve ser feita, como de costume, após remover outros softwares de segurança do computador e reiniciar o sistema. A ESET oferece duas opções de instalação: a típica e a personalizada que, felizmente, oferece muitas opções para usuários avançados. Antes de iniciar o processo, porém, o instalador checa a disponibilidade de uma versão mais recente. Em caso positivo, você pode fazer o download para depois o software continuar com o procedimento.



Quem optar pela instalação personalizada poderá decidir não só o diretório de instalação, como também alterar configurações de proxy, decidir parâmetros de atualização e definir uma senha para proteger as configurações do software. As duas últimas opções, a de ativar ou não o ESET Live Grid e a detecção de softwares potencialmente indesejados são as únicas alternativas apresentadas ao usuário na instalação típica.



O processo é tranquilo, mas sofremos com um travamento no meio do procedimento de reinstalação após desinstalá-lo. Foi preciso reiniciar o computador e, então, o software apareceu já instalado, mas corrompido, pedindo para ser reinstalado. Em outras tentativas, em outras máquinas, tudo funcionou bem, embora o procedimento seja um pouco demorado, levando entre cinco e dez minutos.



A interface é espetacular. O pessoal da ESET conseguiu reunir todos os recursos de uma suíte de segurança complexa em um software com visual limpo e intuitivo, que não exige muitos cliques para que o usuário consiga chegar aonde quer. As funcionalidades mais básicas, inclusive, podem ser acessadas com o simples clique no ícone do Smart Security na barra de tarefas.



Esse mesmo menu pode ser acessado na interface principal da suíte, basta clicar no ícone verde no canto superior direito. Ali, o menu também exibe algumas das tarefas mais utilizadas, um recurso inteligente que poupa o tempo do usuário.



O visual lembra o do ESET NOD32, o antivírus que analisamos aqui no Adrenaline na versão 4. De fato, a navegação não muda muito, mas as cores estão mais claras e o design mais minimalista, com o predomínio da cor branca. São poucos os botões, e priorizam as ações mais importantes e familiares aos leigos (especialmente o rastreamento e as atualizações), o que dificilmente gerará confusão no uso cotidiano.



Logo na tela inicial, é possível ativar e desativar a proteção residente, executar o rastreamento por ameaças e, inclusive, ativar o controle dos pais, sem que o usuário precise “fuçar” em nenhuma ferramenta avançada. A ausência de menus complexos de configuração para executar as atividades é um ponto positivo, facilitando demais o trabalho para quem não está muito habituado a softwares de segurança, ou, simplesmente, quer ver a coisa funcionar.

 

Antivírus e capacidade de detecção

Como não poderia deixar de ser, o Smart Security 5 traz o básico de qualquer software para proteger o PC: um antivírus. Existem duas opções de escaneamento: o rastreamento inteligente, que procura por ameaças em todos os cantos dos discos e limpa automaticamente o que for encontrado, e o personalizado, que pode ser configurado de acordo com as preferências do usuário.



Particularmente, prefiro sempre a opção personalizada. Isso porque é possível alterar qual a atitude do antivírus em relação aos arquivos suspeitos encontrados. Não gosto da limpeza automática, prefiro que o software solicite a minha ação para eu poder analisar melhor o que está acontecendo e até mesmo, se for preciso, enviar o arquivo supostamente nocivo para análise em outros serviços, como o VirusTotal.

Para mudar a configuração padrão, basta optar pelo rastreamento personalizado. Ali, você pode selecionar quais discos e pastas deseja investigar, bem como escolher um entre três perfis de rastreio. Infelizmente, não é possível criar novos perfis, apenas customizar os já existentes. As opções são bastante detalhadas e, caso o usuário não entenda muito do assunto, é melhor nem se aprofundar muito. Mas, para quem gosta de ter absoluto controle sobre o que um software de segurança faz no PC, as configurações são um prato cheio!



O processo, porém, é bem demorado. A vantagem é que dá para mandar a suíte ficar quietinha lá na barra de tarefas fazendo o rastreamento enquanto você executa outras atividades. E, nesse caso, a suíte da ESET dá um banho: o desempenho do PC praticamente não é afetado, de modo que você vai até mesmo esquecer que o antivírus está procurando por ameaças no PC. Pode navegar na web tranquilamente, digitar seus documentos e até fazer edições básicas e medianas no Photoshop que você não vai se incomodar.



O software se mantém de prontidão e logo bloqueia o acesso a determinado arquivo se ele for considerado malicioso. Assim, ele exibe uma pequena janela no canto inferior direito da tela avisando o nome da ameaça, o arquivo infectado e a ação executada – felizmente, por padrão, ele manda o que encontrou para a quarentena ao invés de deletá-lo imediatamente. Isso permite ao usuário verificar uma lista das ameaças já encontradas e restaurá-las, caso tenha certeza de que o arquivo é seguro e que se trata de um falso-positivo.



Mas isso não deve ser um problema para a suíte da ESET. Os testes mais recentes do instituto independente AV Comparatives, feitos ainda com a versão anterior (4.2), mostram que o software da empresa foi o terceiro que menos encontrou falsos positivos, atrás apenas do AVG e do BitDefender. Segundo o AV-Test, que experimentou a mesma versão, entre 594,193 arquivos, o Smart Security obteve um índice de apenas três falsos-positivos, número bem inferior à média da indústria, que é de 17 ocorrências.

Os índices de proteção e reparação é que deixavam a desejar, com o software da ESET atingindo classificação 3,5 e 2,5 de um total possível de 6,0, respectivamente. Ele foi capaz de detectar 100% das ameaças já conhecidas e 94% dos malwares 0-day, mas conseguiu remover todos os rastros em apenas 54% dos casos.

Os resultados parciais do terceiro trimestre (que ainda não foram divulgados) foram compartilhados com o CNET e sugerem uma melhoria no mecanismo de antivírus na versão 5. Pelo menos na detecção de falsos-positivos: a nova versão do Smart Security não emitiu simplesmente nenhum alarme falso. Pode deletar suas tranqueiras da quarentena sem medo!

 

Firewall e controle dos pais

O ESET Smart Security inclui um firewall, essencial para proteger seu computador de conexões intrusas. No entanto, configurá-lo não é tarefa das mais fáceis. Outras soluções de firewall distribuídas separadamente, como o Comodo, por exemplo, são bem mais intuitivas. De qualquer modo, o firewall da ESET já vem, por padrão, no modo automático, o que deve servir para a maioria dos usuários ficarem protegidos sem incomodação.

Quem quiser ir mais a fundo e personalizar a configuração do recurso, vai ter que penar um pouco. É preciso abrir a interface principal do software, selecionar o menu “configuração” e, então, “rede”. Antes de clicar nessa última opção, já é possível ativar ou desativar o firewall, mas apenas isso. Clicando no menu, você é levado a uma tela com configurações mais avançadas.



Ali, é possível alterar o modo padrão automático para o modo interativo, no qual cada aplicativo que tentar realizar uma conexão com a internet irá solicitar uma ação sua. É bem melhor para quem quer manter o controle, mas, como de costume em qualquer firewall, pode incomodar com os constantes alertas. Só nesse modo é que você pode configurar as regras do firewall, configurando, por exemplo, quais aplicativos podem fazer conexões de entrada, de saída, ou quais devem sempre solicitar uma ação.



Fora isso, o Smart Security conta também com antispam e proteção web que, na verdade, está mais focada em oferecer defesa contra arquivos maliciosos que chegam por e-mail. Falta, por exemplo, uma opção de navegação em ambiente seguro, como a oferecida pelo Kaspersky Internet Security, por exemplo, que permite andar por lados “suspeitos” da web em uma camada protegida que não afeta o sistema operacional. São poucas as configurações que o usuário pode fazer no mecanismo de proteção e, também, não são muito intuitivas.



Seguindo a tendência das demais suítes de segurança, o Smart Security traz também a ferramenta de controle dos pais. Ao contrário das ferramentas anteriores, esta é bem intuitiva e facílima de configurar. A mais fácil de usar entre as suítes já analisadas aqui no Adrenaline, na verdade. É só o administrador definir uma senha e, então, selecionar um perfil para cada conta de usuário do Windows – pai, adolescente ou criança. Cada perfil pode ser editado para escolher as categorias permitidas e todo o restante será bloqueado. E.. bem, dá pra bloquear tudo MESMO, até o Google.



O legal é que você pode adicionar alguns sites específicos que você permita que “furem” o bloqueio. Bom, suponhamos que você tenha mantido como proibidos os sites de jogos e entretenimento. Mas, para nós aqui não perdermos audiência, é possível incluir a URL do Adrenaline na lista de sites permitidos, fazendo com que apenas ele possa ser acessado em sua categoria. O mesmo processo pode ser feito para o propósito inverso: bloquear sites específicos dentro de alguma categoria permitida.



A ferramenta é simples e, nem de longe, oferece as opções do Norton Safety Mind, que permite aos pais acompanhar online, de qualquer PC, a atividade dos filhos. Mas, para pais com um nível de paranoia menor e que deseja facilidade e rapidez nas configurações, além de funcionamento efetivo, o Controle dos Pais da suíte da ESET faz um ótimo serviço. Inclusive, ele “dedura” os sites proibidos que os filhos tentaram acessar, bastando, para isso, acessar o log.

 

Relatórios detalhados

Outras funcionalidades do ESET Smart Security 5 estão no menu “Ferramentas” e incluem alguns relatórios interessantes para acompanhar a atividade do PC. Eles mostram, por exemplo, todas as ameaças detectadas e a lista pode ser filtrada por vários critérios, como palavras-chave e período de tempo.

Na mesma janela, o usuário pode conferir todas as ações do próprio software, como as atualizações automáticas do banco de dados, os dias em que foram feitos rastreamentos sob demanda (e se foram, ou não, concluídos com sucesso), estatísticas do firewall e todos os sites que as crianças tentaram acessar com o mecanismo de controle dos pais ativado.



Outra forma de visualizar o status do computador é no menu “Estatísticas”, que mostra como anda a proteção antivírus e de spam em um gráfico em formato de pizza. É uma pena que ela só mostra o que ocorre diariamente, ou seja, não é possível configurar o gráfico para exibir dados de um mês inteiro, por exemplo.



No menu “Ferramentas” há também a possibilidade de acompanhar o tráfego de rede e do sistema de arquivos em uma interface atualizada em tempo real. Também é possível agendar tarefas, como executar uma verificação sob demanda, útil para aqueles momentos em que você sabe que vai deixar o PC ligado, mas sem utilizá-lo por um tempão.



A Quarentena também é acessada ali, bem como o menu que mostra todas as conexões de rede ativas no momento. Mas um dos recursos mais legais é o “processos em execução”, uma versão turbinada do gerenciador de tarefas do Windows. Ali, o usuário verifica tudo o que está rodando na máquina naquele exato momento, incluindo o nome do processo, o nome do aplicativo relacionado a ele e, o mais importante, o nível do risco do executável, informações obtidas pela nuvem através do ESET Live Grid. Se algum processo parecer perigoso, é melhor dar uma pesquisada na procedência dele e o que ele é capaz de fazer. Seria muito melhor, porém, se o software fosse capaz de "matar" um processo perigoso caso o usuário assim quisesse.



O Smart Security 5 também conta com o Sys Inspector, assim como o antivírus NOD32. Ele pode ser acessado tanto no menu “Ferramentas” da suíte quanto através do atalho para o programa em separado, no Menu Iniciar. Ele mostra informações detalhadas sobre o sistema, incuindo uma lista com descrições de todos os arquivos em execução e bibliotecas DLL carregadas, com descrições breves, além de detalhes sobre o arquivo system.ini. Ele não recebeu grandes mudanças em relação à versão 4 e continua pouco intuitivo, mas isso ocorre pela quantidade de informação que oferece e pela riqueza de detalhes técnicos. Algo que pode ajudar os usuários leigos a irem direto ao ponto, é arrastar a barra de filtragem, localizada no topo da janela, para que o software mostre apenas os processos, programas e entradas de registro mais perigosos.



É uma alternativa bem mais completa àquelas encontradas no próprio Smart Security. Inclusive, permite que o usuário salve relatórios para verificar depois, o que acaba com o problema de visualizar eventos apenas relacionado ao dia corrente, ou a poucos dias atrás. O problema é que ele realmente demora muito para abrir, mesmo em máquinas rápidas. E também leva algum tempo para mostrar os dados após as filtragens, o que pode até dar a impressão de que a máquina travou. O melhor é fazer outra coisa e deixar o software quieto, para depois verificá-lo.

 

Desempenho e outras funções

Mais uma vez, o desempenho é o ponto forte do software da ESET. O Smart Security 5 não exige muito do sistema e roda tranquilamente até em computadores mais antigos, com menos poder de processamento.

Ele não é nada intrusivo e não incomoda, fica quietinho na barra de tarefas até que encontre algum problema e, então, exibe um pequeno balão de alerta. Ao clicar nele, o usuário recebe maiores informações sobre o ocorrido e solucionar facilmente a questão. Normalmente, o software avisa se faltam atualizações para o sistema operacional. Em caso positivo, você pode clicar em mais informações para obter uma lista de todos os updates que faltam, inclusive seu grau de importância, e realizar as atualizações por ali mesmo.



O Smart Security não prejudica o desempenho do sistema e o impacto, durante a varredura sob demanda, é mínimo, de modo que muita gente não vai nem perceber que o recurso está rodando no momento. Ele só demora um bocado para escanear os arquivos, mas, como o processo não atrapalha as outras atividades, não chega a ser um ponto negativo.

O firewall, durante nossos testes, também nunca incomodou, sem jamais bloquear coisas que não deveriam. É uma pena, apenas, que a personalização dele esteja um pouco escondida, mas, de certa forma, isso facilita as coisas para usuários menos experientes.

Só encontramos problemas mesmo na reinstalação. Para desinstalar o software, você pode usar o próprio desinstalador que já fica incluído nos atalhos do programa ou uma ferramenta adicional disponibilizada pela ESET. Com o primeiro método, não conseguimos, posteriormente, instalar a suíte novamente, pois o processo travava a máquina nos momentos finais. A segunda tentativa, após usar a outra ferramenta, também não deu certo.

Foi necessário tentar outras vezes, até que, sem razão aparente, o software foi instalado. Inclusive, o processo novamente travou a máquina, mas, dessa última vez, ao reiniciá-la, tudo estava correndo bem. Vale lembrar que esse incômodo aconteceu apenas em um dos três computadores testados e, provavelmente, é muito raro.

Embora o desempenho do software seja excelente, ele disponibiliza um modo de jogo, que interrompe todas as tarefas programadas e impede a exibição de pop-ups. Dessa forma, embora o PC continue protegido, o usuário pode curtir seus games sossegado sem medo de slowdowns devido a atividades do programa e sem ser interrompido por avisos que surgem de repente. Ele só poderia ser mais facilmente acessível, incluído no menu de contexto que surge ao clicar no ícone da barra de tarefas ou na interface principal do programa. No entanto, só é possível ativar esse modo ao acessar o menu “configurações”.



Outro recurso legal da suíte é a possibilidade de enviar arquivos suspeitos para análise nos laboratórios da ESET. Uma ótima característica é que também é possível reportar falsos positivos, ajudando a aprimorar a qualidade do software. Isso tudo pode ser feito facilmente pela opção “enviar arquivo para análise”, dentro das Ferramentas. Por fim, você também pode utilizar um assistente para criar um CD de recuperação do computador com o ESET SysRescue, para aqueles casos em que você mal consegue entrar no sistema.

 

Conclusão

O ESET Smart Security 5 é uma boa suíte de segurança, que herda as mesmas vantagens do antivírus NOD32. Seus pontos fortes são a interface prática, bonita e intuitiva, o excelente desempenho e o mínimo impacto sobre as outras atividades do sistema. No entanto, o software é bem menos completo do que esperávamos. São poucos os recursos adicionais em comparação ao antivírus, que, inclusive, já conta com o Sys Inspector, o que poderia ser uma tremenda vantagem a favor da suíte caso fosse um recurso exclusivo.

A grosso modo, o Smart Security é uma versão turbinada do NOD32, com o acréscimo de um firewall, anti-spam e ferramenta de controle dos pais. O firewall é ótimo e inteligente, mas quem tem Windows 7 já conta com um sistema praticamente tão bom e seguro quanto. O anti-spam é útil para quem usa softwares gerenciadores de e-mail, porém, os adeptos do Gmail praticamente não precisarão dele. Por fim, o controle dos pais é uma ótima adição, embora ainda esteja bem simples.

Por outro lado, a simplicidade implica em facilidade de uso (especialmente para usuários muito leigos) e no baixo preço: o software custa apenas R$89,99 na licença válida por um ano para um PC, apenas R$10 a mais que o antivírus NOD32. Em comparação, a Kaspersky Internet Security, com muito mais funcionalidades, está disponível apenas para três PCs ou mais, saindo por R$149,95.

Se você quer uma suíte de segurança sem complicações, econômica e com ótima performance para proteger apenas uma máquina sem muitos riscos, sem a necessidade de gerenciar vários PCs de uma rede doméstica, a suíte da ESET é a opção com o melhor custo x benefício. Mas se seu PC é compartilhado com pessoas descuidadas demais ou, ainda, se na sua casa existem vários computadores e diversos perfis de uso, é melhor investir em uma solução mais completa, como a da Kaspersky ou o Norton 360, da Symantec.

 


AVALIAÇÃO:

Desempenho

9.0

Interface

10

Segurança

9.0

Extras

7.5

Preço

10

Nota final

PRÓS
  • Ótima interface
  • Excelente desempenho
  • Facilmente personalizável
  • Baixo índice de falsos positivos
  • Nada intrusivo, inclusive, com a opção de ativar o modo de jogo
  • Preço atrativo
CONTRAS
  • Nem sempre é fácil de desinstalar / reinstalar
  • Não é tão completo quanto outras suítes do mercado
  • Controle dos pais ainda é bem primário