Segurança dos arquivos, dados pessoais e da integridade do sistema é uma preocupação desde que os computadores pessoais passaram a ser máquinas fundamentais em boa parte dos lares. As ameaças contra os PCs têm evoluído rapidamente, alterando seus propósitos, introduzindo códigos mais complexos e desafiando as cabeças que trabalham para empresas desenvolvedoras de soluções de defesa.

Foi-se o tempo em que apenas um simples antivírus era suficiente. Não basta combater as pragas, que atacam por todos os lados, mas é necessário prezar pelo desempenho do sistema, o uso das máquinas em uma rede e o acesso por terceiros. Com isso, suítes completas de segurança têm se revelado uma boa opção para quem quer ter um amplo controle sobre a máquina. É o caso do Kaspersky Internet Security, que avaliamos no final do ano passado.

A empresa de segurança com origem na Rússia, porém, não se limita a essa solução. Para quem deseja ainda mais funcionalidades, a companhia disponibiliza o Kaspersky PURE Total Security, que ultrapassa os limites da segurança contra ameaças digitais e fraudes diversas. O software acrescenta às ferramentas do KIS outros interessantes recursos adicionais, como backup e restauração, gerenciamento de senhas e controle de rede.



Com a promessa de embutir uma camada adicional de proteção à máquina, o Kaspersky PURE pode ser considerado, até então, a solução mais completa da empresa. Cabe ao usuário decidir qual produto atende melhor as suas necessidades. Acompanhe a nossa review para explorar a suíte integrada da Kaspersky.

 

Requisitos do sistema e principais características

O Kaspersky Pure é compatível com Windows XP, Vista e 7, sendo que cada sistema requer especificações de hardware distintas. Confira:

Windows 7 (32 ou 64-bit): processador com 1GHz ou superior, 1GB de RAM para a versão 32-bit e 2GB de RAM para 64-bit.
Windows Vista (32 ou 64-bit): processador com 1GHz ou superior e 1GB de RAM para ambas as versões.
Windows XP: processador Intel Pentium ou equivalente de 300MHz ou superior e 512MB de RAM.
Todas as instalações exigem ao menos 500MB de espaço livre no disco, Internet Explorer 6 ou superior, Windows Installer 2.0 e conexão com a Internet para realizar a ativação do produto.

O Kaspersky PURE, além de incluir as ferramentas básicas de prevenção contra ameaças, como antivírus, firewall, antispam, anti-rootkits e defesa contra fraudes, ainda integra as soluções do KIS, como controle dos pais e execução segura de sites e aplicativos. Como se não bastasse, o PURE acumula ainda mais recursos, que detalhamos a seguir:

  • Central de Controle: facilita o gerenciamento da segurança de todos os computadores de uma residência. A partir de uma máquina, o usuário pode exibir e manter facilmente tarefas como executar verificações, atualizações e tarefas de backup; corrigir falhas de segurança; gerenciar remotamente o controle dos pais e até mesmo atualizar a licença do Kaspersky PURE Total Security na casa inteira.
  • Gerenciador de Senhas: compatível apenas com sistemas 32-bit, protege todas as senhas enquanto o internauta faz compras, usa o banco virtual e joga online. O recurso ainda gera senhas fortes diferentes para todas as contas online que o usuário desejar, mantendo as informações de conta em uma “caixa-forte” criptografada. Basta lembrar apenas de uma senha mestra, que ainda pode ser armazenada em um pendrive ou dispositivo Bluetooth para acessá-la de outros computadores.
  • Backup Programado e Automático dos Dados: protege os arquivos do usuário em caso de danos no disco rígido, basta pasta programar um backup automático periódico para uma unidade USB externa ou FTP. É possível armazenar várias versões dos arquivos e restaurá-los individualmente ou em conjunto, inclusive em computadores que não tenham o Kaspersky PURE instalado.
  • Criptografia de dados: o Kaspersky PURE criptografa informações pessoais confidenciais para que elas não fiquem vulneráveis em casos de roubo, por exemplo. É possível criar “caixas-fortes” criptografadas de arquivos protegidos por senha, que permitem transferir arquivos entre computadores por USB ou email com segurança.
  • Fragmentação de arquivos: mesmo após excluir um arquivo e esvaziar a Lixeira, ele ainda pode ser recuperado do disco rígido e possivelmente estar vulnerável a criminosos virtuais. O Fragmentador remove os arquivos indesejados do sistema de forma irreversível, de modo que eles não possam ser recuperados, reconstruídos ou roubados.

 

Instalação e interface

Instalar o Kaspersky PURE no sistema é um processo simples, apesar das suas várias etapas. Como é de praxe, existe a opção de instalação rápida e a personalizada. Diferente do Kaspersky Internet Security, aqui o processo é mais detalhado, permitindo ao usuário escolher não só o diretório de instalação como os recursos que deseja instalar. Assim, é possível reduzir o espaço em disco ocupado e otimizar o software para trabalhar de uma maneira muito mais pessoal.



Como em outras instalações, o software solicita que soluções de antivírus incompatíveis sejam removidas antes de prosseguir. Como o PURE detecta, inclusive, rastros “invisíveis” de soluções previamente desinstaladas, o processo pode se tornar doloroso. Em uma das máquinas, inclusive, não consegui de maneira nenhuma liquidar os restos de outro software antivírus que já não estava mais instalado, nem mesmo usando o seu próprio removedor. Fica, então, o alerta para utilizar os melhores limpadores de “lixo” e de fragmentos do registro possíveis, na tentativa de facilitar a instalação do PURE.

Uma vez solucionados os entraves, antes de finalizar o processo de instalação, o Kaspersky PURE pede que o usuário escolha se o software vai tomar as decisões sozinho ou se irá solicitar uma ação quando for preciso, opção recomendada para quem quer saber exatamente tudo o que está acontecendo com o sistema. A primeira opção, no entanto, é mais cômoda, deixando o aplicativo trabalhar em silêncio enquanto o usuário desempenha outras atividades.



Tal como o Kaspersky Internet Security, ao término da instalação o PURE faz uma rápida avaliação do estado do sistema e dos softwares instalados para futuras análises e começa a buscar as primeiras atualizações do banco de dados. O primeiro update é longo e um pouco demorado, mas é imprescindível para que o programa mantenha uma boa capacidade de detecção e proteção.

Logo ao abrir o painel principal surge a primeira diferença em relação à suíte Internet Security: o visual. Muito mais simplificada e intuitiva, embora o software acumule ainda mais funções, a interface realmente ajuda o gerenciamento das tarefas tanto para o usuário novato quanto para quem já está familiarizado com procedimentos de segurança.



Ao clicar no ícone fixado na barra de acesso rápido, o PURE exibe uma janela com um grande alerta notificando ao usuário se o sistema está corretamente protegido e se as atualizações estão em dia. Para resolver qualquer pendência, basta clicar na esfera.



Logo abaixo, o PURE mostra suas principais funcionalidades agrupadas em três categorias, o que facilita muito o processo de encontrar as ferramentas desejadas: Backup e restauração, Proteção do computador e Controle dos pais. Ao clicar em cada uma delas, o PURE substitui a janela principal pela correspondente à opção selecionada, com os recursos listados verticalmente. Para retornar à tela inicial, basta clicar na seta para voltar, assim como em um browser.



Ainda é possível realizar alguns procedimentos básicos rapidamente sem a necessidade de entrar em cada área. Basta clicar em “tarefas rápidas” abaixo de cada categoria. É um recurso interessante para iniciar imediatamente a varredura com o antivírus, por exemplo.



Essas são as ferramentas fundamentais do software, essenciais para manter o computador protegido. No entanto, a suíte não se resume a isso: basta olhar a parte inferior da interface, com outros recursos bem interessantes, que vamos detalhar mais à frente. O que vale ressaltar agora é que a interface foi muito bem trabalhada. O resultado final é bonito, agradável e de fácil aprendizado.

 

Antivírus e capacidade de detecção

Não poderíamos falar de segurança digital sem citar um antivírus. E, aqui, ele funciona de maneira similar à do Internet Security, também com diversos módulos de proteção que devem ser configurados e ativados ou desativados separadamente. Por padrão, o software já vem com uma configuração satisfatória para manter o sistema seguro, mas é possível explorar cada detalhe  para personalizar ao máximo a atividade do PURE. Basta acessar a categoria Proteção do computador e selecionar “arquivos e dados particulares” para ter acesso a uma vasta gama de opções.



A partir daí, a coisa funciona exatamente como no KIS: o usuário seleciona o módulo que deseja alterar (arquivos, e-mail ou mensagens instantâneas, por exemplo), ajusta o nível de proteção e decide se o PURE, ao encontrar uma infecção, vai solicitar uma ação do usuário ou fazer o que achar melhor automaticamente.

Configurá-lo para sempre perguntar é uma ótima opção caso você saiba muito bem o que vai rodar no PC e quer evitar exclusões indesejadas ou problemas com falsos positivos. Até mesmo porque a solução da Kaspersky é bastante incisiva na hora de excluir arquivos que considera perigosos. A tela de seleção de módulos, no entanto, não segue o mesmo padrão da interface principal e pode gerar indecisão em pessoas com menos afinco para explorar a fundo uma solução de segurança. Não há com o que se preocupar: a configuração padrão vai dar conta do recado para o usuário médio.



Quando configurado para solicitar uma ação ao encontrar arquivos indesejados, o PURE exibe um alerta no canto inferior direito da área de trabalho com informações sobre a detecção. Nos nossos testes, mesmo quando permitimos o download do arquivo para testar o comportamento do software, foi necessário insistir um pouco: foram três alertas exibidos para o mesmo arquivo. Se isso sempre acontecer, dá pra dizer que o mecanismo é "à prova de enganos", dando ao usuário tempo para se arrepender caso tenha clicado no botão errado.



O mecanismo de antivírus, na sua essência, é o mesmo do KIS. Algumas ameaças detectadas vão para a quarentena, que pode ser acessada no painel Proteção do Computador, mas falta uma opção destinada exclusivamente a isso no momento da detecção. No mais, o software executa constantes varreduras em segundo plano e também pode fazer verificações agendadas ou sob demanda.

Todas as atividades podem ser verificadas no relatório de ameaças, acessível também na janela Proteção do Computador. Lá estão listadas todas as ameaças detectadas e, caso seja possível, existe a opção de desinfectar os arquivos. Também dá para acompanhar as detecções divididas por tipo em vários períodos de tempo: dia, mês, ano e tempo completo de uso do software.



A engine de detecção da Kaspersky costuma obter ótimos resultados em testes feitos por entidades especializadas. No quarto trimeste de 2010, a companhia conseguiu a nota 5.5 de um total de 6 no quesito proteção, de acordo com os testes realizados com o Internet Security pelo AV-test.org. A avaliação é a mesma obtida no terceiro trimestre, quando avaliamos o KIS. É, também, a maior entre as 22 listadas, empatando com o BitDefender, BullGuard e Panda.

Nos três últimos meses do ano, o software da Kaspersky conseguiu melhorar seu mecanismo de detecção de ameaças 0-day, conseguindo a impressionante marca de 100% nos testes do AV-test.org , número que era de 86% em julho. A engine também obteve aproveitamento total na hora de encontrar malwares já conhecidos, dentro de um escopo de 30.532 amostras de arquivos maliciosos. Quanto a ameaças recentes, descobertas em um período de dois ou três meses, a porcentagem oscilou entre 98% e 99% entre as 642.693 ameaças testadas. Vale lembrar que todos esses índices são superiores à média da concorrência.



A taxa de reparação melhorou significativamente nos testes do último trimestre. Se, no período anterior, o software da Kaspersky atingiu 70% na remoção de todos os componentes ativos de malwares já conhecidos, número 10% inferior à média, agora o número chega a 91%, índice 9% maior do que a média. A porcentagem é a mesma alcançada na hora de remediar alterações no sistema feitas pelos malwares, enquanto a média dos demais produtos em conjunto ficou em 45%. Com tudo isso, a média nesse critério subiu de 3.5 para 6, a nota máxima atribuída pelo AV-Tests.org.

O software da Kaspersky também recebeu, no final do ano passado, a certificação Advanced+ do AV-Comparatives.org, em conjunto com F-Secure, Symantec e Avira, obtendo, ainda, uma pontuação de 98,3% no ranking geral de proteção.

Apesar da melhora nos índices (que não necessariamente refletem a situação real, mas sim o comportamento das soluções de segurança frente a uma amostragem de vírus muito inferior à disponível na web), faço novamente a mesma crítica que fiz ao KIS: falta dar ao usuário um maior controle na reparação do próprio sistema. Você pode permitir ou bloquear o acesso a um arquivo detectado como malicioso, mas, às vezes, ele simplesmente é apagado automaticamente, sem sequer ficar na quarentena para posterior avaliação ou, até mesmo, para submeter o arquivo a uma “segunda opinião” em serviços online, como o VirusTotal.

 

Cuide bem das suas senhas

O Kaspersky PURE não deixa de ser uma suíte de segurança e, portanto, compartilha funcionalidades de defesa com o Kaspersky Internet Security, que já analisamos por aqui. Para entender melhor quais as diferenças entre o Pure, o KIS e o KAV (Kaspersky Antivirus), o site da companhia disponibiliza uma tabela simples que você pode conferir neste link.

Nesta review, iremos esmiuçar um pouco os diferenciais do PURE. Assim, cada usuário pode decidir qual solução se encaixa melhor no seu perfil.

Uma das novidades deste software, ausente no KIS, é o gerenciador de senhas. Ele permite o gerenciamento fácil de todas as senhas do usuário, incentivando a criação de senhas diferentes e seguras. Isso porque esse recurso cria uma espécie de caixinha segura de senhas, que guarda todas elas para cada serviço acessado na web ou aplicativo no PC, protegidas por criptografia. Para acessar o banco de dados, basta lembrar-se de uma única senha mestra.

Para que o gerenciador funcione corretamente, é preciso instalar o plugin de preenchimento automático nos navegadores utilizados, coisa que pode ser feita rapidamente através do próprio PURE. Quando ativado e desbloqueado com a senha mestra, o gerenciador permanece sempre ativo e solicita que o usuário adicione qualquer senha digitada ao seu banco de dados.
Assim, da próxima vez que for preciso fazer um login, o PURE reconhece a conta utilizada e preenche a senha automaticamente.



O software também permite criar uma versão portátil do gerenciador, em um pendrive ou dispositivo Bluetooth. Assim, o usuário pode levar suas senhas para computadores públicos, removendo seus vestígios ao finalizar o programa e remover o pendrive. No entanto, se, por alguma razão, o executável móvel do gerenciador for copiado para o PC público junto do banco de dados, as senhas ficarão à disposição de terceiros (principalmente se, no momento da migração para o dispositivo móvel, o usuário optar por não utilizar a senha mestra). Logo, não é recomendável deixar o computador sozinho por nenhum instante, já que um espertinho pode copiar tudo.



Por fim, o gerenciador também pode criar senhas fortes para você. Basta, no momento de criar uma nova conta, pedir ao PURE para gerar uma nova senha. É possível configurar seu nível de complexidade, incluindo letras combinadas com caracteres especiais, por exemplo. Essa senha será adicionada ao banco de dados do gerenciador e copiada por alguns segundos para a área de transferência, para que você possa colar em um processador de texto e tentar memorizá-la. Outra possibilidade é a de criar “identidades”, uma espécie de cartão digital com dados ainda mais sensíveis, como o número da conta bancária e do cartão de crédito.



O gerenciador de senhas é uma ferramenta simples e intuitiva, além de muito cômoda. Mas isso não significa que o usuário possa ficar completamente tranquilo e descuidado. Já que ele só precisará lembrar-se de uma única senha, é fundamental criar uma senha mestra grande e difícil o suficiente de alguém descobrir: se isso acontecer, o navegador e os softwares irão utilizar as senhas armazenadas e dar a terceiros o acesso indiscriminado a serviços privados. Além disso, alguém pode roubar o banco de dados e copiar para um pendrive, ficando capaz de utilizar as senhas capturadas em qualquer lugar.

No entanto, às vezes apresenta alguns inconvenientes. Ele exibe, por exemplo, um ícone ao lado dos botões de minimizar, maximizar e fechar dos navegadores. Nos nossos testes, esse ícone ficava “piscando” na janela, o que incomodou um pouco às vezes. Além disso, múltiplas contas em um único serviço deixam o gerenciador confuso: às vezes, ele insiste em utilizar uma única das minhas três senhas do Gmail, mesmo quando eu insiro um nome de usuário distinto na caixa de login. Quando isso ocorrer, é melhor selecionar manualmente o login desejado no ícone do recurso.



A ferramenta também é compatível apenas com sistemas operacionais de 32-bit. Por fim, é necessário frisar que ela não é totalmente imune a keyloggers. Mesmo incluindo um teclado virtual para a digitação da senha mestra, na tentativa de burlar possíveis detectores de teclas digitadas, existem malwares espiões avançados capazes de fazer capturas de tela a cada clique.

 

Desempenho e mais recursos exclusivos

O Kaspersky Pure aposta na comodidade e, especialmente, na segurança de toda a família. Assim como o KIS, traz recursos para controlar o acesso dos filhos a conteúdos considerados perigosos ou impróprios. Mas um dos diferenciais do PURE são suas ferramentas sob medida para administrar uma pequena rede doméstica. Através de um único PC, configurado com uma senha de administrador, o usuário pode atualizar todas as outras máquinas da rede, executar varreduras e verificar problemas. Tudo isso, é claro, se o PURE estiver instalado em todos os computadores.



Outra ferramenta exclusiva do software é o fragmentador de arquivos. Trata-se de uma forma de eliminar completamente alguns rastros do computador, já que, mesmo depois de excluídos do PC, certos arquivos podem ser recuperados com ferramentas especiais. Para acessá-la, basta clicar em “Ferramentas adicionais” e, em seguida, “Excluir dados permanentemente”.

A exclusão é muito fácil: é só buscar pelo arquivo ou pasta desejada, escolher o método de remoção – existem sete opções, a última, o padrão 5250.22-M, utilizado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. A velocidade do processo varia conforme o tamanho do arquivo e do nível de segurança do método selecionado. Faltou só um item no menu de contexto do Windows, mesmo que fosse somente para o nível mais básico, o que facilitaria ainda mais a tarefa.



O PURE também cria containers para manter arquivos e pastas seguros. Basta acessar a “Criptografia de dados” na interface principal. Cada container precisa de uma letra correspondente à unidade (como se fosse um dispositivo removível), uma determinada quantidade de megabytes e uma senha. Uma vez criado o container, o usuário deve arrastar tudo o que deseja criptografar para a nova unidade através do próprio Windows e, depois, clicar em “criptografar dados” dentro do PURE. Assim, os arquivos só poderão ser visualizados por quem tiver a senha: basta clicar em “descriptografar dados”.



Por fim, o PURE traz ferramentas de backup, também muito fáceis de configurar e executar. O usuário pode selecionar somente as pastas que deseja resguardar e selecionar onde irá guardar o backup: em uma unidade removível, em uma pasta no próprio disco, em outro local na rede ou em um servidor FTP. Depois de escolher o local, é só agendar novas tarefas de backup, determinando a frequência: a cada hora, minuto, dia, ou em um horário determinado, por exemplo. O PURE também restaura os dados salvos pela última vez em caso de problemas no sistema. Todas as tarefas de backup em outros computadores da rede podem ser administradas remotamente.



Somam-se esses recursos a tudo que o Internet Security oferece e tem-se uma suíte de segurança ainda mais completa. No entanto, o PURE é mais fácil de usar e mais intuitivo que o Internet Security, o que torna o software uma ferramenta ideal para toda a família. Mas suas funcionalidades adicionais, especialmente quando configurado à toda, podem prejudicar um pouco o desempenho do computador, especialmente em máquinas mais antigas, com processadores single-core. Até mesmo os dual-core podem apresentar alguns “gargalos” na hora de executar algum aplicativo mais pesado enquanto o PURE faz a varredura sob demanda.

Felizmente, não é nada grave e nem que desencoraje a utilização do aplicativo. Inclusive, o software pode se sair muito bem em netbooks, desde que a máquina não esteja entulhada de coisas. Ele pesa um pouco mais do que o KIS, mas é justificável: o PURE uma solução mais robusta, ideal para utilizar em desktops ligados em rede.

 

Conclusão

Optar entre o Kaspersky Internet Security e o Kaspersky PURE Total Security é mais uma questão de preferência pessoal do que de grandes diferenciais. O KIS oferece tudo o que um PC precisa para permanecer seguro e é um pouco mais barato – são R$20 de diferença. Considerando as ferramentas extras, o PURE tem um melhor custo-benefício. Também ganha na interface, muito mais bonita e intuitiva.

É claro que esses recursos a mais podem não fazer diferença para certos perfis de usuário. O gerenciador de senhas utilizado em um computador compartilhado, por exemplo, pode ser um problema. E caso exista uma única máquina na casa, não há a menor necessidade de utilizar a administração de rede, portanto, o PURE perde o sentido. Nesse caso, a solução recomendada é mesmo o Internet Security.

Quanto à proteção e desempenho, não há muito o que dizer. O PURE e o KIS se comportam de maneiras semelhantes e, pelo visto, a Kaspersky conseguiu aprimorar seu banco de dados de ameaças e sua capacidade de reparação nos últimos meses. Tanto o PURE quanto o KIS protegem o computador de forma eficiente, com pouquíssima incidência de falsos positivos e desempenho satisfatório. Nos nossos testes,o PURE pareceu um pouco mais pesado que o KIS durante varreduras sob demanda, mas esse aspecto varia muito de máquina para máquina, o que requer uma análise pessoal de cada utilizador.

Em resumo, se você quer uma suíte completa de segurança para proteger facilmente toda a sua família e “blindar” os PCs da sua rede doméstica, pode apostar no PURE. Caso seja um “solitário”, recorra ao Internet Security, mas prepare-se para destrinchar uma interface bem diferente.


AVALIAÇÃO:

Desempenho

8.5

Interface

9.0

Segurança

9.0

Extras

10

Preço

8.5

Nota final

PRÓS
  • Interface bonita e intuitiva
  • Ferramentas práticas para o controle de uma rede doméstica
  • Recursos extras úteis
  • Desempenho satisfatório
  • Mais opções de personalização
CONTRAS
  • Gerenciador de senhas e execução segura só funcionam em sistemas 32-bit
  • Falta uma opção para jogar todas as ameaças na quarentena
  • Varredura sob demanda pode pesar no sistema
  • Pode excluir arquivos que o usuário deseja manter