Fazer review de placa mãe destinada a público entusiasta é muito legal. Para começar elas são lindas, quase sempre possuem diversos dissipadores que além da lógica de sua funcionalidade, que é dissipar o calor gerado pela placa, também servem como acabamento do design. Isso porque a cada dia as empresas ficam mais criativas.

A Gigabyte é uma das empresas consideradas referência no que diz respeito a placas mãe de alto desempenho/qualidade, também está entre as maiores do segmento no mundo.

Recebemos e analisamos a placa Gigabyte GA-P55-UD6, modelo TOP baseado no socket LGA 1156 para os recém lançados processadores Intel Core i5 e i7 série 800.

Gigabyte GA-P55-UD6
Como falei, adoro fazer review de produtos diferenciados como essa placa mãe, fica mais fácil e interessante falar sobre o produto. Afinal, em certas ocasiões se torna repetitivo, e empresas como a Gigabyte, sempre estão na busca por diferenciais. Com isso, torna mais interessante a análise de seus produtos e a forma como se desenvolve a review.

O modelo GA-P55-UD6 é um exemplo disso. A mainboard é voltada ao público entusiasta que está montando um sistema para Core i5 ou Core i7 série 800. Ela possui um acabamento impecável e suporte ao que há de melhor para socket LGA 1156 entre as tecnologias disponíveis, inclusive várias tecnologias exclusivas da empresa conforme vocês poderão ver mais adiante.

Principais características:
- Socket LGA 1156 com suporte aos processadores: Intel Core i5 e Core i7 série 800
- Suporte a memórias DDR3 Dual Channel
- VRM com 24 fases, maior eficiência no gerenciamento de energia
- Ultra Durable 3 com tecnologia 2oz copper no PCB
- Suporte a ATI CrossFireX e NVIDIA SLI
- GIGABYTE DualBIOS
- Debug LED integrado
- Botões de “Power” e “Clear CMOS” na mainboard
- Tecnologias Gigabyte Smart 6, Dynamic Energy Saver 2, Smart TPM, Smart DualLAN, XHD, AutoGreen, Precision OV e Dual BIOS

Para conferir as especificações completas da placa clique aqui.

Fotos
Seguem algumas fotos da placa, mostrando o cuidado da Gigabyte com acabamento, desde sua caixa e acessórios ao principal, a placa mãe.

Bios
Abaixo temos algumas telas da Bios, outro diferencial da Gigabyte, que vai agradar aos usuários mais experientes e interessados em overclock.

LGA 1156
Antes de qualquer coisa vamos esclarecer um pouco o assunto LGA 1156(Lynfield), que pode vir a confundir algumas pessoas e é um fator importante na análise de um sistema baseado nos processadores da Intel.

Como falei na review do processador Core i5 750, o socket LGA 1156 foi criado como uma alternativa da Intel para baratear o custo dos computadores do segmento de entrada e intermediáro, visto que as mainboards baseadas no socket LGA 1366 e chipset X58 são bem caras e de nada adiantaria lançar processadores para o mercado intermediário e de baixo custo se as mainboards continuassem caras. Muito provavelmente comprometeria as vendas desses processadores.

Com isso a empresa lançou o socket LGA 1156, novo padrão para os processadores Core i3, i5 e i7 série 800. Inicialmente temos apenas o chipset Intel P55 com suporte a esse socket, mas em breve deveremos ter outras opções, como de costume.

Entre os principais diferenciais em tecnologias do socket 1366 para com o 1156 está o fato desse último ter retornado ao suporte de memórias Dual Channel que, na prática, afetará pouco a performance para a grande maioria dos usuários. Vale destacar que o controlador de memória continua integrado, um dos destaques dos processadores Core i7 e socket LGA 1366, mantidos pela Intel na plataforma LGA 1156.

Abaixo temos imagens da parte de baixo de um Core i7 LGA 1366, um Core i7 LGA 1156 e de um Core 2 Quad LGA 775. Podemos ver bem o tamanho de cada processador, com destaque para o i7 LGA 1366 que é bem maior que os outros dois, e também pelo fato do LGA 1156 ter o tamanho praticamente igual ao LGA 775, mas possuir maior densidade de aproveitamento.


Veja todas as placas da Gigabyte baseadas no chipset P55 clicando aqui.

Exclusividade Gigabyte
Como destaquei no início desta review, a Gigabyte se destaca no segmento de placa-mães por ser uma empresa que se mantém constantemente em busca de novas tecnologias, visando sempre melhorar e conseguir diferenciais em relação a concorrência.

Abaixo alguns selos que caracterizam as “tecnologias” exclusivas da empresa que são suportadas pelo modelo GA-P55-UD6. Para conferir um release da Gigabyte sobre essa placa e sobre essas tecnologias clique aqui.

Máquinas/Softwares utilizados
Fizemos alguns testes com o WinRAR e Sandra.

Durante os testes, compararamos apenas sistemas da Intel, mas já destacando que o processador e memória influenciam muito nesses resultados. Então isso deve ser levado em consideração na hora de analisar os gráficos.

Quem sabe futuramente podemos comparar outro chipset para LGA 1156 com o mesmo processador. Ai sim fica mais lógico uma comparação desse tipo de review, porque comparar LGA 1156 com LGA 1136 e LGA 775 sempre vai acontecer de ter o processador diferente, já que são sockets incompatíveis.

Lembrando também que o Core i5 750 tem clock padrão de 2.66GHz, mas está com o Turbo Boost da mainboard ativado e trabalha com clock um pouco superior, gerando um aumentando não muito expressivo que fica na casa dos 2 a 3% em média.

Máquinas utilizadas nos testes:
- Mainboard Gigabyte GA-P55-UD6
- Processador Intel Core i5 750
- Memórias 4 GB DDR3-1600MHz G.Skill Trident
- GeForce GTX 285 (referência)
- HD 500GB Sata2 Wester Digital
- Fonte SevenTeam 750W

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows Vista 32 Bits SP2 com Updates
- ForceWare 190.62 WHQL
- Intel INF Update Utility 9.1.1.1012

Configurações de Drivers:
- Anisotropic filtering: OFF
- Antialiasing – mode: OFF
- Texture filtering: Quality
- Vertical sync: Force OFF
- Demais opções em Default

Aplicativos/Games:
- Sandra Lite 2009.SP4 (15.124)
- WinRAR 3.90

CPU-Z
Abaixo temos algumas telas do CPU-Z, mostrando características da placa e do sistema.

Apps: WinRAR, Sisoftware Sandra

WinRAR
Nos testes do WinRAR, vemos a plataforma baseada no X58 com Core i7 920 liderar por poucos pontos, mostrando que uma plataforma com chipset P55 e Core i5 750 consegue chegar muito perto de uma i7. Vemos também a grande diferença dessa nova linha de chipset/processador para com a anterior da Intel.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

WinRAR

OBS.:

Teste com multithreading ativado Resultado calculado pelo aplicativo Quanto maior, melhor

[ Gigabyte GA-P55-UD6 - WinRAR ]

Intel i5 750 @ 2.8GHz
2.946

Intel i5 750 @ 2.8GHz
2.946

Intel i7 920 @ 2.66GHz
3.048

Intel i7 920 @ 2.66GHz
3.048

Intel Core 2 Quad Q9550 @ 2.83GHz
1.748

Intel Core 2 Quad Q9550 @ 2.83GHz
1.748



Sandra Lite 2009.SP4 – Processor Arithmetic
No teste “Processor Arithmetic” do Sandra, o Core i7 920 consegue uma margem considerável sobre o Core i5 750, que por sua vez não fica muito distante do Q9550.

Podemos analisar esse teste de várias formas. Primeiro que o i7 estaria agora mostrando sua força como deve, ou o chipset X58 de alguma forma estaria ajudando o i7, de repente com o Triple Channel exclusivo dele, mas nada além disso, porque tanto o Core i5 como o i7 estão utilizando memórias 4GB de memórias DDR3.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

SiSoftware Sandra 2009

OBS.:

Aggregate Arithmetic Performance Resultado em unidade "GOPS" usada pelo aplicativo Quanto maior, melhor

[ Gigabyte GA-P55-UD6 - SiSoftware Sandra - Processor ]

Intel i5 750 @ 2.8GHz
47,5

Intel i5 750 @ 2.8GHz
47,5

Intel i7 920 @ 2.66GHz
67

Intel i7 920 @ 2.66GHz
67

Intel Core 2 Quad Q9550 @ 2.83GHz
42,88

Intel Core 2 Quad Q9550 @ 2.83GHz
42,88



Sandra Lite 2009.SP4 – Memory Bandwidth
Como já comentei na review do Core i5 750, esses resultados são um tanto estranhos. Mas depois de mais alguns testes posso ao menos tentar explicar algumas possíveis causas desse resultado superior da plataforma P55 / Core i5 750 sobre a do i7.

Como já devolvemos a mainboard da Gigabyte com o Core i5, não podemos fazer mais testes nesse momento. Mas fiz alguns testes extras com a plataforma do Core i7 920 e, com isso, cheguei a algumas conclusões.

Refiz novamente o teste do Core i7 920. Continua dando o mesmo score já apresentado anteriormente. Então o mérito é da plataforma com a mainboard GA-P55-UD3 baseada no P55 e do Core i5 750. A única forma de aumentar o score gerado pela plataforma do i7 foi colocando mais um pente de memória de 2GB, que fez o score aumentar para 18,56, mesmo sendo baseado em sistema operacional de 32 bits. Agora, se aumentou no Core i7, também aumentaria no Core i5, novamente mostrando que o resultado é sim muito bom dessa plataforma.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

SiSoftware Sandra 2009

OBS.:

Aggregate Memory Performance Resultado em unidade "GB/s" gerada pelo aplicativo Quanto maior, melhor

[ Gigabyte GA-P55-UD6 - SiSoftware Sandra - Memory ]

Intel i5 750 @ 2.8GHz
16,82

Intel i5 750 @ 2.8GHz
16,82

Intel i7 920 @ 2.66GHz
13,42

Intel i7 920 @ 2.66GHz
13,42

Intel Core 2 Quad Q9550 @ 2.83GHz
7

Intel Core 2 Quad Q9550 @ 2.83GHz
7



Overclock
Essa mainboard é uma ótima opção para quem procura montar uma plataforma baseada no socket LGA 1156 afim de tirar mais do processador. Tanto seus componentes como as opções da BIOS são muito melhores que modelos mais simples. Conseqüentemente, a probabilidade de conseguir resultados melhores aumenta, sem contar a própria vida útil do produto - por ser desenvolvido com componentes de melhor qualidade - se torna maior.

Como falamos na review do Core i 5 750, colocamos o processador trabalhando, sem problemas, à 3.8GHz em conjunto com a tecnologia Turbo boost. Não é o recomendável. Mas não tivemos nenhum problema e o sistema se comportou muito bem sem nenhuma instabilidade. Como já destacamos, entre os motivos principais está o fato da mainboard ser de qualidade acima do normal. Com um cooler melhor daria para aumentar mais o clock, conseguindo resultados ainda melhores.

WinRAR
O Aumento em cima do WinRAR foi de cerca de 25%. Muito bom, superando scores de diversos processadores mais potentes, como é o caso do i7 920.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

WinRAR

OBS.:

Teste com multithreading ativado Resultado calculado pelo aplicativo Quanto maior, melhor

[ Gigabyte GA-P55-UD6 - WinRAR - OC ]

Intel i5 750 @ 2.8GHz
2.946

Intel i5 750 @ 2.8GHz
2.946

Intel i5 750 @ 3.8GHz Overclocked
3.860

Intel i5 750 @ 3.8GHz Overclocked
3.860



Sandra Lite 2009.SP4 – Processor Arithmetic
No teste “Processor Arithmetic” do Sandra, o aumento também foi semelhante, na casa dos 25%. Mostrou que o overclock surtiu um efeito muito bom.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

SiSoftware Sandra 2009

OBS.:

Aggregate Arithmetic Performance Resultado em unidade "GOPS" usada pelo aplicativo Quanto maior, melhor

[ Gigabyte GA-P55-UD6 - SiSoftware Sandra - Processor - OC ]

Intel i5 750 @ 2.8GHz
47,5

Intel i5 750 @ 2.8GHz
47,5

Intel i5 750 @ 3.8GHz Overclocked
62,8

Intel i5 750 @ 3.8GHz Overclocked
62,8



Sandra Lite 2009.SP4 – Memory Bandwidth
Para finalizar os testes, temos o “Memory Bandwidth” do Sandra, onde novamente tivemos um ótimo resultado, comprovando o excelente desempenho do processador quando overclockado, com média igual e até superior a 25% de ganho. Claro que estamos falando de softwares para benchmarks, mas o ganho existe.

CONFIGURAÇÃO PARA O TESTE:

SiSoftware Sandra 2009

OBS.:

Aggregate Memory Performance Resultado em unidade "GB/s" gerada pelo aplicativo Quanto maior, melhor

[ Gigabyte GA-P55-UD6 - SiSoftware Sandra - Memory - OC ]

Intel i5 750 @ 2.8GHz
16,82

Intel i5 750 @ 2.8GHz
16,82

Intel i5 750 @ 3.8GHz Overclocked
22

Intel i5 750 @ 3.8GHz Overclocked
22



Conclusão
A Gigabyte está, como já falei, entre as melhores empresas do segmento de mainboards. Não há dúvidas: possivelmente entre as três melhores. Seus produtos atestam isso.

A placa GA-P55-UD6 é um exemplo de um produto TOP de linha que consegue mostrar, na prática, a qualidade lhe empregada. Como vimos nessa review e na do Core i5 750, a plataforma que utiliza essa mainboard consegue, em várias situações, “bater” a baseada no Core i7. Isso acontece pelos diferenciais dessa mainboard, na qualidade dos componentes, opções de BIOS, softwares para melhoria de performance e outros importantes quando analisamos o público que ela visa atingir.

Suas opções de overclock e tecnologias exclusivas da Gigabyte são um prato cheio para quem quer um produto que ofereça mais do que o padrão, quando falo em algo mais digo tecnologias como Smart 6, Dynamic Energy Saver 2, Smart TPM, Smart DualLAN, XHD, AutoGreen, Precision OV e Dual BIOS. Exclusividades da empresa e aplicadas nessa mainboard.

Em placas desse porte é possível notar bem a diferença de overclock onde o hardware é mais exigido, inclusive, pelo usuário que quer mais opções a fim de tirar mais do processador. E isso está diretamente ligado ao que a mainboard oferece e se ela agüenta ser exigida. E a GA-P55-UD6 definitivamente é.

Lógico que tudo isso tem um custo, e não é pouco. Para termos uma noção podemos encontrar facilmente mainboards baseadas no chipset P55, da própria Gigabyte, pela metade do preço. A GA-P55-UD6 custa, em média, $240 nos EUA. Preço bem elevado mas, como falei, é o custo por todos os diferenciais que ela oferece e por ser uma placa TOP, voltada aos entusiastas. Novamente destaco que esse não é o único modelo da Gigabyte que utiliza o chipset P55. Atualmente, a empresa possui nada menos que 12 modelos para todos os gostos e bolsos.

Agora se acharam caro o preço nos EUA, que acaba se equiparando a modelos TOP baseado no chipset X58, vão se espantar com o valor que ela deverá custar aqui no país: entre R$ 1200,00 e R$ 1300,00, de acordo com a assessoria da Gigabyte. Para não dizer que é triste, chega a ser engraçado. O produto simplesmente triplica o seu valor internacional quando chega ao nosso país. Que beleza.

Para quem puder pagar, garanto que não irá se arrepender. Já para os demais, o negócio é optar por modelos um pouco mais simples. O fato é que a plataforma LGA 1156 com os processadores Core i5 e Core i7 série 800 pode vir a fazer um grande sucesso. O tempo dirá.


PRÓS
  • Excelente acabamento
  • Componentes de primeira qualidade
  • Grande diversidade de tecnologias e utilitários exclusivos
  • Boas opções na Bios para overclock
  • Boas opções de conexão no painel da parte trazeira
  • Ótima performance
CONTRAS
  • Preço no Brasil é extremamente alto